Edição digital
Assine já
Empresas

Knauf Insulation apresenta estudo sobre eficiência energética

O estudo “Isolamento térmico, acústico e resistência ao fogo” será apresentado pela arquitecta Marlene Roque, no Palácio do Governador, dia 11 de Outubro

CONSTRUIR
Empresas

Knauf Insulation apresenta estudo sobre eficiência energética

O estudo “Isolamento térmico, acústico e resistência ao fogo” será apresentado pela arquitecta Marlene Roque, no Palácio do Governador, dia 11 de Outubro

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
A nova fachada ventilada ADDWind da ISOPAN
Empresas
Casais, Mota-Engil e Teixeira Duarte unem-se ao CICCOPN para apoiar formação na Construção
Construção
Kingfisher anuncia compromisso com emissões líquidas zero até 2040
Empresas
Schneider Electric nomeia novo Distribution Channel Manager de Portugal
Empresas
Nova residência de estudantes abre portas em Lisboa
Imobiliário
TUU realiza academia com foco no “Futuro da Construção”
Construção
Porto: IME lança concurso de ideias para quarteirão da Oficina do Ferro
Arquitectura
Construção Sustentável divulga Guia de Ecoprodutos no Archi Summit 22
Empresas
Livensa Living renova residência do Marquês de Pombal e chega às 7.000 camas no mercado Ibérico
Imobiliário
Shortlist do WAF inclui cinco projectos portugueses
Arquitectura

“Isolamento térmico, acústico e resistência ao fogo” é o novo estudo da Knauf Insulation que pretende dar a conhecer formas de conseguir soluções de máxima eficiência energética, tanto em construção nova, como em reabilitação. O evento de apresentação, organizado pela Knauf e Knauf Insulation, em colaboração com o Portal da Construção Sustentável (PCS), terá lugar no Palácio do Governador, em Lisboa, esta sexta-feira, dia 11 de Outubro.

Utilizando o exemplo de dois projectos construídos, o novo catálogo da Knauf Insulation permitirá perceber como conjugar soluções para conseguir níveis óptimos de isolamento térmico, acústico e de resistência ao fogo. “Muito prático, versátil e com todos os detalhes técnicos que permitirão a projectistas, arquitectos e engenheiros perceber as mais valias de cada solução proposta, o catálogo apresenta o caso de uma construção nova, uma morada de 1 piso, com soluções construtivas para três locais distintos (Lisboa, Faro e Bragança), e de um edifício misto de 5 pisos (1 fracção de comércio e 4 fracções de habitação), localizado no centro urbano de Lisboa”, avança a empresa em comunicado.

O estudo será apresentado pela arquitecta Marlene Roque, especialista em Acústica de Edifícios e Segurança Contra Incêndios, projectista e perita qualificada pela ADENE em eficiência. Para além da apresentação do estudo, o evento contará também com outros oradores que falarão sobre a temática da eficiência, economia circular e soluções técnicas para edifícios confortáveis e seguros.

“Quando sabemos que passamos cada vez mais tempo dentro de edifícios, seja em casa ou no trabalho, e que os níveis de poluição indoor são maiores do que os exteriores é, para além de uma questão de conforto, uma exigência de saúde fazermos algo para melhorar a qualidade de vida de todos. Este estudo vem nesta linha mestra da Knauf Insulation, sempre em busca de maior sustentabilidade, e apresenta soluções que permitem resultados óptimos em isolamento térmico, acústico e de resistência ao fogo. É também muito prático, para que seja verdadeiramente uma ferramenta para todos os projectistas”, acrescentou Susanna Farnés,  marketing manager da Knauf Insulation Iberia.

Todo o programa está disponível em www.csustentavel.com,  onde também pode ser feito a inscrição.

