Edição digital
Assine já
    PUB
    Imobiliário

    Home Tailors Real Estate fecha 2022 com um volume de vendas de 92M€

    Actividade do ano transacto representou um crescimento de 18% face a 2021. David Carapinha, ceo & founder da Home Tailors Real Estate, acredita que “2023 será mais um ano de crescimento e de reforço da nossa posição no mercado”

    CONSTRUIR
    Imobiliário

    Home Tailors Real Estate fecha 2022 com um volume de vendas de 92M€

    Actividade do ano transacto representou um crescimento de 18% face a 2021. David Carapinha, ceo & founder da Home Tailors Real Estate, acredita que “2023 será mais um ano de crescimento e de reforço da nossa posição no mercado”

    CONSTRUIR
    Sobre o autor
    CONSTRUIR
    Artigos relacionados
    Rehau equipa Adega de Santo António
    Empresas
    MITH representa investimento de 167M€
    Construção
    Iberdrola e BP pulse lançam rede de carregamento rápido e ultra rápido ibérica
    Empresas
    ManpowerGroup inaugura novas instalações no Porto
    Imobiliário
    Palácio Sinel de Cordes recebe debate sobre sustentabilidade urbana
    Arquitectura
    Sector industrial e logístico continua resiliente
    Imobiliário
    Novo Aeroporto: Humberto Delgado terá de ‘aguentar’ mais sete anos até primeira pista de Alcochete ficar pronta
    Construção
    Novo Aeroporto: “Não me passa pela cabeça que este trabalho não venha a servir para nada”
    Construção
    Novo Aeroporto: Alcochete e Vendas Novas são as opções com “mais vantagens”
    Construção
    Vanguard Properties instala postos de carregamento eléctrico no condomínio Bayline
    Empresas

    A empresa de mediação imobiliária Home Tailors Real Estate fechou 2022 com um volume de vendas de 92 milhões de euros, o que representou um crescimento de 18% face a 2021.

    Foram no total 382 imóveis transaccionados, entre quintas, herdades e moradias, que representaram 23% das unidades vendidas pela Home Tailors, mas corresponderam a mais de 50% no volume de vendas. Cerca de 44% dos imóveis transaccionados tiveram promoção exclusiva da Home Tailors.

    Os compradores dividiram-se de forma muito próxima entre nacionais e internacionais. Os compradores portugueses representaram 54% das vendas. Quanto aos compradores internacionais, destacam-se os brasileiros, norte americanos e franceses que procuraram imóveis nas principais avenidas de Lisboa e Cascais e, normalmente, com compras de maior valor.

    “Os resultados obtidos em 2022 são muito positivos, fruto do grande esforço e empenho da nossa fantástica equipa a quem desde já agradeço. A Home Tailors nasceu há apenas cinco anos e temos tido um percurso sempre em crescendo. Estamos confiantes que 2023 será mais um ano de crescimento e de reforço da nossa posição no mercado”, considera David Carapinha, ceo & founder da Home Tailors Real Estate.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Artigos relacionados
    Rehau equipa Adega de Santo António
    Empresas
    MITH representa investimento de 167M€
    Construção
    Iberdrola e BP pulse lançam rede de carregamento rápido e ultra rápido ibérica
    Empresas
    ManpowerGroup inaugura novas instalações no Porto
    Imobiliário
    Palácio Sinel de Cordes recebe debate sobre sustentabilidade urbana
    Arquitectura
    Sector industrial e logístico continua resiliente
    Imobiliário
    Novo Aeroporto: Humberto Delgado terá de ‘aguentar’ mais sete anos até primeira pista de Alcochete ficar pronta
    Construção
    Novo Aeroporto: “Não me passa pela cabeça que este trabalho não venha a servir para nada”
    Construção
    Novo Aeroporto: Alcochete e Vendas Novas são as opções com “mais vantagens”
    Construção
    Vanguard Properties instala postos de carregamento eléctrico no condomínio Bayline
    Empresas
    PUB
    Imobiliário

    ManpowerGroup inaugura novas instalações no Porto

    As novas instalações ocupam dois pisos do edifício D Manuel II, junto ao Palácio de Cristal, e acolhem 80 postos de trabalho, numa área total de 780 m2

    CONSTRUIR

    O ManpowerGroup acaba de inaugurar um novo escritório no Porto para acolher os seus 200 colaboradores. As instalações localizam-se no edifício D Manuel II, junto ao Palácio de Cristal, e são compostas por dois pisos, que acolhem 80 postos de trabalho, numa área total de 780 m2.

