Edição digital
Assine já
Empresas

Riportico Engenharia entre as melhores PME portuguesas

A consultora Riportico Engenharia acaba de obter a certificação “TOP 5% Melhores PME de Portugal 2021”, que determina as melhores PME nacionais em termos de desempenho e solidez financeira, atribuída pela Scoring

CONSTRUIR
Empresas

Riportico Engenharia entre as melhores PME portuguesas

A consultora Riportico Engenharia acaba de obter a certificação “TOP 5% Melhores PME de Portugal 2021”, que determina as melhores PME nacionais em termos de desempenho e solidez financeira, atribuída pela Scoring

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
OBO apresenta V10 Compact 2.0
Empresas
Guarda: Autarquia quer incluir Hotel Turismo no plano de revitalização do PNSE
Construção
Lars Petersson nomeado CEO do Grupo VELUX
Empresas
APEMIP promove reflexão com agentes da mediação imobiliária
Imobiliário
LovelyStay factura mais de 7 M€ no Verão de 2022
Imobiliário
Go Porto lança concurso para remodelação da Casa Escola do Batalhão de Sapadores Bombeiros
Construção
Matosinhos lança concursos públicos para reabilitação no valor de 25M€
Construção
Francesa Kiloutou adquire Grupo Vendap e inaugura presença em Portugal
Empresas
Exportações no cluster do mobiliário e afins superam números de 2019
Empresas
Novo revestimento de fachadas da CIN com efeito granulado mate
Empresas

A consultora Riportico Engenharia acaba de obter a certificação “TOP 5% Melhores PME de Portugal 2021”, que determina as melhores PME nacionais em termos de desempenho e solidez financeira. Atribuída pela Scoring, uma entidade independente que promove uma classificação económico-financeira com garantias de rigor e isenção, a certificação baseou-se nas contas anuais de 2020 e na análise dos principais rácios económico-financeiros, com a Riportico a apresentar um Índice de Desempenho e Solidez Financeira na categoria de “Excelente”, segundo o método ScorePME.

“Obter esta certificação e pertencer ao grupo restrito das melhores PME de Portugal é uma enorme honra e o reconhecimento do crescimento e da consolidação do trabalho desenvolvido pela Riportico. Esta atribuição é o reflexo da qualidade dos nossos serviços e das relações duradouras e cooperantes que procuramos desenvolver com os nossos clientes, parceiros e colaboradores”, afirma Davide Borges, gestor da Riportico.

A avaliação das empresas é realizada a partir da análise do IES (Informação Empresarial Simplificada), com base no método desenvolvido pela Scoring, com as classificações depositadas na ASSOFT, um processo que assegura isenção e rigor nas certificações atribuídas.

Para atribuir a certificação “TOP 5% Melhores PME de Portugal”, a Scoring determina os índices de Desempenho Económico e de Solidez Financeira de todas as empresas que cumpram os requisitos de acesso. As entidades que obtiverem uma notação “5 – Excelente” são elegíveis para a certificação “TOP 5% Melhores PME de Portugal”.

“O crescimento da Riportico sempre foi consequência de servirmos bem, e é muito bom ver que hoje temos mais de 300 clientes activos que continuam a procurar fazer excelentes infraestruturas, tendo a Riportico como seu parceiro na gestão de projecto, na concepção dos mesmos ou na gestão e fiscalização das obras. Queremos continuar a evoluir e crescer de forma sustentável, a todos os níveis, e reuniremos todos os nossos esforços e melhores talentos para que isso continue a ser uma realidade”, assegura Davide Borges.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
OBO apresenta V10 Compact 2.0
Empresas
Guarda: Autarquia quer incluir Hotel Turismo no plano de revitalização do PNSE
Construção
Lars Petersson nomeado CEO do Grupo VELUX
Empresas
APEMIP promove reflexão com agentes da mediação imobiliária
Imobiliário
LovelyStay factura mais de 7 M€ no Verão de 2022
Imobiliário
Go Porto lança concurso para remodelação da Casa Escola do Batalhão de Sapadores Bombeiros
Construção
Matosinhos lança concursos públicos para reabilitação no valor de 25M€
Construção
Francesa Kiloutou adquire Grupo Vendap e inaugura presença em Portugal
Empresas
Exportações no cluster do mobiliário e afins superam números de 2019
Empresas
Novo revestimento de fachadas da CIN com efeito granulado mate
Empresas
Empresas

