Edição digital
Assine já
    PUB
    Imobiliário

    Century 21 comercializa novo empreendimento no Porto

    “Este empreendimento permite uma experiência de grande envolvimento com a história da cidade. O edifício tem uma entrada pela famosa Rua Dom Hugo, a escassos metros da Sé Catedral”, Pedro Almeida, responsável da agência Century 21 Grupo Aliados III e IV

    CONSTRUIR
    Imobiliário

    Century 21 comercializa novo empreendimento no Porto

    “Este empreendimento permite uma experiência de grande envolvimento com a história da cidade. O edifício tem uma entrada pela famosa Rua Dom Hugo, a escassos metros da Sé Catedral”, Pedro Almeida, responsável da agência Century 21 Grupo Aliados III e IV

    CONSTRUIR
    Sobre o autor
    CONSTRUIR
    Artigos relacionados
    AICCOPN: Indicadores da reabilitação urbana recuperam
    Construção
    TAP e portagens no Conselho de Ministros
    Empresas
    AIMMP vê aprovado roteiro para descarbonização das indústrias da madeira
    Empresas
    Remax Collection assina parceria com a Vision Supra Partners
    Imobiliário
    Vanguard Properties inaugura edifício INFINTIY
    Imobiliário
    Prémios “Portugal Smart Cities” com meia centena de candidaturas
    Construção
    Cushman & Wakefield anuncia a venda do edifício de escritórios Almirante Reis 65
    Construção
    Revigrés com “Utopia” na Cersaie
    Empresas
    ERA prossegue com plano de expansão
    Imobiliário
    IFRRU 2020 supera 1,5 MM€ de investimento em reabilitação urbana
    Construção

    Dom Hugo é o mais recente empreendimento promovido pela Imolote – Investimentos Imobiliários. Com um investimento de cinco milhões de euros, o projecto resulta da reconstrução de um edifício que se encontra devoluto, em ruína, depois de anos de abandono. A denominação Dom Hugo – é uma homenagem ao primeiro Bispo do Porto – e uma das ruas milenares do coração do centro histórico do Porto, junto à Catedral da Sé.

    “Este projecto enquadra-se na estratégia da empresa, cuja missão é desenvolver produtos imobiliários exclusivos, sustentáveis, cujo posicionamento gere valor acrescentado à envolvente e em plena harmonia com o património urbano existente”, destaca Raquel Godinho, directora de Marketing da Imolote.

    PUB

    Com comercialização da Century 21 Portugal, o projecto de arquitectura é da autoria da OODA Architecture, as especialidades estão a cargo da A400. A empreitada, que deverá ter início em 2023, é da responsabilidade da Invenio Engenharia.

    Dom Hugo é constituído por um piso térreo e mais quatro andares, num total de 16 apartamentos, de tipologias T0 a T1 Duplex, destinado ao segmento jovem. Conta, ainda, com um espaço comercial no rés do chão.

    Do ponto de vista da arquitectura, houve a necessidade de fundir num mesmo espaço as várias épocas de intervenção pelas quais o edifício já passou. “Foi procurada a recuperação e estabilização do passado histórico do edifício, onde as várias épocas de intervenção – passadas e futuras – se afirmam e fundem de forma adequada”, refere Rodrigo Vilas-Boas, partner architect da OODA Architecture.

    Franscisco Paiva Ribeiro, PCA da Invénio Engenharia, refere, ainda, que “esta é uma empreitada exigente, desafiadora e entusiasmante, quer pelo estado de conservação do edifício, quer pelo rigor construtivo necessário à sua execução”.