    Privilegiando um ambiente de conforto e bem-estar para trabalhadores e um espaço acolhedor para clientes e candidatos em processo de entrevista, o novo escritório foi pensado para se adaptar aos mais recentes modelos e formas de encarar o trabalho: flexível e colaborativo.

    Além das salas de trabalho e open spaces, as novas instalações incluem também diversas salas de entrevistas, presenciais ou em vídeo, salas de reuniões equipadas com modernos sistemas interactivos de projecção e reunião, bem como uma sala de refeição e zona de lazer interior e exterior, com uma vista distinta para a foz do Douro.

    Correspondendo ainda às exigências de sustentabilidade da nova geração de espaços de trabalho, as instalações estão integradas no Edifício D Manuel II, que obteve a certificação BREAM Very Good, uma certificação internacional que acredita a qualidade de desempenho energético e de sustentabilidade. Para além disso, foi concebido no sentido de minimizar a pegada energética, integrando sensores de movimento nas luzes, a eliminação de copos e louça descartável e estações de carga no estacionamento, para a frota de veículos híbridos e eléctricos.

    Para Rui Teixeira, country manager do ManpowerGroup Portugal, “esta inauguração é um passo estratégico que está a ser preparado há algum tempo. Acreditamos plenamente no impacto que a qualidade dos espaços de trabalho tem no desempenho e motivação das equipas e queríamos proporcionar a todos os que contactam connosco no Porto um escritório moderno, agradável e aberto à colaboração”.

    O investimento nestas novas instalações representa o crescimento da empresa na segunda maior cidade do país e a trajectória que a marca prevê para o futuro em todo o país.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Sector industrial e logístico continua resiliente

    A consultora Cushman & Wakefield assessorou a transacção de um activo industrial/logístico, no Porto, detido pelo Fundo AF Portfólio Imobiliário, gerido pela Interfundos

    CONSTRUIR

    A Cushman & Wakefield (C&W) concluiu mais uma operação em industrial e logística, com a venda de uma unidade industrial/logística com área total de 1.800 m2, propriedade do Fundo AF Portfólio Imobiliário, gerido pela Interfundos, localizado na Maia (Porto). O imóvel foi adquirido por um investidor privado.

    “O sector industrial/logístico continua a ser alvo de bastante interesse por parte dos investidores, sendo um dos sectores mais resilientes do mercado. Estamos muito satisfeitos pelo nosso envolvimento nesta operação, alinhando os interesses de comprador e vendedor, e contribuindo para a dinamização do mercado de industrial e logística a nível nacional, nomeadamente no Porto”, sublinhou Diogo Lopo, senior consultant em Industrial & Logistics Investment na Cushman & Wakefield.

    Uma transacção que veio reforçar a presença da consultora no mercado do Porto. “A nossa proximidade junto de ocupantes e investidores, numa base regular, tem nos permitido realizar com sucesso várias operações desta natureza na zona norte do país.”, referiu Mário Jacob, associate e head of Porto.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Alba 28 nasce em Carnaxide

    O condomínio Alba 28, está a surgir na Urbanização Alto da Montanha, em Carnaxide, irá oferecer 11 apartamentos e deverá estar concluído até ao final do ano. A construção do Alba 28 está a cargo da empresa Sociedade Construções Alexandre e Baleia que também é a entidade promotora do empreendimento. A comercialização foi entregue à Century 21

    CONSTRUIR

    O condomínio Alba 28 é constituído por 11 apartamentos de tipologias T2 e T3, distribuídos por oito pisos, com duas fracções por andar. Os apartamentos T3 apresentam uma área bruta privativa de 135,60 m2 e mais de 43 m2 de terraços e varandas, aos quais se acrescentam as áreas da arrecadação e dois lugares de estacionamento, num total de 209 m2. Já os T2 têm uma área bruta privativa de 106,10 m2 e cerca de 35 m2 de terraços e varandas, aos quais acrescem os espaços de arrecadação e dois estacionamentos por fracção, num total de 161 m2. Os amplos terraços estão totalmente virados para Sul, o que permite a melhor exposição solar e também uma vista privilegiada, que vai desde o Tejo até Cascais.