A Knauf Insulation pertence ao Grupo Knauf, uma multinacional alemã fundada em 1932 e uma das principais fabricantes de  isolamento térmico e acústico para o sector da construção, destinado, principalmente a arquitectos e instaladores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
A nova fachada ventilada ADDWind da ISOPAN
Empresas
Casais, Mota-Engil e Teixeira Duarte unem-se ao CICCOPN para apoiar formação na Construção
Construção
Kingfisher anuncia compromisso com emissões líquidas zero até 2040
Empresas
Schneider Electric nomeia novo Distribution Channel Manager de Portugal
Empresas
Nova residência de estudantes abre portas em Lisboa
Imobiliário
TUU realiza academia com foco no “Futuro da Construção”
Construção
Porto: IME lança concurso de ideias para quarteirão da Oficina do Ferro
Arquitectura
Construção Sustentável divulga Guia de Ecoprodutos no Archi Summit 22
Empresas
Livensa Living renova residência do Marquês de Pombal e chega às 7.000 camas no mercado Ibérico
Imobiliário
Shortlist do WAF inclui cinco projectos portugueses
Arquitectura
Empresas

A nova fachada ventilada ADDWind da ISOPAN

A Isopan desenvolveu um sistema de fachada ventilada ADDWind que permite a incorporação de todos o tipo de revestimento, proporcionando a máxima liberdade criativa e funcionalidade eficiente na envolvente de edifícios de qualquer tipologia

(na imagem: Centro Juvenil Sputnik com sistema de fachada ADDWind com revestimento de madeira. Foto de Jordi Canosa)

ADDWind é uma proposta de construção em seco que pode incorporar painéis sanduíche de lã de rocha ou de poliuretano, dependendo das prestações de isolamento necessárias no projecto.

Os requisitos técnicos e estéticos das envolventes dos edifícios, e em especialmente as suas fachadas, devem crescer. Uma das tipologias de envolvente que consegue satisfazer os requisitos arquitectónicos em termos de sustentabilidade, segurança, protecção e desenho é a fachada ventilada. É o caso do novo sistema ADDWind da ISOPAN. Uma proposta que garante um equilíbrio positivo entre poupança e eficiência energética, proporciona coerência com o ciclo de vida dos materiais e permite a aplicação de infinitas opções de desenho no revestimento exterior do edifício.

ADDWind representa um tipo de sistema de construção que é caracterizado pela presença de uma câmara ventilada entre a parede perimetral do edifício e o revestimento exterior, instalada através de um sistema de ancoragem mecânica.

A estrutura da fachada ventilada ADDWind consiste em painéis sanduíche de poliuretano ou lã mineral de rocha que formam a camada isolante aplicada na parede ou estrutura perimetral do edificio, um sistema de fixação combinado em aço inoxidável e alumínio, que interliga os painéis isolantes com o revestimento e, dependendo da configuração da instalação, permite configurações universais, tanto com painéis sanduíche ondulados, colocados quer na vertical como na horizontal e um revestimento exterior. A variedade de acabamentos disponíveis permite não só satisfazer o gosto do cliente, mas também dar continuidade estética em relação ao contexto em que o edifício se encontra. Praticamente nenhum material é excluído: folhas perfuradas ou expandidas, HPL, WPC, fibrocimento, terracota, madeira, compósitos, etc.

Com fixações visíveis ou ocultas o sistema torna-se extremamente flexível e universal em relação ao tipo de acabamento escolhido pelo projectista.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Casais, Mota-Engil e Teixeira Duarte unem-se ao CICCOPN para apoiar formação na Construção

O acordo facilita a disponibilização de alojamento destinado a jovens provenientes dos PALOP, num momento em que o sector precisa de 80 mil trabalhadores

O protocolo assinado entre o CICCOPN e as empresas Casais, Mota-Engil e Teixeira Duarte, visa a instalação, em comodato gratuito, de contentores dormitórios nas instalações do Centro, destinados a alojar formandos provenientes dos PALOP.

A cerimónia oficial decorreu nas instalações do CICCOPN, na Maia, tendo contado com a presença de António Carlos Rodrigues, CEO da Casais, Manuel Teixeira Duarte, presidente da Teixeira Duarte, Miguel Boavida, administrador da Mota-Engil, Manuel Reis Campos presidente da AICCOPN, Rui Valente, director do CICCOPN, Carla Alexandra Vale, delegada Regional do Norte do IEFP, e Paulo Ramalho, vereador da Câmara Municipal da Maia e deputado da Assembleia da República.

Num momento em que o sector carece de aproximadamente 80 mil trabalhadores qualificados, três das maiores empresas nacionais, todas elas presentes no continente africano, unem esforços, pela primeira vez, para captar mais jovens para a área da Construção. O compromisso agora firmado prevê o fornecimento de contentores dormitórios, para incrementar a capacidade de alojamento do Centro, assim como o acolhimento dos formandos nas empresas para a formação prática em contexto de trabalho.

