Edição digital
Assine já
Imobiliário

Seixal Baía com 50% das unidades reservadas

A segunda fase do empreendimento, promovido pela A. Silva & Silva, tem conclusão prevista para Novembro de 2022

CONSTRUIR
Imobiliário

Seixal Baía com 50% das unidades reservadas

A segunda fase do empreendimento, promovido pela A. Silva & Silva, tem conclusão prevista para Novembro de 2022

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
V Escola de Verão em Sustentabilidade arranca em Setembro
Empresas
Portugal Real Estate Summit coloca o país na agenda dos investidores
Imobiliário
Otis inaugura ciclo de conferências “Moving Together”
Empresas
Secil lança nova plataforma dedicada à formação online
Empresas
USLG investe 8M€ em edifício no Hospital da Guarda
Construção
Tavira vai ter um novo empreendimento
Imobiliário
IPO de Coimbra investe 27,9M€ na requalificação de edifício
Construção
Governo prepara medidas para mitigar custos de energia na indústria
Engenharia
Portugal assinou contratos de financiamento de 18M€ para duas novas pontes internacionais
Construção
“Memórias” da Piscina de Marés de Álvaro Siza em debate
Arquitectura

A segunda fase do empreendimento Seixal Baía, com conclusão prevista para Novembro de 2022, encontra-se com metade das 46 unidades já reservadas ou vendidas. Com tipologias entre T2 e T3, apresenta valores de venda entre os 240 mil euros e os 650 mil euros. A promoção está a cargo da A. Silva & Silva.

Nelson Reis, franquiado da agência ERA Amora/Seixal, responsável pela comercialização deste empreendimento, destaca a “localização privilegiada deste projecto, a cerca de 100 metros da Baía do Seixal e a cinco minutos do centro histórico da cidade. Esta localização permite aos futuros moradores destes apartamentos terem um rápido acesso à autoestrada que torna fácil chegarem rapidamente a Lisboa, Costa da Caparica, Setúbal ou Sesimbra”.

Com vistas desafogadas para o Rio Tejo, Baía do Seixal e cidade de Lisboa, o empreendimento Seixal Baía tem-se apresentado com um investimento muito valorizado pela sua construção com foco nos espaços para partilha familiar e pela localização privilegiada para quem pretende viver fora da confusão dos grandes centros urbanos, mas perto de tudo.

O empreendimento residencial aposta em apartamentos com janelas panorâmicas, terraços e varandas espaçosas, ao mesmo tempo que oferece boas áreas exteriores, sendo que 35% da área total do projeto consiste em área exterior. Além disso, o projecto disponibiliza estacionamento privativo subterrâneo com postos de carregamento para carros eléctricos.

A comercialização deste empreendimento enquadra-se na aposta da ERA no programa de parceria Obra Nova ERA, que tem como objectivo principal identificar as melhores oportunidades de construção para construtores e promotores imobiliários de todo o país.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
V Escola de Verão em Sustentabilidade arranca em Setembro
Empresas
Portugal Real Estate Summit coloca o país na agenda dos investidores
Imobiliário
Otis inaugura ciclo de conferências “Moving Together”
Empresas
Secil lança nova plataforma dedicada à formação online
Empresas
USLG investe 8M€ em edifício no Hospital da Guarda
Construção
Tavira vai ter um novo empreendimento
Imobiliário
IPO de Coimbra investe 27,9M€ na requalificação de edifício
Construção
Governo prepara medidas para mitigar custos de energia na indústria
Engenharia
Portugal assinou contratos de financiamento de 18M€ para duas novas pontes internacionais
Construção
“Memórias” da Piscina de Marés de Álvaro Siza em debate
Arquitectura
Empresas

V Escola de Verão em Sustentabilidade arranca em Setembro

A iniciativa decorrerá em formato online entre os dias 13 e 17 de Setembro e reúne vários intervenientes, entre eles a MatosinhosHabit, que irá abordar o trabalho desenvolvido em matéria de reabilitação de bairros habitacionais.