    A construção do Alba 28 está a cargo da empresa Sociedade Construções Alexandre e Baleia que também é a entidade promotora do empreendimento. “Somos uma empresa familiar que conta com mais de 37 anos de actividade, ao longo dos quais nos orgulhamos de ter conquistado o reconhecimento e respeito do mercado nacional, sobretudo na área da grande Lisboa. O que fazemos, gostamos de fazer bem feito. A nossa construção tem como objectivo garantir segurança, fiabilidade e o máximo de conforto àqueles que a vão habitar e isso é facilmente percepcionado. Sabemos que o empreendimento Alba 28 está mais vocacionado para um segmento premium, tendo em conta o investimento efectuado na construção e pela opção de recorrer, criteriosamente, aos materiais de melhor qualidade e aos acabamentos executados com a máxima perfeição”, sustenta Alexandre Baleia, fundador da construtora.

    Os apartamentos apresentam cozinhas totalmente equipadas com electrodomésticos de gamas premium, pavimentos e revestimentos cerâmicos de topo de gama nas casas de banho e cozinha. Todas as divisões possuem ar condicionado e aspiração central.
    A sustentabilidade e a domótica são dois aspectos de destaque neste novo empreendimento. O sistema de aquecimento integra uma bomba de calor equipada com painéis solares. Os dois lugares de estacionamento de cada apartamento já contam com instalação de pontos de carregamento para veículos eléctricos. Para além disso, o sistema de videoporteiro permite ligação ao telemóvel, para aumentar a segurança e comodidade nos mais básicos gestos diários dos moradores.

    “O Alba 28 é um empreendimento de que nos orgulhamos muito. Tem a assinatura do reputado arquitecto Paulo Peres e a subtileza, elegância e requinte das suas linhas arquitectónicas, onde impera o detalhe, é muito apreciada”, acrescenta o responsável.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Aqua Portimão anuncia investimento de 4M€ no novo Food Hall

    O novo espaço com mais 420 m² de restauração vai estar concluído no final do primeiro semestre de 2024. A arquitectura tem a assinatura da Broadway Malyan

    CONSTRUIR

    O novo Food Hall será uma zona de restauração ultramoderna que pretende tornar o Aqua Portimão num destino gastronómico e num espaço ideal para convívio. Desenhada e planeada pelo estúdio de arquitectura Broadway Malyan, o novo Food Hall do Aqua Portimão será totalmente coberto e terá 35 espaços dedicados à gastronomia.

    O novo Food Hall contará com mais 420 m2 de restauração e com vários ambientes marcados por diferenças cromáticas e vegetação, por espaços lúdicos, e também um palco para a realização de espetáculos.

    A cobertura do novo Food Hall é uma das componentes inovadoras deste investimento, uma vez que foi concebida para assegurar conforto térmico ao longo de todo o ano, através de ventilação exclusivamente natural, uma prioridade para os co-proprietários, Generali Real Estate e Klepierre.

    Pedro Paixão, deputy head of leasing de Klépierre, refere que “este projecto é a concretização de um sonho já antigo, de transformação e recriação de um espaço fundamental para os nossos clientes e para o centro como um todo. A qualidade do projecto arquitectónico e de engenharia permitiram incorporar inovações muito relevantes, sobretudo ao nível ambiental e energético, uma vez que a climatização será feita exclusivamente de forma natural.”

    Inaugurado em 2011, o Aqua Portimão está localizado nas principais vias de acesso à cidade de Portimão. É o maior centro comercial do barlavento algarvio, uma região que se destaca pela tendência de crescimento e de evolução demográfica e económica.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos

    Liliana Soares, directora de ESG e Sustentabilidade na CBRE Portugal

    Imobiliário

    Estudo: Stock de escritórios certificados cresce a uma taxa de 25% desde 2021

    O crescimento de edifícios de escritórios certificados energéticamente, sobretudo em Lisboa e no Porto, tem sido superior à média europeia de 11%, o que revela uma “clara aposta” por parte dos proprietários no processo de certificação do seu portefólio

    CONSTRUIR

    A CBRE, a consultora de prestação de serviços para o setor imobiliário, acaba de lançar a nível global o seu mais recente estudo ‘Is sustainability certification in Real Estate worth it?’. Esta é a terceira edição deste estudo que pretende apurar de que forma “as certificações de sustentabilidade impactam a criação de valor e a transformação do sector de escritórios rumo a um futuro net zero”.

