Edição digital
Assine já
Construção

Ex-ministro Ferreira do Amaral considera Orçamento de Estado “decepcionante”

Para o ex-ministro, deve haver “uma enorme atenção às despesas do Estado”, ressalvando que é entre orçamentos que a maioria das despesas são feitas, e considerou que “é uma ilusão” pensar que é o OE que pode travar os gastos”

Ricardo Batista
Construção

Ex-ministro Ferreira do Amaral considera Orçamento de Estado “decepcionante”

Para o ex-ministro, deve haver “uma enorme atenção às despesas do Estado”, ressalvando que é entre orçamentos que a maioria das despesas são feitas, e considerou que “é uma ilusão” pensar que é o OE que pode travar os gastos”

Ricardo Batista
Sobre o autor
Ricardo Batista
Artigos relacionados
Orçamento prevê que Novo aeroporto de Lisboa avance com privatização da ANA
Construção
Governo suspende novas concessões
Construção
Obras de alargamento da nova sede da PJ podem custar 90 milhões de euros
Construção
Estradas de Portugal investe 16 ME em 800 km de estradas no distrito de Lisboa
Construção
Doca de Pedrouços requalificada até 2012 com 10ME
Construção
Governo adia obras prometidas para o Oeste, garantem autarcas
Construção
Intervenção prolonga-se até 3 de Fevereiro
Túnel do Marão: Sindicato da Construção defende demissão do ministro da Economia
Construção
Ramos Catarino Espanha supera os 11 ME em obras ganhas no 1º semestre de 2012
Construção
Governo vai lançar pacote PME 2013 para aumentar competitividade
Construção
Autarquia cede terreno para ampliação de tribunal de Setúbal
Construção
Artigos relacionados
Construção

Plano para os Olivais Sul inclui 310 habitações de renda acessível

A CML aprovou o modelo urbano para Olivais Sul o qual inclui a criação de 310 habitações de rede acessível e a regeneração urbana desta área da cidade

CONSTRUIR

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou em reunião de Câmara “a delimitação da Unidade de Execução Olivais Sul, que abrange um conjunto de terrenos que totalizam uma área de 71.752,77 m², no Parque das Nações, entre a Av. Infante D. Henrique, a linha do Norte e a Rua da Centieira”.

A Unidade de Execução prevê a reconversão de parte da antiga zona industrial oriental e propõe uma solução de conjunto que promove a regeneração urbana desta área da cidade.

O modelo urbano proposto prevê a afetação de cerca de 25% de superfície de pavimento a uso habitacional, com a criação de um total de 310 habitações exclusivamente destinadas a renda acessível (256 vão ficar nos lotes privados e 54 no lote da CML), cuja atribuição às famílias arrendatárias será da responsabilidade da CML.

A introdução de habitação de renda acessível resultou de um acordo e negociação no âmbito dos instrumentos urbanísticos em vigor, conseguidos pela primeira vez com um privado em sede de unidade de execução.

A solução urbana de conjunto a desenvolver propõe a constituição de seis lotes, que totalizam uma superfície máxima de pavimento de 94.219,70 m2, com predominância de usos de serviços/actividades económicas, criando um novo centro de negócios, que se articula com a Estação do Oriente e a área central do Parque das Nações.

O modelo urbano aprovado prevê a concretização de um novo espaço verde a ceder ao município, com cerca de 28 mil m², “constituindo uma continuidade e reforço da estrutura verde urbana, articulando-se com o Jardim do Cabeço das Rolas fronteiro”.

Está prevista ainda a realização de um conjunto de obras de urbanização, onde se incluem “novos parqueamentos automóveis e novos arruamentos viários e pedonais, e a reabilitação dos edifícios industriais listados na Carta Municipal do Património Edificado e Paisagístico, respectiva integração na nova construção e no novo jardim a criar”.

