Edição digital
Assine já
Construção

Gaia lança concurso público de 1,3M€

A Câmara Municipal de Gaia lançou o concurso público para a requalificação e ampliação do Fórum de Cidadania de Lever, num investimento de 1,3 milhões de euros.

CONSTRUIR
Construção

Gaia lança concurso público de 1,3M€

A Câmara Municipal de Gaia lançou o concurso público para a requalificação e ampliação do Fórum de Cidadania de Lever, num investimento de 1,3 milhões de euros.

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
IFRRU 2020 volta a bater recorde de investimento em reabilitação urbana
Construção
OASRN recebe encontros “The Future Design of Streets”
Arquitectura
Conferência discute a importância dos solos saudáveis
Empresas
Kabuki uma nova marca de design
Empresas
Euromonitor International distingue Haier pela 14ª vez
Empresas
IP investe 6,5M€ na requalificação da EN101 entre Valença e Monção
Construção
Casa Peixoto abre primeira loja nos Açores
Empresas
AIMMP promove internacionalização do design de interiores
Empresas
CORUM Eurion compra instalações industriais da Fusion Fuel por 10M€
Imobiliário
Limehome encerra 2022 com “balanço muito positivo”
Imobiliário

Fruto da idade da construção, o edifício apresenta um conjunto de problemas ao nível interno e externo, pelo que se contempla neste projecto a reabilitação integral da edificação, dotando-o das necessárias condições de utilização e de novas tecnologias, tendo em vista a redução dos custos de manutenção e de utilização futura.

Neste sentido, a intervenção inclui quer a remodelação interna mais centrada no auditório e na área dos camarins quer a ampliação do mesmo, com o objectivo de tornar esta zona funcional e acolhedora nas várias vertentes, interligada com o espaço banda musical/escola, que resultará numa independência das várias valências, nomeadamente: serviços públicos de apoio local, serviços sociais (centro de dia), espaço cultural e auditório.

Até à data, este espaço tem sido usado pela Junta de Freguesia de Lever, pela Associação de Solidariedade de Lever e pela Banda Musical Leverense. Com as obras de reabilitação e ampliação do espaço, serão criadas as condições necessárias para a ampliação e crescimento dos projectos sociais e culturais.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
IFRRU 2020 volta a bater recorde de investimento em reabilitação urbana
Construção
OASRN recebe encontros “The Future Design of Streets”
Arquitectura
Conferência discute a importância dos solos saudáveis
Empresas
Kabuki uma nova marca de design
Empresas
Euromonitor International distingue Haier pela 14ª vez
Empresas
IP investe 6,5M€ na requalificação da EN101 entre Valença e Monção
Construção
Casa Peixoto abre primeira loja nos Açores
Empresas
AIMMP promove internacionalização do design de interiores
Empresas
CORUM Eurion compra instalações industriais da Fusion Fuel por 10M€
Imobiliário
Limehome encerra 2022 com “balanço muito positivo”
Imobiliário
Construção

IFRRU 2020 volta a bater recorde de investimento em reabilitação urbana

O Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas, IFFRU 2020 voltou, em 2022, a bater recorde de investimento contratado em reabilitação urbana, com 361M€. Em 2021, o instrumento tinha já superado os níveis pré-pandemia, com 307M€

Com estes investimentos, o ano de 2022 terminou com um total acumulado de 440 contratos assinados, que correspondem a 1.428 milhões de euros de investimento para a reabilitação integral de edifícios e melhoria do seu desempenho energético.

Após a reabilitação, 210 destes edifícios terão uso habitacional, sendo os restantes 213 destinados a actividades económicas e 17 a equipamentos de utilização colectiva abrangendo equipamentos culturais públicos e sociais e de apoio social, bem como as residências para estudantes. Na sua maioria (355) os projectos são promovidos por empresas e os restantes por particulares, IPSS e Câmaras Municipais.