OBO apresenta V10 Compact 2.0

A segunda geração do descarregador de sobretensões compacto tem uma capacidade total de descarga até 60 kA (8/20) e oferece uma solução integrada 3+1 para sistemas de rede TN e TT, com uma largura de Modul 45 mm

CONSTRUIR

A OBO Bettermann Portugal apresenta o V10 Compact 2.0, a versão que vem substituir o V10 Compact e que está agora ainda mais optimizada. O descarregador de sobretensões compacto tipo 2+3 tem uma capacidade total de descarga até 60 kA (8/20). Oferece uma solução integrada 3+1 para sistemas de rede TN e TT, com uma largura de Modul 45 mm, possuindo elevado desempenho com tecnologia de varistores. 

A nova versão V10 Compact 2.0 agora é adequada não apenas para o uso no quadro parcial, mas também no quadro distribuidor principal (quadro geral) em edifícios sem sistema exterior de protecção contra raios e com a alimentação de energia através de cabo aterrado, bem como dispositivo de proteção para sistemas elétricos com máquinas rotativas.

Com uma largura de apenas 45 mm, o V10 Compact 2.0 destaca-se pelo seu “design compacto”. Os detalhes adicionais do descarregador de sobretensões compacto incluem as aberturas dos parafusos ampliadas, o corte térmico/dinâmico e um display de função visual LED.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Lars Petersson nomeado CEO do Grupo VELUX

O novo responsável substitui David Briggs, que esteve à frente do Grupo nos últimos cinco anos e que se irá reformar

CONSTRUIR

Lars Petersson é actualmente o presidente e CEO da Hempel e irá juntar-se à VELUX a 1 de novembro de 2022. Até lá, Anders Götzsche, CFO da VELUX, ocupará a função de CEO interino.

Lars Petersson é presidente e CEO na Hempel, uma empresa global da indústria de revestimentos, sediada na Dinamarca. Antes da Hempel, Lars Petersson ocupou cargos de gestão de topo na Inwido, um fabricante sueco de janelas e portas, e no fabricante francês de pavimentos, Tarkett. Desde 2019 que Lars Petersson é membro do Conselho da empresa VKR Dovista.

“Lars Petersson traz uma vasta experiência e um forte histórico de empresas globais de manufactura. Sob a sua liderança, a Hempel lançou, com sucesso, uma estratégia de crescimento ambiciosa com foco nos seus clientes e um compromisso igualmente forte de assumir a liderança em sustentabilidade. Estou confiante de que encontrámos a pessoa certa para liderar o desenvolvimento contínuo da VELUX”, aponta Jørgen Jensen, presidente do conselho do Grupo VELUX.

“Sinto-me honrado e estou muito entusiasmado por ter a oportunidade de liderar o Grupo VELUX. Trabalho na indústria de materiais de construção há duas décadas e sempre admirei a VELUX pela sua poderosa marca e qualidade. A empresa tem um grande legado ao definir toda uma indústria e ao manter um forte senso de responsabilidade social. Estou ansioso por fazer parte da VELUX e ajudar a concretizar as ambições estabelecidas na estratégia lançada recentemente para fazer a empresa crescer e elevar o padrão de administrar um negócio sustentável”, refere Lars Petersson.

Após cinco anos a gerir o Grupo VELUX, David Briggs deixará o cargo de CEO em setembro. “O David teve uma carreira de sucesso com a VELUX durante quase 30 anos e, sob a sua liderança de cinco anos como CEO, a história de sucesso da VELUX continuou e acelerou. Lamento vê-lo sair, mas respeito totalmente o seu desejo de passar mais tempo com a família”, menciona o presidente da VELUX, Jørgen Jensen. “Juntamente com o conselho e uma forte equipa de gestão, David implementou uma estratégia empolgante destinada a proporcionar um crescimento significativo até 2030 e liderar o caminho da sustentabilidade no setor de construção. Continuamos totalmente envolvidos com os fundamentos dessa estratégia”, continua Jørgen Jensen.

“Foi a maior honra e privilégio da minha vida poder liderar a VELUX e representar esta magnífica empresa e todos os meus excelentes colegas. Desde 2018 alcançámos resultados dos quais todos nos podemos orgulhar, resultados que foram muito além do que muitos pensavam ser possível. E isso, deve-se ao compromisso dos meus colegas, mas também dos nossos parceiros, fornecedores e, claro, clientes”, confessa David Briggs.