CONSTRUIR

A V edição da Escola de Verão sobre Sustentabilidade, resulta de uma parceria entre a associação ZERO, o ICS-ULisboa e o GRACE, Empresas Responsáveis (associação empresarial de utilidade pública, sem fins lucrativos, que actua nas áreas da Responsabilidade Social e Sustentabilidade). A iniciativa decorrerá em formato online entre os dias 13 e 17 de Setembro.

Através de palestras e discussões temáticas, a iniciativa pretende reflectir sobre os caminhos e desafios para tornar Portugal numa economia do bem-estar. Neste âmbito, a MatosinhosHabit apresenta no dia 15 de Setembro, na sessão dedicada à “Energia e Sustentabilidade”, o trabalho desenvolvido em matéria de reabilitação de bairros habitacionais.

A partir do tema “Da pobreza energética à eficiência na reabilitação”, a MatosinhosHabit apresentará os projectos desenvolvidos nos últimos anos que visaram a requalificação do parque habitacional do concelho, o melhoramento das condições de habitabilidade para as famílias residentes e as intervenções que visaram essencialmente a beneficiação energética das habitações.

“A MatosinhosHabit tem vindo a integrar, ao longo dos últimos anos, quer através de candidaturas próprias quer a convite de outras entidades, consórcios e grupos de trabalho inseridos em iniciativas, projectos nacionais e europeus focados no uso eficiente de recursos e na eficiência energética em edifícios. No presente mandato, a Câmara Municipal de Matosinhos e a MatosinhosHabit, estão a investir 20 milhões de euros na requalificação do parque habitacional do concelho”, refere a propósito Tiago Maia, administrador da MatosinhosHabit.

Com o objectivo de partilhar exemplos de acções determinantes para a reabilitação e transformação de bairros até então com baixa eficiência energética, a MatosinhosHabit apresenta programas e parcerias desenvolvidos, a nível europeu, nacional ou apenas localmente.

“A MatosinhosHabit continuará a promover a participação neste tipo de iniciativas, de âmbito nacional e europeu, com o objectivo de apreender as melhores práticas e colocar à disposição dos/as munícipes soluções que melhor respondam à concretização dos desígnios ambientais”, sublinha o responsável.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Portugal Real Estate Summit coloca o país na agenda dos investidores

O encontro ibérico de investidores imobiliários internacionais, tem já confirmada a presença de players de 12 países. O evento realiza-se nos dias 29 e 30 de Setembro no Hotel Palácio Estoril

CONSTRUIR

O Portugal Real Estate Summit, organizado pela plataforma Iberian Property, está de volta ao Estoril nos dias 29 e 30 de Setembro e a cerca de um mês da sua realização está confirmada a presença de investidores e promotores oriundos de uma dezena de países, incluindo algumas das principais casas de investimento global. Da Europa, além de Portugal e Espanha, estarão representados no evento players da Bélgica, Reino Unido, Alemanha, Países Baixos, Suíça, França e Itália. De outros continentes, estão já alinhadas as presenças de operadores dos Estados Unidos, Canadá e Brasil, sendo expectável que o leque de países com participação neste fórum de investimento seja ainda alargado.

Para a organização do evento, esta adesão comprova que “continua a existir um elevado interesse dos investidores e promotores internacionais por Portugal e pelo seu imobiliário no pós-Covid, pelo que esperamos ainda a participação de profissionais de mais países. Portugal está muito bem posicionado para captar uma fatia importante da liquidez que está disponível para o sector imobiliário a nível global no contexto de um novo normal e com este evento queremos, precisamente, contribuir para traçar um mapa de oportunidades pós-Covid para os operadores e promover um contacto activo entre toda a indústria. Não temos dúvida de que muitos negócios importantes para o nosso mercado se iniciaram em edições anteriores do Portugal Real Estate Summit”, comenta António Gil Machado, director da Iberian Property.

O Portugal Real Estate Summit assinala a sua quinta edição, depois de ter sido suspenso em 2020 devido às restrições da pandemia.

