Edição digital
Assine já

Livensa Living Boavista

Empresas

Vicaima equipa residência Livensa Living Porto Boavista

As soluções da Vicaima poderão ser encontradas nas entradas dos quartos, nas áreas sociais, nos corredores de circulação, nos auditórios, nas áreas técnicas e nas zonas comuns da residência

CONSTRUIR

Livensa Living Boavista

Empresas

Vicaima equipa residência Livensa Living Porto Boavista

As soluções da Vicaima poderão ser encontradas nas entradas dos quartos, nas áreas sociais, nos corredores de circulação, nos auditórios, nas áreas técnicas e nas zonas comuns da residência

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Luís Lopes eleito para presidência da nova direcção da ASMIP
Imobiliário
CICCOPN forma técnicos de obra em Santo Tirso
Construção
Madeira: Taxa de contratualização e execução de projetos do PRR ronda os 30%
Construção
Richimi Factory marca presença na 2ª edição da ‘Casa Aberta’
Empresas
AEP ruma ao Dubai com empresas da fileira dos materiais de construção
Construção
Lordelo com investimento de 1,4M€ em novo posto da GNR
Construção
Reabilitação e redes de saneamento serão prioridade no Orçamento de Azeméis para 2023
Construção
Socicorreia lança empresa para serviços ‘tailor made’
Empresas
Oriflame escolhe Edifício Adamastor para o seu escritório em Lisboa
Imobiliário
Acciona inaugura o edifício Priority 1907
Imobiliário
Livensa Living Boavista

A especialista em portas, roupeiros e painéis foi escolhida para equipar a residência de estudantes universitários  Livensa Living Porto Boavista, uma residência de estudantes universitários. A residência, localizada na Invicta, responde a relevantes critérios de segurança e acústica através das portas Vicaima e disponibiliza quartos e áreas comuns, como sala de estar interior, piscina aquecida, biblioteca, terraço exterior ou ginásio.

Para este empreendimento, foram aplicadas um conjunto de soluções Portaro, com solução integrada pronta a instalar, composta por porta, aro e acessórios, Portaro Inverse, com porta de batente que se pode integrar e facear com painéis de revestimento, criando planos contínuos, e ainda o Portaro de Correr à Face, como forma de rentabilizar as áreas e facilitar a circulação entre espaços.

A segurança e o isolamento acústico foram preocupações maiores neste projecto. De entre as mais variadas performances técnicas destaque para as soluções corta-fogo e acústicas EI30 Ac33dB, Ac38dB Inverse e Ac41dB. Por sua vez no corta-fogo realce para o EI30 e Ei 45 Inverse.

Em termos de revestimentos, para se garantir a simbiose entre os espaços e o ambiente clean e arrojado deste projecto, a opção incidiu no revestimento Dekordor HD, com a cor Cinza Volcanic. Esta selecção assenta na intenção de manter os espaços modernos, mas sóbrios, adicionando um toque distinto ao interior com este laminado de elevada resistência física e química. Indicado para locais sujeitos a uma utilização intensiva, este tipo de revestimento é também uma mais-valia em projectos escolares, hoteleiros, de saúde, escritórios ou mesmo espaços comerciais.

As soluções da Vicaima poderão ser encontradas nas entradas dos quartos, nas áreas sociais, nos corredores de circulação, nos auditórios, nas áreas técnicas e nas zonas comuns da residência.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Luís Lopes eleito para presidência da nova direcção da ASMIP
Imobiliário
CICCOPN forma técnicos de obra em Santo Tirso
Construção
Madeira: Taxa de contratualização e execução de projetos do PRR ronda os 30%
Construção
Richimi Factory marca presença na 2ª edição da ‘Casa Aberta’
Empresas
AEP ruma ao Dubai com empresas da fileira dos materiais de construção
Construção
Lordelo com investimento de 1,4M€ em novo posto da GNR
Construção
Reabilitação e redes de saneamento serão prioridade no Orçamento de Azeméis para 2023
Construção
Socicorreia lança empresa para serviços ‘tailor made’
Empresas
Oriflame escolhe Edifício Adamastor para o seu escritório em Lisboa
Imobiliário
Acciona inaugura o edifício Priority 1907
Imobiliário
Imobiliário

Luís Lopes eleito para presidência da nova direcção da ASMIP

Nos próximos três anos, a nova direcção pretende “continuar a garantir uma posição credível e reconhecida junto das empresas, que permita apresentar e defender os interesses, quer das suas associadas, quer da classe em geral”

CONSTRUIR

A Associação dos Mediadores do Imobiliário de Portugal (ASMIP) elegeu a nova direcção para o triénio 2023/2025. Luís Lopes, da Forma de Saída, será o novo presidente da direcção, tendo como vice-presidente Francisco Bacelar, da Forma Régia, que ocupou a presidência nos últimos dois mandatos. Luís Ribeiro, da Figueira Center Imobiliária preside à Assembleia Geral e Mário Matos, da IMA, estará à frente do Conselho Fiscal.