Com já 157 edifícios reabilitados, os projectos em execução localizam-se nas Áreas de Reabilitação Urbana, delineadas pelos respectivos Municípios, garantindo-se, assim, o seu alinhamento com a política urbana local, sendo já 90 os Municípios das várias regiões do país com financiamentos IFRRU 2020.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

IP investe 6,5M€ na requalificação da EN101 entre Valença e Monção

A obra agora iniciada, com um investimento de cerca 6,5 milhões de euros, tem por objetivo a melhoria das condições de circulação e segurança rodoviária desta via

A Infraestruturas de Portugal entregou já a empreitada de requalificação da EN101 entre Valença e o entroncamento com a EN202 em Monção, no Distrito de Viana do Castelo.

A obra agora iniciada, com um investimento de cerca 6,5 milhões de euros, tem por objetivo a melhoria das condições de circulação e segurança rodoviária desta via, reabilitando o pavimento e a sinalização e equipamentos de segurança, repondo os níveis de serviço adequados.

A empreitada, com um prazo de execução de 363 dias, desenvolve-se num troço com uma extensão aproximada de 15,10 km, nos concelhos de Valença e Monção. Inicia-se ao quilómetro 0,875 da EN101, junto a um largo existente, e termina ao quilómetro 15,963 na rotunda com a EN202.

A presente empreitada inclui um conjunto de trabalhos como a requalificação do pavimento, das bermas e das valetas e/ou construção de passeios, bem como a reformulação e/ou melhoria das interseções e da sinalização vertical e horizontal. Será também construída uma nova rotunda ao quilómetro 6,900 e retificado o traçado entre o quilómetros 1,524 e 2,013, através do aumento do raio das curvas.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Funchal recebe 2ª edição da conferência CEES 2023

Organizada pelo Itecons, em colaboração com o centro CONST-NRC, do Canadá, a conferência tem lugar entre de 27 a 30 de Junho

A segunda edição da conferência internacional CEES 2023 (International Conference on Construction, Energy, Environment and Sustainability) irá realizar-se no Funchal, de 27 a 30 de Junho de 2023, anunciou o Itecons (Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico para a Construção, Energia, Ambiente e Sustentabilidade) que este ano está a organizar o evento em colaboração com o centro CONST-NRC, do Canadá.

Neste fórum serão divulgados e discutidos os mais recentes avanços e soluções no sentido de se alcançar um ambiente construído e uma construção mais sustentável, que irá contar com a participação de investigadores, engenheiros, projectistas, agentes da indústria e dos meios de decisão de diversas áreas.

Os desafios relacionados com o desenvolvimento de materiais e tecnologias de construção inovadores, com o estudo da física das construções e do desempenho energético, com a avaliação dos impactos ambientais da actividade da construção e dos edifícios, bem como os novos princípios da indústria 4.0, sem se negligenciar ainda o aspecto social da construção e habitação são alguns dos temas abordados.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Hotel Turismo da Guarda vai integrar rede de Pousadas de Portugal

Mais de uma década depois do seu encerramento e várias soluções falhadas para reabilitar e reabrir a infraestrutura hoteleira, o Hotel Turismo da Guarda será integrado na rede de Pousadas de Portugal, para reabilitação e subsequente exploração

CONSTRUIR

O Hotel Turismo da Guarda, edifício emblemático da cidade da Guarda, construído de raiz como unidade hoteleira de referência na região e inaugurado em 1947, será integrado na rede de Pousadas de Portugal e entregue à Enatur, Empresa Nacional de Turismo, para reabilitação e subsequente exploração, anunciou o Ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, na Assembleia da República, na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação.
O hotel encerrou a sua actividade comercial em Outubro de 2010 e, em Abril de 2011, foi adquirido pelo Turismo de Portugal à Câmara Municipal da Guarda.

O imóvel foi destinado a venda e afectado ao programa «Revive», desde 2011 e até à data presente, não gerando interessados. Hoje, com a sua integração na rede de Pousadas de Portugal, e entregue para reabilitação e subsequente exploração à Enatur, Empresa Nacional de Turismo, o Hotel Turismo da Guarda vê, assim, mais de 12 anos depois do seu encerramento, a solução final para a sua reabertura ao público.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Grupo Altis Hotels celebra 50 anos com investimento de 26,5 M€

A renovação da primeira unidade do Grupo, em Lisboa, e a abertura da primeira unidade no Porto marcam as comemorações de meio século de existência. Com conclusão prevista para o final de 2023, a abertura do Altis Porto está agendada para Janeiro de 2024, num investimento de cerca de 24 M€

Cidália Lopes

Tendo completado 50 anos de existência no final de 2022, o Grupo Altis Hotels tem vindo a preparar esta data com um conjunto de iniciativas e investimentos, entre eles a sua expansão para a cidade do Porto. Em simultâneo está a decorrer a renovação do primeiro hotel do Grupo e que marcou o início da sua actividade, o Altis Grand Hotel. Ao todo, o Grupo prevê investir cerca de 26,5 milhões de euros em ambos os projectos.

