Edição digital
Assine já
Construção

Governo autoriza lançamento de concursos de requalificação de infraestruturas no valor de 100 M€

O Governo autorizou a abertura de candidaturas nas áreas da educação e da saúde para a requalificação de infraestruturas e equipamentos pelos programas operacionais regionais do continente

CONSTRUIR
Construção

Governo autoriza lançamento de concursos de requalificação de infraestruturas no valor de 100 M€

O Governo autorizou a abertura de candidaturas nas áreas da educação e da saúde para a requalificação de infraestruturas e equipamentos pelos programas operacionais regionais do continente

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Cantanhede vai ter uma nova estação de tratamento de águas residuais
Construção
Promiris: Coimbra, Aveiro e Faro são mercados atractivos para o segmento das residências de estudantes
Imobiliário
ANIET promove Pedra Portuguesa nos Estados Unidos
Empresas
EDIA lança concurso de Gestão e Fiscalização da Construção do Circuito Hidráulico de Reg. de Monsaraz
Construção
a importância de mão-de-obra qualificada na construção civil
Sun Cliffs Resort inicia 2ª fase de vendas
Imobiliário
Nhood Portugal comercializa mais de 100 lojas em 2022
Imobiliário
Covilhã recebe congresso ‘Cirmare 2023’
Empresas
CBRE reforça áreas de marketing com duas novas contratações
Imobiliário
Zome debate Habitação & Mediação
Imobiliário
Coimbra é a próxima paragem da iad Open Session Tour
Imobiliário

As câmaras têm à sua disposição 100 milhões de euros dos programas operacionais regionais para reabilitar escolas e centros de saúde. A medida foi aprovada em decreto lei publicado a 31 de Maio.

O anúncio do lançamento da medida já tinha sido feito pela Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, durante a discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2022. “Através de avisos de concurso, com enquadramento ainda no PT 2020, mas com a possibilidade de transitarem para o PT 2030, teremos 100 milhões de euros dos Programas Operacionais Regionais ao serviço dessas requalificações. Nesta fase, os beneficiários serão infraestruturas consideradas prioritárias, ou seja, escolas e centros de saúde mais degradados”, explicou na ocasião.

A verba será disponibilizada tendo em conta a limitação de dotações por regiões. Assim, no domínio da Educação (requalificação de infraestruturas escolares) a região Norte e Centro contam, cada uma, com 30 milhões de euros, o Alentejo 10 milhões de euro e o Algarve cinco milhões de euros. No domínio da Saúde (cuidados de saúde primários), o Norte conta com 10 milhões de euros e as regiões Centro, Alentejo e Algarve com cinco milhões de euros, um valor manifestamente inferior à dotação para as áreas da Educação justficada também pelo facto de ser em menor número as infraestruturas desta natureza sob gestão das câmaras municipais.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Cantanhede vai ter uma nova estação de tratamento de águas residuais
Construção
Promiris: Coimbra, Aveiro e Faro são mercados atractivos para o segmento das residências de estudantes
Imobiliário
ANIET promove Pedra Portuguesa nos Estados Unidos
Empresas
a importância de mão-de-obra qualificada na construção civil
EDIA lança concurso de Gestão e Fiscalização da Construção do Circuito Hidráulico de Reg. de Monsaraz
Construção
Sun Cliffs Resort inicia 2ª fase de vendas
Imobiliário
Nhood Portugal comercializa mais de 100 lojas em 2022
Imobiliário
Covilhã recebe congresso ‘Cirmare 2023’
Empresas
CBRE reforça áreas de marketing com duas novas contratações
Imobiliário
Zome debate Habitação & Mediação
Imobiliário
Coimbra é a próxima paragem da iad Open Session Tour
Imobiliário
Construção