Ao iniciar esta nova etapa, a nova direcção destaca um conjunto de desafios que vão nortear o caminho nos próximos três anos, sendo que o primeiro e mais importante é continuar a garantir uma posição credível e reconhecida da ASMIP, junto das empresas que representam e de todas as entidades com quem se relaciona, que permita apresentar e defender os interesses, quer das suas associadas, quer da classe em geral.

Luís Lopes destaca que “ao longo do nosso percurso o reconhecimento tem sido crescente em diversas instituições públicas e privadas. O mais recentemente, por exemplo, depois de um primeiro passo como observadores nas reuniões do Conselho Nacional de Habitação, foi sermos reconhecidos como membros nas reuniões deste importante órgão consultivo do Governo, no domínio da política nacional de habitação, criado no âmbito da Lei de Bases da Habitação”.

Outro dos desafios passa pela contínua formação dos profissionais da mediação. “Nesse sentido estaremos empenhados em alargar a diversidade de oferta formativa, com mais áreas abrangidas, novos temas, e novos formadores”, acrescenta.

Do conjunto de dezena e meia de iniciativas e desafios que a nova direcção da ASMIP quer ver implementados no próximo triénio, destaque também o lançamento de um portal, com o objectivo de fazer dele uma alternativa válida para a geração de leads que façam movimentar o negócio das empresas associadas, e demais empresas aderentes, tendo como objectivo secundário a partilha de negócio entre todos os seus utilizadores.

Continuar a garantir o apoio jurídico aos associados; incrementar as parcerias e participações; estabelecer pontes com organismos nacionais e internacionais; apoiar eventos como o Imobinvest e a participação no SIL, são um conjunto de outras iniciativas que vão continuar a ser privilegiadas.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

CICCOPN forma técnicos de obra em Santo Tirso

Protocolo entre o Centro e diversas entidades públicas e privadas pretende dar resposta às necessidades de mão de obra qualificada no sector da construção

CONSTRUIR

Teve início, no dia 28 de Novembro, a segunda edição do curso de Técnico/a de Obra/Preparador(a) de Obra – CAD e modelação BIM, nas instalações da antiga fábrica Santo Thyrso, em Santo Tirso. Esta formação resulta de um projecto nascido para dar resposta às necessidades do mercado de trabalho, em sinergia com empresas e entidades locais.

Ao CICCOPN, associam-se o município de Santo Tirso, que cedeu as instalações para a realização da formação, o Centro de Emprego de Santo Tirso, que auxilia e direcciona os formandos actualmente desempregados, e a Garcia Garcia, empresa especializada na área de projecto e construção de edifícios. Nesta segunda edição, associam-se ainda ao projecto as empresas de construção Gabriel Couto e Casais.

“Há uma necessidade muito grande, neste momento, de trabalhadores qualificados para a construção civil. A AICCOPN fala de um número que rondará os 80 mil, por isso, o CICCOPN tem um desafio muito grande, que é encontrar parcerias para, de uma forma célere, fazermos uma formação para o mercado de trabalho”, revelou Rui Valente, director do Centro.

“Pretende-se que quem frequente estas formações adquira as qualificações para um posto de trabalho, com a mais-valia da ligação ao mercado de trabalho, fazendo com que quem termine o curso tenha a sua empregabilidade quase garantida”, salientou.

Luís Vilaça, da empresa Garcia Garcia, afirmou que “pela pouca mão de obra qualificada existente em Portugal, este tipo de cursos auxilia, não só à captação de jovens, mas também à requalificação de pessoas com baixa empregabilidade”.

Sílvia Tavares, vereadora com o pelouro da educação da Câmara de Santo Tirso, reforçou a ideia de que “estas formações são muito importantes para o território, dado que o município tem a preocupação de adaptar a oferta educativa e formativa às necessidades do território, no que diz respeito à empregabilidade”.