Altis Porto em 2024

Com uma vista privilegiada sobre o rio Douro e a escassos minutos do centro da cidade, o primeiro hotel Altis no Porto, com 95 quartos, vai situar-se na Rua Jorge de Viterbo Ferreira, perto do Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota.

Ao CONSTRUIR, a administração do Grupo Altis confirmou que a unidade hoteleira está já numa fase avançada da sua construção. A “fase de estrutura está já concluída e os trabalhos de construção civil e das instalações estão executados a 50%”, indicam.

Com assinatura do atelier NN Arquitectura, o hotel foi desenhado para os mercados português, americano e inglês do segmento ‘high-end corporate’ e ‘leisure’. As suas amenities incluem um spa com piscina interior, ginásio, piscina panorâmica aquecida no rooftop do hotel, três salas de reunião totalmente equipadas, um restaurante, dois bares e estacionamento privativo. A decoração de interiores é da responsabilidade da equipa da LADO.

Com conclusão prevista para o final de 2023, a abertura está agendada para Janeiro de 2024. Para esta nova unidade hoteleira, o investimento é de cerca 24 milhões de euros.

Modernização do Grand Hotel

Com projecto de interiores da Artica, o Altis Grand Hotel está a ser alvo de uma profunda renovação ao nível dos quartos, espaços de banho, assim como do lobby e galeria. Os trabalhos implicam um investimento aproximado de 2,5 milhões de euros.

A primeira fase teve início durante 2022, tendo sido renovados 19 quartos. Segue-se a renovação do lobby e da zona de galeria, num total de 1 200 metros quadrados, obra que deverá ficar concluída já em Fevereiro.

A renovação dos restantes 152 quartos e das três Suites Embaixador que compõem aquela unidade hoteleira deverão ficar concluídos entre Abril e Julho, assim como a renovação de todos os espaços de banho nos pisos 0, 1 e 2.

A remodelação da primeira unidade do Grupo vai também incidir num conjunto de obras com vista a uma maior eficiência energética, nomeadamente a instalação de painéis solares fotovoltaicos, assim como a instalação de novos sistemas de produção de energia térmica e eléctrica para redução da emissão de CO2.

O início e o futuro

Fundado nos anos 70 por Fernando Martins, com o actualmente conhecido Altis Grand Hotel, a adopção e implementação de valores familiares tem sido a filosofia empresarial do Grupo.

A preservação do património e tradição desta marca de referência no sector, “mantendo-se fiéis à genuinidade característica da vida quotidiana portuguesa”, pretende ser o futuro do Grupo.

Tendo Lisboa como “tela e inspiração”, actualmente, as unidades hoteleiras do Grupo Altis Hotels abrangem diversos públicos, desde os mais clássicos aos contemporâneos, da sofisticação à casualidade, em grande escala ou tamanho boutique. A partir de 2023, a presença no Norte do País marca uma nova fase da presença do Grupo em Portugal.

Sobre o autorCidália Lopes

Cidália Lopes

Jornalista
Mais artigos
Construção

Águas de Santo André investem 1,3M€ no abastecimento de água à Zona Industrial de Sines

A Águas de Santo André está comprometida em continuar a reforçar o investimento na região para contribuir para a qualidade de vida das populações que serve, segundo adianta a empresa em comunicado

CONSTRUIR

A Águas de Santo André assinou o contrato para a execução da Empreitada de “Reforço do abastecimento de Água Potável à ZILS Norte”, representando um investimento de aproximadamente 1,3 milhões de euros, uma obra entregue à empresa Submerci.

Esta obra, com uma duração prevista de 365 dias, irá promover um aumento significativo da resiliência e fiabilidade do sistema de abastecimento de água potável à Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS) Norte, reforçando assim a melhoria das condições existentes, aumentando a capacidade de resposta da AdSA perante crescimento previsto para o complexo industrial de Sines.

