Edição digital
Assine já
    PUB
    Construção

    FPF lança concurso para projecto de reabilitação do Estádio do Jamor

    O concurso desenvolvido em duas fases para a elaboração do projeto de reabilitação do Estádio Nacional é promovido pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e conta com a assessoria técnica da Secção Regional de Lisboa e Vale do Tejo das Ordem dos Arquitectos (OA-SRLVT). A obra está avaliada em 25 milhões de euros

    CONSTRUIR
    Construção

    FPF lança concurso para projecto de reabilitação do Estádio do Jamor

    O concurso desenvolvido em duas fases para a elaboração do projeto de reabilitação do Estádio Nacional é promovido pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e conta com a assessoria técnica da Secção Regional de Lisboa e Vale do Tejo das Ordem dos Arquitectos (OA-SRLVT). A obra está avaliada em 25 milhões de euros

    CONSTRUIR
    Sobre o autor
    CONSTRUIR
    Artigos relacionados
    “Inovação, sustentabilidade e design” marcam 30ª exposição anual da Porcelanosa
    Empresas
    Empresa portuguesa Sunenergy recebe prémio em Espanha
    Empresas
    Exportações do cluster do mobiliário e afins atingem “melhor resultado de sempre”
    Empresas
    Edifício Delta atinge 100% de ocupação
    Imobiliário
    FIL lança FILDECOR Living & Design de 2 a 5 de Maio
    Empresas
    Programas eleitorais, Mota-Engil em ponte africana, Cooperativas em Lisboa e um especial com ligação à L+B na edição 501
    Construção
    Região Sul da Ordem dos Engenheiros reforça presença em Beja
    Engenharia
    APREN premeia quatro trabalhos académicos na área das renováveis
    Empresas
    Solyd avança com novas unidades em Loures
    Imobiliário
    Arrendamento de luxo a nível global abranda, mas cidades portuguesas são excepções 
    Imobiliário

    Negligenciado durante várias décadas, pese ser considerado como palco privilegiado de uma das festas nacionais do futebol nacional – por ser palco tradicional da final da Taça de Portugal – o Estádio do Jamor conhece agora um novo capítulo na sua história com o lançamento do concurso público para a concepção do projecto arquitectónico de reabilitação, uma obra estimada em 25 milhões de euros.

    O concurso desenvolvido em duas fases para a elaboração do projeto de reabilitação do Estádio Nacional é promovido pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e conta com a assessoria técnica da Secção Regional de Lisboa e Vale do Tejo das Ordem dos Arquitectos (OA-SRLVT) e a consultoria da Tecnoplano e serão aceites candidaturas até ao dia 7 de Março. A FPF encabeça um conjunto de entidades envolvidas nesta iniciativa, ao abrigo de um protocolo assinado em Julho do ano passado e que reuniu as três federações utentes do recinto (atletismo, futebol e râguebi), a Câmara Municipal de Oeiras (CMO), o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) e a Direcção Geral do Património Cultural (DGPC).

    A reabilitação do Estádio Nacional visa modernizar o espaço desportivo e envolvente, para possibilitar a prática e a utilização pelo IPDJ e pelas Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e Federação Portuguesa de Rugby (FPR), designadamente em eventos desportivos nacionais e internacionais, tendo em conta a integridade do imóvel com cerca de 80 anos.

    As instalações a reabilitar, reorganizar e construir pretendem assegurar, em condições próximas das melhores práticas, o treino e competições nacionais e internacionais das seleções nacionais e a formação de quadros e praticantes, permitindo, ainda, centralizar as diversas atividades das federações, conferindo-lhes uma maior eficácia nas suas missões.

    O Estádio Nacional, situado no vale do Rio Jamor, na freguesia da Cruz Quebrada – Dafundo, no concelho de Oeiras, constitui um primeiro marco na história das infraestruturas desportivas de Portugal e representou uma obra notável na época em que foi projetado e construído, tendo-se adotado alguns dos conceitos mais modernos da época, particularmente na disciplina da arquitetura paisagista.