Cantanhede vai ter uma nova estação de tratamento de águas residuais

Além da construção da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) agora consignada, que representa um investimento de cerca de 9,1 milhões de euros, cofinanciado pelo POSEUR, a AdCL tem já em curso a Empreitada de aumento da capacidade das infraestruturas, num valor de 3,7 milhões de euros, igualmente cofinanciado pelo POSEUR, obras que visam reforçar o Sistema de Saneamento da Ria Sul-Aveiro e solucionar o saneamento nos municípios de Mira e Cantanhede

A Águas do Centro Litoral (AdCL) vai investir perto de nove milhões de euros na construção de uma nova estação de tratamento de águas residuais em Cantanhede, intervenção que complementa outra obra já em curso, envolvendo também o município de Mira, representando um investimento total de 12,8 milhões de euros, cofinanciado pelo POSEUR.

A empresa que gere a captação, o tratamento e o abastecimento de água para consumo público e a recolha, o tratamento e a rejeição de efluentes domésticos e urbanos no Centro Litoral do País está a promover um conjunto de obras que vão permitir tratar efluentes domésticos e industriais de Cantanhede. Trata-se da consignação da Empreitada de Concepção-Construção da ETAR de Cantanhede, uma obra cofinanciada pelo POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, ao consórcio “Espina & Delfin/ Factor Ambiente”, estando a fiscalização dos trabalhos a cargo da empresa RIOBOCO .

A cerimónia simbólica contou com a presença do Conselho de Administração da AdCL, dos presidentes de Câmara de Cantanhede e de Mira, do Vice-Presidente do Conselho Diretivo da Agência Portuguesa do Ambiente, do Administrador da AdP Valor, e ainda dos representantes da Junta de Freguesia da Tocha e das empresas do empreiteiro e da fiscalização.

Além da construção da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) agora consignada, que representa um investimento de cerca de 9,1 milhões de euros, cofinanciado pelo POSEUR, a AdCL tem já em curso a Empreitada de aumento da capacidade das infraestruturas, num valor de 3,7 milhões de euros, igualmente cofinanciado pelo POSEUR, obras que visam reforçar o Sistema de Saneamento da Ria Sul-Aveiro e solucionar o saneamento nos municípios de Mira e Cantanhede.

As duas empreitadas, que representam um valor total de cerca de 12,8 milhões de euros, cofinanciado pelo POSEUR, incluem a construção da estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Cantanhede e de 1,2 km de emissários de saneamento e ainda o aumento de capacidade das cinco (5) estações elevatórias existentes (Pocariça (CT1); EE Pisão (CT2); EE Catarinões (CT3); EE Taboeira (CT5); EE Casal dos Netos (CT6)).

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Promiris: Coimbra, Aveiro e Faro são mercados atractivos para o segmento das residências de estudantes

Em parceria com a belga Cetim, a Promiris tem já em desenvolvimento projectos neste segmento no Porto e em Lisboa. O primeiro, o Odalys Porto Granjo Centro, com assinatura do atelier Fragmentos, já se encontra em operação

O primeiro projecto da belga Odalys entrou em Portugal através da Promigranjo, representante das empresas de origem belga, Promiris e Cetim, em 2022, com a inauguração da Odalys Porto Granjo Centro, no Porto e cuja projecto de reabilitação tem assinatura da Fragmentos. Este foi também o primeiro projecto concluído da promotora, numa parceria que será para continuar.

“Tendo em conta a imensa procura que este tipo de equipamento tem tido durante os últimos anos”, Carlos Marnoto, project manager da Promiris, revelou ao CONSTRUIR quais os próximos projectos neste segmento, confirmando tratar-se de uma estratégia de investimento do Grupo para os próximos anos.

“A Promiris foi um dos primeiros players a identificar, em Portugal, a necessidade de residências estudantis que fossem construídas por operadores profissionais e internacionais, de forma a garantir o melhor conforto, segurança e apoio aos alunos e aos pais. Esta forma de alojamento é predominante no Norte da Europa e acreditamos que gradualmente, irá substituir a opção de alojar estudantes de forma local e sem controle. Além disso, privilegiamos sempre a reabilitação de edifícios e a eficiência energética, acessibilidade e qualidade de vida”, referiu Christian Terlinden, managing partner da Promiris, à data da inauguração do espaço.