“Acredito que o melhor ainda está para vir para a VELUX, conforme estabelecido na estratégia corporativa que lançámos em 2021, e que já começa a mostrar resultados fortes. É difícil afastar-me de algo em que acredito e que amo tanto. Mas sinto que é o momento certo para mim e para minha família. Com um forte conselho apoiado pelos accionistas de longo prazo não tenho dúvidas de que a VELUX continuará a crescer e a ser o que, provavelmente, é o melhor negócio de materiais de construção do mundo por muitos anos”, acrescenta David Briggs.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Francesa Kiloutou adquire Grupo Vendap e inaugura presença em Portugal

O Grupo Kiloutou anunciou a assinatura de um acordo para adquirir o Grupo Vendap, a vários fundos de investimento e investidores locais. A actual equipa de gestão sénior, liderada por Francisco Ferreira do Amaral irá manter-se e reforçar

CONSTRUIR

O Grupo Kiloutou anunciou a assinatura de um acordo para adquirir o Grupo Vendap, a vários fundos de investimento e investidores locais. A actual equipa de gestão sénior, liderada por Francisco Ferreira do Amaral irá manter-se e reinvestir no grupo.

Com 40 anos de experiência, o Grupo Vendap é líder no sector de aluguer de equipamentos em Portugal com uma quota de mercado de 18% e uma oferta vasta que inclui sanitários portáteis, geradores eléctricos, plataformas de trabalho e módulos e contentores. Os seus 340 empregados operam uma rede nacional de 8 filiais em todo o país, servindo pequenos e grandes clientes nacionais nos sectores da engenharia, da construção civil e do sector público.

A aquisição pelo Grupo Kiloutou permitirá a aceleração da actividade através do crescimento interno, abertura de novos armazéns, oferta ampliada de frota e aquisições selectivas. A actual equipa de gestão apoia plenamente a transacção e conservará as suas funções na nova organização, enquanto Francisco Ferreira do Amaral, CEO do Grupo Vendap, reportará directamente ao membro executivo responsável pela parte Internacional no comité executivo do Grupo Kiloutou.

“Partilhamos com Kiloutou as mesmas competências especializadas e a ambição de melhorar continuamente os serviços que prestamos aos nossos clientes. Esta aquisição irá reforçar a nossa capacidade de desenvolvimento no mercado português. Com a nossa equipa de gestão, estou orgulhoso e satisfeito com este novo passo em frente”, sublinha Francisco Ferreira do Amaral, CEO do Grupo Vendap.

A Kiloutou é a terceira maior empresa de aluguer de equipamentos da Europa e um dos principais actores do sector em França. Com mais de 40 anos de actividade, tem entre os seus clientes empresas do sector da construção civil, artesãos, PME, autarquias e indústria. Emprega mais de 6.500 colaboradores que servem mais de 400.000 clientes em seis países europeus. A rede Kiloutou é constituída por 564 agências e oferece mais de 1.000 referências de produtos e mais de 265.000 peças de equipamento em quatro principais famílias de produtos: movimentação de terras, equipamentos de elevação, veículos utilitários e ferramentas.

“Kiloutou e o Grupo Vendap partilham muitos valores comuns. Gostaria de dar as boas-vindas aos 340 membros da equipa do Grupo Vendap, cuja forte experiência e liderança de mercado irão beneficiar muito o Grupo Kiloutou no futuro desenvolvimento da sua actividade”, refere Olivier Colleau, presidente executivo do Grupo Kiloutou
Propriedade de HLD e Dentressangle desde 2018, a Kiloutou alcançou um rápido desenvolvimento através de um crescimento orgânico estável e de uma política de crescimento externo dinâmico. Esta transacção surge no seguimento da estratégia de expansão internacional do grupo iniciada nos últimos anos. A entrada em Portugal segue-se após a aquisição da GSV na Dinamarca em Março deste ano. Kiloutou está hoje presente na Polónia, Espanha, Itália, Alemanha, Dinamarca e agora Portugal. Esta expansão contribui para a diversificação acelerada da sua base de clientes e linhas de negócios, com 33% das suas receitas geradas fora de França, e deverá permitir ao Grupo Kiloutou granjear receitas superiores a mil milhões de euros.