Desde 2021, o CICCOPN já recebeu cerca de 120 jovens dos PALOP, na sua maioria vindos de São Tomé e Príncipe. A partir de Setembro de 2022, são esperados jovens oriundos de Moçambique, para os quais a instalação destes dormitórios será também muito importante. As formações frequentadas pelos jovens têm a duração de dois anos e meio e, no final, conferem a equivalência ao 12.º ano português e uma qualificação profissional nas respectivas áreas de formação (electricidade, técnico/a de laboratório, informática, entre outros).

Rui Valente, director do CICCOPN, sublinhou que “é expectável que cheguem mais jovens ao longo dos meses. Prevemos, entre Setembro e Outubro, iniciar mais acções de formação com mais jovens, quer de São Tomé, quer de Moçambique. Há uma intenção de promover a qualificação profissional para o sector da Construção Civil através destes jovens, que vêm para Portugal e que podem ficar no mercado de trabalho português”.

Por seu lado, Manuel Reis Campos, presidente da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), recordou que o sector da Construção Civil necessita de 80 mil trabalhadores, lamentando que estejam cerca de 26 mil desempregados deste segmento com registo nos centros de emprego “e que não estão a ingressar na actividade”.

“Quando se fala nos quase 200.000 formandos que já passaram pelo CICCOPN, é necessário multiplicar o número ‘por dez’ porque, na verdade, todos os trabalhadores que saíram desta escola foram para o contexto de trabalho e formaram outros tantos trabalhadores”, recordou António Carlos Rodrigues, CEO da Casais.
Manuel Teixeira Duarte, presidente da Teixeira Duarte, acrescentou que “o protocolo é muito relevante porque acreditamos que o futuro passa pela melhoria das condições dos trabalhadores do sector da Construção Civil”. “Se queremos aumentar o rendimento, temos de aumentar as qualificações e as competências”, afirmou.

Já Miguel Boavida, administrador da Mota-Engil, chamou a atenção para “a importância podermos elaborar um número infindável de créditos reconhecidos na formação de jovens dos PALOP, mas que são formados em Portugal, para trabalhar em Portugal”.

Em 2021, quando o CICCOPN completou 40 anos de existência, foram ministradas acções de formação a cerca de 11 mil pessoas, entre cursos com equivalência ao 12.º ano, de reconversão e de actualização de conhecimentos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Kingfisher anuncia compromisso com emissões líquidas zero até 2040

A empresa-mãe da Brico Depôt Iberia publicou o seu relatório anual de responsabilidade corporativa no qual anuncia os seus marcos e novos compromissos

A Kingfisher plc, empresa-mãe da Brico Depôt Ibéria, anunciou os seus marcos e novos compromissos projectados para ajudar os clientes a criar lares mais ecológicos e saudáveis, reparar habitações precárias e lidar com as alterações climáticas e desigualdade.

O grupo assumiu o compromisso de tornar-se numa empresa com emissões líquidas zero em todas as suas operações (escopo 1 e 2) até 2040/41, com o objectivo de apoiar os seus clientes na transição para um futuro mais sustentável. Actualmente, a empresa já reduziu essas emissões em 24,5%, impulsionada pela sua transição para energia 100% renovável, um investimento significativo em termos de eficiência energética e implementação de combustíveis alternativos nas suas frotas de entrega, entre outros. A isto soma-se, também, o compromisso de reduzir as emissões de GEE (escopo 3) dos produtos vendidos e bens e serviços adquiridos em 40%, por cada milhão de libras de faturação até 2025/26.
Na Península Ibérica, 100% da energia utilizada na Brico Depôt Ibéria provém de energias renováveis. Actualmente, esta unidade do grupo conta com cerca de 2.500 colaboradores e 31 lojas em Portugal e Espanha e tem a sua sede em Barcelona. No quadro de estratégia de expansão da Kingfisher, a Brico Depôt Iberia iniciou o seu percurso em Espanha em 2003, com a abertura da primeira loja em Viana (Logroño), e em 2014 em Portugal com a abertura da loja de Loures.


Planeta – Floresta Positiva

Enquanto membro fundador da iniciativa Forest Allies, a Kingfisher investiu em diferentes projectos florestais com o objectivo de apoiar as comunidades nas regiões de maior risco de desflorestação.

Da mesma forma, o Grupo continua a avançar no sentido de utilizar madeira e papel 100% de origem responsável nos seus produtos e catálogos até 2025/26. Na Península Ibérica, 90,7% dos produtos de madeira e papel vendidos são provenientes de fontes responsáveis, como florestas bem geridas ou material reciclado.