    O estudo focou-se exclusivamente no sector dos escritórios e analisou edifícios distribuídos por 19 países e 40 cidades, tendo sido consideradas as certificações BREAM, LEED, DGNB, HQE e WELL.

    De acordo com Liliana Soares, directora de ESG e Sustentabilidade na CBRE Portugal, “o stock de escritórios tem crescido a uma taxa inferior a 3% em Portugal. Porém, o stock de escritórios certificados, sobretudo nas cidades de Lisboa e Porto, cresce a uma taxa de 25% desde 2021, superior à média europeia de 11%”.

    Isto revela uma “clara aposta” por parte dos proprietários no processo de certificação do seu portefólio, bem como a sua “preocupação” em garantir que os edifícios estão alinhados com as novas tendências de ESG.”, comenta Liliana Soares.

    O estudo permitiu, ainda, revelar que, na cidade do Porto, não se regista nenhum edifício de escritórios certificado desocupado, enquanto que em Lisboa o espaço desocupado em edifícios de escritórios não certificados é cinco vezes superior ao espaço disponível em edifícios certificados (do total de stock: 16% de vacancy em edifícios certificados vs 84% de vacancy em edifícios não certificados).

    Relativamente às rendas, o estudo comprova que os edifícios certificados apresentam um prémio nas rendas 7% superior ao dos edifícios não certificados, existindo uma tendência de crescimento no fosso entre Green Premium e Brown Discount.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Investimento imobiliário em Portugal com decréscimo de 48% face a 2022

    Sectores de retalho e do turismo lideram as transacções de investimento no mercado nacional. O cenário de desinvestimento “generalizado” pode ser explicado pelos “elevados níveis da inflação, aumento dos custos dos empréstimos, pela redução das medidas de apoio do Governo e diminuição do consumo privado”

    CONSTRUIR

    O mercado de investimento imobiliário em Portugal atingiu, no terceiro trimestre de 2023, um montante total de 262 milhões de euros, um valor que representa um decréscimo de 46% face ao trimestre anterior.

    Já o investimento total nos primeiros nove meses do ano cifra-se nos 1.021 milhões de euros, indicando, também, um decréscimo de 48% face ao período homólogo de 2022.

    Este decréscimo “generalizado” verificou-se em várias classe de activos, no entanto, os segmentos de retalho e hospitality, demonstraram ser os mais resilientes, contribuindo para 38% e 37% respectivamente do volume de investimento imobiliário acumulado, de acordo com o Real Estate Market Overview, elaborado pela Savills Portugal, que apresenta os principais indicadores do mercado imobiliário nacional referentes ao último trimestre.

    Um cenário que pode ser explicado pelos “elevados níveis da inflação, pelo aumento dos custos dos empréstimos, pela redução das medidas de apoio do Governo e pela diminuição do consumo privado”.

    Segundo Paulo Silva, head of Country da Savills Portugal, “o panorama do investimento em Portugal está alinhado com o restante mercado europeu, com quase todas as geografias a registar quedas neste domínio. O acréscimo dos custos do financiamento e a falta de correção dos preços de venda continuam a estar na base de processos de tomada de decisão mais longos que se refletem numa diminuição natural quer em número de transacções quer em volume de investimento, com a concessão de empréstimos para negócios de grande dimensão ou activos secundários, a ser mais dificultada”.