O projeto de execução preconiza a substituição parcial de uma das condutas existentes, implantação das novas condutas junto aos atuais traçados, numa extensão total de cerca de 4,5 km, que permitirá o abastecimento de cerca de 1,5 milhões de m3por ano, de água potável à ZILS, através desta infraestrutura.

A Águas de Santo André está comprometida em continuar a reforçar o investimento na região para contribuir para a qualidade de vida das populações que serve, bem como para a preservação da qualidade do ambiente, sendo um pilar fundamental para o desenvolvimento sustentável da Zona Industrial e Logística de Sines, afirmando-se como uma empresa de referência no setor do ambiente em Portugal.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Metro do Porto lança concurso de 4,9 milhões de euros para sinalização das novas oficinas em Gaia

Metro do Porto lança concurso público de 4,9 milhões de euros para sinalização do novo Parque de Material e Oficinas de Vila d’Este, em construção no âmbito da extensão da Linha Amarela, em Gaia

CONSTRUIR

O valor base do concurso público, lançado pela Metro do Porto para o novo Parque de Material e Oficinas de Vila d’Este, em Vila Nova de Gaia, é de 4,9 milhões de euros. O prazo de execução do contrato a assinar será de 30 meses e os potenciais concorrentes podem apresentar propostas até ao início de Março.

O anúncio de procedimento do “Concurso Público para o Projecto, Fornecimento, Instalação, Testes e Colocação ao Serviço do Sistema de Sinalização do PMO [Parque de Material e Oficinas] de Vila d’Este” foi esta, segunda-feira, publicado em Diário da República (DR).

O PMO de Vila d’Este está a ser construído no âmbito da extensão da Linha Amarela (D), entre Santo Ovídio e Vila d’Este, em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, e tem conclusão prevista para o final do ano.

A 28 de Outubro, a Metro do Porto admitiu alterações ao processo de manutenção dos veículos no âmbito da construção do novo PMO em Vila d’Este, mas não sairá de Guifões, em Matosinhos.

“Relativamente à manutenção haverá uma alteração por força da entrada em serviço do PMO de Vilar de Andorinho”, freguesia onde se situa Vila d’Este, segundo fonte oficial da Metro do Porto à Lusa.

A empresa assegurou também que “não” sairá das actuais instalações no concelho de Matosinhos, e que “o Parque de Material e Oficinas de Vilar de Andorinho será complementar ao que existe em Guifões”.

O novo PMO servirá “para aumentar a capacidade e aumentar a eficiência, nomeadamente energética, melhorando o indicador de quilómetros (kms) em vazio, estando previsto funcionar para aparcamento do material circulante das linhas Rosa, Rubi e Amarela”, segundo a empresa.

Ficará situado entre as futuras estações do Hospital Santos Silva e Vila d’Este, parte da extensão que também inclui a estação Manuel Leão, à qual o metro chegará vindo da actual estação de Santo Ovídio, através de um viaduto.

As obras de prolongamento da Linha Amarela (em Vila Nova de Gaia) e a construção da Linha Rosa (no Porto, entre São Bento e Casa da Música) representam no total um acréscimo de seis quilómetros e sete estações à rede de metro do Porto e um investimento total superior a 400 milhões de euros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Covilhã: Antigo edifício do CITEVE irá receber hospital privado

Com um investimento avaliado em 30M€ este será o primeiro hospital privado da Covilhã e resulta da renovação do antigo edifício do CITEVE

CONSTRUIR

O Fundo C2 MedCapital, lançado no final de 2020, vai desenvolver em parceria com a FPT Biomass, do investidor Carlos Alegria, e a AFFIS, empresa local detida pela A. Fernandes SGPS, o primeiro hospital privado da Covilhã.

Com uma área de oito mil metros quadrados (m2) , este projecto representa um investimento avaliado em 30 milhões de euros e será o primeiro hospital privado da Covilhã, tendo como objectivo tornar-se a unidade hospitalar privada de referência na região das Beiras, contando ainda com potencial de expansão no futuro e capacidade de investimento em oferta adicional na região.