    Já Pedro Almeida, responsável da agência Century 21 Grupo Aliados III e IV, destaca a localização como um factor diferenciador e que imprime valor ao projecto. “Este empreendimento permite uma experiência de grande envolvimento com a história da cidade. O edifício tem uma entrada pela famosa Rua Dom Hugo, a escassos metros da Sé Catedral, bem como uma entrada sobre a rua pedonal de acesso ao tabuleiro superior da Ponte D. Luís I. É realmente diferenciador”, reforça.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Artigos relacionados
    AICCOPN: Indicadores da reabilitação urbana recuperam
    Construção
    TAP e portagens no Conselho de Ministros
    Empresas
    AIMMP vê aprovado roteiro para descarbonização das indústrias da madeira
    Empresas
    Remax Collection assina parceria com a Vision Supra Partners
    Imobiliário
    Vanguard Properties inaugura edifício INFINTIY
    Imobiliário
    Prémios “Portugal Smart Cities” com meia centena de candidaturas
    Construção
    Cushman & Wakefield anuncia a venda do edifício de escritórios Almirante Reis 65
    Construção
    Revigrés com “Utopia” na Cersaie
    Empresas
    ERA prossegue com plano de expansão
    Imobiliário
    IFRRU 2020 supera 1,5 MM€ de investimento em reabilitação urbana
    Construção
    PUB
    Imobiliário

    Remax Collection assina parceria com a Vision Supra Partners

    Numa primeira fase, haverá a comercialização exclusiva de dois empreendimentos – o Vale das Amendoeiras e o Naus Eco Village . estando previsto, posteriormente, a angariação de mais três

    CONSTRUIR

    A rede imobiliária, em parceria com a Remax Alcateia, reforçou o seu portefólio de empreendimentos de luxo com a mais recente parceria com o promotor Vision Supra Partners. Numa primeira fase, haverá a comercialização exclusiva de dois empreendimentos, estando previsto, posteriormente, a angariação de mais três empreendimentos.

    “É com grande satisfação que assumimos este compromisso de trabalhar em conjunto com a Vision Supra Partners na comercialização de dois importantes empreendimentos na área metropolitana de Lisboa. Pretendemos elevar o padrão da experiência imobiliária, oferecendo aos clientes a oportunidade de adquirir propriedades excecionais, como os empreendimentos Vale das Amendoeiras e Naus Eco Village”, destaca Beatriz Rubio, ceo da Remax Collection.

    Com 15 anos de experiência no mercado imobiliário, o Grupo Vision Supra Partners é fruto de uma parceria entre as empresas suíça Alcarine e a portuguesa AM SF.

    “Esta parceria representa um compromisso do nosso grupo luso-suíço dedicado ao imobiliário com a excelência, a sofisticação e a qualidade em Portugal. Os empreendimentos Vale das Amendoeiras e Naus Eco Village são a promessa de luxo e conforto. Temos o privilégio de contar com o prestigiado e premiado atelier de arquitectura Plano Humano Arquitectos, de Helena Vieira e Pedro Ferreira, como os principais responsáveis pela criação destes espaços verdadeiramente extraordinários”, destaca António Francisco, ceo da Vision Supra Partners.

    Em todos os projectos, os apartamentos “modernos e espaçosos” destacam-se pelo “detalhe” e pela “escolha criteriosa” de acabamentos. A paleta de cores inclui tons de areia, branco e madeira, e os materiais são escolhidos com base na qualidade, durabilidade e estética.

    O empreendimento “Vale das Amendoeiras”, em Sesimbra, encontra-se em fase de construção. Situado a uma curta distância da Praia do Ouro, apresenta uma vista de mar e para o castelo, assim como uma localização “estratégica” do centro da vila.