Sem revelar valores de investimento, o Grupo tem neste momento mais dois projectos de residências de estudantes em desenvolvimento. Um também no Porto, no campus universitário da Asprela, com projecto do atelier de Miguel Saraiva, a ser desenvolvido com o operador Xior Student Housing, que, entretanto, adquiriu, numa operação de forward funding, os restantes 50% que pertenciam aos grupos Promiris e Cetim, já que a primeira aquisição aconteceu em 2019 aquando da constituição da parceria. A operação foi assessorada pela PLMJ.

Em Lisboa, nas Lamas (Junqueira) está também já aprovado o projecto para 124 quartos, que conta com a assinatura do arquitecto Capinha Lopes e que também será desenvolvido com o grupo belga Cetim.

Futuro aponta para Coimbra, Aveiro e Faro

Carlos Marnoto refere que “estão a analisar outros possíveis investimentos nesta área” Coimbra, Aveiro e Faro são outras “potenciais localizações” de forma a “avançarmos com a nossa estratégia de desenvolvimento deste tipo de produto” sem, contudo, deixar de parte as cidades de Lisboa e Porto, onde futuramente poderão vir a surgir mais projectos.

Esta estratégia tem vindo a avançar “de forma concertada no mercado português”, em parceria com o operador Odalys, cujo produto “profissional e diferenciado” é fruto da sua especialização neste tipo de operação desde 2011, onde tem actuado em mercados como França, Bélgica ou Espanha.

As diferentes valências que este tipo de equipamento oferece em complemento ao alojamento aos estudantes, nomeadamente, segurança, videovigilância, ligação à internet, limpeza e cafetaria, recepção, espaço de coworking, ginásio, espaços para convívio, estudo e refeições, e ainda, um jardim exterior. Estão também disponíveis serviços opcionais, como televisão, lavandaria e serviços de pequeno-almoço.

“Reabilitação sempre que possível”
Localizada a 600 metros da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (UP), a 2,5kms da Faculdade de Direito da UP e de diversas outras instituições e pontos centrais da cidade, a Odalys Porto Granjo Centro oferece uma localização privilegiada, com fácil acesso à rede de transportes públicos e perto de escolas e universidades.

Composta por 212 quartos, 20 deles com carácter de alojamento turístico, totalmente equipados e mobilados, os espaços estão divididos entre zona de dormir, casa de banho, espaço para refeições com kitchenette e zona de trabalho com ligação a internet de alta velocidade. Na Residência, os estudantes podem ainda usufruir de vários outros serviços e espaços, que incluem recepção e segurança 24h, serviço de limpeza, lavandaria, cafetaria, ginásio, sala de convívio, áreas de coworking e um jardim com 2.000m2.

Esta nova residência, para além de responder ao forte crescimento do número de estudantes nacionais e internacionais do ensino superior no Porto, vem também potenciar o espaço onde está inserido, reconstruindo um local que estava devoluto e dando-lhe uma nova vida e dinâmica. Mantendo a arquitectura original do edifício, inclusivamente a fachada e a chaminé industrial existente, o espaço foi reabilitado de forma a manter a sua identidade original, mas tornando-o num edifício moderno e jovem.

Gaia Hills

Habitação de luxo mantém-se no ADN
Além dos projectos pensados para os estudantes, o segmento residencial de luxo tem sido outro dos ‘core business’ da Promiris. Aliás, foi em Lisboa com o projecto ‘The Bivart Residences’ que se estreou em Portugal. Com assinatura de Capinha Lopes, o edifício já se encontra concluído. Não muito longe deste, encontra-se em fase final de construção o ‘Conde de Lima’, que resulta da “junção delicada de dois edifícios numa ilha dentro da cidade”. Saraiva + Associados assina o projecto.