O futuro hospital resulta da renovação do antigo edifício onde se encontrava localizado o Centro Tecnológico da Indústria Têxtil e Vestuário (CITEVE), cujas obras deverão arrancar ainda na primeira metade de 2023. A sua conclusão está prevista para meados de 2024.

O Hospital estará alicerçado num corpo clínico local e estável, com profissionais de saúde formados localmente, alavancando a ligação à Faculdade de Medicina da Universidade da Beira Interior (UBI) e o protocolo de colaboração que está a ser estabelecido entre as partes. O Hospital pretende também atrair profissionais de saúde de outras regiões para o desenvolvimento deste projeto.

O Hospital Privado da Covilhã terá todas as valências, especialidades e áreas de cuidados de saúde – consultas, bloco operatório, internamento, serviço completo de Imagiologia, meios complementares de diagnóstico e terapêutica de um leque alargado de especialidades e atendimento permanente, bem como uma residência sénior. Além disso, o hospital estará alicerçado num corpo clínico local e estável, com profissionais de saúde formados localmente, alavancando a ligação à Faculdade de Medicina da Universidade da Beira Interior (UBI) e o protocolo de colaboração que está a ser estabelecido entre as partes.

O Fundo C2 MedCapital foi criado há pouco mais de dois anos por Simão Fezas Vital e Jorge Santos, Operating Partners da C2 Capital Partners, que somam, no seu conjunto, 20 anos de experiência em fusões e aquisições, e planeamento estratégico e operacional no sector da saúde.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Edição Digital

O novo hotel na encosta do Douro que nascerá até 2026, a nova orgânica do Governo e as apostas da Promiris na edição 474 do CONSTRUIR

As previsões para a actividade do Sector em 2023, o projecto de um novo hotel para as Margens do Douro e o resultado do concurso para os terrenos da Oficina do Ferro, no Porto, na edição 474 do CONSTRUIR

CONSTRUIR

Cerejeira Fontes Architects assinam habitação e hotel nas margens do Douro
É em 2026 que está prevista a conclusão do “Porto Douro Marina & Villas”, na encosta do rio Douro, junto à barragem Crestuma-Lever. Os muros das vinhas, os socalcos e as próprias vinhas, tão típicos da região, estão na génese da concepção do projecto que pretende respeitar a tipologia do terreno e a paisagem

A democratização das renováveis
Liderada por João Loureiro, a Image4ALL dedica-se ao diagnóstico, desenvolvimento e implementação de soluções de energia. Empresa entra em 2023 com perspectivas de forte crescimento

Dupla Rafael Montes e Miguel Acosta assinam ‘novo’ Quarteirão da Oficina do Ferro
A proposta dos arquitectos Rafael Montes e Miguel Acosta foi a vencedora do concurso para a revitalização do Quarteirão da Oficina do Ferro, espaço que inclui o antigo Palácio Ford, no Porto. Criatividade e inovação, assim como a sustentabilidade económica e ambiental da proposta foram os critérios que mais pesaram na decisão do júri

Criação de Ministério atesta importância da Habitação
Marina Gonçalves, até agora secretaria de Estado da Habitação, na dependência do Ministério das Infraestruturas, passa a liderar, aos 34 anos a nova pasta, depois de confirmada a criação de um novo ministério. Passo dado pelo primeiro-ministro é encarado como o reconhecimento da importância que esta temática tem. Associações estão satisfeitas com a escolha da nova

Coimbra, Aveiro e Faro no radar da Promiris
Os responsáveis da Promiris revelam ao CONSTRUIR que analisam a implementação de residências de estudantes em novas cidades, alargando a aposta já feita em Lisboa e Porto

Dossier:
Casa de Banho

As empresas revelam um “optimismo moderado” assente no crescimento da construção. É notório, contudo, que nenhuma estratégia descarta o impacto ambiental ou sustentabilidade

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do CONSTRUIR. Pode comprar apenas esta edição ou efectuar uma assinatura do CONSTRUIR aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Graça Dias | [email protected] | 215 825 436

Nota: Se já é subscritor do CONSTRUIR entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção PLUS – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler

ACEDA AQUI À VERSÃO DIGITAL DA EDIÇÃO IMPRESSA DO CONSTRUIR 474

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Vila Galé abre quatro novas unidades em Portugal num investimento superior a 35 M€

Com 37 hotéis em Portugal e no Brasil, a Vila Galé alcançou em 2022 um volume de negócios de 218 M€. Mais 20% do que em 2019, fazendo deste “um ano excelente”, afirmou Jorge Rebelo de Almeida, presidente do Grupo

CONSTRUIR

Com 37 hotéis em Portugal e no Brasil, a Vila Galé alcançou em 2022 um volume de negócios de 218 milhões de euros. Mais 20% do que em 2019, fazendo deste “um ano excelente”, afirmou Jorge Rebelo de Almeida, presidente do Grupo.