    Já o Naus Eco Village assume-se como um projecto que “irá transformar a cidade do Barreiro”. Trata-se de um condomínio fechado de luxo, onde cada detalhe foi “meticulosamente planeado”. Este projecto será lançado brevemente.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Vanguard Properties inaugura edifício INFINTIY

    Localizado em Sete Rios, em Lisboa, o edifício marca o skyline da cidade pela sua altura. São ao todo 26 pisos acima do solo, mais de 50 mil metros quadrados (m2) de área de construção, 195 apartamentos e 352 lugares de estacionamento

    CONSTRUIR

    A Vanguard Properties inaugura esta quinta-feira, dia 28 de Setembro, o empreendimento Infinity. Localizado em Sete Rios, em Lisboa, o edifício marca o skyline da cidade pela sua altura. São ao todo 26 pisos acima do solo, mais de 50 mil metros quadrados (m2) de área de construção, 195 apartamentos com tipologias de T0 a T6 Duplex e 352 lugares de estacionamento, num investimento que ultrapassou os 90 milhões de euros.

    O atelier Saraiva + Associados assinou o projecto, que apresenta uma implantação concêntrica composta por três “alas” ligadas a um núcleo central, sendo que cada uma tem uma designação e organização tipológica própria: River, Nature e City. Alguns apartamentos em duplex dispõem de terraços ajardinados e com duplo pé-direito. Já o design de interiores das áreas comuns esteve a cargo da prestigiada Casa do Passadiço.

    No lobby, destaca-se a uma peça de arte exclusiva criada por Joana Vasconcelos. Inscrita na série “Pinturas em Crochet” desenvolvida desde 2009 e da qual nasceram peças espalhadas por grandes museus e colecções internacionais, a “Infinity Landscape” é “uma obra site- specific, pensada e produzida especialmente para a Infinity Tower”.

    Na área de entrada e sala comum, destaca-se a utilização de materiais como peles naturais e tecidos de linho e bouclé. Se, por um lado, a utilização de mármore e latão nas peças de mobiliário acrescentam “um toque de beleza intemporal” ao espaço, por outro, os candeeiros feitos à medida, em Murano, garantem “exclusividade e definem o próprio design”.

    Destaca-se, ainda, uma piscina exterior no 24º piso, com vista infinita e panorâmica sobre a cidade, uma piscina interior para adultos (24,5 x 5 m) e outra para crianças, duas salas de festas, um ginásio de topo equipado com máquinas technogym, kids club – idealizado por Gracinha Viterbo – um spa, salas de reuniões, um espaço de co-work e um pátio interior com extensas áreas ajardinadas complementadas por um campo de padel.

    Este edifício terá, ainda, uma ligação directa pedonal e por ciclovia ao Parque Florestal de Monsanto.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Cushman & Wakefield anuncia a venda do edifício de escritórios Almirante Reis 65

    O edifício localizado no nº65 da avenida Almirante Reis foi vendido por um fundo gerido pela Tristan Capital Partners, ao Fundo VIP, gerido pela Silvip. A transacção anunciada hoje ficou concretizada em Julho

    CONSTRUIR

    A Cushman & Wakefield (C&W) anuncia a venda do edifício de escritórios localizado na Avenida Almirante Reis 65. O activo foi vendido pelo CCP 5 LL, um fundo gerido pela Tristan Capital Partners. O edifício, gerido pela Norfin, tem aproximadamente 5.500m2 e está totalmente ocupado por 4 inquilinos.

    A C&W actuou em nome do vendedor e apresentou esta oportunidade off-market ao Fundo VIP, um fundo de investimento imobiliário aberto, gerido pela Silvip, que adquiriu o activo em Julho de 2023. “Gostaríamos de felicitar a relação muito profissional mantida pela Tristan Capital Partners e pela Cushman & Wakefield durante o processo de transacção. Este activo central, totalmente arrendado a 4 inquilinos estabilizados, e em conformidade com as práticas ESG, a serem brevemente certificadas, reúne todos os requisitos definidos na nossa estratégia de investimento”, adianta com Francisco Marques, gestor de fundos da Silvip SGOIC

    “Foi com grande satisfação que assessorámos o fundo CCP 5 LL da Tristan na venda do Almirante Reis 65, gerido pela Norfin. Esta transacção reflecte a confiança contínua dos investidores institucionais no mercado de escritórios de Lisboa. Estamos muito orgulhosos do nosso envolvimento nesta transacção, bem como do nosso contínuo contributo e reforço da confiança transmitida ao mercado de escritórios”, sublinha Diogo Lopo Diogo Lopo, consultor sénior do departamento de investimento da Cushman & Wakefield.