Sobre o autor
CONSTRUIR
Empresas

Daikin reforça gama de bombas Altherma para AQS

Trata-se de uma unidade bomba de calor do tipo monobloco com depósito incorporado, com um design compacto e moderno, sem unidade exterior, que pode ser instalada em qualquer divisão da habitação

CONSTRUIR

A Daikin acaba de anunciar o reforço da gama Altherma como forma de corresponder de forma mais eficaz, segundo a empresa, às necessidades de aquecimento, arrefecimento e/ou Águas Quentes Sanitárias.

No âmbito desta melhoria continua da gama de Bombas de Calor Ar/Água, a Daikin destaca a nova solução desenvolvida exclusivamente para a produção de Águas Quentes Sanitárias, uma unidade bomba de calor do tipo monobloco com depósito incorporado, com um design compacto e moderno, sem unidade exterior, que pode ser instalada em qualquer divisão da habitação, incluindo espaços não aquecidos como garagens e lavandarias.

Recentemente a gama foi actualizada e alargada, disponibilizando agora seis modelos diferentes, composta por unidades com depósito de 200 e 260 litros nas versões padrão e clima quente/baixo custo, sendo que no modelo padrão existe a possibilidade de interligação directa a um sistema solar térmico pressurizado, uma novidade este ano nos depósitos com capacidade de 200L.

Segundo a Daikin, são equipamentos de fácil instalação no pavimento, compactos, tendo um diâmetro de 628mm o que permite um manuseamento simples especialmente no atravessamento de portas, integram de série um controlador digital programável, apresentam um amplo regime de funcionamento de temperatura exterior (-7ºC-43ºC (EKHHE) e 4ºC-43ºC (EKHLE)) e permitem uma temperatura máxima de 62°C no depósito de Águas Quentes Sanitárias recorrendo exclusivamente ao trabalho termodinâmico da bomba de calor, tendo uma classe de eficiência A+ e um COP até 3,6. As ligações de insuflação e extracção do ar encontram-se localizadas a um nível superior no topo da unidade e possuem um diâmetro 160mm.

Com o intuito de tornar a gama ainda mais completa e abrangente, a Daikin conta brevemente completar esta gama de bombas de calor exclusivas para produção de Águas Quentes Sanitárias com dois novos modelos de instalação parietal com depósitos de 90 e 120 litros, de forma a oferecer uma solução adicional aos clientes com menores consumos de AQS e com limitações de espaço para instalação das respectivas unidades (podem ser instaladas em espaços reduzidos, como por exemplo armários de cozinha).

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Rendas estabilizam em Lisboa

Neste 2º trimestre do ano o valor das rendas das casas em Lisboa interrompeu o percurso de fortes reduções em cadeia sentido desde o início de 2020

CONSTRUIR

Segundo o Índice de Rendas Residenciais no 2º trimestre as rendas das casas em Lisboa registaram uma variação trimestral de apenas -0,1% no 2º trimestre de 2021, interrompendo o percurso das fortes reduções em cadeia sentido desde o início de 2020. Assim, a variação praticamente nula agora observada compara com a variação média trimestral de -4,3% observada desde o início de 2020. Recorde-se que no 2º trimestre de 2020, a descida em cadeia das rendas em Lisboa chegou mesmo a aproximar-se de 7%.

Os dados resultam do Índice de Rendas Residenciais da Confidencial Imobiliário, o qual monitoriza o comportamento do mercado de arrendamento residencial, tendo por base as rendas dos novos contratos realizados.

Em termos homólogos, apesar de manterem um padrão de contração, as rendas em Lisboa desagravaram o ritmo de descida no 2º trimestre de 2021. Neste período, a variação homóloga foi de -12%, comparando com a queda de 18% verificada no trimestre anterior e igualmente atenuando face à queda de 16,8% observada no final de 2020.
No Porto, as rendas das casas mantêm a tendência de descida, registando uma queda de 1,6% face ao trimestre anterior, mas tal indicador também desagrava relativamente aos dois trimestres prévios, quando a taxa de variação trimestral atingiu -3,2%. Em termos homólogos, as rendas das casas no Porto desceram 9,8% no 2º trimestre, uma descida que se intensifica face à queda homóloga de 8,0% observada no trimestre anterior.
Em termos absolutos, a renda média contratada no 2º trimestre de 2021 ascendeu a 12,5€/m2 em Lisboa e a 10,5€/m2 no Porto, de acordo com os dados do SIR-Arrendamento.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Síntese AICCOPN: Consumo de cimento cresce 10,5% até Maio