    Não obstante, Paulo Silva acredita que “a recuperação do mercado será gradual, ao ritmo do ajustamento dos preços de venda e da melhoria do contexto económico”.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    30M€ para novo projecto de expansão do Vila do Conde Porto Fashion Outlet

    As obras deverão arrancar em Março 2024 e deverão estar concluídas no final do primeiro semestre de 2025. O projecto de expansão, com assinatura do atelier L35, irá totalizar 10.000 metros quadrados, que serão ocupados por 31 novas lojas e quatro novos espaços de restauração

    CONSTRUIR

    O Vila do Conde Porto Fashion Outlet apresentou o projecto de expansão do centro, que irá totalizar 10.000 metros quadrados, ocupados por 31 novas lojas e quatro novos espaços de restauração, num investimento de 30 milhões de euros, permitindo a criação de cerca de 300 postos de trabalho directos. As obras deverão arrancar em Março 2024 e deverão estar concluídas no final do primeiro semestre de 2025.

    Este investimento surge após o projecto de remodelação do centro em 2021,que representou um investimento de 13 milhões euros. Com a actual intervenção o Vila do Conde Porto Fashion Outlet irá aumentar a sua área actual em 6500 m2 GLA, num total de 31.000 m2. A obra está a cargo do atelier de arquitectura L35, que também esteve dedicado à remodelação anterior do centro.

    “Portugal é um mercado muito importante e reconhecido pelos nossos investidores, não só pelos resultados e caminho já feito, como pelo potencial do país, que é revelado pelo crescimento de marcas premium a instalarem-se quer em Lisboa quer no Porto.”, justifica Jorge Pinto Fernandes, Portugal business director da VIA Outlets Portugal, acrescentando que “temos tido muitas marcas interessadas em entrar no centro, assim como as já existentes a quererem aumentar a sua área de loja. São excelentes indicadores que nos dão confiança para avançar com este projecto, cumprindo a nossa ambição de sermos um destino de referência, permitindo-nos trabalhar o espaço de uma forma diferente e trazer uma vivência nova que consideramos necessária para criar o destino de compra a que nos propomos.”

    A sustentabilidade também faz parte do novo projecto, e está integrada em todos os aspectos da gestão e, sobretudo, num projecto desta relevância. Desde os materiais utilizados à eficiência energética, passando pelo respeito pela tradição local, pela inspiração na arquitectura local e inclusão de espaços verdes, mas também ao nível do bem-estar, proporcionando aos visitantes espaços mais confortáveis e luminosos.

    “O conceito Outlet tem evoluído muito e hoje é considerado parte integrante da estratégia de distribuição das marcas. É o segmento de shopping que mais tem crescido e onde, cada vez mais, as marcas apostam com qualidade. Ainda recentemente um estudo da Cushman & Wakefield revelou que o canal outlet foi o que teve melhor recuperação e melhor performance, nomeadamente na Ibéria, onde a VIA Outlets tem quatro centros muito importantes do seu portfolio. Por essa razão e mantendo-nos firmes na nossa estratégia dos 3 R’s: Remodelação, Remerchandising e Remarketing, vamos continuar a investir no mercado nacional, onde desde 2017 já investimos mais de 37 milhões, aos quais se juntam agora 30 milhões nesta expansão”, refere, por sua vez, Nuno Oliveira, regional business director da VIA Outlets Ibéria. “Concluímos há menos de um mês a remodelação de Sevilha Fashion Outlet, também com o mesmo atelier de arquitectura, L35, e a transformação é um grande motivo de orgulho”.

    Em 2021, para além da harmonização estética do espaço e do edifício, tornando-o mais acolhedor, elegante e convidativo, a intervenção incluiu uma renovação de lojas, com a entrada de mais de 25 novas marcas como a BOSS, Under Armour, Karl Lagerfeld,, Longchamp, entre outras e algumas marcas trouxeram para o centro a sua maior loja do país, como é o caso da Michael Kohrs, Guess, Levi’s ou Boss.

    O foco agora estará na atracção e oferta de mais marcas premium, desejadas pelo mercado nacional e de turismo.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Remax Collection reforça oferta de empreendimentos em Algés e Miraflores

    “Acreditamos que os empreendimentos localizados nesta zona são uma óptima escolha residencial familiar e uma oportunidade de investimento exclusiva,” destaca Beatriz Rubio, CEO da Remax Collection

    CONSTRUIR

    A rede imobiliária, Remax Collection, reforçou a sua oferta na zonas de Algés e Miraflores com a comercialização de novos empreendimentos. Com uma localização “central e estratégica”, a zona de Algés e Miraflores é uma área residencial “privilegiada”, com proximidade e vista para o rio Tejo. Destaque para a diversidade de zonas verdes, tanto jardins como parques urbanos, e acesso a todo o tipo de serviços e espaços comerciais.

