Edição digital
Assine já
Imobiliário

Enlight: Procura gera 70% de vendas em menos de dois meses

A Fercopor aponta a localização e a diferenciação da arquitectura como os principais atractivos. Localizado junto ao antigo Centro Comercial Dallas, actualmente, apenas seis habitações estão disponíveis para venda

CONSTRUIR
Imobiliário

Enlight: Procura gera 70% de vendas em menos de dois meses

A Fercopor aponta a localização e a diferenciação da arquitectura como os principais atractivos. Localizado junto ao antigo Centro Comercial Dallas, actualmente, apenas seis habitações estão disponíveis para venda

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
AEP promove participação de empresas portuguesas na Batimat 2022
Empresas
Venda de casas em Portugal cai 8% no Verão
Imobiliário
Melom regista crescimento de mulheres no sector das obras
Construção
Solyd inicia construção do Bloco B do Terraces Mirear
Imobiliário
Openbook: arquitectura pragmática
Arquitectura
CONSTRUIR dedica “webinar” à Sustentabilidade a 29 de Setembro
Construção
ABB constrói “Ciclovia Circular” de Barcelos
Construção
Rui Moreira defende dupla utilização para nova ponte no rio Douro
Construção
Grohe inaugura Lisbon Experience Center
Empresas
Cleanwatts assina contrato com Governo de São Tomé e Príncipe
Engenharia

A construção do Enlight está ainda em fase inicial, mas a sua comercialização já ultrapassou os 70%, com apenas seis apartamentos por vender. A promotora imobiliária do empreendimento, a Fercopor, aponta a localização e a diferenciação da arquitectura como os principais atractivos.

Cerca de um mês e meio depois do início da comercialização, estão já encontrados novos moradores para mais de 70% do total de 21 apartamentos que compõe o edifício, localizado junto ao antigo Centro Comercial Dallas. Actualmente, apenas seis habitações estão disponíveis para venda – três T3, dois T4 e apenas um T2.

“Registámos uma procura muito elevada, sobretudo de famílias portuguesas, movidas pelas áreas generosas das divisões, pela diferenciação do projecto arquitectónico e pela localização na Avenida da Boavista”, explica Mário Almeida, administrador da Fercopor. “Sentimos ainda um grande interesse na penthouse do Enlight, localizada no último piso, que também já foi comercializada”, acrescenta. 

O Enlight é assinado pelo arquiteto José Carlos Cruz e destaca-se pela forte ligação entre os espaços interiores, que chegam aos 280,5 m2, e os exteriores, com todas as fracções a apresentarem varandas, pátios ou jardins. O edifício de sete andares tem ainda um ginásio e uma sala comum. 

Este projecto é igualmente “especial” para a promotora porque assinala o regresso da Fercopor aos empreendimentos em plena Avenida da Boavista, onde ergueu o seu primeiro edifício em Portugal, em 1986.

É também nesta localização que a empresa prevê lançar um novo empreendimento de habitação de luxo ainda este ano. O novo projecto terá igualmente assinatura de José Carlos Cruz, que desenhou um condomínio fechado, pensado para a Rua Ciríaco Cardoso.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
AEP promove participação de empresas portuguesas na Batimat 2022
Empresas
Venda de casas em Portugal cai 8% no Verão
Imobiliário
Melom regista crescimento de mulheres no sector das obras
Construção
Solyd inicia construção do Bloco B do Terraces Mirear
Imobiliário
Openbook: arquitectura pragmática
Arquitectura
CONSTRUIR dedica “webinar” à Sustentabilidade a 29 de Setembro
Construção
ABB constrói “Ciclovia Circular” de Barcelos
Construção
Rui Moreira defende dupla utilização para nova ponte no rio Douro
Construção
Grohe inaugura Lisbon Experience Center
Empresas
Cleanwatts assina contrato com Governo de São Tomé e Príncipe
Engenharia
Imobiliário

Venda de casas em Portugal cai 8% no Verão

Entre os meses de Junho e Agosto venderam-se 37.900 casas em Portugal, o que representa uma quebra de 8% face aos 41.310 fogos transaccionados no 1º trimestre do ano e posiciona o mercado em níveis equiparados a 2019

A Confidencial Imobiliário estima a venda de 37.900 casas em Portugal (Continental) no período compreendido entre Junho e Agosto. A projecção é realizada a partir dos dados reportados à base de dados do Sistema de Informação Residencial (SIR), que acompanha a dinâmica de vendas do mercado habitacional português com actualizações mensais.