Relativamente às licenças para obras de construção ou reabilitação de edifícios habitacionais, nos primeiros cinco meses do ano, regista-se um aumento de 20,4% face a igual período do ano passado

CONSTRUIR

Até ao final de Maio, o consumo de cimento no mercado nacional totalizou 1,58 milhões de toneladas, valor que corresponde a um aumento de 10,5%, em termos homólogos.

Esta é a leitura dos dados que constam da Síntese Estatística da Habitação revelada pela Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), que adianta ainda que relativamente às licenças para obras de construção ou reabilitação de edifícios
habitacionais, emitidas pelas Câmaras Municipais nos primeiros cinco meses do ano, regista-se um aumento de 20,4% face a igual período do ano passado, e uma variação de 15,4% nos fogos licenciados em construções novas, também em termos homólogos.

Ao nível do crédito bancário, nestes primeiros cinco meses de 2021, regista-se um crescimento do novo crédito concedido para aquisição de habitação, que atingiu 5.883 milhões de euros, mais 30,5%, em termos homólogos. No mês de Maio, o valor mediano da habitação para efeitos concessão de crédito bancário apresenta uma valorização de 8,8%, em termos homólogos. Nos apartamentos, o aumento homólogo foi de 8,6% e nas moradias de 6,5%.

Neste boletim, a associação destaca os indicadores da Região Centro, onde o número de fogos licenciados em construções novas nos doze meses terminados em Maio de 2021 totalizou 5.359, o que traduz um aumento de 6,8% face aos 5.017 alojamentos licenciados nos doze meses anteriores. Destes, 18,8% são de tipologia T2, 52,7% de tipologia T3 e 17,8% de tipologia T4 ou superior. Quanto ao valor de avaliação bancária na habitação nesta região verificou-se, em Maio, uma variação homóloga de 3,7%.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Sanindusa escolhida para Hotel Pestana CR7 Gran Via Madrid

Os produtos da marca portuguesa de sanitários foram os escolhidos para equipar os 168 quartos da nova unidade hoteleira de Madrid

CONSTRUIR

O Pestana CR7 Gran Via Madrid é a mais recente unidade hoteleira da capital espanhola. O hotel que tem a chancela do capitão da selecção portuguesa de futebol, abriu portas no passado mês de Junho ainda em regime de “soft opening” para receber os primeiros clientes.

Os interiores foram da responsabilidade do atelier de arquitectura Estúdio B76, cuja escolha para equipar as casas de banho (louças e torneiras) recaiu sobre a Sanindusa. A selecção recaiu sobre a série sanitária Urb.y Plus, “que combina de uma forma brilhante versatilidade e estética depurada, harmonizando-se na perfeição com o estilo contemporâneo dos quartos”. A esta juntaram-se os lavatórios Round, conjugados com as misturadoras altas da gama New Icone. Estes produtos aportaram design e exclusividade e elevaram o conceito de requinte e praticidade deste hotel bem localizado numa das principais artérias de Madrid.

A complementar as escolhas a sanita suspensa da coleção Aveiro e o lavatório da linha New WcCare foram as opções para os espaços de banho dedicados aos hóspedes com mobilidade condicionada.