Por seu lado, Isabel Cruz, directora do Centro de Emprego de Santo Tirso, frisou que este “assume um forte papel, estando presente sempre que surgem oportunidades de criar emprego ou de dar ferramentas às pessoas que as ajudem a potenciar a entrada no mercado de trabalho. Neste caso, vamos buscar a área de conhecimento para dotar os nossos desempregados de competências que permitam satisfazer as necessidades dos empresários”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Madeira: Taxa de contratualização e execução de projetos do PRR ronda os 30%

A Madeira tem assegurado cerca de 561 milhões de euros no âmbito do PRR, para a concretização dos projetos regionais, a que acrescem 136 milhões de euros de avisos nacionais a que as entidades regionais podem concorrer

CONSTRUIR

O secretário regional das Finanças, Rogério Gouveia, destacou no final da visita a várias obras que estão a ser realizadas no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), o interesse demonstrado pela Comissão Nacional com a execução dos projetos regionais.

As declarações foram proferidas no final da visita de Rogério Gouveia e Pedro Dominguinhos, presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento do PRR, a várias obras que estão a ser realizadas no âmbito daquele mecanismo de recuperação.

Na ocasião, o governante deu conta da satisfação pelo “reconhecimento do bom desenrolar dos projetos na Região”, fruto do empenho significativo e da aposta que tem vindo a ser feita na maximização e operacionalização destes projetos financiados pelos fundos comunitários, e garantiu que o objetivo da Região é a plenitude de aproveitamento destas verbas até 2026.

Para o responsável pela coordenação dos fundos comunitários, este reconhecimento reflete a aposta e o empenho que os diversos beneficiários têm colocado no desenvolvimento dos seus projetos, bem como o papel preponderante de acompanhamento realizado pelo Instituto de Desenvolvimento Regional, enquanto organismo intermédio do PRR.

Neste momento, reforçou Rogério Gouveia, entre os projetos executados, em fase de execução ou contratualizados, a taxa já ronda os 30%, “o que revela uma boa execução, uma vez que ainda estamos em 2022 e o prazo de execução destes projetos vai até 2026”, salientou, realçando que a Região e o Governo regional não vão esmorecer, nem perder a intensidade, perante estes bons resultados.

Sobre a visita de Pedro Dominguinhos à Madeira, o secretário regional não deixou de referir, também, a oportunidade de o Governo Regional poder contar com a experiência do desenvolvimento dos projetos a nível nacional.

A Madeira tem assegurado cerca de 561 milhões de euros no âmbito do PRR, para a concretização dos projetos regionais, a que acrescem 136 milhões de euros de avisos nacionais a que as entidades regionais podem concorrer.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Richimi Factory marca presença na 2ª edição da ‘Casa Aberta’

Até 18 de Dezembro, é possível visitar a Casa Aberta, no Príncipe Real, onde a Richimi foi responsável pelo papel de parede para quarto de criança e para duche wc suite

CONSTRUIR

Encontra-se a decorrer, até 18 de Dezembro, a 2ª edição da Casa Aberta, realizada pela Santo Infante, na qual a Richimi Factory marca presença através dos revestimentos de parede decorativos utilizados no quarto de criança e no duche do wc suite.

Além da integração da Santo Infante, como responsáveis pelo projecto, a designer Elizabeth Olwen, criou o layout para os dois papéis de parede e a  impressão personalizada dos papéis de parede ficou a cargo da Richimi Factory.

O revestimento de parede não tecido utilizado no quarto de criança é 100% Livre PVC, permite uma impressão HD com tintas a base de água e é totalmente personalizável, nomeadamente com três efeitos tácteis: Granite, Fibrous e Textile. O referido revestimento possui altas características de sustentabilidade, é lavável e possui certificado de reação ao fogo, pelo que se revela o produto ideal para aplicação em hotéis, hospitais, creches, jardins de infância, restaurantes, escritórios e residências particulares.

Por sua vez, o revestimento de parede WH Eco Fibra de Vidro utilizado no duche da casa de banho é feito de fibras de vidro tecida que, à semelhança do anterior, é 100% Livre PVC, permite uma impressão HD com tintas à base de água e é totalmente personalizável. Devido à sua elevada resistência a riscos, revela-se adequado a áreas de tráfico intenso, podendo ser aplicado em espaços como hotéis, hospitais, creches e jardins de infância, lojas comerciais, bem como residências particulares.