Com uma forte componente de networking que se reforça ainda mais neste regresso aos eventos presenciais, o Portugal Real Estate Summit 2021 propõe estabelecer um mapa para a recuperação económica da Ibéria, com um olhar atento sobre os mais diversos sectores do imobiliário.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Otis inaugura ciclo de conferências “Moving Together”

Projectos de reabilitação e colocação de elevadores em espaços muito reduzidos foram os temas em destaque na primeira conferência “Moving Together”, nas “Terças Técnicas”, da Ordem dos Arquitectos

CONSTRUIR

Promovidas pela Otis e inseridas no Programa “Terças Técnicas” da Ordem dos Arquitectos, as sessões “Moving Together” são compostas por cinco conferências digitais, que arrancaram em Setembro e se prolongam até Novembro.
A primeira edição foi dedicada ao tema “Reabilitação de edifícios com Estruturas em Madeira”.

Filipe Rio, técnico comercial de Novos Equipamentos e Major Projects da Otis, abordou temáticas relativas a projectos de reabilitação, colocação de um elevador em espaços muito reduzidos e as condicionantes estruturais de construção em edifícios de madeira.

Durante a conferência, o especialista chamou a atenção para as características do “elevador Gen2 Fit”. “Este está preparado para se adaptar a qualquer espaço, e por essa razão, tem tido muita procura nos projectos de edifícios em madeira e prédios mais antigos em que as bombas de escada são muito pequenas”. O modelo da Otis permite que seja possível instalar um elevador num espaço inferior a 1 m2. “Em edifícios de madeira os pontos de fixação de estruturas metálicas devem ser realizados com apertos mecânicos e nunca com soldaduras devido ao perigo de incêndio”, reforçou Filipe Rios.

Para formalizar um plano de instalação Otis existem 10 regras a cumprir: garantir um levantamento rigoroso e exaustivo das necessidades; garantir uma eficaz planificação, coordenação e acompanhamento eficaz das diversas actividades; garantir e formalizar o “Dia Zero” comprometendo todos os intervenientes; garantir a sensibilização, aprendizagem e responsabilização das equipas e prestadores de serviço sob responsabilidade da empresa. Foram ainda apresentados projectos já realizados de acordo com este procedimento.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Secil lança nova plataforma dedicada à formação online

Através dos webinars da Academia Secil será possível partilhar conhecimentos, sugerir soluções e ferramentas nas diferentes áreas de negócio: cimento, betão pronto, agregados, argamassas, prefabricados de betão e cal hidráulica

CONSTRUIR

A Secil acaba de lançar a Academia SECIL, um novo espaço virtual dedicado à partilha de conhecimento, com webinars sobre os mais variados temas do mundo da construção, dirigido a todos os stakeholders interessados, quer sejam construtores, revendedores, aplicadores, arquitectos, projectistas, estudantes ou público em geral.

Dando continuidade ao trabalho desenvolvido nos últimos meses, a Academia Secil ganha agora um espaço próprio, com uma plataforma online dedicada, em academia.secil.pt, “sendo uma mais-valia e uma oportunidade de actualização técnica e de desenvolvimento profissional para todos os envolvidos”, destaca a empresa.

Com oradores de excelência, dotados de uma vasta experiência no mercado, os webinars da Academia Secil irão explorar as novidades do mundo da construção, transmitindo tendências, partilhando conhecimentos, sugerindo as melhores soluções e ferramentas de apoio em futuros desafios profissionais, nas suas diferentes áreas de negócio (cimento, betão pronto, agregados, argamassas, prefabricados de betão e cal hidráulica).

São múltiplos os formatos que os webinares poderão ter, desde a simples apresentação de um produto, serviço ou solução, passando pelo depoimento de parceiros e clientes, até à entrevista ou mesa-redonda com diversos especialistas. Quanto aos temas, estes serão antecipadamente divulgados nas redes sociais da Secil, da Seciltek e no próprio site da Academia Secil. 

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

USLG investe 8M€ em edifício no Hospital da Guarda

Está aberto o concurso público com vista à requalificação do edifício 5 do Hospital Sousa Martins para instalação do Departamento da Criança e da Mulher

Ricardo Batista

A Unidade de Saúde Local da Guarda acaba de lançar o concurso público com vista à execução da empreitada de requalificação do edifício 5 do Hospital Sousa Martins, na Guarda, um investimento avaliado em oito milhões de euros com vista à instalação do Departamento da Criança e da Mulher (DCM).