O volume de vendas previsto representa uma quebra de 8% face aos 41.310 fogos transaccionados no 1º trimestre do ano e posiciona o mercado em níveis equiparados a 2019, quando se vendiam entre 34.000 e 39.000 fogos por trimestre. Além disso, afasta-se da dinâmica observada entre a segunda metade de 2021 e o arranque deste ano. Nesse período, pela primeira vez, venderam-se mais de 40.000 casas por trimestre, um ritmo sustentado ao longo de três trimestres consecutivos e que atingiu o pico de 43.600 unidades vendidas no 4º trimestre de 2021.

Relativamente à oferta, as empresas participantes na base de dados do SIR reportaram um total de 39.000 casas para venda no país no período do Verão (Junho a Agosto). Trata-se do volume de oferta mais baixo dos últimos 15 anos (com referência à série SIR) e representa uma descida de um terço face à oferta trimestral disponível antes da pandemia, em torno das 60.000 unidades.

Nos três meses compreendidos entre Junho e Agosto, as casas em Portugal foram vendidas por um preço médio de 2.025€/m2, traduzindo um valor médio por fogo vendido de 211.700€. O tempo médio de venda das casas neste período foi de 5 meses

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Solyd inicia construção do Bloco B do Terraces Mirear

A promotora imobiliária arranca com a construção do segundo edifício do seu mais recente projecto Terraces Mirear, em Miraflores. O início da comercialização do bloco B vai colocar no mercado mais 102 novos apartamentos T1 a T5 e 6 espaços comerciais

A promotora imobiliária Solyd Property Developers lança Terraces Mirear Bloco B, em Miraflores, e anuncia o início da construção que será realizada pela construtora Teixeira Duarte.

O projecto é elaborado pela equipa de arquitectura da SOLYD e liderada pela arquitecta Cristina Rocheta, coloca no mercado 102 apartamentos de construção nova com tipologias T1 a T5, áreas compreendidas entre os 54 e os 244 m2 e varandas e terraços com áreas até 331 m2, e seis espaços comerciais.

Este edifício irá oferecer ginásio, sauna, jacuzzi e piscina na cobertura, bem como sala multiusos e lobby decorado, arrecadações privativas e 249 lugares de estacionamento para automóveis e bicicletas, com pré-instalação para carregamento de veículos eléctricos.

O projecto insere-se numa zona consolidada em termos de grandes espaços de comércio, serviços, restauração, óptimos acessos, uma boa rede de transportes, próximo de vários locais de interesse, como o Parque Florestal de Monsanto, o Parque Urbano de Miraflores e o Rio Tejo.

Este é o segundo edifício do Mirear a ser lançado. No final do ano passado, a Solyd lançou o primeiro edifício deste projecto, que já conta com uma taxa de colocação de 90%.

O Mirear é um empreendimento multiusos com 6 edifícios, 5 residenciais e 1 edifício de escritórios, que ao todo representa um investimento de 260 milhões de euros. No Bloco B, o preço dos apartamentos inicia-se nos 326.000€.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Predibisa e JLL comercializam “retail spaces” do Edifício Flower Tower

Os espaços de serviços e comércios traduzem-se numa área total locável de aproximadamente 1.880m2, quatro dos quais têm ligação directa ao nível da rua e os outros quatro têm ligação à nova praça criada pelo empreendimento

CONSTRUIR

O edifício Flower Tower, em Leça da Palmeira, promovido pela Nexity Portugal, já se encontra concluído e conta, agora, com a oferta de oito novos espaços de serviços e comércios projectados para diferentes conceitos de negócio. A comercialização está a cargo da Predibisa e da JLL.