    É também um monumento do regime da época e foi inaugurado a 10 de junho de 1944, Dia de Portugal, em clima de festa e com um teor marcadamente político, que contou com a presença do Presidente da República, Marechal Óscar Carmona e do Presidente do Conselho, António de Oliveira Salazar, além de uma grande multidão que assistiu aos desfiles, discursos e ao grande jogo entre os dois rivais da capital, o Sporting, campeão nacional em título, e o Benfica, vencedor da Taça de Portugal.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Artigos relacionados
    “Inovação, sustentabilidade e design” marcam 30ª exposição anual da Porcelanosa
    Empresas
    Empresa portuguesa Sunenergy recebe prémio em Espanha
    Empresas
    Exportações do cluster do mobiliário e afins atingem “melhor resultado de sempre”
    Empresas
    Edifício Delta atinge 100% de ocupação
    Imobiliário
    FIL lança FILDECOR Living & Design de 2 a 5 de Maio
    Empresas
    Programas eleitorais, Mota-Engil em ponte africana, Cooperativas em Lisboa e um especial com ligação à L+B na edição 501
    Construção
    Região Sul da Ordem dos Engenheiros reforça presença em Beja
    Engenharia
    APREN premeia quatro trabalhos académicos na área das renováveis
    Empresas
    Solyd avança com novas unidades em Loures
    Imobiliário
    Arrendamento de luxo a nível global abranda, mas cidades portuguesas são excepções 
    Imobiliário
    PUB

    Cozinha XTONE

    Empresas

    “Inovação, sustentabilidade e design” marcam 30ª exposição anual da Porcelanosa

    Até 22 de Março, a feira internacional dá a conhecer as últimas novidades em produtos cerâmicos, equipamentos para casas de banhos e cozinhas e sistemas construtivos, assim como as últimas tendências em design para 2024

    O Grupo Porcelanosa celebra este ano a sua 30ª feira internacional, onde a multinacional espanhola dá a conhecer as novidades das diferentes empresas do Grupo, que além da própria empresa ‘mãe’, inclui, ainda, a Gamadecor, L’Antic Colonial, Butech, Noken, Krion e Xtone.

    Neste sentido, e de 19 de Fevereiro a 22 de Março, numa edição marcada pela “inovação, sustentabilidade e design”, os showrooms dão a conhecer as últimas novidades em soluções tanto em produtos cerâmicos, equipamentos para casas de banhos e cozinhas e sistemas construtivos, assim como as últimas tendências em design para 2024.

    No que diz respeito à Porcelanosa, com revestimentos e pavimentos inspirados no cimento, pedra calcária e mármore, estão em destaque os grandes formatos, o Xlight, ao qual dedicou um dos seus showrooms. Mais de mil metros quadrados nos quais se mostram as possibilidades deste material porcelânico através da recriação de um restaurante e duas casas, onde o espaço, formado por diferentes arcos revestidos, é “surpreendente”. Estruturas que servem de suporte a vários candeeiros de assinatura, “dispostos como se fossem obras de arte”.

    Também a Krion renovou completamente o seu showroom com a ajuda da estudi{H}ac. O novo espaço foi concebido como um ponto de encontro onde os profissionais do sector e os particulares podem conhecer, de forma física e sensorial, as múltiplas aplicações na arquitectura e no design de interiores. K-ONCENTRICO 360º é o novo conceito de exposição em que a circularidade se torna a chave de tudo.

    Outra das empresas do grupo que renovou o seu showroom foi a L’antic Colonial, que este ano cumpre o seu 25º aniversário. Para esta transformação, contou com o Summumstudio. Uma proposta “inspiradora” e “carregada de simbolismo”, que tem como objectivo mostrar a profunda conexão da L’Antic Colonial com a natureza. A empresa apresentou, ainda, a sua nova marca de cerâmica decorativa de pequeno formato, o S-Tile.

    A empresa de designs e materiais para mobiliário de cozinhas, salas de estar e casas de banho, Gamadecor, destacou, este ano, o estilo minimalista, assim como a versatilidade e possibilidade de personalização das suas soluções.

    Pensados para os espaços de banho, a Noken aposta em novos modelos de duche com a tecnologia mais avançada. E pelo aniversário do 15º aniversário das torneiras Lounge, da autoria do designer italiano Simone Micheli, é apresentada na feira a nova versão, a Lounge Fluid.

    Os grandes formatos estão, igualmente, em destaque na Xtone, a empresa do Grupo que reproduz em porcelânico o aspecto do mármore, da madeira e do cimento.