    “Todos estes empreendimentos de luxo, com vista para o rio e com espaços verdes, estão inseridos numa zona residencial de excelência, fora da cidade, mas com todas as comodidades e com acesso a todo o tipo de serviços, comércio e transportes.  Acreditamos que os empreendimentos localizados nesta zona são uma óptima escolha residencial familiar e uma oportunidade de investimento exclusiva,” destaca Beatriz Rubio, CEO da Remax Collection.

    Os cinco empreendimentos destacam-se, além da sua localização, pelas suas amenities exclusivas. Além disso, vêm colmatar a escassez de construção nova e a falta de soluções do mercado neste segmento, com o aumento da procura de novos conceitos residenciais que apostam na sustentabilidade.

    MIREAR
    O empreendimento Terraces Mirear é o primeiro lançamento residencial do MIREAR, do promotor Solyd Property Developers e que conjuga um design de interiores sofisticado e uma arquitetura contemporânea. Composto por dois edifícios com 204 apartamentos, com tipologias T1 a T5, áreas desde os 54 m² aos 244 m², este projecto destaca-se
    pelas suas varandas e terraços com vista rio e para os parques de Miraflores e do Monsanto, com áreas até 331 m².A conclusão da obra está prevista para Setembro de 2024.

    Monview

    Este novo condomínio privado exclusivo tem como mote “o verde é o novo luxo”. Com 2.300 m² de jardins privados, com piscinas, ginásio e SPA, parque infantil, pet care station e zona gourmet, o Monview apresenta uma arquitectura sofisticada. Composto por dois edifícios com uma arquitetura única, o Monview conta com 168 apartamentos de tipologias T1 a T4 duplex e penthouse, todos com terraços, varandas ou jardins,  estacionamento e arrecadação privativos. Preparado para a mobilidade eléctrica, o Monview conta ainda com uma estação de cacifos 24h para entrega de encomendas e uma zona comum de lavandaria.

    Edifício Alegre
    O Edifício Alegre é um empreendimento com oito apartamentos, de tipologias de T1 a T4, com áreas entre 45 m² e 190 m², piscina comum na cobertura do terraço, vista rio e garagem. Todos os imóveis contam com terraços amplos e estacionamento com carregamento para carros eléctricos. Com acabamentos em materiais sustentáveis, ar condicionado em todas as divisões e cozinhas totalmente equipadas, o edifício estará concluído no final do primeiro trimestre de 2024.

    Gestilar
    Composto por um edifício dividido em dois blocos, com 111 apartamentos de tipologias T2, T3 e T4 distribuídos por 13 pisos, o empreendimento Gestilar dispõe, ainda, de quatro pisos subterrâneos para estacionamento e arrecadações. Com uma arquitectura contemporânea, um estilo moderno e elegante, acabamentos premium, aquecimento central e painéis solares no edifício. Na cobertura do edifício encontra-se também uma piscina com vista panorâmica para o rio Tejo, um solário natural e um ginásio equipado com máquinas de última geração.

    Citti Soul
    O empreendimento Citti Miraflores, do promotor Soma Future Investments, é um projecto composto por cinco edifícios residenciais, sendo o Citti Soul o mais recente em fase de construção. Com linhas arquitectónicas intemporais e acabamentos sofisticados, este empreendimento com apartamentos T2, T3 e T4 Duplex, destaca-se pela exclusividade, conforto e privacidade. Inclui, ainda, áreas de lazer multifuncionais, compostas por espaços verdes, uma piscina exterior, um parque infantil e um ginásio totalmente equipado. A conclusão da obra está prevista para Dezembro de 2025.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Fundos da Arrow Global concluem investimento no resort Palmares

    O investimento foi realizado através dos fundos geridos pela Arrow Global, correspondendo, entre aquisição e desenvolvimento futuro, a cerca de 400 M€

    CONSTRUIR

    A Arrow Global, gestora europeia de activos alternativos integrados verticalmente, especializada em crédito privado e imobiliário, investiu, em colaboração com uma construtora portuguesa, no resort turístico Palmares Ocean Living & Golf. O investimento foi realizado através dos fundos geridos pela Arrow Global, correspondendo o investimento combinado, entre aquisição e desenvolvimento futuro, a cerca de 400 milhões de euros.