O edifício, desenhado pela Mota & Pestana Arquitectos, assenta numa construção dos anos 90, apresentando, de acordo com o gabinete projectista, “algumas patologias derivadas da idade dos materiais, havendo necessidade de uma reabilitação tanto ao nível acabamentos e revestimentos, como ao nível de organização espacial e funcional dos serviços propostos”.
Segundo a descrição da intervenção, este edifício estabelece a ligação entre o Edifício 1 e o denominado Edifício Novo sendo necessário definir “inequivocamente as circulações gerais e as circulações internas dos serviços a albergar. Está por isso previsto o prolongamento do corpo existente de acesso ao Edifício Novo, proporcionando uma passagem em cada piso mais imediata e menos evasiva nos serviços acomodados no Edifício 5”.

Organograma funcional
Na memória descritiva do projecto, os autores do planeamento de execução sublinham que foi necessário decidir o organigrama funcional, estudando as circulações e acessos existentes e estabelecendo de forma clara as acessibilidades às instalações tendo em atenção a não criação de barreiras arquitectónicas. “Funcionalmente, a proposta vai directamente ao encontro do programa proposto. As áreas de intervenção, limitaram-se o mais rigorosamente possível ao pretendido, procurando que o resultado final proporcionasse um conjunto arquitectónico de fácil e óbvia leitura”, esclarecem, acrescentando que “esta intervenção procurou ter em conta aspectos como a economia da construção, a manutenção, a funcionalidade e o conforto térmico”. “A concepção e distribuição dos diferentes espaços foi articulada de forma a permitir facilidade de utilização, baseada nas informações transmitidas pelos técnicos da Unidade Local de Saúde, com uma estruturação clara que permite uma simplificação nas soluções construtivas, e em que a harmonia é conseguida através da escolha subtil de materiais e cores”, salientam os arquitectos da Mota&Pestana. Segundo a descrição da intervenção, “o acesso ao interior far-se-á através das actuais entradas do edifício, definindo os circuitos de utentes e áreas restritas deste núcleo de espaços”. O novo edifício contemplará as valências de Hospital de Dia, Urgência Pediátrica, Urgência Obstétrica/ Ginecológica, Neonatologia, Ginecologia / Obstetrícia e Pediatria. “Para a materialização dos objectivos definidos, foi necessário decidir o organigrama funcional, estudando as circulações e acessos existentes e estabelecendo de forma clara as acessibilidades às instalações tendo em atenção a não criação de barreiras arquitectónicas”, assegura a equipa projectista.


Antigo serviço de urgência
No edifício 5 (mais conhecido como ‘pavilhão 5’) do Hospital Sousa Martins funcionou o Serviço de Urgência daquela unidade até à abertura do novo bloco, em 2014. A requalificação do edifício hospitalar vai permitir a instalação do Departamento da Criança e da Mulher, onde se vão localizar os serviços de Pediatria, Obstetrícia, Urgências Pediátricas e Obstétricas, Neonatologia e Ginecologia. Apesar de prevista há vários anos, vicissitudes e contingências administrativas e burocráticas têm protelado a concretização do referido investimento, o que tem prejudicado a acessibilidade, a qualidade e a humanização da prestação de cuidados materno-infantis aos utentes do Serviço Nacional de Saúde servidos pela ULSG, especialmente nos casos das mulheres, das crianças e dos adolescentes.

Sobre o autorRicardo Batista

Ricardo Batista

Director Editorial
Mais artigos
Imobiliário

Tavira vai ter um novo empreendimento

Promovido pela Madre Imobiliário, é comercializado pelo MAXGROUP, o complexo residencial Portas do Sol conta com uma área bruta de construção de cerca de 28.500 m2

CONSTRUIR

O complexo residencial Portas do Sol conta com uma área bruta de construção de cerca de 28.500 m2. O projecto apresenta lotes para a construção de edifícios de quatro pisos, compostos por apartamentos de tipologia T0, T1, T2 e T3.