    Sem esquecer, a Butech, a empresa que actua na área das fachadas e na industria offsite. Uma área com uma crescimento consolidado e que pretende responder à escassez de mão de obra e necessidades urgentes de habitação. No showroom é possível não só acompanhar o processo produtivo como verificar alguns exemplos de casas de banho e cozinhas construídas através de módulos e previamente em fábrica.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    Empresa portuguesa Sunenergy recebe prémio em Espanha

    A entrega do prémio de “Conceito Português Mais Inovador” em franchising na XXIV Edição de FranquiAtlántico 2024, teve lugar em Vigo, na Galiza

    A empresa especialista em soluções de produção de energia eléctrica Sunenergy, venceu o prémio de “Conceito Português Mais Inovador” em franchising na XXIV Edição de FranquiAtlántico 2024, que teve lugar em Vigo, na Galiza. O reconhecimento surge poucos meses após a abertura de uma delegação da empresa portuguesa em Ourense.

    “O nosso modelo de negócio tem uma história de sucessos e crescimento constante, que tem demonstrado, nas nossas delegações, rentabilidade e segurança”, afirma Raul Santos, CEO da SunEnergy. “Quem aposta na Sunenergy está a fazer um investimento inteligente no sentido da sustentabilidade económica e da independência energética, sendo que a empresa tem também contribuído para a criação de emprego, para a inovação tecnológica e para o reforço da segurança energética em cada região”, acrescenta Raul Santos.

    O evento decorreu na Zona Franca de Vigo, na Galiza, contando com o apoio de Instituições do Governo Local, como a Junta da Galiza, a Cámara de Pontevedra, Vigo e Vilagracía de Arounsa, o Conselho de Vigo, a Deputación de Pontevedra, assim como da Associação Espanhola do Franchising.

    Em 2023, a Sunenergy voltou a registar o seu melhor ano de sempre, alcançando um volume de negócios de 15 milhões de euros, num aumento de 30% em relação ao período homólogo. Com várias delegações de Norte a Sul do país, tendo internacionalizado, recentemente, a sua actividade para o país vizinho.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    Exportações do cluster do mobiliário e afins atingem “melhor resultado de sempre”

    Esta fileira, que tem nos mercados internacionais cerca de 90% do volume de negócios, superou em 10% os valores registados no período homólogo e em 24% os números relativos a 2021

    O cluster do mobiliário e afins português registou o melhor ano de sempre das exportações, tendo superado os dois mil milhões de euros em vendas ao exterior entre Janeiro e Dezembro de 2023. Esta fileira, que tem nos mercados internacionais cerca de 90% do volume de negócios, superou em 10% os valores registados no período homólogo e em 24% os números relativos a 2021.

    O ano de 2023 é também significado de um crescimento transversal nos principais mercados deste cluster. França, que é responsável por mais de 32% das exportações, importou quase mais 8% face a igual período em 2022 e mantem a posição cimeira como principal destino dos produtos nacionais.

    Nos três primeiros lugares da tabela estão igualmente Espanha, com uma quota de mais de 26% e a Alemanha, o terceiro mercado mais relevante para a produção nacional, ao registar uma variação homóloga de mais de 26%. Segue-se os Estados Unidos da América (quota de 5,6%) com uma ligeira quebra devido à conjuntura nacional e internacional e o Reino Unido (+11%) a encerrar os cinco postos dianteiros do ranking.

    De sublinhar que, apesar de o mobiliário ter superado pela primeira vez a fasquia dos dois mil milhões de euros em exportações no ano passado, a evolução homóloga não foi constante, denotando-se uma quebra a partir do mês de agosto.

    Joaquim Carneiro, presidente da Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins (APIMA) sublinha que “apesar de termos registado o melhor resultado de sempre, não podemos deixar de demonstrar alguma preocupação com as oscilações do mercado provocadas pelo cenário nacional e internacional que enfrentamos”.

    “A instabilidade económica e política do País, mas também a guerra na Europa que dura há mais de dois anos, estão a ter um forte impacto na economia europeia. Mais recentemente, o conflito no Médio Oriente trouxe implicações à circulação marítima de mercadorias provocadas pelos ataques no Mar Vermelho, e verificamos instabilidade política em mercados muito relevantes para o setor. Temos de olhar para todos estes constrangimentos com responsabilidade, mas igualmente como uma oportunidade de continuar a apostar no valor acrescentado, na inovação e na sustentabilidade das empresas portuguesas, conseguindo diferenciar-nos dos demais players do cluster”, acrescenta Joaquim Carneiro.