Este último revestimento é lavável, possui certificado de reação ao fogo, contém acabamento Top Coat WH (verniz) e é a solução perfeita para zonas húmidas, uma vez que as suas caraterísticas permitem a respiração da parede, evitando assim o aparecimento de fungos.

O projecto Casa Aberta pretende desenvolver projectos de design de interiores premiando e seleccionando produtos maioritariamente portugueses.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

AEP ruma ao Dubai com empresas da fileira dos materiais de construção

A feira internacional BIG 5 Show & Middle East Stone, no Dubai, tem início esta segunda-feira, dia 5 e decorre até 8 de Dezembro

CONSTRUIR

São 10 as empresas portuguesas da fileira dos materiais de construção, pedras e rochas ornamentais que vão participar na feira BIG 5 Show & Middle East Stone, no Dubai, que acontece entre os dias 5 e 8 de Dezembro. A visita conta com a organização da AEP – Associação Empresarial de Portugal.

“Para além da importância que a feira tem para o sector e do potencial do mercado, a grande oportunidade de participar na BIG 5 Show & Middle East Stone está no público, que chega não só da região do Médio Oriente, mas também de países do Golfo, de África, do Sudoeste Asiático e do Cáucaso. As largas dezenas de empresas que já participaram apontam a dimensão dos mercados e a qualidade dos contactos realizados como uma das grandes vantagens”, lembra Luís Miguel Ribeiro, presidente da AEP.

O Dubai tem uma localização estratégica no Golfo e é considerado o maior centro de negócios da região e um dos mercados mais atractivos do globo e é esse factor que leva a AEP a organizar pela 15ª vez consecutiva a participação nacional. A primeira deslocação ao Médio Oriente foi em 2004 e desde essa data a AEP já envolveu largas dezenas de empresas nacionais de diversos sectores.

Em 2021, a BIG 5 Show & Middle East Stone contou com 1200 expositores de 50 países e 37 mil visitantes de 152 nacionalidades. Para esta edição, a comitiva da AEP conta com participação das empresas Central Lobão, Certave, Dikalofer, Globallock, Heliroma, Metalomarão, Mocamar, Ruipedra, Safina e SIB.

O ano passado, o projecto BOW – Business on the Way promoveu a participação de mais de 100 empresas em 17 acções, entre feiras internacionais, missões empresariais (virtuais, físicas e inversas), em 22 mercados distintos.

Desde 1990, ano em que deu início, de uma forma sistemática, à realização de acções de internacionalização, a AEP já organizou, individualmente ou através de parcerias com outras entidades, largas centenas de ações em mercados externos.

O projecto BOW – Business on the Way é desenvolvido pela área internacional da AEP, no âmbito do Portugal 2020 e do Compete 2020, Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização, Eixo II – Projectos Conjuntos – Internacionalização.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Lordelo com investimento de 1,4M€ em novo posto da GNR

A GNR de Lordelo espera que dentro de “cerca de um ano” possa regressar à cidade para “a inauguração” do futuro equipamento construído de raiz e que vai custar cerca de 1.4 milhões de euros”

CONSTRUIR

O novo posto da GNR em Lordelo, concelho de Guimarães, estará pronto em 2023, indicou o ministro da Administração Interna, dia em que o dispositivo policial do distrito de Braga foi reforçado com mais 60 elementos.

José Luís Carneiro marcou presença na assinatura do contrato interadministrativo entre o município de Guimarães, a Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna e a GNR para a construção do futuro posto de Lordelo e, de seguida, esteve na apresentação do reforço do dispositivo policial do distrito de Braga, em 60 elementos, entre militares da GNR e agentes da PSP.

Na sua intervenção durante a cerimónia de assinatura do contrato para a construção do novo posto da GNR de Lordelo, que decorreu no salão nobre da Câmara Municipal de Guimarães, o ministro disse esperar que dentro de “cerca de um ano” possa regressar à cidade para “a inauguração” do futuro equipamento, construído de raiz e que vai custar cerca de 1.4 milhões de euros.

“Esta parceria entre o município de Guimarães, a Guarda Nacional Republicana e a Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna é uma forma inteligente de realizar investimentos de forma eficaz e eficiente, e de satisfazer as necessidades das populações, aos mais diversos níveis“, sublinhou o governante.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Reabilitação e redes de saneamento serão prioridade no Orçamento de Azeméis para 2023

Entre os principais projetos do Plano Plurianual de Investimentos para 2023 destaca-se assim a beneficiação e a ampliação da rede de saneamento (com mais de 3,8 milhões de euros), a construção do Parque Urbano de Oliveira de Azeméis (quase 3,5 milhões) ou a edificação do Fórum Municipal

CONSTRUIR

A Câmara de Oliveira de Azeméis será gerida em 2023 com 58,3 milhões de euros, depois daquele que a autarquia definiu esta quarta-feira como “o maior orçamento municipal de sempre” ter sido aprovado pelo PS com abstenção do PSD.