Em simultâneo, Miguel Saraiva é também o autor de um dos mais emblemáticos projectos que estão previstos para Vila Nova de Gaia, entre um parque verde e a via marginal junto ao Douro. O futuro ‘Gaia Hills’, que resulta da parceria entre a Thomas& Piron e a Promiris, encontra-se em fase de licenciamento e deverá dar início à sua comercialização no segundo trimestre deste ano. Com uma área de cerca de 30 500 metros quadrados, o empreendimento irá acolher 256 apartamentos.

Mira Douro

Em fase mais avançada encontra-se, também no Porto, o Mira Douro. Os 54 apartamentos, divididos por dois blocos habitacionais, deverão ser entregues no decorrer do primeiro trimestre deste ano.

Com assinatura do arquitecto Carlos Castanheira, o empreendimento localiza-se na Travessa das Antas com a Rua Agostinho José Freire, junto ao Parque de São Roque, que se caracteriza pela “valorização da interacção entre o exterior e o interior”, assim como pela adopção de estratégias que garantam “o máximo conforto e mínimo consumo de energia”.

Sobre o autorCidália Lopes

Cidália Lopes

Jornalista
Mais artigos
Imobiliário

Sun Cliffs Resort inicia 2ª fase de vendas

A primeira fase de vendas ficou concluída em Dezembro de 2022, com a venda de 100% das unidades disponíveis. Mais de metade dos compradores são estrangeiros. O resort, com localização privilegiada na Ponta da Piedade, em Lagos, conta com 72 apartamentos, SPA, piscina e ginásio

A Portugal Sotheby’s Realty, abriu a segunda fase de vendas depois de ter alcançado a meta de 40% do volume de vendas na primeira fase. O Sun Cliffs Resort, em Lagos, é um resort composto por duas imponentes torres, com apartamentos mobilados e decorados e vista privilegiada sobre o oceano.

No total contam-se 72 unidades, de tipologias T1 a T3, com áreas dos 82 aos 146 m2, cujos horizontes domésticos são prolongados pelas varandas panorâmicas. Os apartamentos oferecem um ambiente confortável numa arquitectura sofisticada, perfeitamente integrada na paisagem natural.
Rodeado pelas praias Dona Ana, Camilo e Canavial, o Sun Cliffs Resort destaca-se pelo seu design sofisticado e moderno. Com comodidades como piscinas, SPA ou ginásio, o resort deverá estar pronto a habitar no primeiro semestre de 2024.

A localização e comodidades estão a cativar nacionais e estrangeiros, sendo que os últimos constituem mais de metade das vendas desta primeira fase. Para a segunda fase que agora se inicia existem 30 unidades disponíveis.
“O Sun Cliffs está a cumprir com as expectativas e a assumir-se um sucesso de vendas pelas suas características, quer de localização quer de comodidades. Trata-se de um empreendimento exclusivo para viver, visitar e desfrutar”, explica Miguel Poisson, CEO da Portugal Sotheby’s Realty.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Covilhã recebe congresso ‘Cirmare 2023’

Com o tema “Resiliência e Adaptação de Edifícios e Cidades para as Mudanças Climáticas”, o VI congresso é organizado pelas Universidades da Beira Interior e Federal do Rio de Janeiro

A Universidade da Beira Interior e a Universidade Federal do Rio de Janeiro vão organizar em Portugal o VI Congresso Internacional na “Recuperação, Manutenção e Reabilitação de Edifícios”.

O ‘Cirmare 2023’, com o tema “Resiliência e Adaptação de Edifícios e Cidades para as Mudanças Climáticas”, tem data prevista para os dias 5, 6 e 7 de Dezembro de 2023, na Covilhã.

Contribuir para o conhecimento e promoção de práticas na reabilitação que impulsionem a resiliência e adaptação dos edifícios e cidades e identifiquem novas soluções para atender as necessidades futuras de uma sociedade contemporânea, que se pretende mais sustentável nos seus princípios e na sua acção é algum dos objectivos do congresso.