    Em 2023, registou-se uma consolidação da balança comercial superavitária destes sectores, com um saldo que ultrapassou os mil milhões de euros, superando em 27% o ano transacto.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Edifício Delta atinge 100% de ocupação

    A JLL foi responsável pela colocação do Clube Fashion Portugal e a CleanUp, onde ambas as marcas dividem um total de dois mil metros quadrados (m2) de espaço

    A equipa de Industrial & Logística da JLL colocou o Clube Fashion Portugal, um dos maiores outlet online e a CleanUp, uma empresa de serviços de lavandaria, num armazém no Edifício Delta, onde ambas as marcas dividem um total de dois mil metros quadrados (m2) de espaço. Uma transacção que vem reforçar a “crescente procura de activos logísticos prime” por parte de investidores e evidencia a “resiliência do sector logístico português.” 

    Localizado na zona industrial da Abrunheira, o armazém encontrava-se parcialmente devoluto em 2022, tendo, entretanto, sido alvo de obras de melhoria e renovações. 

    “Estrategicamente” localizado junto à saída da IC19, com “excelentes” acessos, o espaço encontra-se numa das zonas industriais e de retalho mais bem consolidadas da região, com empresas de grande dimensão e de renome ali sediadas, e está estrategicamente localizado junto à saída da IC19, com excelentes acessos.

    “A verdade é que continuamos a verificar uma oferta de produto muito limitada, principalmente em zonas perto do centro, e que não consegue acompanhar a elevada procura por este tipo de activos. A poucos minutos de Lisboa, esta localização foi um dos factores essenciais na escolha deste armazém pelos inquilinos, bem como o espaço disponível para armazenamento de stock.”, explica Mariana Rosa, head of Markets Advisory na JLL.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    FIL lança FILDECOR Living & Design de 2 a 5 de Maio

    Chama-se FILDECOR Living & Design e é o novo projecto da Feira Internacional de Lisboa dedicado ao sector da decoração e design de interiores. Irá decorrer de 2 a 5 de Maio em simultâneo com o Salão Imobiliário de Lisboa e com a Tektónica

    A FILDECOR Living & Design pretende ser o novo marketplace da indústria decorativa em Portugal, num formato diferenciador, o evento reúne designers de interiores reconhecidos no mercado e as grandes marcas do sector, proporcionando uma experiência única.

    Os visitantes terão a oportunidade de explorar cinco ambientes distintos que retractam as diversas áreas de uma residência: Sala, Quarto de Casal com Casa de Banho, Quarto de Criança, Cozinha e Áreas Exteriores. A oferta global apresenta 44 opções decorativas assinadas por 44 decoradores de interiores diferentes com a responsabilidade de desenhar e construir o ambiente seleccionado.

    Dedicado à promoção da decoração de interiores e dirigido a diferentes profissionais e fornecedores, a FILDECOR quer se afirmar como plataforma para a promoção do sector da decoração. Nesse sentido, “a participação activa dos designers de interiores no projecto, centrada na criação de ambientes, não só visa envolver os visitantes numa experiência sensorial com o que há de melhor no design de interiores, como também desempenha um papel crucial como elo entre a indústria da decoração e o consumidor final”, refere a nota de imprensa da FIL.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Programas eleitorais, Mota-Engil em ponte africana, Cooperativas em Lisboa e um especial com ligação à L+B na edição 501

    Repassamos as principais linhas dos programas eleitorais dedicadas à Habitação, numa edição onde lhe contamos o que está a ser feito em Lisboa em torno das Cooperativas. Mostramos-lhe ainda a nova casa da Caixa na Expo num número especial com Dossier bilingue dedicado à Domótica, Material Eléctrico e Iluminação, a distribuir na L+B de Frankfurt. Mas há muito mais para ler nesta edição

    Partidos dão tecto
    a políticas de habitação

    Os dados estão lançados e a pouco mais de duas semanas das próximas eleições legislativas, multiplicam-se as acções dos partidos em torno das propostas dos seus programas. Entre as prioridades está a dinamização da resposta em torno da crise da Habitação. As propostas são variadas e a forma como os partidos procuram aumentar a oferta são também diversificadas. Entre as exequíveis e as mais discutíveis, a tónica é que a Habitação está, efectivamente, entre as prioridades