    “As fortes credenciais ESG do activo, juntamente com o programa de arrendamento bem-sucedido, fizeram deste edifício uma proposta ideal para os investidores que procuram adquirir instalações de escritórios sustentáveis e de elevada qualidade.”, justifica Yassine Berkane, director-geral da gestão de carteiras e ativos da Tristan Capital Partners

    O vendedor foi também assessorado pela Uría Menéndez Proença de Carvalho, enquanto a Cuatrecasas e a Ficope trabalharam em representação do comprador.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    ERA prossegue com plano de expansão

    Covilhã, Coimbra (Mondego) Tomar e Lumiar são as localidades que acolhem as mais recentes agências da rede, justificadas pelo dinamismo dos mercados locais e pela procura, nacional e estrangeira, que continua a crescer

    CONSTRUIR

    A ERA Imobiliária abre este mês mais quatro novas lojas na Covilhã, Coimbra (Mondego), Tomar e Lumiar (Lisboa). “A ERA Covilhã Sul surge numa cidade em franco crescimento, cuja universidade e novas valências do hospital local, bem como a oferta de mais habitação, conduzem a um aumento da procura que justifica a aposta nesta nova loja. Os principais clientes nesta região são famílias e investidores, sobretudo de nacionalidade portuguesa, brasileira e inglesa. As tipologias mais procuradas são apartamentos T2 e T3, moradias e quintas. O preço médio dos imóveis ronda os 130.000€. Apesar dos actuais desafios que as famílias enfrentam devido à subida das taxas de juro, a região tem sentido um aumento da procura por parte de investidores”, justifica a rede em comunicado.

    Já a abertura de uma terceira agência em Coimbra resulta do reforço do “posicionamento da marca” e da resposta “ao crescente interesse pelo mercado imobiliário na região cujos preços dos imóveis, embora tenham aumentado em linha com o restante país, apresentam ainda valores competitivos quando comparados aos de outras grandes cidades”.

    Nesta região o tipo de imóvel mais procurado são apartamentos T2 e T3 e moradias T3 e T4. Os imóveis com estas características são, por norma, adquiridos por portugueses e brasileiros como habitação própria permanente. Já os cidadãos ingleses e franceses procuram moradias T3 e T4 com jardim ou terreno e boa exposição solar para habitação secundária. O valor médio dos imóveis em Coimbra é de 167.000€ e o financiamento médio é de 132.000€

    O mercado imobiliário em Tomar e Ferreira do Zêzere desenvolveu-se muito nos últimos anos, acentuado pela crescente procura de compradores não-residentes (nacionais e estrangeiros) que necessitam de um maior acompanhamento profissional nas várias fases do processo de aquisição de um imóvel. Aqui, as tipologias mais procuradas são apartamentos T2 ou T3 até ao montante máximo de 150.000€ e moradias prontas a habitar com áreas a rondar os 200 m2 e um valor a rondar os 300.000€. Outra tendência também é a aquisição de imóveis para reabilitar com valores abaixo dos 100.000€ bem, como uma grande procura por terrenos para construir perto dos centros urbanos.

    O perfil dos clientes compradores atuais centra-se, sobretudo, nas famílias com capitais próprios e sem necessidade de recorrer ao crédito. Apesar da principal nacionalidade dos clientes da região ser portuguesa, também se tem vindo a assistir a uma procura por parte de franceses, ingleses e neerlandeses.