Com 168 quartos, esta unidade hoteleira é o resultado da recuperação de um edifício histórico da década de 20 que manteve a traça original da fachada, inovando com modernidade, luxo e conforto no seu interior.
O Pestana CR7 Gran Via Madrid integra agora a lista de hotéis em Portugal, e no estrangeiro, equipados com esta marca portuguesa de sanitários.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

CIN lança revestimento impermeável fibrado

O Imperflex Fibras Coberturas é um revestimento foto-reticulável acrílico desenvolvido especialmente para a protecção de coberturas e terraços

CONSTRUIR

A CIN lançou um novo produto de impermeabilização para a protecção de coberturas e terraços. O Imperflex Fibras Coberturas é um revestimento foto-reticulável acrílico, com fibras incorporadas, desenvolvido especialmente para a protecção de coberturas e terraços.

A humidade e as infiltrações surgem devido a porosidade ou descontinuidade das superfícies. Quando estas se encontram no exterior, como é o caso das varandas e dos terraços, os problemas causados pela falta de impermeabilização levam à entrada de água nas habitações, contribuindo para o rápido aparecimento de manchas de humidade. O Imperflex Fibras Coberturas foi especialmente desenvolvido para proteger e impermeabilizar varandas e terraços, cumeeiras, beirais, caleiras em cimento, bases de chaminé, em obra nova e reabilitação.

O novo produto da CIN utiliza a tecnologia de foto-reticulação – cura da película pela acção da radiação solar -, que permite alcançar elevados níveis de elasticidade e flexibilidade ao longo do tempo, o que faz com que seja a solução ideal para a impermeabilização de coberturas e terraços.

A incorporação de fibras reforça ainda as propriedades mecânicas e confere uma resistência superior ao desgaste. Características testadas pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) que comprovou que o lmperflex Fibras Coberturas apresenta estanquicidade à água, uma maior elasticidade e resistência ao rasgamento. O compromisso conseguido entre estas duas últimas propriedades, permite que o lmperflex Fibras Coberturas tenha uma maior resistência ao desgaste sem perder a capacidade de acompanhar pequenas fissuras do suporte.

Este novo produto está disponível em branco e em dezenas de outras.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Descubra quantos passos precisa de dar para embelezar as suas madeiras!

Se é madeira, é Bondex. 

Brand SHARE

1 – Com uma lixa, remova os vestígios de produtos e/ou sujidade presentes no objeto;

2 – Pegue numa escova e limpe toda a superfície;

3 – Com uma fita, isole as superfícies onde não quer aplicar o produto;

4 – Aplique 1 ou 2 demãos de Bondex (o número de demãos vai depender do tipo de superfície, produto e acabamento desejado);

5 – Lixe suavemente a sua madeira entre as demãos de aplicação.

E em 5 passos…protegeu a sua madeira!

Se é madeira, é Bondex.

Saiba mais em BONDEX.PT

Autor: Bondex

Sobre o autor
Brand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Construção

O supermercado “metálico” da Mercadona

A estratégia de expansão em Portugal da cadeia espanhola corre a bom ritmo, mas o que distingue a loja de Espinho são as características arquitectónicas do novo edifício

CONSTRUIR

A Mercadona inaugurou um novo supermercado em Espinho. A estratégia de expansão em Portugal da cadeia espanhola corre a bom ritmo, mas o que distingue esta loja de outras são, desde logo, as características arquitectónicas deste novo edifício.

“Para este novo espaço, a Mercadona procurou criar uma loja impactante e icónica para a cidade, com características únicas. Assim, a fachada deste supermercado possui perfis verticais metálicos cuja disposição cria dinamismo ao edifício, conferindo-lhe um carácter inovador e distinto”, referiu em comunicado

“O edifício Mercadona é diferenciador do ponto de vista arquitectónico e está implantado num local estratégico do concelho”, referiu Pinto Moreira, presidente da Câmara Municipal de Espinho. A nova loja da Mercadona tem uma localização privilegiada situando-se numa das principais entradas da cidade, “sendo importante que se apresente de forma diferenciadora”.

O mesmo responsável sublinhou ainda a importância do impacto deste investimento na economia local, o qual gerou 65 novos postos de trabalho. “É um investimento que gera emprego, cria mais competitividade e mais oferta comercial. Qualifica o acesso nascente à cidade e é mais um factor de atracção a Espinho”, afirmou.