Espera-se que a aquisição do Grupo Vendap seja encerrada antes do final de Setembro, ambas financiadas com os recursos existentes. A aquisição está sujeita a aprovações legais consuetudinárias.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Exportações no cluster do mobiliário e afins superam números de 2019

Os dados apurados pela APIMA revelam a consolidação da tendência de afirmação internacional dos sectores, com destaque para os mercados francês, espanhol e americano

CONSTRUIR
tagsAPIMA

Entre os meses de Janeiro e Junho de 2022, as empresas do cluster do mobiliário e afins geraram quase 1000 milhões de euros em vendas ao exterior, superando em 9% os valores registados em igual período no ano transacto. O resultado confirma as perspectivas de retoma do crescimento que o cluster vinha a registar na última década, mesmo com os impactos da pandemia, com um crescimento de 5% face ao primeiro semestre de 2019.

Os principais mercados comerciais deste cluster demonstram, assim, um desempenho positivo quando comparados com o ano anterior. França, responsável por 33,84% das exportações nacionais, importou mais 6,66% face ao igual período em 2021, seguindo-se Espanha, com uma quota de 24,60%. Já o mercado americano, manteve-se como o terceiro mais relevante, ao registar uma variação homóloga de 38,66%, seguindo-se a Alemanha (4,70%) e o Reino Unido (20,42%).

Joaquim Carneiro, presidente da Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins (APIMA), demonstra-se “satisfeito com os resultados alcançados, numa conjuntura particularmente desafiante, pautada pela escassez de matérias-primas, pelos custos de produção e de transporte.  Não podemos, contudo, acreditar que estas condicionantes não afectarão seriamente a actividade económica deste cluster. “

“Por outro lado, a retoma dos grandes certames internacionais, como a Maison&Objet, a Tortona Design Week ou o Portugal Home Week, está a revelar-se extremamente positiva para o cluster, ao permitir que apresente a excelência da produção nacional e a complementaridade da sua oferta internacionalmente. Falamos de um cluster altamente exportador e que vê nas feiras uma enorme possibilidade de fechar negócios com os seus clientes”, acrescenta.

O saldo da balança comercial nos primeiros seis meses do ano manteve-se substancialmente positivo, cifrado nos 401 milhões de euros, com uma taxa de cobertura das importações pelas exportações de 169%. Assim, o cluster do mobiliário e afins constitui um dos mais exportadores da economia nacional, com cerca de 90% da produção a ser destinada aos mercados estrangeiros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Novo revestimento de fachadas da CIN com efeito granulado mate

O Karst é um revestimento espesso de granulometria média (1,2 mm), com “índice de brancura superior, melhor trabalhabilidade e aderência” que é “ideal para disfarçar as irregularidades ligeiras do reboco”

CONSTRUIR

A especialista ibérica de tintas e vernizes CIN lançou um novo produto para fachadas que, além da “protecção duradoura”, assegura um “efeito decorativo granulado mate às paredes de sua casa”. O Karst é o novo revestimento espesso de granulometria média (1,2 mm), apresentando “um índice de brancura superior, melhor trabalhabilidade e aderência, traduzindo-se num menor desperdício de produto na fase de execução”.

As suas características tornam o Karst “ideal para disfarçar as irregularidades ligeiras do reboco, contribuindo para um melhor acabamento estético das fachadas”. O novo produto da CIN é também recomendado como acabamento para sistemas de isolamento térmico pelo exterior.

O novo produto está disponível em branco e em centenas de cores do catálogo de fachadas da CIN, as quais “são formuladas exclusivamente com corantes inorgânicos que confere uma elevada resistência à alcalinidade e aos raios UV”. A nível técnico, o novo revestimento demonstra “elevada permeabilidade” ao vapor de água, assim como “baixa permeabilidade à água líquida e resistência ao desenvolvimento de fungos e algas”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Panasonic mostra as suas soluções para combater as alterações climáticas na IFA 2022

A iniciativa Impacto Verde para reduzir a sua pegada de CO2 estará em destaque no certame bem como as novas tecnologias e projectos concebidos para alcançar a neutralidade de carbono até 2030

CONSTRUIR

A Panasonic apresenta as suas soluções para combater as alterações climáticas através da iniciativa Impacto Verde na IFA 2022. Esta iniciativa visa dar um contributo fundamental para a resolução dos problemas ambientais, com um foco específico na redução maciça do carbono e na economia circular.