    Mota-Engil constrói uma das maiores pontes de África
    A Msikaba River Bridge integra o portfólio de obras da construtora em África. Uma vez concluída, será a segunda maior do seu género, do continente e uma das maiores do Mundo

    SIA Arquitectura dá corpo a novo ‘Atelier’
    O antigo espaço criativo do artista português Tomaz Hipólito, em Marvila, vai ser transformado em habitação e combina “elementos industriais” com a “delicadeza” do design

    Lisboa avança com construção por cooperativas
    Os terrenos já estão identificados. Foram agora alocados a este modelo de construção 89 habitações, num investimento que ronda os 18 milhões de euros

    Domótica, Material Eléctrico e Iluminação
    Portugal não foge às tendências. evolução do mercado português vai passar por uma maior adopção de tecnologias inteligentes e soluções de automação

    A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do CONSTRUIR. Pode comprar apenas esta edição ou efectuar uma assinatura do CONSTRUIR aqui obtendo o acesso imediato.

    Para mais informações contacte: Graça Dias | gdias@workmedia.pt | 215 825 436

    Nota: Se já é subscritor do CONSTRUIR entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção PLUS – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler

    ACEDA AQUI À VERSÃO DIGITAL DA EDIÇÃO IMPRESSA DO CONSTRUIR

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Engenharia

    Região Sul da Ordem dos Engenheiros reforça presença em Beja

    Durante a inauguração do novo espaço foi, ainda, assinado um protocolo com a Câmara de Beja para a criação de uma bolsa de engenheiros para colaborarem directamente com a autarquia

    Ordem dos Engenheiros – Região Sul reforça presença em Beja com nova delegação

    Durante a inauguração do novo espaço foi ainda assinado um protocolo com a Câmara de Beja para a criação de uma bolsa de engenheiros para colaborarem diretamente com a autarquia.

     

    A Ordem dos Engenheiros – Região Sul (OERS) inaugurou, esta terça-feira, dia 27 de Fevereiro, uma nova delegação, agora no distrito de Beja. Este novo espaço traduz os “esforços contínuos” da Ordem para “fortalecer” a sua presença no território e “reforçar” o suporte aos seus cerca de 500 associados.

    Da mesma forma, esta expansão, representa “mais um passo significativo” na consolidação da presença da Ordem no distrito, “visando estabelecer uma ligação ainda mais próxima com os profissionais de engenharia” da região de Beja e na área geográfica envolvente, bem como, apostar na proximidade aos profissionais, que formados em engenharia ainda não estejam a usufruir das vantagens de pertencer a esta associação profissional.

    Inclusive, durante a inauguração do novo espaço foi, ainda, assinado um protocolo com a Câmara de Beja para a criação de uma bolsa de engenheiros para colaborarem directamente com a autarquia.

    A cerimónia contou com a presença de Fernando de Almeida Santos, bastonário da Ordem dos Engenheiros, Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja e António Carias de Sousa, presidente da Ordem dos Engenheiros – Região Sul. 

    Estão inscritos na Região Sul, mais de metade dos 61 mil membros da Ordem dos Engenheiros, que se desenvolve desde o distrito de Santarém ao de Faro.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    APREN premeia quatro trabalhos académicos na área das renováveis

    Entrega dos galardões do Prémio APREN decorreu em Lisboa, numa sessão que incluiu um debate sobre sinergias entre APREN, INEGI, INESC TEC e LNEG

    O Prémio APREN, uma iniciativa da Associação Portuguesa de Energias Renováveis, APREN, distinguiu quatro trabalhos académicos de doutoramento e mestrado sobre electricidade de origem renovável.

    Assim, o prémio, na categoria de Doutoramento, foi conquistado por António Coelho, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, com a dissertação “Network security participation of aggregators of multi-energy systems in multi energy markets”. O segundo lugar coube a Luís Barros, da Universidade do Minho, pelo trabalho intitulado “Smart Power Conditioners for Electric Railway Power Grids”.

    Na categoria de Mestrado, o primeiro classificado, foi Leonardo Vidas, do Instituto Superior Técnico, autor da tese sobre “Optimal sizing of solar/wind-to-hydrogen systems in a suitable selection geospatial framework – the case of Italy and Portugal”. O segundo lugar, nesta categoria, foi entregue a Luís Rodrigues, da FEUP, com o trabalho “Techno-Economic Feasibility Analysis of a Hydrogen Power Plant in a Market Environment”.