Da autoria da equipa de arquitectura OODA, a Flower Tower surpreende desde logo pela magnitude de todo o projecto, mas também pelas infraestruturas. Os espaços de serviços e comércios traduzem-se numa área total locável de aproximadamente 1.880m2, quatro dos quais têm ligação directa ao nível da rua e os outros quatro têm ligação à nova praça criada pelo empreendimento.

“Com o aproximar da conclusão da primeira Flower Tower estamos de facto orgulhosos não só porque temos uma torre de apartamentos únicos, mas também porque contamos com uma oferta de um novo espaço público e de espaços comerciais onde vamos ajudar a consolidar uma comunidade através de comércio local para os residentes neste bairro”, afirmou Fernando Vasco Costa, director geral da Nexity Portugal.

Rita Quinta, responsável da Predibisa pela comercialização dos “retail spaces”, acreditamos que “a dinâmica da envolvente será um excelente contributo para o sucesso de todos os negócios aqui implementados, nomeadamente, restauração, ginásios, cuidados de saúde e bem-estar, lojas de conveniência, entre muitos outros e um novo ponto de referência a nível de comércio e serviços locais”.

Para Mariana Rosa, head of Leasing Markets Advisory da JLL, “o comércio de proximidade está em forte expansão, pois os consumidores procuram, cada vez mais, satisfazer as suas necessidades quotidianas num raio de distância mais perto da sua casa ou do seu local de trabalho e especialmente em espaços de rua. Estas lojas são uma excelente solução para dar resposta a esta tendência e beneficiarão, pela sua localização e pela própria integração num edifício residencial de grande escala, de um intenso fluxo pedonal. Vão ser uma aposta ganha para os retalhistas que decidam instalar-se”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Norfin lança futuro Oriente Green Campus

O espaço, para onde anteriormente esteve pensado o projecto Multiusos Oriente, contará com uma área total de escritórios de 41,100 m2 e ainda 18,700 m2 de zonas exteriores

CONSTRUIR

A Norfin, uma das referências nacionais na gestão de investimentos imobiliários, em representação do Fundo Multiusos Oriente FEIIF, detido pelos Orion European Real Estate Funds, acaba de anunciar o início das obras para a construção do Oriente Green Campus. A construção deverá estar finalizada no decorrer do segundo semestre de 2023 e promete trazer “um novo impulso à zona norte do Parque das Nações”.

O futuro Oriente Green Campus, localizado em Moscavide, no espaço onde anteriormente esteve pensado o projecto Multiusos Oriente, contará com uma área total de escritórios de 41,100 m2 e ainda 18,700 m2 de zonas exteriores e servirá de extensão ao Parque das Nações estando dotado de várias alternativas de acessibilidade. Idealizado para estar na vanguarda da sustentabilidade, o edifício contará com variadas amenities, como um food court de uso exclusivo dos utilizadores, ginásio, auditório, extensas zonas verdes e estacionamento para veículos, incluindo bicicletas, bem como um sistema de ventilação natural que permitirá uma maior renovação do ar no interior e uma redução do consumo energético.

O projecto de arquitetura, desenvolvido em colaboração pelos reconhecidos ateliers de arquitectura Kohn Pedersen Fox Associates (KPF), com vasta presença internacional, tendo desenvolvido projectos para algumas das maiores empresas mundiais, incluindo alguns dos gigantes tecnológicos, e Saraiva + Associados, pretende proporcionar “uma experiência de trabalho inovadora e acolhedora”, o que se reflecte na incorporação de vastas zonas verdes, nas áreas amplas de iluminação natural, na qualidade dos equipamentos e acabamentos e, ainda, num rooftop único em Portugal.

Com uma área bruta total de construção de 41.000m2, o programa distribui-se por três pisos acima do solo, com floorplates únicos de até 14.000m2 por piso. O edifício contará com três entradas independentes o que lhe confere flexibilidade e conveniência.