Produtos sustentáveis para o lar

Actualmente, 44,1% das vendas da Kingfisher provêm de produtos sustentáveis para o lar, como iluminação LED, produtos para jardim sem químicos ou torneiras economizadoras de água, entre outros. Na mesma linha, a empresa estabeleceu como meta até 2025 que esses produtos representem 60% das suas vendas totais, incluindo 70% para marcas próprias e exclusivas.

Na Península Ibérica, 40% das vendas correspondem a gamas de produtos sustentáveis para o lar.

Compromisso com a comunidade

A Kingfisher continua no caminho certo para ajudar cerca de dois milhões de pessoas que vivam em habitações precárias até 2025, ajudando a melhorar casas e espaços comunitários. Em 2021/22, a empresa investiu um total de 4 milhões de libras em projectos comunitários, melhorando os lares de 800.000 pessoas. Assim, desde 2016/17, o número total de pessoas alcançadas ascende a mais de 1,5 milhões, o que marca um forte avanço em direcção ao objectivo do Grupo. Na Península Ibérica, mais de 540 pessoas já beneficiaram das contribuições da empresa para a comunidade.

Compromisso com a diversidade e inclusão

Em 2021, a representação feminina em todas as funções de direção aumentou de 44% para 50%. Da mesma forma, e no âmbito do Plano de Inclusão e Diversidade do Grupo, a Brico Depôt Ibéria deu mais um passo no seu compromisso com a diversidade e a inclusão através do projecto ‘Construímos Melhor’, uma iniciativa que visa romper com os estereótipos das questões de género associadas ao sector da bricolage e construção e defender um local de trabalho inclusivo e diversificado. Como eixo central dessa iniciativa, criou uma sinalética “Espaço Seguro LGBTI+” para colocar nas suas lojas como reflexo de um ambiente de trabalho seguro.

Além disso, a empresa mãe foi recentemente reconhecida com o prestigiado selo ‘Diversity Leading Company’, que distingue as empresas líderes em matéria de diversidade e com um forte compromisso com a execução de políticas de igualdade, diversidade e inclusão. Paralelamente, recebeu também a distinção ‘Empowering Women’s Talent’, enquanto empresa comprometida com o empoderamento e liderança feminina.

Governance

A partir de 2022/23, a Kingfisher vai integrar medidas de negócio responsáveis no Plano de Desempenho Partilhado, que será atribuído aos membros do Grupo com liderança sénior.

De acordo com Thierry Garnier, CEO da Kingfisher plc, “temos o compromisso de contribuir para a luta contra as alterações climáticas, estabelecendo metas de curto e longo prazo: no curto prazo, estamos no caminho certo para reduzir as nossas emissões de carbono, em linha com os esforços globais para limitar o aquecimento abaixo de 1,5°C até 2025; e no longo prazo, comprometemo-nos a atingir emissões líquidas zero até 2040”.

“Ajudar os nossos clientes a criar lares mais sustentáveis é outra das nossas principais prioridades. Acreditamos que todos merecem um lar mais “verde” e saudável, confortável para viver e, que por sua vez, utilize produtos sustentáveis, ajudando-os a economizar energia e dinheiro. No contexto actual, em que o aumento dos preços da energia se tornou muito importante, a eficiência energética no lar nunca foi tão relevante”, acrescenta este responsável.

“Ainda há muito a ser feito, mas já percorremos um longo caminho desde o ano passado, não apenas com o nosso progresso na redução das emissões de carbono, mas também com o nosso trabalho para nos tornarmos numa empresa mais inclusiva e com o nosso compromisso para ajudar a comunidade. Ser uma empresa responsável está no centro da nossa estratégia ‘Powered by Kingfisher’. Ao unirmos os colaboradores em torno das nossas ambições, enquanto empresa responsável, e ao integrarmos os nossos objectivos nas nossas estruturas de recompensa e processos de governance, estamos comprometidos em utilizar o nosso conhecimento, experiência e escala para alcançar mudanças positivas para todos”, conclui Thierry Garnier.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Schneider Electric nomeia novo Distribution Channel Manager de Portugal

Sérgio Fonseca é a mais recente adição à área de Distribuição da empresa em Portugal, aportando a sua experiência de mais de 10 anos no desenvolvimento de canais de vendas e parceiros

A Schneider Electric, acaba de anunciar Sérgio Fonseca como o novo Distribuition Channel Manager de Portugal.
Formado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores no Instituto Superior Técnico, Sérgio Fonseca iniciou o seu percurso profissional na Siemens, em 2010. Ao longo de mais de uma década, ocupou as funções de Sales Engineer na área de gestão de produto, Head of Product Management e, mais recentemente, de desenvolvimento de negócio nos vários canais do mercado, na área de vendas da sua unidade de negócio.