    O evento incluiu ainda um debate dedicado ao tema “A importância das sinergias entre a Academia e o sector da energia para a transição energética”. A conversa foi moderada pela coordenadora de políticas e inteligência de mercado, Susana Serôdio, e teve a participação de Pedro Amaral Jorge, presidente da direcção da APREN, Sofia Simões, do Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG), Luís Seca, administrador executivo do INESC TEC, e José Carlos Matos, head of Wind Energy Group do INEGI.

    O encerramento da cerimónia foi assegurado pela eurodeputada e professora catedrática do Instituto Superior Técnico, Maria da Graça Carvalho, que é também presidente do Júri do Prémio APREN. No seu encerramento, além de falar da importância do tema, das renováveis, e do seu trabalho na criação de legislação a nível europeu para o mercado eléctrico europeu, a eurodeputada ressalvou também a grande qualidade de todas as teses candidatas na iniciativa.

    O painel do júri é composto por outros seis professores universitários de vários ramos da energia e renováveis: Jorge Maia Alves, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa; Edgar Fernandes e Pedro Carvalho, do Instituto Superior Técnico; Sofia Simões, do LNEG; Patrícia Fortes, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa; e Bernardo Silva, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

    Até aqui os galardões eram entregues na conferência anual da APREN, a Portugal Renewable Energy Summit. O crescente interesse pelo sector, o incremento da sua área de abrangência e a vontade de fortalecer os laços com o universo académico ditaram a criação de um evento próprio para esta iniciativa.

    O tema das dissertações académicas apresentadas ao prémio APREN, que podem estar escritas em português ou inglês, deve estar relacionado com a electrificação direta e indireta com base em recursos de origem renovável, nomeadamente nas áreas da sua produção, distribuição, gestão e regulação, mercado e consumo, abrangendo os aspetos científicos, tecnológicos, financeiros, económicos e ainda outros que promovam a descarbonização de forma sustentável.

    A escolha dos trabalhos tem em conta o potencial e relevância do tema, a robustez técnica e científica, mas também a qualidade do documento, a apresentação submetida e a apresentação oral a que serão submetidos os candidatos já numa fase final.

    O prémio para a melhor tese de doutoramento tem o valor de 2.000€. O autor da segunda melhor tese recebe 1.000€. A tese de mestrado vencedora tem associado um prémio de 1.500€ e a segunda melhor dissertação dá acesso a um valor de 750€.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Solyd avança com novas unidades em Loures

    A promotora lança mais 30 novos apartamentos, com tipologias T1 a T4, a partir dos 260.000€, no empreendimento ÉLOU. O projecto da Solyd, em Loures, representa um investimento de 75 milhões de euros

    CONSTRUIR

    A Solyd Property Developers inicia a comercialização de 30 novos apartamentos no projecto Élou, com tipologias T1 a T4, localizado em Santo António dos Cavaleiros no concelho de Loures. Estas novas unidades juntam-se aos 106 apartamentos, que foram lançados no ano passado e que já estão 83% vendidos.

    O Élourepresenta um investimento estimado de 75 milhões de euros e é o mais recente projecto urbano da Solyd às portas de Lisboa, composto por um total de 266 apartamentos, distribuídos por 17 edifícios, num condomínio fechado.

    Os 30 apartamentos, agora disponibilizados para comercialização, oferecem tipologias T1 a T4, com áreas de construção privativa totais (incluindo áreas exteriores) entre os 85 e os 209 m2, e com varandas e terraços até 119m2. O preço destes apartamentos inicia-se nos 260.000€ (T1).

    O Élou pretende revolucionar a oferta existente no concelho de Loures, a poucos minutos da capital, beneficiando de bons acessos rodoviários, transportes públicos (incluindo proximidade à nova linha violeta de metro), escolas, ginásios, serviços de saúde e comércio.