Assim, o ‘Cirmare 2023’ promoverá uma oportunidade ideal para a troca de informações entre profissionais e investigadores que actuam na área de recuperação, manutenção e reabilitação dos bens edificados e das cidades.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Engenharia

Quadrante cria Centro de Excelência BIM

O novo Centro de Excelência “posiciona a Quadrante ao nível dos grandes grupos internacionais ao nível da digitalização”. Além disso irá permitir, também, aumentar a produtividade das equipas e integrar processos e novas ferramentas

CONSTRUIR

A Quadrante anunciou a criação de um Centro de Excelência dedicado à digitalização na construção, que vai permitir aumentar o peso do BIM na facturação global do grupo e criar cerca de 70 novos postos de trabalho no prazo de três anos, com tarefas diárias de produção com ferramentas BIM (Building Information Modelling).

O novo Centro de Excelência “posiciona a Quadrante ao nível dos grandes grupos internacionais ao nível da digitalização. Além disso, também, aumentar a produtividade das equipas e integrar processos e novas ferramentas para oferecer aos clientes edifícios e infraestruturas inteligentes e mais sustentáveis”, refere João Costa, administrador e responsável pela digitalização do Grupo. 

Os novos desenvolvimentos vão permitir integrar ferramentas de medição e monitorização da eficiência energética de edifícios e infraestruturas, gerir e medir a pegada de carbono de forma automática desde fases iniciais dos projetos, potenciar a economia circular em obras de elevada complexidade técnica, integrar simuladores de tráfego e inovar na gestão da construção e fiscalização, designadamente através de consultoria em serviços de Digital Twins, gestão e supervisão de obra, com as dimensões BIM do 4D e 5D.

 O novo Centro de Excelência BIM tem um gestor global dedicado totalmente ao BIM, que é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia, com uma equipa focada e especializada em cada uma das unidades de negócio do Grupo. “Será feito um aumento significativo de recursos humanos distribuídos pelas diversas unidades de negócio, que se traduzem em investimento em software de última geração, formação contínua e especializada e novos processos de trabalho”. Neste momento, a Quadrante já conta com os primeiros técnicos em Portugal, nesta indústria, com certificado BIM profissional da buildingSMART International.

A Quadrante é membro da Comissão Técnica de Normalização CT197-BIM, em Portugal e sócio fundador e membro do Concelho Consultivo da Building Smart Portugal. Foi também distinguida com a menção honrosa do Prémio de Excelência BIM “Maturidade BIM” em 2021, pelo Built CoLAB, com o trabalho desenvolvido no projecto do Estádio de Bouaké, na Costa do Marfim. Entre outros projectos desenvolvidos destaca-se a Linha Rubi do metro do Porto, que vai ligar a Casa da Música e Santo Ovídio, o Mercado Central de Kumasi, a Subestação eléctrica 110/13.8kV de Panquehue no Chile, o Edifício Técnico de Apoio ao Novo Telescópio da ESO, entre outros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Casais abre 103 vagas para reforçar equipas em Angola

A empresa lidera o consórcio que vai construir de uma conduta adutora para água tratada, com 112 Km, e dois Centros de Distribuição de água potável na zona da Grande Luanda.

CONSTRUIR

A Casais Angola abriu vagas para o mercado angolano, no âmbito do “Projecto Sector Águas”, que tem como objectivo aumentar a capacidade de fornecimento de água potável à zona da Grande Luanda. A empresa lidera o consórcio que vai construir de uma conduta adutora para água tratada, com 112 Km, e dois Centros de Distribuição de água potável.
“O contributo do Grupo Casais para o desenvolvimento de uma região é uma motivação extra para o nosso propósito, que tem a vantagem de aumentar o nível de exigência na qualidade da prestação dos nossos serviços”, justifica António Carlos Rodrigues, CEO do Grupo Casais.

Desde 1999 em Angola, o Grupo Casais tem neste país 2.948 colaboradores e conta com 52 obras em execução. Os sectores mais relevantes são no ramo da construção, imobiliário, ambiente, agricultura e serviços de oil & gás, sector industrial (ramos de carpintaria e metalomecânica) fruto da evolução do mercado. Só em 2022, a Casais Angola contratou 876 colaboradores. A especialização da mão de obra local é uma prioridade, pelo que o Grupo está a reforçar a aposta na formação específica nas diferentes vertentes da construção.