O certame será, assim, montra para os projectos-piloto de sustentabilidade e tecnologias energéticas que apoiam a descarbonização da sociedade e ajudam a resolver os problemas ambientais do planeta. A começar pelo novo stand, concebido para reduzir a pegada de carbono, com um novo design, materiais e forma de apresentar os produtos e decorar as paredes, resultando numa redução total de 140 toneladas de emissões de CO2, em comparação com o stand de 2019. Este valor, calculado de acordo com o Protocolo GHG (Green House Gas), é equivalente a uma redução de 71%.

“A Europa está muito avançada na actuação em matéria de sustentabilidade e é, portanto, uma região chave para liderar a nossa agenda ambiental. Para implementar a missão de sustentabilidade na nossa estratégia empresarial, o Grupo Panasonic lançou a “Impacto Verde”, uma visão estratégica que delineia o nosso compromisso e ações para alcançar “Net Zero” até 2050″, explica Masahiro Shinada, presidente e CEO da Panasonic Corporation.

Neutralidade de carbono: aquecimento verde
O conceito é alargado aos produtos desenvolvidos para dar resposta, entre outras, à crescente necessidade de soluções sustentáveis de aquecimento e arrefecimento para casas particulares, escritórios e espaços comerciais. O novo sistema Aquarea EcoFleX, da Panasonic liga uma unidade interior com tecnologia nano X e uma bomba de calor ar-água Aquarea, ou seja, combina uma solução de aquecimento com purificação do ar. Este sistema híbrido altamente eficiente fornece água quente, aquecimento e arrefecimento com recuperação de calor para a água quente. Equipado com a tecnologia exclusiva da Panasonic nano X, também inibe cinco tipos de poluentes, incluindo certas bactérias e vírus, bem como odores, assegurando um ambiente controlado pelo clima e um ar mais limpo, contribuindo para um melhor bem-estar espacial.

O sistema de controlo Aquarea EcoFleX está equipado com Wi-Fi para conectividade instantânea através da Panasonic Comfort Cloud App, que permite um controlo inteligente e monitorização contínua do consumo de energia por parte do utilizador. Além disso, o sistema de monitorização de manutenção remota, Aquarea Service Cloud, permite ao técnico ou instalador visualizar o sistema de bomba de calor antes de ocorrer qualquer tempo de paragem. Quando funcionam com electricidade verde, as bombas de calor ar-água Aquarea geram praticamente nenhuma emissão de CO2 durante o funcionamento, uma vez que até 80% da energia térmica necessária provém do ar ambiente. Aquarea EcoFleX é um dos sistemas líderes entre as soluções energéticas da Panasonic para aquecimento e arrefecimento.

Redução do carbono: menor dependência da energia fóssil e menores emissões de CO2

Também em destaque estará o gerador de células de combustível de hidrogénio puro, que pode funcionar com hidrogénio verde. Em geral, o hidrogénio verde é gerado pela divisão das moléculas de água (H2O) em hidrogénio (H2) e oxigénio (O2). A energia excedente proveniente de energias renováveis (painéis fotovoltaicos ou moinhos de vento) é utilizada para este fim.

Uma única unidade de pilha de combustível de hidrogénio puro pode gerar até 5 kW de electricidade, o que é adequado para a procura de instalações comerciais de pequena escala. Além disso, ao ligar e controlar várias unidades de células de combustível, a potência pode ser aumentada de acordo com a procura. O sistema, que já se encontra em utilização comercial no Japão, deverá ser introduzido na Europa uma vez asseguradas as condições infraestruturais e a disponibilidade de hidrogénio puro.

Em Abril de 2022, 99 unidades deste sistema foram instaladas numa instalação piloto numa fábrica da Panasonic no Japão. Pretende-se que 100% da energia utilizada para as operações desta instalação seja gerada a partir de recursos renováveis. A instalação “RE100” (Renewable Energy 100%) faz parte de um sistema energético autossuficiente que combina a produção a partir de hidrogénio puro e painéis fotovoltaicos, bem como o armazenamento de baterias. Este tipo de autonomia energética verde para locais de fabrico ainda é raro em todo o mundo.

Economia circular: novo design para prolongar a vida útil dos produtos

Outro produto a merecer a atenção será o novo Multishape, lançado na Europa há alguns meses. Este produto é construído com um design modular e inclui cabeças intercambiáveis, permitindo cinco tipos diferentes de aparar, incluindo uma máquina de barbear, um aparador, uma escova de dentes e outros acessórios.