O complexo estará habilitado a albergar mais de 3.500 funcionários, nas suas duas formas: como utilizadores individuais – em gabinetes – ou em open space, complementados pelas salas de reuniões formais ou zonas de encontro informais e de pausa. Incluem-se ainda o átrio principal, um food court, uma zona de ginásio, um auditório, um espaço para estacionamento de bicicletas e um delivery locker.

O Oriente Green Campus será, ainda, o primeiro edifício LEED Platinum do mercado da Grande Lisboa, garantindo assim o mais alto nível de certificação da construção sustentável, com grande foco na redução da pegada carbónica. Este será ainda dotado do selo WELL Gold, que visa nomeadamente a saúde, segurança e o bem-estar dos seus utilizadores. “O equilíbrio entre as práticas verdes e a tradição local estará também reflectido na fachada do edifício, que incorpora peças de azulejo, privilegiando a paleta de cores azul e branco, típicas da cidade de Lisboa”, reafirma a promotora.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

YARD Properties faz a estreia em Portugal

O primeiro projecto imobiliário, desenvolvido pela promotora chama-se “355 Outubro”, localiza-se em Lisboa e representa um investimento de 13,5 M€. Em carteira estão mais dois projectos residenciais “prime” que deverão ascender a 71 milhões de euros

CONSTRUIR

A YARD Properties é a nova empresa de promoção e investimento imobiliário, sedeada em Lisboa, do grupo israelita liderado por David Rabbi, empresário activo no mercado imobiliário em várias cidades e países do mundo.
É uma empresa que tem como objectivo “desenvolver projectos com impacto positivo”, com uma visão inovadora, que contribuam “positivamente para o sector e a nível social”, “respeitadores do meio ambiental”, refere a sua declaração de princípios.

A criação da empresa em Portugal traduz a confiança que o empresário israelita deposita no mercado imobiliário nacional e no seu potencial. O primeiro projecto localiza-se em Lisboa “355 Outubro”, e representa um investimento de 13,5 milhões de euros.


Para o seu fundador, mais do que uma nova empresa de promoção imobiliária a YARD properties pretende afirmar-se no mercado como uma marca forte associada a solidez e confiança, “atributos tão importantes neste sector”, sublinha, bem como à responsabilidade ambiental e social e à inovação. Na base de todas estes pilares estruturais estão as pessoas, proporcionando aos seus clientes “casas que satisfaçam os seus anseios de segurança, estabilidade e felicidade”. “Pretendemos desenvolver projectos imobiliários inovadores, pensados para as pessoas e que enquadrem todas estas vertentes constitutivas da YARD Properties”, sublinha David Rabbi.

O empresário sublinha que nestes últimos 40 anos não se assistiram em Portugal a saltos qualitativos em termos de processos construtivos e de materiais. Mas, agora estamos a assistir a uma verdadeira ‘revolução na construção’. A YARD Properties “quer associar-se a este movimento renovador”, subscreve.

“355 Outubro” com vendas a bom ritmo

O primeiro empreendimento da YARD Properties, no nº 355 da Avenida 05 de Outubro, na capital, tem já a estrutura concluída e a sua construção, a cargo da empresa Alves Ribeiro, deverá estar concluída em Fevereiro de 2023. O imóvel disponibiliza 18 luxuosos apartamentos, com 2 e 3 quartos, bem como um apartamento duplex de 5 quartos na cobertura do edifício. David Rabbi acredita que eles estarão totalmente vendidos por altura da conclusão das obras, dado o bom ritmo de vendas e pela procura a que tem assistido. Os compradores das frações vendidas são tanto estrangeiros, de diversas nacionalidades, como portugueses.