O Grupo privilegia o equilíbrio entre os colaboradores formados profissionalmente dentro do Grupo Casais e os formados noutras instituições, com o objectivo de transmitir o know-how e a filosofia Casais, no sentido de gerar valências e competências, em linha com a filosofia corporativa.

A evolução rápida do sector e o aparecimento da concorrência, torna o mercado mais exigente e competitivo, impulsionando, consequentemente, o incremento da qualidade das Casais Angola e dos seus serviços, conferindo ao processo de recrutamento rigor e exigência. As vagas abertas são para as funções de construction manager, site manager (construção civil e infraestruturas), preparador de obra e encarregado de obra.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Bebedouro inclusivo da Larus entre o melhor design ibero-americano

A Larus, marca portuguesa de mobiliário urbano, foi distinguida na 8ª edição da Bienal Internacional de Diseño – BID, que reuniu o melhor design ibero-americano, em Madrid

CONSTRUIR

Os bebedouros “Hydra”, da autoria de Daniel Sousa e Pedro Gonçalves, foram distinguidos no certame internacional.

Estes equipamentos distinguem-se por serem bebedouros inclusivos, na medida em que uma das quatro versões, foi desenhada para pessoas com mobilidade condicionada, e, também, sustentáveis, uma vez que incentivam o consumo da água da rede, o uso e reutilização de vasilhames próprios não descartáveis e o reaproveitamento da água para animais. Os bebedouros “Hydra” são fabricados em aço e ferro fundido e estão disponíveis em quatro versões (S, L, Wash e Refill).

Os equipamentos premiados encontram-se em exposição na capital espanhola, no Museo Nacional de Artes Decorativas e na Central de Diseño de Matadero.

A Larus mobila cidades como Porto (Serralves e Avenida dos Aliados), Madrid (parque do Museu do Prado), Luanda (Baía de Luanda e Ilha do Cabo), Casablanca (Antiga Medina), Santiago de Compostela (Cidade da Cultura), Versalhes, Innsbruck ou Bruxelas.

A investigação em design é uma aposta estratégica da empresa, que tem como missão humanizar o território. Diariamente, o Gabinete de Investigação e Desenvolvimento desenvolve soluções técnicas que antecipam as necessidades urbanísticas.

A Larus foi considerada a melhor empresa europeia na implementação do Design pelo Centro Europeu de Design, em 2011. A originalidade e a diversidade das suas soluções resultam de uma estreita colaboração com os maiores nomes da arquitectura e design nacional. Siza Vieira, Souto Moura, Daciano da Costa, Alcino Soutinho, João Nunes, Carrilho da Graça, Henrique Cayatte ou Francisco Providência.

A LARUS conta 35 anos de história e tem hoje uma presença internacional na Europa, África e Médio-Oriente.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Cushman&Wakefield assessora venda de unidade industrial na Marinha Grande

A unidade industrial é servida por excelentes acessibilidades, localizando-se muito próximo da autoestrada A8 e A17, e é composta por duas naves com cave, onde constam dois armazéns, sendo que em uma delas também existem espaços destinados à fabricação e serviços administrativos

CONSTRUIR

A Cushman & Wakefield, consultora líder global em serviços imobiliários, anuncia que assessorou a Caixa Geral de Depósitos na venda de uma unidade industrial, com cerca de 10.000 m2 de construção, na Marinha Grande. O imóvel foi comprado pela Inipol, empresa portuguesa especializada em investimentos imobiliários e construção civil.

A unidade industrial é servida por excelentes acessibilidades, localizando-se muito próximo da autoestrada A8 e A17, e é composta por duas naves com cave, onde constam dois armazéns, sendo que em uma delas também existem espaços destinados à fabricação e serviços administrativos.