“Estamos muito satisfeitos com a abertura desta loja em Espinho, numa localização estratégica de “porta de entrada” na cidade. É um importante local de passagem, mas também de fácil acesso aos visitantes da cidade, sendo Espinho um município com grande dinâmica de atracção e turismo”, referiu ainda Inês Santos, Diretora Regional de Relações Externas da Mercadona.

Para além das características arquitectónicas únicas, “o conceito de Loja 6.25 está já implementado neste novo supermercado e pretende transmitir aos clientes e colaboradores as acções que estão a ser levadas a cabo em relação à redução de plásticos e à gestão de resíduos. Este conceito está inserido na Estratégia 6.25 da empresa que tem o triplo objectivo de, até 2025, reduzir 25% do plástico, tornar todas as embalagens de plástico recicláveis e reciclar todos os resíduos de plástico gerados nas suas instalações”.

A empresa prevê abrir, ainda durante este ano, seis novos supermercados de acordo com o seu plano de expansão, estando a próxima abertura prevista para o dia 12 de agosto em Vila Nova de Famalicão.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

EDP assegura cae a 25 anos para projecto solar nos EUA

O projecto solar localiza-se no estado do Arizona e a empresa estima que entre em operação em 2023

CONSTRUIR

A EDP – Energias de Portugal, através da sua subsidiária EDP Renováveis, S.A. (“EDPR”) assegurou um novo Contracto de Aquisição de Energia (“CAE”), a 25 anos, para a venda da energia verde produzida por um projecto solar de 200 MWac.

O projecto solar localiza-se no estado do Arizona e a empresa estima que entre em operação em 2023.

A EDP, que detém 74,98% da EDP Renováveis, tem agora 2,5 GW de capacidade solar assegurada para instalar até 2023, que em cima dos 0,6 GW já instalados, providencia visibilidade de 3,1 GW de capacidade solar até 2023.

“O sucesso da EDP em assegurar novos CAEs reforça o seu perfil de baixo-risco e a sua estratégia de crescimento baseado no desenvolvimento de projectos competitivos com visibilidade de longo-prazo”, sublinhou a empresa em comunicado.

O anúncio foi feito na véspera da apresentação de resultados da EDP Renováveis, que se realiza a 28 de julho.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Keller Williams Portugal registou crescimento de 72% no primeiro semestre

No primeiro semestre a KW inaugurou três novos Market Centers e aumentou o seu número de associados, que já são mais de 2.400 (+31%)

CONSTRUIR

A Keller Williams Portugal terminou o primeiro semestre de 2021 com um crescimento de 72%, face ao ano de 2020. Destaca-se durante este primeiro semestre a abertura de três novos Market Centers e o aumento do número de associados, que já são mais de 2.400 (+31%).

Neste período verificou-se também um aumento de mais de 50% no número de angariações, enquanto o volume de negócio aumentou 65%, comparativamente ao mesmo ao ano de 2020.

“Estes resultados apenas são possíveis graças ao esforço coletivo da equipa KW. Sem o empenho e a dedicação dos consultores, não veríamos este notório crescimento, que nos permite, nos primeiros seis meses de 2021, registar um aumento do volume de negócio e das angariações.”, refere Eduardo Garcia e Costa, Regional Owner e Presidente da Keller Williams Portugal.

Eduardo Garcia e Costa acrescenta que “a KW prossegue, assim, com a sua estratégia de crescimento para 2021. Com a proposta de valor diferenciadora dos Market Centers para os consultores, a posição da Keller Williams em Portugal sairá reforçada, tendo como meta os 50 Market Centers e 10.000 Consultores.”

Actualmente, a Keller Williams conta com mais de 30 anos no setor imobiliário e em Portugal conta com um total de 28 representações, que englobam mais de 2.400 associados, pretendendo alcançar 50 Market Centers e cerca de 200 consultores em cada um deles.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector da construção, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias da Construção em Portugal. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue
Sobre nós
Grupo Workmedia
Mantenha-se conectado
©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.