O projecto promovido pela Madre Imobiliário, é comercializado pelo MAXGROUP, grupo imobiliário da rede RE/MAX em Portugal. A aprovação deste loteamento foi concedida pela Câmara Municipal de Tavira no início do ano.

“Para além de todas as comodidades que estão projectadas para o empreendimento Portas do Sol, um dos factores de destaque é a sua excepcional localização, estando situado perto do centro comercial, a poucos quilómetros da Ria Formosa, da Praia do Arraial Ferreira Neto e a 30km do Aeroporto Internacional de Faro e a 35km de Espanha”,inuméra Fátima Agostinho, consultora imobiliária da RE/MAX MAXGROUP Tavira.

O projecto prevê espaços comuns como jardim, parque infantil piscina e snack bar de serviço. Para um maior conforto e privacidade dos moradores, serão disponibilizados 275 lugares de parqueamento afectos às habitações, a somar aos 169 lugares públicos que fazem parte da envolvente natural.

“O mercado alvo deste tipo de habitações num empreendimento como o Portas do Sol é bastante vasto, englobando tanto portugueses da zona ou de outras cidades do país, como Lisboa, Coimbra, Leiria e Porto, até emigrantes e estrangeiros franceses, ingleses, holandeses, suecos ou italianos”, acrescenta a responsável.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

IPO de Coimbra investe 27,9M€ na requalificação de edifício

A empreitada insere-se num plano de requalificação de todo o `campus` de saúde do IPO Coimbra, que incluiu também a construção de novo bloco operatório periférico, com duas salas cirúrgicas, num investimento de 1,8 milhões de euros

CONSTRUIR

O Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra consignou esta quarta-feira a empreitada de requalificação do edifício da cirurgia e imagiologia por cerca de 27,9 milhões de euros, que tem um prazo de execução de dois anos.

Em comunicado, o conselho de administração salienta que se trata de uma intervenção que marcará de forma inexorável o IPO de Coimbra, a cidade e a região, uma vez que vai contribuir para uma melhoria significativa no cuidar do doente oncológico”.

“Esta obra implicará alterações no `campus` hospitalar e área envolvente, necessárias à sua execução, garantindo a actividade do IPO de Coimbra e a segurança de doentes e profissionais”, refere a nota.


A empreitada insere-se num plano de requalificação de todo o `campus` de saúde do IPO Coimbra, que incluiu também a construção de novo bloco operatório periférico, com duas salas cirúrgicas, num investimento de 1,8 milhões de euros.

O designado Bloco Operatório Periférico inclui duas salas operatórias, uma unidade de cuidados pós-anestésicos, uma sala de indução anestésica, uma zona de desinfecção, uma sala de desinfecção, vestiários, uma sala de arrumos e outra para o pessoal, parque de camas, transfer e um posto administrativo.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Engenharia

Governo prepara medidas para mitigar custos de energia na indústria

O governo está a preparar um pacote de medidas para mitigar o impacto dos preços altos de electricidade na indústria e nas empresas. Eliminar barreiras a projectos de autoconsumo está entre as prioridades

CONSTRUIR

O secretário de Estado da Energia, João Galamba, admitiu que os preços da electricidade para os consumidores residenciais vão subir, mas garantiu que “não haverá uma subida significativa” do valor. “Não nos comprometemos com valores concretos, não nos comprometemos se sobe 0,5% ou 1%, se não sobe de todo, o que sabemos é que, face à enorme subida no preço grossista de electricidade, temos os meios para evitar aumentos significativos dos consumidores domésticos”, afirmou o responsável. Aumentos que serão, “seguramente” mais baixos abaixo dos que os que se registam noutros países europeus o que irá reduzir o diferencial existente hoje.

Já para o consumidor industrial o cenário será diferente e o “impacto” será maior já estes “estão mais expostos ao preço da energia e isso é tanto mais verdade quanto mais electro intensivas forem essas industrias”, sublinhou João Galamba.