O novo proprietário irá iniciar um processo de reabilitação no imóvel, uma vez que este está desocupada há, aproximadamente, 10 anos – altura em que a anterior ocupante, Grandupla, abandonou o espaço devido a insolvência.

Para Bruno Neves, consultor do departamento de Industrial, Logística e Terrenos da Cushman & Wakefield Portugal, “esta transação demonstra o forte dinamismo que se sente no setor industrial e logístico em Portugal. Fruto da escassa construção de ativos que cumpram os requisitos da maioria das empresas, temos vindo a verificar um aumento na compra de imóveis para reabilitação, tornando-se assim, mais rápido o início da operação no espaço, quando comparado com um processo de licenciamento standard. O distrito de Leiria, é um dos que, dado à sua localização geográfica e face aos acessos existentes, tem conseguido atrair e reter empresas dos mais diversos setores, consolidando cada vez mais a região e posicionando-se assim como um dos principais eixos nacionais para a logística e indústria. A indústria em Portugal está viva e recomenda-se!”

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Engenharia

Renováveis: Eurowind Energy quer investir 400M€ em Portugal

Responsável da empresa alertou para dificuldades que o setor das renováveis enfrenta no país e que estão relacionadas com a morosidade na emissão e pareceres e licenças, incoerências legislativas

CONSTRUIR

A multinacional dinamarquesa Eurowind Energy, que inaugurou o segundo parque solar de produção de eletricidade do país, quer investir até ao fim desta década mais de 400 milhões de euros em Portugal. Pedro Pereira, diretor da empresa para a Europa do Sul, disse aos jornalistas que, “até ao final desta década, [serão investidos] 400 milhões” na construção de parques fotovoltaicos de pequena produção na Covilhã, Castelo Branco, Mafra, Vouzela e Bragança, com uma potência total instalada de 50 megawatts (MW).

“Metade vai arrancar em breve e a outra metade até ao final deste primeiro semestre para entrarem em exploração para o ano”, adiantou. A empresa dinamarquesa tem ainda três outros projetos previstos para Castelo Branco, dois parques eólicos e solares e um projeto de hidrogénio verde. “Temos o objetivo de hibridizar os nossos projetos com solar e eólico, juntando tecnologia para armazenar energia quando esta não está a ser produzida”, explicou.

O responsável alertou para diversas dificuldades que o setor das renováveis enfrenta em Portugal e que estão relacionadas com a morosidade na emissão e pareceres e licenças, incoerências legislativas, falta de recursos humanos” em diversos organismos como a Direção-Geral de Energia e Geologia e subdimensionamento da Rede Elétrica Nacional por insuficiência e incapacidade de pontos de injeção elétrica.

“Há uma grande morosidade no despacho de processos, o que explica que, para chegar à exploração de um parque, se tenha demorado seis anos, o que afasta o investimento”, disse, referindo-se ao Parque Solar de Triana, inaugurado no concelho de Alenquer, no distrito de Lisboa. Contudo, reconheceu o esforço de simplificação por parte do Governo para o cumprimento da agenda verde.

Na inauguração do investimento de 18 milhões de euros, o CEO da empresa, Jens Rasmussen, afirmou que estão “empenhados em construir mais parques no país”. O parque tem uma potência instalada de 22 MW, distribuídos por mais de 41 mil módulos fotovoltaicos ao longo de 30 hectares. Os promotores estimam uma produção de 41,5 gigawatts por ano, capazes de fornecer eletricidade a mais de 14 mil famílias.