Nas suas novas funções na Schneider Electric, desempenhará um papel fundamental no acompanhamento da transformação da área da Distribuição, com foco acentuado na digitalização do canal, no desenvolvimento de novos modelos comerciais e na gestão de talento.

“É com entusiasmo que me junto à Schneider Electric, querendo contribuir activamente para acelerar a transformação digital do sector da Distribuição, sempre de mãos dadas com os nossos parceiros,” comenta Sérgio Fonseca. “Temos o desafio de tornar os nossos clientes mais ecológicos, mais eléctricos e mais digitais, e há ainda um longo caminho a percorrer na área da Distribuição para que tal possa acontecer. Felizmente, a Schneider Electric dispõe dos insights e das competências necessárias para nos levar a bom porto no caminho para um futuro mais sustentável, e é nesse sentido que vou trabalhar”, refere Sérgio Fonseca.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Nova residência de estudantes abre portas em Lisboa

O Nido Campo Pequeno é a estreia do grupo NIDO no mercado português com uma nova experiência de alojamento para estudantes. A unidade inaugura em Setembro no arranque no novo ano lectivo

O Nido Campo Pequeno, o projecto de alojamento de estudantes da cadeia internacional Nido, já está a aceitar reservas para Setembro, altura em que irá abrir portas. Esta residência é uma resposta a uma crescente procura de alojamento por parte de quem ingressa no ensino universitário e se depara com a dificuldade de encontrar uma oferta de qualidade em Lisboa.

A Nido é a marca de gestão do alojamento de estudantes da Round Hill Capital e tem uma vasta experiência no mercado PBSA (Purpose-Built Student Accommodation) em diferentes países, entre eles o Reino Unido, Irlanda, Espanha, Dinamarca e Alemanha, com um total de 30 residências instaladas.

A escolha de Lisboa para o primeiro investimento no pais é justificada pelo COO da NIDO Darren Gardner: “Lisboa é uma cidade rica e vibrante em termos de património e paisagem, com uma cultura progressista, tendo algumas das mais prestigiadas instituições de ensino da Europa. Com isto em mente, a verdade é que há muito que esperávamos deixar a nossa marca nesta cidade incrível e desenvolver um alojamento e uma comunidade de estudantes distintivos, como será o Nido Campo Pequeno”, sublinha o responsável.

A nova residência irá disponibilizar um total de 380 quartos, de 15 tipologias diferentes. Os preços variam consoante a tipologia podendo ir desde os 625 euros por mês – correspondentes aos quartos de 12 metros quadrados, todos com casa de banho privada – até aos 820 euros por mês para a opção que oferece mais funcionalidades – os Estúdios Deluxe Plus de 27 metros quadrados com kitchenette e casa de banho privada incluídas.

“Mais do que pensar estas residências enquanto uma solução de alojamento para os estudantes em Lisboa, concebemos estes espaços tendo em mente a valorização do bem-estar e qualidade de vida dos residentes, oferecendo quartos e um conjunto de recursos que levem a que estes se sintam verdadeiramente em casa”, adianta Darren Gardner.

Para além da diversidade de quartos adaptados às necessidades de cada estudante, a residência oferecerá um conjunto de recursos que contribuirão para tornar todo o espaço num local de bem-estar, que combina recursos úteis para o estudo – como uma rede Wifi super rápida e salas de estudo para grupos e individuais – com outras instalações orientadas para o entretenimento e lazer, tais como uma sala de yoga, uma sala de cinema, um ginásio disponível 24 horas por dia, uma sala de jogos, uma TV lounge, arrecadação de bicicletas, sala de jantar privada, lavandaria, além de eventos sociais ao longo do ano.