Para além do “355 Outubro”, a YARD Properties tem dois novos projectos residenciais em avaliação cujo montante global de investimento ascenderá a 71 milhões de euros. A sua divulgação acontecerá em breve.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Sani/Ikos Group celebra novo acordo de parceria estratégica com a GIC

A transacção valoriza o Sani/Ikos Group em 2,3 mil milhões de euros e deverá ser concluída no quarto trimestre de 2022. Especialista em resorts balneares de luxo no Mediterrâneo afirma que Portugal será um dos países de aposta para a expansão nos próximos anos, nomeadamente no Algarve

CONSTRUIR

O Sani/Ikos Group (SIG), grupo especialista em resorts balneares de luxo no Mediterrâneo, e a GIC, empresa investidora institucional global, celebraram uma parceria estratégica na qual a GIC se vai tornar o principal accionista juntamente com a equipa de gestão do SIG. A transacção valoriza o Sani/Ikos Group em 2,3 mil milhões de euros e deverá ser concluída no quarto trimestre de 2022, sujeita à habitual aprovação regulamentar

Sob a liderança dos seus fundadores, Stavros Andreadis, Andreas Andreadis e Mathieu Guillemin, que continuam a ser accionistas significativos, o SIG cresceu do resort familiar Sani na Grécia para a operação de resorts de luxo liderada por proprietário que regista o crescimento mais rápido e maior sucesso no Mediterrâneo. Desde a sua criação em 2015, o SIG expandiu a sua base de activos e escalou por um factor de quatro com o apoio de investidores “blue-chip”, incluindo fundos geridos pela Oaktree Capital Management L.P., fundos geridos pela Goldman Sachs Asset Management, Moonstone, Florac e Hermes GPE, que venderão as suas participações à GIC como parte desta transacção.

Andreas Andreadis e Mathieu Guillemin vão continuar a gerir o SIG como CEOs e Co-Managing Partners, enquanto Stavros Andreadis se tornará presidente honorário do Grupo.

A força do negócio do SIG tem sido evidenciada pelo seu crescimento e resiliência, inclusive durante a Covid. Em 2022, as reservas nos resorts do SIG subiram 52% em comparação com 2021 e 57% em comparação com 2019. Tanto os conceitos Sani como Ikos estão a proporcionar uma satisfação excecional aos hóspedes em excelentes propriedades de resorts balneares. A Ikos combinou com sucesso, e de uma forma inovadora, o verdadeiro luxo com o poder do tudo incluído (all-inclusive), tal como ilustrado pelo ranking global #1 alcançado na categoria TripAdvisor’s Traveler’s Choice Best All-Inclusive durante cinco anos consecutivos até 2022.

A nova parceria com a GIC irá reforçar ainda mais os recursos à disposição do Grupo para concretizar o seu plano de investimento a cinco anos de mais de 900 milhões de euros, contribuindo para o apoio às economias locais e para a criação de novos empregos no Mediterrâneo. Neste contexto, Portugal assume-se como um dos países prioritários para a expansão do Grupo, tendo sido já anunciado os planos para abertura de um resort no Algarve entre 2023 e 2025. O Grupo assegurou quatro projectos adicionais (1578 quartos, suites e moradias) para a expansão da marca Ikos na Grécia (Corfu & Creta), Espanha (Mallorca) e Portugal (Algarve), e pretende continuar a desenvolver as marcas Sani Resort e Ikos Resorts na Grécia e no estrangeiro.

O SIG também ganhou reconhecimento entre a indústria pelo seu contínuo compromisso com a responsabilidade social e o futuro de turismo sustentável. O programa Sani Green, lançado em 2008, e Ikos Green, que começou no início da marca, desenvolveram-se ao longo dos anos num programa ESG integrado e galardoado que se concentra na obtenção de resultados ambientais, sociais e económicos positivos.

Morgan Stanley actuou como consultor financeiro e Kirkland & Ellis LLP atuou como consultor jurídico do Grupo Sani/Ikos nesta transacção.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Mais de 10M€ foi quanto custaram duas penthouses do Promenade

As duas penthouses integram empreendimento desenvolvido pela promotora imobiliária AM|48 e foram vendidas a investidores estrangeiros. O empreendimento está concluído mas aguarda ainda a emissão da licença de utilização para entregar as casas

CONSTRUIR

O valor comercial dos dois imóveis supera os 10 milhões de euros, tendo as penthouses sido vendidas a investidores estrangeiros, que representam cerca de 80% dos compradores do Promenade, recentemente concluído na Avenida 24 de Julho.