Na inauguração, a secretária de Estado da Energia e do Clima, Ana Fontoura Gouveia, disse que 57% da eletricidade produzida em Portugal já provém de fontes renováveis e o objetivo é aumentar para os 80% até 2026. O país já dispõe de uma potência instalada de 2,5 GW e a meta é aumentar 1 a 1,2 GW este ano. Para simplificar os processos de licenciamento, foi lançado o programa ‘Simplex Ambiental’.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

Ponta Delgada recebe 16º congresso da Ordem dos Arquitectos

Repensar os recursos, a resiliência, a inclusividade e saúde e colaborar pelo compromisso com a qualidade da arquitectura são alguns dos temas em destaque. Antes disso, nos dias 9, 16 e 23 de Fevereiro, o programa “Warm Up” convoca as escolas de arquitectura para o debate

Cidália Lopes

“Qualidade e Sustentabilidade: construir o [nosso] futuro” é o tema do 16º congresso da Ordem dos Arquitectos que, pela primeira vez, vai acontecer fora de Portugal Continental. Ponta Delgada, na Ilha de São Miguel, no arquipélago dos Açores, é o local escolhido, para receber as temáticas ligadas à arquitectura, construção e sustentabilidade, nos próximos dias 2, 3 e 4 de Março de 2023.

Um local que não foi escolhido por acaso, mas porque sendo “um ecossistema frágil e diverso representa um exemplo daquilo que importa conservar”, sendo por isso a “escolha perfeita” para reflectir sobre questões incontornáveis que a todos afectarão no futuro próximo”.

O 16º congresso pretende, assim, investigar e reflectir sobre novas formas de intervenção como meio de promover a consciência colectiva sobre o impacto social e ambiental da arquitectura, tendo em conta que arquitectos e projectistas assumem o papel de mediador e gestor de recursos, promovendo a integração de conhecimentos e capacidades interdisciplinares e transdisciplinares.

Com um programa que inclui vários painéis de debate, dedicados a “Repensar os recursos e adaptar a casa comum”; “Planear para a resiliência, inclusividade e saúde da casa comum”; ou “Colaborar pelo compromisso com a qualidade da casa comum”, o congresso contará, também, com a participação e contributos de vários convidados nacionais e internacionais, nomeadamente Iñaqui Carnicero Alonso-Colmenares, director general de Agenda Urbana y Arquitectura do Governo de Espanha.

Destaque também para o Programa Paralelo, onde teremos o “Warm Up” a 9, 16 e 23 de Fevereiro, através do qual o comité organizativo do congresso convoca as escolas de arquitectura para o debate e a construção de uma agenda da prática da arquitectura de jovens arquitectos com atenção à necessária sustentabilidade ambiental, social, económica e cultural.

De 1 a 5 de Março tem lugar o “Debater a Mudança”, uma exposição dos trabalhos vencedores dos quatro concursos de arquitectura organizados pela Secção Regional dos Açores da Ordem dos Arquitectos, pela promoção das boas práticas de encomenda e defesa do interesse público por uma arquitectura de qualidade.

Nos dias 1, 2 e 3 de Março terá lugar o “Mudar Film Festival”, um ciclo de filmes de uma nova geração de autores e colectivos, em Portugal continental e nos arquipélagos do Atlântico, que desenvolve um trabalho de investigação e exploração do impacto, e tomada de consciência colectiva, das manifestações no território de fenómenos que recentemente articulamos como transição ecológica, digital e carbónica. Este projeto constitui-se em parceria com Jonathan Levine (Grémio dos Arquitectos) e Tiago Bartolomeu Costa (projecto FILMar), operacionalizado pela Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema e com o apoio do Mecanismo Financeiro Europeu EEAGrants 2020-2024.

Haverá, também, lugar ao programa “Escola da Mudança”, que consiste na exibição de artes performativas sob os conceitos que se reflectem no quotidiano de estudantes do ensino secundário sobre o tema da sustentabilidade, tendo por base a especificidade do seu território – os Açores.

A fechar o programa paralelo “Climas Paralelos”, onde terão lugar duas conversas locais, com diferentes agentes da região, para debate das especificidades locais no âmbito da sustentabilidade social, ambiental e económica, e o “Roteiro pela Mudança”, que consiste em três itinerários organizados em articulação com a Anda&Fala, associação cultural que promove novas centralidades para a criação contemporânea no campo expandido das artes visuais.

Sobre o autorCidália Lopes

Cidália Lopes

Jornalista
Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.