Além disso, e tendo em conta, mais uma vez, a prioridade dada ao conforto, saúde e bem-estar dos residentes, também serão disponibilizados recursos de saúde mental online para todos os estudantes através do Nido Wellbeing Hub. Toda esta informação pode ser consultada pelos estudantes numa aplicação interactiva da Nido, que lhes permitirá também contactar a equipa no caso de surgirem quaisquer questões ou de ser necessário apoio em qualquer serviço, bem como acompanhar as suas entregas de encomendas, criar “clubes sociais” com outros residentes e ver o calendário completo de eventos virtuais e presenciais a acontecer.

No que toca à acessibilidade, a nova residência Nido Campo Pequeno estará localizada a poucos minutos de bicicleta e metro de algumas das principais universidades de Lisboa, tais como: IST – Instituto Superior Técnico (9 minutos), ISCTE – Business School (9 minutos), UAL – Universidade Autónoma de Lisboa (9 minutos), UCP – Universidade Católica Portuguesa (13 minutos); UE – Universidade Europeia (22 minutos), ULHT – Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (10 minutos), ULisboa – Universidade de Lisboa (9 minutos) e UNL – Universidade Nova de Lisboa (11 minutos).

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

TUU realiza academia com foco no “Futuro da Construção”

Entre 18 e 22 de Julho terá lugar a segunda Edição Academia TUU – Summer Edition dedicada ao “O Futuro da Construção”. Um tema que será o foco de uma semana pensada para proporcionar aos jovens um primeiro contacto com o mercado de trabalho

Temas como Construção 4.0, Sustentabilidade, Digitalização, Eficiência Energética dos Edifícios, Domótica, Metaverso, entre outros, vão dominar uma semana com momentos de aprendizagens enriquecedoras nas mais diversas áreas de actuação da TUU. “Acredito que a partilha de conhecimentos dos melhores nestas áreas é uma mais-valia à formação dos mais novos, proporcionando-lhes um primeiro contacto com o mercado de trabalho de uma forma dinâmica, informativa e motivadora. O futuro da construção está nesta geração futura!”, sublinha Hélder Loio, CEO e fundador da TUU.

A sessão do dia 19 será aberta à comunidade e contará com a presença de António Meireles, fundador da ndBIM Virtual Building, João Marcelino, membro fundador e Presidente da Associação Passivhaus Portugal, Jorge Brito, Secretário Executivo Intermunicipal da CIM Região de Coimbra e Maria João Feio, Investigadora da Universidade de Coimbra, Departamento de Ciências da Vida, FCTUC, e do MARE-Marine and Environmental Sciences Centre & Laboratório Associado ARNET.

A Academia TUU – Summer Edition é organizada pela da TUU, empresa de Building Design Management e conta com o apoio institucional da Ordem dos Engenheiros – Região Centro, UC Business, CIM – Região de Coimbra, Metro Mondego, Instituto Superior de Engenharia de Coimbra, Fundação da Juventude e AICCOPN.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

Porto: IME lança concurso de ideias para quarteirão da Oficina do Ferro

“Não será uma cidade dentro da cidade, mas antes uma nova parte da cidade”, reconhecem os promotores desta iniciativa, cientes dos desafios que os interessados, que têm agora 80 dias para a apresentação das suas propostas, têm pela frente

A promotora IME lançou esta segunda-feira, por ocasião do Archi Summit, que até 15 decorre no Porto, um concurso de ideias com vista à requalificação do quarteirão da Oficina do Ferro, iniciativa que conta com assessoria da Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos.

A promotora, que segundo o CONSTRUIR apurou, não espera investir menos de 45 milhões de euros – “considerando a volatilidade dos custos de construção e, naturalmente, dependendo das ideias recolhidas com este concurso” – procura assim a melhor solução para recuperar um terreno abandonado há várias décadas e onde contempla a instalação de um hotel de cinco estrelas, habitação turística, habitação a rendas acessíveis, espaços de fruição pública e serviços, tudo repartido por uma área de 52 mil metros quadrados. A promotora, com 28 anos de experiência no mercado e que conta, na sua carteira, com projectos como o Eurostars Heroismo ou o Hotel das Virtudes, promove a definiçao de um desenho unificador e qualificador de todo o espaço publico, com espaços verdes e acessos, além de estacionamento subterrâneo e de superfície.