No interior dos apartamentos de luxo, com uma área de 670 m2 e de 970 m2, respectivamente, as janelas amplas permitem usufruir da luminosidade da cidade de Lisboa e da vista panorâmica para a frente ribeirinha, onde a qualidade de vida surge naturalmente da proximidade com o Tejo.

Nas penthouses todos os detalhes e características reflectem requinte e exclusividade. Reúnem acabamentos e equipamentos de elevada qualidade que permitem uma experiência de conforto e modernidade, entre eles, o acesso directo e exclusivo à cobertura do edifício onde se encontra o terraço particular com piscina, os mármores e cozinhas Gaggenau, os pisos aquecidos, o sistema de domótica que torna estas casas inteligentes. Todos os quartos são suites e alguns incluem closet. A penthouse maior é composta por seis suites, mais uma pensada para servir o staff, sala de estar e jantar com cerca de 90m2 e o um terraço na cobertura com piscina exclusiva com cerca de 355m2.

Privilegiando o conceito de privacidade, estes apartamentos contam com a existência de boxes de estacionamento até seis carros, que, através de um elevador privado, permitem acesso directo desde a box até ao interior de cada uma das unidades. Para além dos lugares de parqueamento, este espaço dispõe de uma copa totalmente equipada, casa de banho e carregador de veículos eléctricos tornando-se o espaço ideal para algum conceito diferente: uma sala de estar, um salão de jogos ou outra qualquer utilização que se adapte à dinâmica familiar.

No total dos cinco pisos habitacionais o Promenade dispõe de 36 apartamentos e quatro penthouses, de tipologia T1 a T6. O empreendimento possui ainda um exclusivo SPA com ginásio e piscina interior, idealizado num estilo de arquitectura contemporânea.

Com o empreendimento concluído, apenas se aguarda a emissão da licença de utilização, requerida há mais de um ano, para que as casas possam ser entregues aos seus compradores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Predibisa comercialização novo empreendimento Natura

Com assinatura do gabinete VisioArq, o Natura estará numa área verde de aproximada 30 mil m2, cujo projecto paisagistico coube à PROAP

CONSTRUIR

O edifício Natura, o primeiro a ser construído no terreno da antiga fábrica Efanor, em Matosinhos, já se encontra em comercialização, que ficará a cargo da consultora portuense da Telhabel.

De arquitectura “sóbria e contemporânea”, com a assinatura do gabinete VisioArq, o Natura estará numa área verde de aproximada 30 mil m2, cujo projecto paisagistico coube à PROAP. Perto de restaurantes, cafés, parques infantis, escolas, colégios, universidades e duas estações de metro, o empreendimento preserva a privacidade dos moradores.

“Com 4 blocos comunicantes entre si, através dos pisos inferiores, a excelência dos espaços de tipologia T1 a T4, com varanda ou jardim privativo, está assegurada pela qualidade de construção e materiais utilizados para preservar o carácter próprio da arquitectura do edifício, que sustém a beleza de toda a envolvente natural e a ligação privilegiada, entre o interior e o exterior, através de extensos painéis de vidro, generosas varandas com vistas desafogadas e jardins privativos, que convidam a desfrutar do melhor que a vida tem para oferecer”, reforça Ana Jordão, responsável pela gestão do projecto na Predibisa.