    Os activos incluem 200 hectares de terreno, localizados entre o estuário de Alvor e Lagos. Entre os activos-chave está um boutique hotel de 5*, um campo de golfe com 27 buracos, um clubhouse onde se encontra o restaurante AL SUD, 40 lotes para construção de villas e 12 lotes para desenvolvimento, nomeadamente, para a construção de 310 apartamentos de luxo e um hotel de 5* com 152 quartos.

    “Este investimento representa uma progressão significativa na nossa estratégia de Hospitality em Portugal, nomeadamente para a região do Algarve. Estamos muito satisfeitos pelo sucesso do negócio e por acreditarmos que continuamos a contribuir para o crescimento e desenvolvimento da hotelaria e turismo nacionais”, explica John Calvão, principal dos Fundos Arrow Global.

    Também João Bugalho, CEO da Arrow Global Portugal, afirma que “este investimento complementa os recentes investimentos estratégicos da Arrow em Portugal. Isto inclui o nosso investimento em activos de relevo em Vilamoura, tais como a Marina de Vilamoura, o centro equestre e de desportos, terrenos, os prestigiantes hotéis Dom Pedro e Hilton, assim como cinco campos de golfe premium. A introdução de voos directos dos EUA para Faro em 2024 vai contribuir para aumentar a visibilidade da nossa hospitality e de activos de lazer em Portugal, o que corresponde a uma oportunidade primordial para nós”.

    O processo foi gerido pela Norfin Serviços, uma subsidiária da Arrow Global.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Casa Yes supera marca dos 110 mil imóveis

    Lançado em Maio deste ano, o Casa Yes foi tem como objectivo criar uma “plataforma de confiança” para quem procura imóveis, seja para comprar ou arrendar, mas também para quem os promove

    CONSTRUIR

    O portal imobiliário dos profissionais da mediação, Portal Yes, lançado em Maio deste ano, ultrapassou a marca dos 110 mil imóveis disponíveis para pesquisa, o que o coloca entre os maiores portais do sector em Portugal.

    O Casa Yes, uma iniciativa da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária (APEMIP), agrega actualmente perto de mil agências, entre as principais imobiliárias tradicionais, redes e marcas a operar em Portugal, tais como a Remax, Century 21, ERA, Zome, Predimed, JLL, Castelhana, Arcada, Sortami, Garvetur, Casa da Portela, 2Easy, entre outras.

    O Portal Casa Yes foi lançado com o objectivo de criar uma “plataforma de confiança” para quem procura imóveis, seja para comprar ou arrendar, mas também para quem os promove, já que todos os imóveis são promovidos por profissionais da mediação, sem anúncios de particulares, ou imprecisões. Todas as empresas presentes no portal subscreveram um código deontológico e seguem um manual de boas práticas.

    “É com muita satisfação que vemos o Portal Casa Yes a ganhar notoriedade e a afirmar-se entre os maiores portais imobiliários do mercado. Representa um enorme voto de confiança por parte dos profissionais e dos clientes e, em simultâneo, promove o profissionalismo, a qualidade do sector, e dá maior credibilidade ao mercado. A APEMIP continua comprometida em apoiar esta iniciativa, para que a mediação encontre aqui um patamar de rigor na promoção do seu trabalho, e os clientes, por outro lado, tenham a garantia de agilidade e segurança que precisam para um momento tão relevante como o de comprar ou vender uma casa”, sublinha Paulo Caiado, presidente da APEMIP.

    O Casa Yes foi também o primeiro portal em Portugal a integrar diretamente a ferramenta de inteligência artificial ChatGPT, que permitirá aos utilizadores realizar pesquisas personalizadas de imóveis usando linguagem natural, em qualquer língua, e de forma mais eficiente e intuitiva.

    Além de poder ser consultado pelo público em geral, o Casa Yes permite agilizar procedimentos de comunicação entre as empresas presentes no portal. A plataforma disponibiliza novas funcionalidades, através das quais os mediadores podem comunicar directamente entre si e partilhar mais informação e negócios.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.