O Palácio Ford, escondido atrás de uma entrada da Rua do Heroísmo, vai dar lugar a um novo quarteirão aberto à cidade e não a uma ilha fechada sobre si mesma. “Não será uma cidade dentro da cidade, mas antes uma nova parte da cidade”, reconhecem os promotores desta iniciativa, cientes dos desafios que os interessados, que têm agora 80 dias para a apresentação das suas propostas, têm pela frente. João Paulo Rapagão, autor do programa preliminar do concurso e membro do juri que vai avaliar as propostas, reconhece que esta é “uma zona de fronteira e transição entre o coração da cidade do Porto e o quarteirão de Campanhã”. “Está é, além de tudo, uma oportunidade única de debate público sobre o coração da cidade”, reconhece, acrescentando que conceitos como sustentabilidade, mobilidade ou factores de valorização das várias engenharias, que garante a valorização da solução, estão na base do regulamento.

Para garantir a transparência, as candidaturas, que decorrem até 14 de Outubro, serão anónimas. A proposta vencedora será premiada com 30 mil euros. Mais 20 mil euros serão distribuídos pelos restantes concorrentes que não forem excluídos.

Das antigas oficinas, que serão agora demolidas para a implementação do novo projeto saiu um de três carros que ali foram construídos para as mãos de Manoel de Oliveira (1908-2015), quando o cineasta ainda vivia a sua vida de piloto de competição, na década de 1930. Na mente dos promotores está também a envolvente, daí a importância da ligação do quarteirão com o Parque das Águas. Noutros tempos, recordam, os dois terrenos já estiveram ligados, quando faziam parte da Quinta das Oliveiras.

Sobre o autorRicardo Batista

Ricardo Batista

Director Editorial
Mais artigos
Empresas

Construção Sustentável divulga Guia de Ecoprodutos no Archi Summit 22

Este Guia que vai já na sua 11ª edição, conta com diferentes informações que são actualizadas ao longo dos anos, exigindo inovação e sustentabilidade às empresas representadas

CONSTRUIR

O Portal da Construção Sustentável (PCS) marca presença no Archi Summit 22, um evento de referência para a arquitectura nacional e internacional, que debate o presente e o futuro do sector.

O PCS irá distribuir o seu Guia de Ecoprodutos durante o evento. Trata-se de um Guia editado regularmente pelo PCS, que reúne contributos de várias empresas parceiras que disponibilizam informação detalhada sobre os seus ecoprodutos em vários sectores da construção. Todos os ecoprodutos e/ou serviços compreendem um texto explicativo sobre Sustentabilidade, Características e Aplicações.

Este Guia que vai já na sua 11ª edição, conta com diferentes informações que são actualizadas ao longo dos anos, exigindo inovação e sustentabilidade às empresas representadas. É elaborado propositadamente para ocasiões onde se encontram arquitectos, engenheiros, decisores políticos e todos aqueles que se relacionam com o ambiente construído. O grande objectivo deste Guia é o de colmatar uma falha na informação entre os gabinetes de arquitectura e os profissionais da construção de todo o mundo, que desejam especificar materiais e serviços mais sustentáveis.

Este trabalho é concebido de forma a servir de veículo de informação também ao consumidor comum que deseje construir/reabilitar as suas casas, no sentido da verdadeira sustentabilidade, uma vez que a necessidade de redução do consumo de recursos é um caminho inegável. A construção necessita da divulgação de informação sobre práticas mais sustentáveis, que chegue ao maior número de pessoas, para poder avançar e responder à necessidade de desenvolvimento sustentável deste sector. Por outro lado, a forma de avaliação e selecção dos materiais continua a ser pouco definida, e por essa razão o PCS decidiu criar uma avaliação com base na NORMA INTERNACIONAL ISO 14024, já disponível e explicada nesta edição.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Livensa Living renova residência do Marquês de Pombal e chega às 7.000 camas no mercado Ibérico

A par da renovação da residência universitária de 330 camas no Marquês de Pombal, o operador ibérico inaugura duas novas residências em Espanha, chegando às 7.000 camas repartidas entre Portugal e Espanha

CONSTRUIR

A Livensa Living renovou a residência universitária do Marquês de Pombal, em Lisboa, em preparação para o novo ano académico. A residência foi alvo de melhoramentos estéticos e de decoração, com vista à criação de um ambiente mais acolhedor e intelectualmente estimulante, mas também mais dinâmico e jovem.