Para o referido concelho do distrito de Aveiro, isso representa mais 4,6 milhões de euros comparativamente a 2022, apesar de a taxação tributária aos cerca de 70.000 habitantes desse território de 163 quilómetros quadrados manter a isenção de derrama para empresas com volume de negócios inferior a 150.000 euros anuais e preservar a taxa legal mínima de 0,3% no Imposto Municipal sobre Imóveis.

“O documento aprovado garante um forte investimento com capitais próprios em áreas estratégicas para o futuro do concelho, como a educação, a expansão das redes de água e saneamento, a reabilitação urbana e o desenvolvimento económico”, declara o presidente da Câmara, Joaquim Jorge Ferreira.

O autarca socialista realça que o orçamento permitirá ainda “um aumento do investimento com capitais próprios para aproximadamente 22,2 milhões de euros, o que representa um acréscimo de 1,5 milhões face à capacidade inicialmente estimada para 2022”.

Entre os principais projetos do Plano Plurianual de Investimentos para 2023 destaca-se assim a beneficiação e a ampliação da rede de saneamento (com mais de 3,8 milhões de euros), a construção do Parque Urbano de Oliveira de Azeméis (quase 3,5 milhões), a edificação do Fórum Municipal (com quase três milhões) e a criação da Estação Multimodal de Transportes, que abrange a reabilitação do Mercado Municipal (com valores próximos dos três milhões).

Segundo a autarquia, no restante o orçamento demonstra uma distribuição de verbas em que “as principais apostas são a educação (com 15,5 milhões de euros), o ordenamento do território (com 14,6 milhões), os serviços urbanos ambientais (com 3,1 milhões de euros), o apoio às famílias (com 2,3 milhões de euros), a cultura (com 2,1 milhões de euros) e ainda as juntas de freguesia (com dois milhões de euros)”. Nesse caso específico, as transferências municipais para as 12 juntas passaram de um total de 920.000 euros para 1,58 milhões.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Socicorreia lança empresa para serviços ‘tailor made’

A Socicorreia Project é a nova empresa do grupo que irá disponibilizar soluções personalizadas e à medida de cada cliente nas áreas de arquitectura, decoração de interiores e equipamentos

CONSTRUIR

Para completar a aposta do grupo madeirense a Socicorreia Project irá colaborar com fornecedores portugueses e estrangeiros, nas diferentes áreas de interiores, facilitando, assim, o processo de mobilar os imóveis adquiridos, uma dificuldade para muitos proprietários que dão preferência a imóveis prontos a habitar.

“Com esta nova empresa, a Socicorreia passa a fornecer soluções ‘tailor made’, acompanhando o cliente em todo o processo de compra de habitação, desde a escolha do apartamento até à sua decoração”, explica Custódio Correia, presidente do grupo Socicorreia.

Com a Socicorreia Project, o proprietário receberá acompanhamento no momento de escolher e comprar mobiliário personalizado, de acordo com as suas exigências e tendências do mercado, na selecção de todos os equipamentos domésticos, e também em pormenores de decoração como a iluminação.

A Socicorreia Project complementa assim a oferta atual do grupo que engloba a construção, Socicorreia Engenharia, a promoção imobiliária, Socicorreia Investimentos Imobiliários, e o turismo, com a Socicorreia Turismo.

Ovalor dos empreendimentos concluídos pelo grupo ultrapassa os 250 milhões de euros tornando a Socicorreia uma das maiores promotoras imobiliárias da Madeira, tendo investido mais de 100 milhões de euros na ilha que alberga a sede do grupo em quase duas décadas de actividade. Actualmente, o grupo tem em curso 12 empreendimentos, que incluem 500 frações habitacionais e lojas comerciais em várias localizações.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Oriflame escolhe Edifício Adamastor para o seu escritório em Lisboa

A marca sueca de cosméticos é o novo inquilino do Edifício Adamastor, no Parque das Nações. As consultoras imobiliárias Worx e CBRE foram responsáveis por esta colocação

CONSTRUIR

O Edifício Adamastor, propriedade da Imopolis, está localizado na Av. D. João II, a artéria mais importante do Parque das Nações. Esta é uma zona que se tem afirmado, cada vez mais, como uma excelente opção para empresas que procuram arrendar escritórios novos. Este edifício destaca-se pela sua arquitectura moderna e qualidade, mas também pela excelente localização, a uma curta distância da Gare do Oriente e do aeroporto.