Para estes grandes consumidores, o Governo está a preparar um pacote de medidas para mitigar o impacto dos preços altos que se verificam no mercado grossista. Entre as medidas consta a “revisão completa da legislação do sector eléctrico”. O Governo quer facilitar o licenciamento dos projectos de autoconsumo e, em especial, a instalação de sistemas solares fotovoltaicos.


Face ao preço do mercado grossista muitas empresas já começaram a apostar no autoconsumo e esse é um caminho que o Governo quer reforçar e acelerar “eliminando barreiras, facilitando e criando condições para que a indústria o possa fazer em melhores condições e o mais rapidamente”, sublinhou João Galamba.
Para o secretário de Estado, a melhor maneira de ajudar os consumidores, tanto domésticos como industriais, de forma sustentável ao longo da próxima década “é acelerar muito significativamente” o investimento em energia solar e eólica, antecipando as metas do Plano Nacional de Energia e Clima (PNEC).

Impacto das Renováveis é “inquestionável”

João Galamba marcou presença na apresentação do Estudo sobre o Impacto da Electricidade de Origem Renovável, elaborado pela Deloitte para a APREN, Associação Portuguesa de Energias Renováveis.
A análise, que actualiza a realizada em 2019, avalia “o impacto e a contribuição, entre 2016 e 2020, da electricidade de origem renovável na factura dos consumidores, no sistema eléctrico e na economia nacional projectando os seus efeitos no contexto da política energética e objectivos estabelecidos no Plano Nacional de Energia e Clima para Portugal até 2030”.

O estudo da APREN calcula que entre 2016 e 2020 a renováveis representaram para os consumidores portugueses uma poupança de 6,1 mil milhões de euros, com impactos reais no sistema de 1,7 mil milhões. O estudo indica ainda que, neste período, a contribuição das empresas de produção de electricidade a partir das FER (Fontes de Energia Renováveis) para o PIB português foi de cerca de 18,5 mil milhões de euros, cerca de 3,7 mil milhões/ano. Um valor que segundo apurou a Deloitte poderá ascender 12,8 mil milhões de euros/ano já em 2030.

O aumento do investimento, público e privado, reflecte a aposta nas energias renováveis e deverá intensificar-se nos próximos anos onde é esperado o investimento de 15 mil milhões de euros em centros electro produtores a partir de FER.

Números sobre os quais João Galamba não se quis pronunciar, mas garantindo que “sem renováveis estaríamos pior e seja quais forem os benefícios obtidos no passado hoje eles são muito maiores”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Portugal assinou contratos de financiamento de 18M€ para duas novas pontes internacionais

A Ponte Internacional entre Alcoutim e Sanlúcar de Guadiana e a Ponte Internacional sobre o Rio Sever, terão um custo para Portugal de 18 M€, com financiamento via PRR. Ambos os projectos deverão estar concluídos até 2025

CONSTRUIR

Portugal assinou em Alcoutim e em Nisa os contratos de financiamento que vão permitir concretizar até 2025 a Ponte Internacional entre Alcoutim e Sanlúcar de Guadiana e a Ponte Internacional sobre o Rio Sever.

Estes investimentos, financiados em Portugal pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) com 18 milhões de euros, vão ser concretizados pelas Câmaras Municipais de Alcoutim e de Nisa, contando com a intermediação, respectivamente, das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve e do Alentejo na ligação à Estrutura de Missão Recuperar Portugal.

A ponte entre Alcoutim e Sanlúcar de Guadiana, cujas intervenções em território nacional representam um investimento de 9 milhões de euros, vai reforçar a cooperação entre as regiões do Algarve e da Andaluzia e dar um novo impulso ao trabalho desenvolvido no âmbito da Euro-região EUROAAA, que inclui também o Alentejo e que ocupa 21% da superfície da Península Ibérica.


O projecto vai ajudar a desenvolver este território e a melhorar a qualidade de vida da sua população ao assegurar a ligação entre as redes rodoviárias portuguesa e espanhola e reduzir cerca de 70 km na ligação entre Alcoutim, e Sanlúcar de Guadiana.