Nos 27 hotéis que tem em Portugal, as receitas somaram cerca de 135 milhões de euros, mais 17,5% quando se compara com o período pré-pandemia, com cerca de 973 mil quartos ocupados, 1,95 milhões de dormidas e 670 mil clientes, contando com as novas unidades abertas em 2020.

Desde 2019, a Vila Galé abriu mais dois hotéis em território nacional, o Vila Galé Collection Alter Real e o Vila Galé Serra da Estrela e expandiu o Vila Galé Douro Vineyards, um agroturismo em Armamar que passou de sete para 49 quartos.

Ao longo deste ano, o grupo Vila Galé abrirá quatro novas unidades em Portugal, num investimento que ascende a mais de 35 milhões de euros, criando 170 postos de trabalho diretos. O Vila Galé Monte do Vilar, em Beja, tem abertura prevista para o início de Abril. Trata-se de um agroturismo vocacionado para adultos e casais e para a realização de eventos, localizado no Clube de Campo Vila Galé, com um investimento de mais de quatro milhões de euros.  Também no Clube de Campo, em Beja, grupo está a investir mais dez milhões de euros para abrir em 30 de Maio de 2023 um hotel com um conceito totalmente inovador. No O Vila Galé Nep Kids os adultos só poderão entrar quando acompanhados por crianças. Inteiramente pensado para os mais novos, terá na primeira fase 80 quartos, parque aquático com várias piscinas exteriores e escorregas, carrossel, trampolins, insufláveis, Clube Nep com brinquedoteca e spa infantil, e muitas outras atrações infantis que vão superar largamente a expectativa das crianças. Ainda no Clube de Campo Vila Galé, o hotel rural existente será reconvertido num hotel vocacionado para o Enoturismo e a Olivicultura e denominado Vila Galé Alentejo Vineyards and Olive – Resort de Campo.

Em São Miguel, nos Açores surgirá também o Vila Galé Collection São Miguel, uma unidade de charme com 92 quartos, resultante da requalificação do edifício onde antigamente funcionavam o convento e hospital de São Francisco, numa parceria com a Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada. Este projecto, que mereceu um investimento de mais de 12 milhões de euros.

Em Tomar mais um projecto de reabilitação de património histórico, o Vila Galé Collection Tomar, no centro da cidade, com data prevista de abertura a 1 de Julho de 2023 e um investimento de mais de 10 milhões de euros. O projecto irá recuperar e transformar várias áreas do antigo Convento de Santa Iria e do Colégio feminino, adquiridos à Câmara Municipal de Tomar.

Em Portugal, a Vila Galé está ainda a desenvolver o Vila Galé Paço do Curutêlo, no concelho de Ponte de Lima, Viana do Castelo, onde já decorrem trabalhos de arranque de eucaliptos e de preparação dos terrenos para plantação de 30 hectares de vinhas. O empreendimento, que deverá estar concluído em 2024, inclui um hotel com 49 unidades de alojamento, 19 suites e um apartamento T2, piscinas exteriores para adultos e crianças, salão de eventos, bar, dois restaurantes, biblioteca e um espaço museológico dedicado à história do Paço que é anterior a 1143, data da nacionalidade de Portugal. Terá ainda uma forte componente de enoturismo, com a construção de uma vinícola de vinhos verdes e espumantes. Será a terceira, juntando-se à Santa Vitória, para os vinhos e azeites regionais alentejanos, e Val Moreira para os vinhos do Douro.

No Brasil, há também três novos projectos em desenvolvimento, com lançamento do primeiro Vila Galé Collection no Cumbuco, numa frente de mar e da Lagoa do Cauipe.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.