A concepção modular de Multishape consiste numa unidade principal com um único carregador, evitando assim cabos e carregadores desnecessários, poupando cerca de 60% dos recursos, em comparação com o design convencional do produto. O design modular também permite a substituição de peças individuais em caso de quebra, permitindo assim uma utilização mais prolongada. Começando pelos produtos de cuidados pessoais na Europa, a Panasonic já manifestou a intenção de adoptar, gradualmente, esta filosofia de design de economia circular e estendê-la-á a outros produtos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Viúva Lamego leva “Cor” à Maison & Objet

Novas paletas cromáticas, colecções de autor e um painel de azulejos inédito marcarão a participação da centenária Viúva Lamego em mais uma edição da Maison & Objet, em Paris

CONSTRUIR

De 8 a 12 de Setembro, a Viúva Lamego volta a marcar presença em mais uma edição da Maison & Objet, que irá decorrer em Paris. Este ano, o tema escolhido pela marca centenária é “Cor”, que é retractada em várias colecções com inspirações diversas.

A começar pelo painel com uma extensa paleta cromática que evidencia a grande diversidade de cores de vidrados, dos tons fortes àqueles mais suaves – vidros que aplicados em superfícies lisas ou com textura, em formas planas ou com relevo, revelam variações de tonalidade, tornando cada azulejo Viúva Lamego uma peça única. Os vidrados da Viúva Lamego são um factor de diferenciação e de identidade da marca com 173 anos de história e saber fazer.
Noutro colectivo, com uma vertente mais orgânica, abundam os tons terra, os ocres, o verde-musgo e os brancos que, sendo transparentes, deixam trespassar a cor da matéria. Serão reveladas, em primeira mão, novas cores e extensões de colecções já existentes, como o SUD Coral e o SUD Branco T.

A profunda e respeitada ligação entre a Viúva Lamego e os artistas que com ela trabalham não poderia ser esquecida, com a marca a viajar até à capital francesa com duas colecções de autor na bagagem. De um lado, o “Caos” by CAN RAN, que nasce da parceria entre as arquitectas Catarina Almada Negreiros e Rita Almada Negreiros, netas do modernista português que lhes passou o nome de família e a inspiração artística, do outro, a “Tavira” de Bela Silva.

O trabalho do atelier CAN RAN, que desde 2002 colabora com a Viúva Lamego, pretende fazer uma reflexão sobre o azulejo, explorando a sua simplicidade e também as inúmeras possibilidades e singularidades que lhe estão inerentes. A colecção “Caos” tem como base um único azulejo 14 cm por 14 cm de lastra extrudido – nele é impresso um cunho em baixo-relevo de seis linhas diagonais com 2 mm de espessura. Cada uma das seis linhas diagonais encontra sempre outra no azulejo vizinho, criando desenhos de linhas contínuas e quebradas que, por sua vez, sugerem redes e reflexos, isto é, identidades únicas.

Já a pequena cidade na costa algarvia, no sul de Portugal, serve de inspiração à artista Bela Silva, que passou longos períodos nos Verões da infância em Tavira. As recordações de tempos felizes desdobram-se numa colecção que pisca o olho à arquitectura daquela região: sobre um fundo branco proliferam cores vivas, com associações estivais, como o amarelo, os verdes e até o azul-mar.

Os azulejos de 17 cm por 17 cm apresentam um acabamento irregular, tanto na superfície como na forma. A pintura de Bela Silva é manual, imprimindo, assim, um carácter de unicidade entregue às pinceladas mais ou menos carregadas. A coleção “Tavira” é composta por quatro desenhos que formam quatro padrões distintos.

É também Bela Silva quem assina um painel de azulejos pintados à mão – com o nome “Um pássaro mexicano que viaja no tempo do México à Índia” –, cuja inspiração transcende fronteiras e viaja até à Índia e ao México: as duas geografias tão distantes entre si encontram na exuberância de cores um denominador comum. O painel será revelado na tão aguardada feira Maison & Objet.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Otovo inicia operações em Portugal e lança modelo de subscrição para sistemas de painéis solares e baterias

A plataforma digital norueguesa de instalações solares e baterias para o mercado residencial oferece a possibilidade de subscrever a energia solar como um serviço, ao lançar um modelo de subscrição mensal,

CONSTRUIR

Otovo arranca oficialmente hoje em Portugal. A plataforma digital europeia de instalações
solares e baterias para o mercado residencial oferece a possibilidade de subscrever a energia
solar como um serviço, ao lançar o modelo de subscrição mensal, sem necessidade de investimento inicial.