    Desenvolvido e desenhado pela equipa de arquitectura e projecto da promotora, liderada pela arquitecta Cristina Rocheta, o novo condomínio fechado conta com apartamentos dotados de áreas amplas, excelentes acabamentos, generosas janelas e varandas. O empreendimento inclui ainda um amplo jardim privativo com cerca de 4 000 m2, piscina exterior, ginásio, kids club, sala multiusos, átrios decorados e estacionamentos privativos.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos

    Sandwoods

    Imobiliário

    Arrendamento de luxo a nível global abranda, mas cidades portuguesas são excepções 

    De acordo com o mais recente relatório da Knight Frank, parceira da portuguesa Quintela e Penalva desde 2021, o mercado das rendas no sector do imobiliário de luxo está a começar a abrandar, com a taxa anual a ficar nos 5,2% considerando os últimos 12 meses, situação inversa ao registado nas cidades portuguesas do Porto e Lisboa e na município de Cascais

    CONSTRUIR

    O valor referido é inferior aos 8,1% registados no segundo trimestre e representa o nível mais baixo observado desde o terceiro trimestre de 2021, embora as rendas ainda estejam a subir acima da tendência da taxa de longo prazo registada no período pré-pandémico.

    O Prime Global Rental Index, agora divulgado, abrange 10 cidades (Sydney, Auckland, Londres, Singapura, Genebra, Toronto, Mónaco, Tóquio, Hong Kong e Nova Iorque), as quais registam um aumento anual médio de 5,2% até Dezembro de 2023. Esta é também a primeira queda trimestral observada desde o primeiro trimestre de 2021. Numa perspectiva trimestral, o crescimento médio das rendas, a nível mundial, diminuiu -0,6%, proporcionando algum alívio aos inquilinos.

    O relatório da Knight Frank considera que, à semelhança do que acontece na maioria dos mercados de arrendamento residencial, o segmento de luxo não está imune ao desfasamento crónico entre a oferta e a procura que se tem vindo a observar desde há mais de três anos. No entanto, embora a procura se mantenha forte, a capacidade de os inquilinos continuarem a acompanhar o aumento das rendas está condicionado por uma questão de acessibilidade financeira. Este facto, juntamente com uma ligeira melhoria na oferta do arrendamento, está a limitar o ritmo de crescimento das rendas.

    Olhando em detalhe para as cidades abrangidas pelo Prime Global Rental Index, Nova-Iorque, cujas rendas de luxo caíram todos os meses nos últimos trimestres, surge em último lugar no top 10, com os seguintes valores: -0,3%, a nível anual, e -2,5%, considerando o crescimento trimestral. Ainda assim, existem indícios, ainda fracos, de que a disponibilidade financeira dos arrendatários esteja a melhorar.

    Já o crescimento anual das rendas no centro de Londres, cidade que ocupa o terceiro lugar, é de 7,9%, o valor mais baixo em dois anos, indicando uma tendência de arrefecimento à medida que a procura e a oferta se reequilibram. E embora o mercado de arrendamento de Sydney tenha suavizado ligeiramente, o crescimento anual é de 18,1% e o trimestral de 4%, estando por isso no topo da lista.

    “Nos últimos três anos, os principais mercados mundiais de arrendamento de luxo registaram um dos booms mais fortes de que há registo, combinando uma tempestade perfeita, de uma baixa oferta reforçada pela reduzida conclusão de novas construções e uma renovada e forte procura, apoiada por mercados de trabalho saudáveis”, diz Liam Bailey, global head of research da Knight Frank. Apesar do actual abrandamento das rendas, o investigador argumenta que os mercados de arrendamento deverão normalizar durante os restantes meses de 2024.

    Arrendamento continua a crescer no Porto, Cascais e Lisboa
    Já em Portugal, segundo dados da Quintela e Penalva, o mercado de arrendamento continuou a valorizar ao longo de 2023. Nos últimos 12 meses (dez22 a dez23), o maior crescimento registado foi no Porto (15,9%), seguido de Cascais (12,5%) e de Lisboa (12,3%). E se na capital os preços das rendas aumentaram sobretudo nos apartamentos, em Cascais foram as moradias que mais valorizaram, com um aumento de 19%.
    Para Francisco Quintela, sócio fundador da Quintela e Penalva, “o aumento registado reflecte a tendência global da falta de oferta face à procura, por um lado, mas também o crescente interesse dos investidores de buy-to-rent em projectos que estão a ser lançados no mercado’

    O Alex Koch de Gooreynd, responsável pelos mercados suíço, austríaco e português na Knight Frank sublinha que “o interesse global pelo Porto tem continuado a aumentar, não só devido à qualidade de vida oferecida, mas também pelos investidores, atraídos pelos preços atractivos dos novos projectos que geram elevados rendimentos de arrendamento”.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.