    Por fim, na listagem de novas aberturas surge o Lumiar, em Lisboa. “A abertura desta nova loja justifica-se por este ser um dos bairros da capital com melhores condições para o alojamento das famílias, no qual se destacam as várias zonas verdes, os excelentes acessos e o facto de dispor de um parque imobiliário diversificado e complementar, que inclui a freguesia do Lumiar, com preços médios / altos, a freguesia de Santa Clara, com preços médios / baixos, e a Alta de Lisboa, com obra nova.

    No início do ano a ERA Portugal anunciou um plano de expansão da sua rede até 2025, que contempla a abertura de 120 lojas em todo o país e a criação de 2400 postos de trabalho.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Solyd arranca com construção do Élou

    O primeiro lançamento da Solyd em Loures, cuja comercialização iniciou em Maio, está 70% vendido/reservado. O projecto é composto por um total de 266 apartamentos, T1 a T5, em condomínio fechado

    CONSTRUIR

    A promotora imobiliária Solyd Property Developers anuncia o início da construção do Élou, condomínio fechado composto por um total de 266 apartamentos, em Santo António dos Cavaleiros, Loures. A obra, a cargo da Transfor, arrancou no início deste mês de Setembro e encontra-se na fase de escavação e contenção periférica.

    O Élou, que representa um investimento estimado de 75 milhões de euros e pretende revolucionar a oferta existente no concelho de Loures, está a ser comercializado pelas mediadoras imobiliárias Castelhana e ERA. Actualmente dos 76 apartamentos que foram colocados em comercialização no primeiro lançamento, 70% já estão vendidos/reservados.

    Desenvolvido e desenhado pela equipa de arquitectura e projecto da Solyd Property Developers, liderada pela arquitecta Cristina Rocheta, o novo condomínio fechado conta com apartamentos dotados de áreas amplas, excelentes acabamentos, generosas janelas e varandas. O empreendimento inclui ainda um amplo jardim privativo com cerca de 4000 m2, piscina exterior, ginásio, kids club, sala multiusos, átrios decorados e estacionamentos privativos.

    “A receptividade a este projecto está a ser muito positiva e isso deixa-nos ainda mais confiantes para continuar a desenvolver projectos imobiliários de referência. O Élou é o ponto de partida para um projecto urbano inspirador que consolida o posicionamento distintivo que temos no mercado”, afirma a administração da Solyd.

    De T1 a T5, com áreas compreendidas entre os 49 e os 149 m2 e varandas e terraços com áreas até aos 137 m2, o Élou está a poucos minutos da capital beneficiando de bons acessos rodoviários, transportes públicos (incluindo proximidade à nova linha violeta de metro), escolas, ginásios, serviços de saúde e comércio.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Montepino investe 120M€ milhões de euros em Castanheira do Ribatejo

    A plataforma logística em Castanheira do Ribatejo tem 324.000 m2 de área urbanizada e mais de 147.000 metros quadrados de área bruta de construção, parte dos quais será ocupado pelo novo Centro Logístico da Leroy Merlin que será o maior edifício logístico a ser construído alguma vez em Portugal

    CONSTRUIR

    O projecto logístico está a ser desenvolvido pela Montepino, SOCIMI especializada no sector de imobiliário para logística. A sociedade investiu mais de 120 milhões de euros na construção deste projecto chave-na-mão no Lote 1, que conta com uma área bruta de construção de 108.000 m2. A fase de construção em curso envolve mais de 250 postos de trabalho, com a participação de aproximadamente 40 empresas nacionais e locais.

    O projecto localiza-se numa zona estratégica, no cruzamento da autoestrada A1, de Lisboa-Porto com a A10, via que une Lisboa a Espanha e ao Algarve. O chamado “KM 0” da logística de distribuição em Portugal. Concentra mais de 60% do parque logístico da Área Metropolitana de Lisboa, que, pela sua vez, aglutina mais de 80% do parque logístico de Portugal.