Portugal é o décimo país a receber a empresa norueguesa cotada na euronext growth, com
uma capitalização de mercado de cerca de 350 milhões de euros. A entrada no mercado nacional surge numa altura em que o mundo enfrenta uma crise energética global com a subida constante dos preços e é justificada pelo enorme potencial que Portugal tem neste domínio. Mais de 54% os portugueses vivem em casa independente ou geminada, mas apenas 3,5% da energia consumida actualmente provém de fontes renováveis. É esta larga maioria do mercado residencial nacional que a Otovo dirige o seu foco. “Acreditamos que um acesso fácil e economicamente viável ao autoconsumo é a chave para ajudar as famílias a reduzir os seus custos com energia assim como a sua dependência da rede e da volatilidade do mercado. A Otovo quer ser a primeira opção para as famílias escolherem energia solar. Estamos a introduzir, pela primeira vez em Portugal, o modelo de subscrição mensal que permite às famílias terem poupanças imediatas na sua factura energética sem investimento inicial”, sublinha Manuel Pina, director geral da Otovo em Portugal.

Além de poderem adquirir o equipamento solar na sua totalidade, os consumidores podem optar apenas pelo modelo de subscrição mensal, através do qual têm a possibilidade de aceder à energia solar nas suas casas, sem a necessidade de um investimento inicial, mas com a opção de adquirir o sistema em qualquer altura numa data posterior.
Desta forma, “os consumidores podem poupar na sua factura energética desde o primeiro mês, com uma garantia da Otovo sobre o equipamento e a instalação durante toda a duração da subscrição. O objectivo é que o cliente seja capaz de aumentar o seu autoconsumo tanto quanto possível ao tornar-se menos dependente da rede e da volatilidade dos preços da electricidade”, explica a empresa.

O acesso é simples. Na plataforma Otovo, os clientes podem introduzir a sua morada e confirmar o telhado para ter acesso a uma primeira oferta e às poupanças estimadas.

A plataforma irá analisar o potencial do telhado sem a necessidade de uma visita a casa, e irá encontrar o melhor preço e instalador para o cliente, com base num processo de licitação automática entre os instaladores disponíveis.
A Otovo oferece uma garantia de 5 anos para instalações, acima dos 3 anos exigidos por lei. O modelo de subscrição oferece uma garantia total de equipamento e instalação durante toda a duração do contracto, bem como um apoio contínuo.

Em expansão está a rede de instaladores inscrita na plataforma. Por enquanto são apenas quatro as empresas instaladoras qualificadas e certificadas que integram a rede e com capacidade para dar uma resposta a nível nacional, mas este é um número que deverá crescer em breve. “Para os instaladores, trabalhar com a Otovo permite a estas empresas locais de instalação de painéis solares concentrarem-se naquilo que fazem melhor: a instalação. Através da plataforma os instaladores conseguem poupar tempo e dinheiro em angariação de novos clientes, dimensionamento e orçamento de projectos, assim como em outros custos de marketing. A Otovo envia os projectos prontos a instalar aos instaladores e trabalha com eles de forma contínua para melhorar a sua capacidade de instalação”, sublinha.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Eurofred apresenta as novas gamas Fujitsu para o segmento residencial

As novas gamas Split KM e KE contam com classe A++ em arrefecimento e A+ em aquecimento, com um SEER de 7.4 e um SCOP de 4.4, possibilitando uma “eficiência energética superior”

CONSTRUIR

Com um funcionamento “super silencioso, fluxo de ar confortável e um design minimalista e sofisticado”, a Eurofred apresenta as novas gamas Split KM e KE da Fujitsu para o segmento residencial.

Classe A++ em arrefecimento e A+ em aquecimento, com um SEER de 7.4 e um SCOP de 4.4, as séries KM e KE da FUJITSU oferecem “uma eficiência energética superior graças ao seu permutador de calor de alta eficiência, grande ventilador de fluxo cruzado e gás refrigerante ecológico R32”.  Além disso, “ambos têm um modo económico, que evita arrefecimento e aquecimento desnecessários ajustando automaticamente o termóstato dependendo da temperatura”. 