Em suma, o design intemporal conciliado com os atributos estéticos dos acabamentos, reforça a vivência cosmopolita possível de alcançar no Edifício Natura, a poucos minutos do NorteShopping, da estação do metro e da linha de praia de Matosinhos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Estoril Vintage Hotel abre portas renovado

O projecto de design de interiores ficou a cargo de Graça Viterbo, que assegurou a manutenção da identidade arquitectónica e cultural do edifício. A gestão da unidade hoteleira cabe à Amazing Evolution

CONSTRUIR

Inserido numa casa de família secular, o Estoril Vintage Hotel abriu portas recentemente, depois de um período de soft opening.  Depois de passar pelas mãos de outros proprietários, o Estoril Vintage reabre agora como boutique hotel de charme, numa atmosfera requintada. O projecto de design de interiores ficou a cargo de Graça Viterbo, que assegurou a manutenção da identidade arquitectónica e cultural do edifício. A gestão da unidade hoteleira cabe à Amazing Evolution.

O palacete foi encomendado em 1917 por Alfredo da Silva, um empresário visionário, ligado ao desenvolvimento industrial de Portugal, e que dá nome à própria rua do hotel. Galardoado com o prémio de arquitectura Valmor em 1921, o projecto foi entregue ao premiado arquitecto e pintor Tertuliano Marques, que desenhou o edifício em estilo barroco.

O hotel disponibiliza 18 quartos, com áreas generosas e uma decoração de época estilizada e actualizada, diferente em cada um dos alojamentos, bem como inúmeros serviços: um spot exclusivo na praia das Moitas para todos os hóspedes, com serviço de bar, que funciona como uma extensão do hotel; motorista privado sob requisição; tours culturais por Lisboa, harmonizados com o tradicional fado; passeios pelas mágicas e encantadoras paisagens de Sintra; provas de vinhos nacionais; provas de azeites de produção própria do hotel; roteiros históricos e artísticos, entre outros.

O Estoril Vintage Hotel apresenta, ainda, um restaurante, aberto também ao público em geral, onde é possível desfrutar de experiências gastronómicas com paladares nacionais. O bar, com frescos originais, assinados pelo célebre pintor João Reis, parece desenhado para elevar a outro patamar o chá das cinco, um ritual diário oferecido a todos os hóspedes.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Portefólio de propriedades portuguesas da GuestReady quadruplicou

O portefólio da empresa especialista na gestão de alugueres a curto e médio prazo cresceu e tem hoje quatro vezes mais propriedades do que no último ano pré-pandemia

CONSTRUIR

O alojamento local este Verão registou um crescimento significativo em Portugal com a GuestReady a registar 15 vezes mais reservas do que em igual período de 2019. O portefólio da empresa especialista na gestão de alugueres a curto e médio prazo também cresceu e hoje tem quatro vezes mais propriedades do que no último ano pré-pandemia.

“Este Verão foi definitivamente uma consolidação do regresso à normalidade,” afirma Rui Silva, managing director da GuestReady em Portugal e em Espanha. “Recebemos muitos hóspedes franceses, espanhóis e norte-americanos, mas também portugueses, que representaram 12% de todas as reservas feitas em Portugal” sublinha o responsável.

Este Verão, na cidade do Porto, a GuestReady recebeu principalmente hóspedes de Espanha (19%), de França (17%) e ainda inúmeros portugueses (10%). Já em Lisboa as propriedades abriram portas principalmente a norte-americanos (15%), que regressaram após 2 anos de grandes restrições, mas também a franceses (13%) e espanhóis (10%).

Este ano, durante os meses de Junho, Julho e Agosto a ocupação foi em média 15% superior ao Verão de 2019 e até atingiu números recorde: em Portugal a ocupação média ao longo do verão foi de 90%. A média de Portugal superou, aliás, a média global da GuestReady a nível global.

A GuestReady está presente em mais de trinta cidades, em dois continentes, a empresa viu este Verão o número de reservas quadruplicar a nível global, no mesmo período o número de unidades registadas cresceu para o dobro, por comparação ao ano de 2019. Em Agosto, a GuestReady atingiu a marca global das 18 mil reservas efectuadas, das quais mais de um terço tiveram lugar em Portugal, o que representa um crescimento de 12% na taxa de ocupação global por comparação ao mesmo período de 2019.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.