    Juan José Vera, director geral da Valfondo Investment Management e conselheiro da Montepino, afirma que “a Montepino concentra actualmente a sua carteira de clientes na zona centro de Espanha e pretende impulsionar a sua diversificação geográfica, aumentar a sua presença em áreas que apresentam grandes oportunidades, como é o caso da Castanheira do Ribatejo.

    Em Portugal o projecto foi concebido de acordo com a estratégia ESG (Environmental, Social and Governance) da Montepino. A Montepino está, também, a preparar este projecto para obter o nível Gold o mais elevado, da certificação LEED. Esta certificação está em linha com a estratégia da Valfondo, sociedade de capital dedicada ao desenvolvimento, comercialização e gestão de activos imobiliários logísticos, que gere os imóveis da Montepino e que procura impulsionar o desenvolvimento dos activos da Montepino em conformidade com os mais altos padrões em matéria de durabilidade.
    Uma das grandes inovações deste complexo é a integração, além dos armazéns logísticos, podemos encontrar na urbanização os modernos escritórios da Montepino compostos por open-s spaces, salas de reuniões, salas de formação e zonas de convívio.

    A nova e maior plataforma logística em Portugal, situada na Castanheira do Ribatejo, vai impulsionar um desenvolvimento urbano coerente, assim como ampliar a diversidade e a produtividade das funções ecológicas, garantindo também a estabilidade ambiental do contexto urbano do complexo, através da criação de diversas zonas verdes e de uma bacia de retenção com 12.000 m3.

    Juan José Vera, acrescenta que “com este projecto em Castanheira do Ribatejo, o maior do género em Portugal, a Montepino afirma-se como um dos principais gestores de imobiliário de logística da Península Ibérica. Em Espanha já temos uma presença consolidada no centro do país e prevemos expandir e internacionalizar a actividade.”

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Rainha Green Logistics Park obtém certificação BREEAM Excellent em Portugal

    O primeiro investimento da Green Logistics by Aquila Group em Portugal obteve alto desempenho nas categorias de eficiência energética, mitigação da poluição e redução do consumo de água

    CONSTRUIR

    O complexo logístico Rainha Green Logistics Park da Green Logistics, marca do Aquila Group dedicada à logística, na Azambuja, é o primeiro parque logístico em Portugal a obter o certificado BREEAM Excellent.

    O Rainha Green Logistics Park obteve um alto desempenho nos critérios referentes à utilização eficiente e poupança de energia, à mitigação da poluição e à redução no consumo das águas nos edifícios.

    Este parque logístico, localizado num dos epicentros logísticos do país, é composto por dois edifícios que ocupam 112 mil metros quadrados, e representou um investimento de 100 milhões de euros.

    A metodologia BREEAM, desenvolvida pelo Building Research Establishment, é a avaliação e certificação da sustentabilidade tecnicamente mais avançada a nível mundial, analisando o impacto ecológico de projectos imobiliários desde 1990.

    Para Jens Höper, director de Logística de Gestão de Investimentos na Aquila Sustainable Infrastructure, “esta certificação vem reconhecer a dedicação e expertise das nossas equipas, que colocaram a sustentabilidade no topo das prioridades desde o primeiro momento. A certificação BREEAM vem também confirmar a aposta vencedora da Green Logistics em Portugal e reforça o nosso compromisso no desenvolvimento de projetos na área da logística sustentável”.

    O Rainha Green Logistics Park incorpora recursos sustentáveis que priorizam a responsabilidade ambiental, como uma bacia de retenção de água que promove a drenagem natural da água da chuva, e está também dotado de carregadores para veículos eléctricos, parque para bicicletas e painéis fotovoltaicos na cobertura para autoconsumo.
    Este projecto, de Interesse Municipal para o município da Azambuja, inclui ainda um parque de estacionamento com capacidade de 343 veículos ligeiros e 51 veículos pesados, o prolongamento da estrada de acesso existente e um novo acesso pedonal, trabalhos de urbanização que foram entregues ao Município da Azambuja.