Devido ao design das suas alhetas, a série KM da FUJITSU, em modo “Super Quiet”, alcança um nível de som super silencioso, de 20 dB em arrefecimento, maximizando o conforto de qualquer espaço. Além disso, o equipamento permite ajustar a temperatura de modo que não desça abaixo de 10°C, tenham alhetas de oscilação verticais e o seu microcomputador configura automaticamente o fluxo de ar em função da temperatura ambiente, o que, juntamente com funções como o modo poderoso ou a mudança e o reinício automático, também contribui para oferecer o melhor conforto aos utilizadores.

Graças ao permutador de calor multi-path de alta densidade e ao ventilador de alta eficiência, a série KM da FUJITSU tem um design quadrado elegante e compacto que tem apenas 222 mm de profundidade. Além disso, com uma função de programação do sono e programas ou sinal de aviso de limpeza de filtros, as máquinas são fáceis de operar e manter.

As unidades interiores da serie KE da FUJITSU estão especialmente concebidas para harmonizar com o que as rodeia e trazer um ambiente confortável e elegante à sua estadia. A expressão tridimensional leve e elegante, formada por superfícies curvas, é atraente em qualquer lugar e a textura do painel frontal, que muda dependendo da luz do dia, recria uma atmosfera artesanal.

O equipamento tem uma grande grelha de ventilação que, combinada com uma nova estrutura de sopro de ar, consegue um fluxo confortável que chega até aos pés do utilizador com um funcionamento silencioso. Neste sentido, e tal como a série KM, os Splits KE contam com funcionamento de calor de 10ºC, alhetas de oscilação vertical, velocidade automática do ventilador e modos potentes e alterações e resets automáticos para maximizar o conforto.

A série KE da FUJITSU também é simples de operar e manter, com funcionalidades de sono, programa e agendamento semanal, bem como sinal de limpeza de filtros e painel lavável fácil de remover. Também ajuda a manter o ambiente interior em ótimas condições graças aos seus dois filtros: desodorização de iões, que elimina os odores absorvidos, decompondo-os através da oxidação e redução dos efeitos dos iões gerados por partículas ultrafinas, e da Apple-catechin, que utiliza eletricidade estática para limpar partículas finas e poeira no ar.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Miguel Cruz é o novo presidente da IP

O ex-Secretário de Estado do Tesouro conduzirá o destino da Infraestruturas de Portugal no triénio 2022-2024

CONSTRUIR

Miguel Jorge de Campos Cruz é o novo Presidente da Infraestruturas de Portugal, S.A. e Carlos Alberto João Fernandes e Maria Amália Freire de Almeida são os Vice-Presidentes. O novo Conselho de Administração para o triénio 2022-2024 foi eleito na última Assembleia Geral da IP.

Vanda Cristina Loureiro Soares Nogueira, Alexandra Sofia Vieira Nogueira Barbosa e Ana Isabel Mota da Silva Coelho assumem as funções de Vogais do Conselho de Administração.

Miguel Cruz é doutorado em Economia pela London Business School e desempenhou funções como Secretário de Estado do Tesouro, entre Junho de 2020 e Março de 2022. É licenciado em Economia, Mestre em Gestão e tem um MBA com especialização em Finanças, pela Universidade Católica Portuguesa. Foi recentemente Presidente dos Conselhos de Administração da Parpública – Participações Públicas SGPS, S.A., do Circuito do Estoril S.A., e da Sagesecur – Sociedade de Estudos, Desenvolvimento e Participação em Projectos, S.A., e Vogal não executivo do Conselho de Administração da AdP – Águas de Portugal, SGPS, S.A entre 2017 e 2020.

Foi Presidente do Conselho Diretivo do IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, I.P. entre Fevereiro de 2014 e Fevereiro de 2017, Presidente do Conselho de Administração da AdI – Agência de Inovação, S.A., entre 2012 e 2014, Presidente do Conselho de Administração do Cedintec – Centro para o Desenvolvimento e Inovação Tecnológicos, S.A., para além de Vice-Presidente da SPGM – Sociedade de Investimento, S.A.

Miguel Cruz é, ainda, Embaixador em Portugal para os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS das Nações Unidas/Global Compact Portugal.

Desde 1989, é Professor convidado em diversas universidades e, em particular, na Universidade Católica Portuguesa e na Universidade Autónoma de Lisboa, onde é Professor Auxiliar Convidado.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.