A renovação desta residência insere-se no recente processo de rebranding e redesenho da empresa e dos seus espaços, que procura criar comunidades dinâmicas, multiculturais e positivas. A residência do Marquês de Pombal passa assim a equiparar-se às outras 4 residências do grupo em Portugal (duas no Porto, uma em Coimbra e outra na Cidade Universitária, em Lisboa), apresentando um desenho contemporâneo e acessível, através de espaços totalmente equipados, tanto para a vida social como para o estudo, que garantem sempre a segurança e o bem-estar dos seus residentes.

Para “Esta renovação é uma aposta forte da Livensa Living na qualificação da oferta residencial para os jovens estudantes nacionais como internacionais. A experiência universitária é uma fase chave, cheia de mudanças, e por isso é importante assegurar que se sentem em casa, com o máximo bem-estar”, explica Pavlina Chandras, COO da Livensa Living. Segundo a mesma responsável “esperamos que os nossos futuros residentes desfrutem ao máximo destes espaços e da sua experiência universitária, com todas as comodidades necessárias. Queremos que as nossas residências sejam lugares onde os jovens possam crescer, interagir e aprender uns com os outros, desfrutando de actividades únicas”.

Às acções de renovação em Portugal, o grupo soma ainda duas novas residências universitárias em Espanha, mais concretamente em Getafe-Madrid e Granada. Com estas novas aberturas, o grupo passa a deter 18 residências universitárias e a oferecer cerca de 7.000 camas em toda a Península Ibérica. Em Portugal, a Livensa Living conta com uma oferta de 2.400 camas, repartidas entre Porto, Lisboa e Coimbra.

Espaços inspiradores e dinâmicos
A Livensa Living considera o alojamento um eixo central na fase formativa, procurando estabelecer um novo padrão neste setor na Península Ibérica. O objetivo da Livensa Living é proporcionar aos estudantes ambientes inspiradores e dinâmicos.

A residência do Marquês de Pombal tem um design contemporâneo e acessível, oferecendo espaços totalmente equipados, tanto para a vida em comunidade como para o estudo, e garantindo sempre a segurança e o bem-estar dos seus residentes. As instalações incluem: piscina interior, ginásio, áreas de estudo e biblioteca, espaços de convívio que podem ser tornados privados, cinema, áreas de jogos e salas multimédia, espaços exteriores e estacionamento de bicicletas.

O compromisso de Livensa Living com os seus residentes reflecte-se também no programa Student Life, baseado em quatro pilares: bem-estar, tanto físico como mental; sustentabilidade com espaços comprometidos com a reciclagem, reutilização e consumo local; conexão, com actividades que incentivem o networking e as relações entre estudantes; e social através de conversas e encontros com um claro compromisso de social, assim como com acções específicas para beneficiar a comunidade local onde as residências se inserem.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

Shortlist do WAF inclui cinco projectos portugueses

São cinco os projectos portugueses que integram a shortlist do World Architecture Festival 2022 divulgada esta semana. Os vencedores serão conhecidos em Lisboa de 30 Novembro a 2 de Dezembro

CONSTRUIR

Entre os 420 projectos escolhidos pelo júri do World Architecture Festival, entre as várias centenas de projectos oriundos de mais de 50 países, cinco são em Portugal. Na categoria “Completed Building” está a “Flores House”, do gabinete de arquitectura Ventura+ Partners (subcategoria House & Villa Urban/Suburban)), O “Parque das Nações Office Building”, do grupo Martinhal, concorre na subcategoria “Office”. Também nesta subcategoria concorre o “Porto Office Park”, do atelier Broadway Malyan. Este atelier integra ainda a shortlist com a Yoo Forest House (subcategoria House and Villa (Rural/Coastal), um projecto idealizado e construído para um cliente privado e localizado na cidade de Lechlade-on-Thames, no Reino Unido.

Com assinatura do atelier de arquitectura MJARC, o projecto do “Hotel Vinyard”, localizado no Douro, concorre entre os “Future Project” (subcategoria Leisure Led Development). Nesta categoria foi também seleccionado o projecto concebido pelo gabinete de arquitectura de Tiago Sá, “Gardabaer Kindergarten”, um projecto de jardim de infância na Islândia.

Os vencedores serão conhecidos em Lisboa, cidade que este ano recebe o World Architecture Festival, de 30 de Novembro a 2 de Dezembro. Três dias intensos de palestas, exposições e apresentações, num evento que marca o regresso ao encontro presencial depois da interrupção provocada pela pandemia. Talvez por isso o tema da edição de 2022 do World Architecture Festival seja “Together”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.