    Este parque logístico é o resultado de uma parceria com a GSE, construtora especializada no desenvolvimento de projectos industriais e logísticos, que ficou responsável pela construção deste complexo logístico.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Re/max: transacções de prédios para reabilitação mantém-se alta

    Nos primeiros oito meses do ano, a rede imobiliária comercializou 219 prédios. 79,5% dos compradores são nacionais, com o distrito de Lisboa a representar 28,2% das vendas, seguido de Setúbal (14,9%), Porto (12,3%) e Santarém (7,4%)

    CONSTRUIR
    tagsRE/MAX

    e acordo com dados apurados pela Re/max, de Janeiro a Agosto, a rede foi responsável pela venda de 219 prédios, uma média de 27 transacções por mês, correspondentes a um total de 390 transacções imobiliárias. Neste período, a venda de prédios significou um volume de preços na ordem dos 107 milhões de euros. O preço médio por prédio fixou-se nos 489 mil euros e, segundo a empresa, a maioria dos prédios transaccionados têm como fim a reabilitação, contribuindo assim para a revitalização de várias áreas urbanas e um desenvolvimento mais sustentável do mercado habitacional.

    Dos compradores envolvidos nas transacções de compra e venda de prédios, realizadas entre 1 de Janeiro e 31 de Agosto, 79,5% foram nacionais, responsáveis por mais de 300 transacções neste período, uma ligeira descida face a igual período de 2022 (82%). A maior incidência verificou-se no distrito de Lisboa (28,2%), seguindo-se Setúbal (14,9%), e Porto com 12,3%. Santarém (7,4%) e Coimbra (5,6%) completam o top 5 dos distritos com maior número de negócios realizados. Referir que distritos como o Porto, Santarém, Braga, Portalegre, Vila Real e Aveiro registaram subidas, fruto de uma maior distribuição do segmento pelas várias regiões.

    Os dados agora apresentados e relativos aos primeiros oito meses de 2023 mostram que o segmento contou com a intervenção de 23 nacionalidades estrangeiras, oriundas dos cinco continentes, registando um aumento face às 17 intervenientes em igual período de 2022. No caso destes compradores internacionais, verificou-se que em termos do número de imóveis 2,3% coube a cidadãos norte-americanos, seguindo-se italianos (2,1%), ingleses e brasileiros (1,8% cada nacionalidade).

    No que concerne ao valor médio dos prédios transaccionados aumentou cerca de 13% face ao período homólogo de 2022, e que se explica pela subida generalizada dos preços dos imóveis nos últimos anos. Nestes oito meses de 2023, a venda de um prédio de sete pisos, localizado na Rua Castilho, freguesia de Santo António, em Lisboa, pelo valor de 9,5 milhões de euros, foi a maior venda do segmento neste período.

    “O segmento da compra e venda de prédios tem estado mais dinâmico do que outros segmentos no mercado imobiliário nacional, tendo vindo a registar uma maior internacionalização e, paralelamente, uma desconcentração em regiões específicas do território nacional”, sublinha Beatriz Rubio, CEO da Re/max Portugal

    A responsável sublinha que “a grande maioria dos prédios tem como fim a reabilitação, contribuindo para uma revitalização de várias áreas urbanas e um desenvolvimento mais sustentável do mercado habitacional. Na verdade, a aquisição de prédios para reabilitação apresenta um enorme potencial de desenvolvimento, dada a notória escassez da oferta habitacional, em resultado de um atraso que se tem vindo a acumular nos últimos anos. Esta reabilitação dos edifícios ajudará a requalificar o tecido urbano, modernizando-o e valorizando os espaços circundantes.”