Também com um investimento de 9 milhões de euros para a parte portuguesa, a Ponte Internacional sobre o Rio Sever vai beneficiar toda a região do Alentejo e da Estremadura, num projecto fundamental para a valorização dos territórios do Interior e para a coesão territorial e transfronteiriça, com impactos positivos na dinamização cultural, social e económica, de cooperação e emprego nos dois lados da fronteira.

O projecto insere-se na Euro-região EUROACE, que abrange o espaço geográfico do Alentejo, Centro de Portugal e Estremadura espanhola, onde residem mais de 3 milhões de pessoas (6% da população peninsular). Este investimento vai permitir uma redução de 85 km na ligação entre Montalvão, no concelho de Nisa, e Cedillo.
A concretização destes dois projectos em 2025 vai trazer uma melhoria às ligações rodoviárias destes territórios, assegurar maior proximidade a corredores de grande capacidade, bem como menores custos de contexto para quem vive e trabalha nestas regiões.Ao mesmo tempo, impulsiona a dinâmica socioeconómica na zona de fronteira entre Portugal e Espanha e facilita a partilha de serviços ou infraestruturas já existentes. Assim, estas duas empreitadas ajudam a cumprir os objectivos da Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço assinada na Cimeira Luso-Espanhola de Outubro de 2020.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

“Memórias” da Piscina de Marés de Álvaro Siza em debate

Encontro online, no âmbito do projecto “Keeping It Modern – Piscina de Marés”, decorre esta quinta-feira, entre as 14h e as 18h no canal Youtube FAUPlive

CONSTRUIR

A Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), em parceria com a Câmara Municipal de Matosinhos e a Casa da Arquitectura, organiza esta quinta-feira, dia 9 de Setembro, entre as 14 horas e as 18 horas, o encontro online “Piscina de Marés – Sharing Memories | Partilhar Memórias”, no âmbito do projecto “Keeping It Modern – Piscina de Marés” financiado pela Fundação Getty. O encontro terá lugar através do canal Youtube FAUPlive.

A piscina de Marés assinalou este ano 55 anos desde a sua inauguração e foi, recentemente, alvo de um profundo e minucioso trabalho de reabilitação, que incluiu a construção de novos espaços de apoio e um aumento da área de permanência ao ar livre. As obras de reabilitação foram realizadas pela Câmara Municipal de Matosinhos, sendo o processo de gestão e conservação da obra objecto de estudo pela FAUP integrado no projeto “Keeping It Modern – Piscina de Marés”, financiado pela Fundação Getty.

Com diversas experiências disciplinares, ligadas à prática do projecto, à teoria, à curadoria ou à docência, os vários convidados, na maioria arquitectos, vão evocar a sua relação e olhar sobre o projecto e obra da piscina. Alguns dos convidados escreveram já, em momentos distintos, sobre a obra de Álvaro Siza e em especial sobre a Piscina de Marés, o encontro permitirá não só revisitar, questionar ou reafirmar essas reflexões, como,  proporcionar a partilha de testemunhos inéditos.

Além do arquitecto Álvaro Siza, de João Pedro Xavier, director da FAUP, de Fernando Rocha, vice-presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, de Nuno Sampaio, director da Casa da Arquitectura e de Susan Macdonald que representará a Fundação Getty, participam na iniciativa Alexandre Alves Costa, Ana Tostões, Brigite Fleck, Carlos Machado, Christian Gänshirt, Dominique Machabert, Eduardo Fernandes, Filipa Guerreiro, Giovanni Chiaramonte, Graça Correia, Joaquim Moreno, Jonathan Sergison, José Cabral Dias,Juan Domingo Santo, Kenneth Frampton (a confirmar), Luis Martínez Santamaría, Luís Urbano, Michel Touissant, Nuno Brandão Costa, Nuno Grande, Pedro Leão Neto, Peter Testa, Pierluigi Nicolin, Roberto Cremascoli, Rui Póvoas, Teresa Cunha Ferreira, Teresa Novais e Wilfred Wang.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector da construção, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias da Construção em Portugal. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.