“Esta localização e novas instalações, aproximam a Oriflame dos seus parceiros de marca e clientes, com espaços disponíveis que permitem a experiência de marca, cocriação, e centro de networking. Também para os nossos funcionários temos condições melhores e mais ajustadas à nova realidade do mercado, e que promovem os valores fundamentais da empresa de união, espírito e paixão”, justifica Rui Matias da Silva, director geral da Oriflame em Portugal.

A Oriflame vai ocupar no Edifício Adamastor uma área de 360 metros quadrados, no 13º piso, o que permite uma vista privilegiada e desafogada sobre o rio Tejo. Na opção por este edifício pesaram factores como o espaço de escritórios em condições que permitiam uma mais rápida utilização do espaço, a localização central e os acessos rodoviários e de transportes públicos. Toda a envolvente do Parque das Nações, com espaços de lazer, comércio e serviços, fez também com que o Edifício Adamastor se destacasse entre outras opções.

“O Edifício Adamastor responde às necessidades da Oriflame, pelas suas excelentes características e localização. A vista rio acabou por ser um plus interessante, pelo ambiente que proporciona aos seus colaboradores”, refere Jorge Telles de Carvalho, consultant da Worx Real Estate Consultants, que representou a Imopolis (proprietária do edifício).

“O Parque das Nações é um dos destinos mais atractivos para as empresas na cidade de Lisboa. Temos a certeza que o Edifício Adamastor é a escolha mais acertada para a Oriflame ao selecionar esta localização para a sua nova sede e que irá responder às suas exigências e necessidades”, comenta André Almada, senior director offices advisory & transaction na CBRE.

O empreendimento Adamastor é composto por duas torres de escritórios, numa localização privilegiada no Parque das Nações. Com excelentes infraestruturas, estacionamento e rodeado de serviços e comércio, é um edifício de relevo no mercado de escritórios em Lisboa.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Acciona inaugura o edifício Priority 1907

Com promoção da Acciona e da CleverRed e empreitada da Baltor, o antigo edifício do século XX dá lugar a com 18 novos apartamentos

CONSTRUIR

Perto da estação ferroviária de Alcântara Terra, no início da Rua Prior do Crato, encontra-se o recém-inaugurado Priority 1907. O projecto renovou o edifício mais emblemático da Rua Prior do Crato, que pertenceu à escola de artes da Fundação Ricardo Espírito Santo, preservando a autenticidade histórico-arquitectónica do imóvel, cuja construção original data de 1907. O edifício manteve a sua fachada intacta mas embelezada, as suas colunas de ferro fundido e grandes janelas ganharam vida e a estrutura interior foi respeitada e melhorada com a criação de 14 lofts e 4 apartamentos. Com promoção da Acciona e da CleverRed, a empreitada esteve a cargo da Baltor.

Segundo Andrés Pan de Soraluce, CEO da divisão imobiliária da Acciona, “Lisboa é um mercado estratégico para a Acciona, onde temos uma carteira de quase 600 casas para continuar a desenvolver o nosso compromisso com a sustentabilidade em Portugal, através de projectos que cuidam do meio ambiente e melhoram a vida das pessoas”.

Também Carlos Cercadillo, ceo da CleverRed, confirmou a intenção de “continuar a apostar na cidade de Lisboa e de desenvolver, conjuntamente com Acciona, uma empresa de nível mundial, muitos mais projectos em Lisboa”.

Também em Alcântara, os dois parceiros têm outro projecto residencial de 74 apartamentos de nova construção – o Alcântara Rio 2 – que irá dar continuidade ao projecto inicialmente apresentado pela extinta Obriverca e que há muito espera para sair do papel.

Além destes dois empreendimentos, a empresa formada pela Acciona e a CleverRed tem um grande projecto de uso misto na Avenida Alfredo Bensaúde, nos Olivais. Com aproximadamente 70 mil m2 de área construída, o projecto combinará vários usos, tais como escritórios, comércio a retalho, habitação para arrendamento, habitação para venda e uma grande área verde.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.