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    AM|48 investe 150M€ na criação de uma nova centralidade em Aveiro

    A promotora imobiliária AM|48 lança no próximo dia 28 de Setembro, a primeira pedra do empreendimento Foz de Prata, em Aveiro. O investimento de 150 M€ contempla habitação, comércio, serviços e hotelaria

    CONSTRUIR

    “Trata-se de um projecto multifuncional que contempla habitação, comércio, serviços, hotelaria e amplas áreas para recreio e lazer, envolvendo um investimento de cerca de 150 milhões de euros. Implementado num local onde há mais de 20 anos existiam construções inacabadas e abandonadas (que se encontram actualmente demolidas, com o terreno limpo e desmatado)”, afirma a promotora Imobiliária no convite enviado às redacções.

    Segundo a mesma nota, “o projecto visa promover o desenvolvimento urbanístico e económico da região em que se insere, através da requalificação e valorização urbanística e integração total na cidade, com o romântico e navegável Canal de São Roque como elemento aglutinador”.

    Primando pela sustentabilidade e inovação, este empreendimento urbanístico é dos primeiros loteamentos do país a ter a certificação LEED-ND – o selo de construção ecológica e sustentável mais utilizado e valorizado globalmente.

    O Foz de Prata é constituído por apartamentos de tipologias entre o T1 e o T5, por uma unidade hoteleira com cerca de 155 apartamentos turísticos e quartos – num total de 310 camas, uma superfície comercial de média dimensão, comércio, serviços, e amplas áreas exteriores de recreio e lazer, que ocupam uma área de construção de mais de 80.000 m2. Este empreendimento que servirá uma região de mais de 1 milhão de habitantes, terá as infraestruturas totalmente concluídas até final do próximo ano, e a edificação da construção dentro de cinco a sete anos. Destacar-se-á pela elevada qualidade de construção dos edifícios, dos espaços exteriores, pela aposta na sustentabilidade e pela promoção de um estilo de vida saudável, em linha com os valores da contemporaneidade e em estreita ligação com a Ria.

     

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Vila Galé assume gestão do Grande Hotel da Figueira

    Unidade, na Figueira da Foz, vai integrar a rede dos hotéis Vila Galé a partir de Abril de 2024, no qual vai investir dois milhões de euros na sua renovação

    CONSTRUIR

    O Grande Hotel da Figueira, na Figueira da Foz, vai integrar a rede dos hotéis Vila Galé a partir de Abril de 2024. Até agora integrado na Accor, o Grupo português vai assumir a gestão do “emblemático” hotel, para o qual pretende investir dois milhões de euros na renovação da unidade

    A obras vão incluir os 102 quartos, o bar, restaurante, lobby e recepção. Além disso, serão adicionados uma pizzaria Massa Fina, piscina exterior e lounge e uma área de spa com sauna, banho turco, duche Vichy, salas de massagens e ginásio.

    Instalado na marginal e próximo da praia, trata-se de um ex-libris da cidade pela sua forte presença arquitectónica e estética pós-modernista dos anos 50, assinado pelo arquitecto Inácio Peres Fernandes. Inaugurado em Junho de 1953, está classificado como imóvel de interesse público desde 2002.

    O Vila Galé Collection Figueira da Foz será um dos hotéis que a Vila Galé prevê abrir em 2024, ano em que inaugurará também o Vila Galé Isla Canela, um resort com tudo incluindo que marca a estreia do grupo em Espanha.

    Actualmente com 41 hotéis, dos quais 31 são em Portugal e 10 no Brasil, a Vila Galé anunciou recentemente a sua entrada em Cuba, onde, já a partir de Outubro passará a gerir o Vila Galé Cayo Paredón, um resort com 638 quartos, em Cayo Paredón Grande.

    Este será o quinto projecto a entrar em funcionamento este ano, após a abertura de mais quatro hotéis em território nacional, nomeadamente, o Vila Galé Collection Monte do Vilar e o Vila Galé Nep Kids, em Beja, o Vila Galé Collection São Miguel, nos Açores, e o Vila Galé Collection Tomar.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.