Edição digital
Assine já
Empresas

Teka lança novas soluções de lava-louças

PureClean, PVD, Tegranite+ e Universe são as quatro novas gamas no mercado

CONSTRUIR
Empresas

Teka lança novas soluções de lava-louças

PureClean, PVD, Tegranite+ e Universe são as quatro novas gamas no mercado

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Autarquia de Cerveira investe 1,2M€ em Parque Empresarial
Construção
Associação Smart Waste Portugal anuncia criação de plataforma Vidro+
Construção
Investimento imobiliário na baixa e centro histórico do porto aumenta 30% para 197,1M€
Imobiliário
A aposta da PPG Dyrup em exteriores
Empresas
Zome realiza primeira escritura pública em criptoactivos na Europa
Imobiliário
Município de Bragança alarga Áreas de Reabilitação Urbana ao meio rural
Imobiliário
Vila Franca de Xira assume-se como eixo logístico
Imobiliário
Otovo entra em Portugal e contrata Manuel Pina
Empresas
CBRE ganha gestão e comercialização do LeiriaShopping
Imobiliário
Governo cria regime excepcional de revisão de preços na construção
Construção

A especialista em cozinhas Teka apresenta as quatro novas gamas de lava-louças: PureClean, PVD, Tegranite+ e Universe.

De forma a garantir que a segurança parte de casa, desenvolveu os lava-louças com tratamento PureClean, projectados para transformar a sua superfície texturizada numa área que repele água (hidrofóbica) conseguindo manter a cuba limpa e seca e evitando a proliferação de bactérias, o calcário e a sujidade. É a primeira gama de lava-louças com sistema autolimpante que, por ser em aço inox, se torna uma opção ideal para a cozinha. Uma vez que não são apenas resistentes à água, mas também ao vapor de água, à humidade, aos ácidos alimentares e aos ácidos orgânicos e inorgânicos fracos.

Para complementar a sua cozinha, os lava-louças em PVD (Deposição Física de Vapor) prometem proporcionar um toque de distinção e classe. A cor do material é obtida pela evaporação do metal que adere à superfície, criando uma camada de cor. Seja com uns apontamentos em dourado ou com uma cor tendência como o titânio, com certeza poderá decorar a sua cozinha pronta para surpreender.

Extremamente resistentes a impactos e temperaturas altas, possuindo uma superfície à prova de riscos, a Teka lançou também os lava-louças Tegranite+ nas suas gamas Stone, Square e Forsquare, concebidos com 80% de quartzo de alta qualidade combinado com resinas acrílicas. Por fim, a gama Universe, vencedora do European Product Design Award 2021, pela sua “resistência e durabilidade”. Constituídos por um aço inoxidável extremamente resistente, os lava-louças Universe definem-se pelo seu design único e vanguardista, proporcionando a utilização de recipientes até 195 mm de altura e garantindo uma vasta gama de soluções, aplicável aos mais versáteis formatos de cozinha, assegurando que a sua utilização e manutenção seja prática e eficiente pela facilidade de limpeza que oferecem.

A Teka Portugal, fundada em 1978, iniciou a sua actividade apenas com a produção e comercialização de lava-louças em aço inoxidável, mas tem vindo a fazer uma forte aposta na diversificação das suas áreas de intervenção. Dedicada à comercialização de equipamentos para cozinha, espaços de banho e telecomunicações, a Teka Portugal produz actualmente microondas, fornos de vapor, fornos combi, exaustores, chaminés decorativas, gavetas de aquecimento e máquinas de café e comercializa outros produtos importados quer das diversas fábricas do Grupo, quer de outros fabricantes cuidadosamente seleccionados.

Actualmente, o grupo dispõe de 15 fábricas e 4.000 trabalhadores em todo o mundo, com presença em mais de 120 países, produzindo mais de 15 milhões de equipamentos por ano.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Autarquia de Cerveira investe 1,2M€ em Parque Empresarial
Construção
Associação Smart Waste Portugal anuncia criação de plataforma Vidro+
Construção
Investimento imobiliário na baixa e centro histórico do porto aumenta 30% para 197,1M€
Imobiliário
A aposta da PPG Dyrup em exteriores
Empresas
Zome realiza primeira escritura pública em criptoactivos na Europa
Imobiliário
Município de Bragança alarga Áreas de Reabilitação Urbana ao meio rural
Imobiliário
Vila Franca de Xira assume-se como eixo logístico
Imobiliário
Otovo entra em Portugal e contrata Manuel Pina
Empresas
CBRE ganha gestão e comercialização do LeiriaShopping
Imobiliário
Governo cria regime excepcional de revisão de preços na construção
Construção
Empresas

A aposta da PPG Dyrup em exteriores

Para ajudar na renovação dos espaços exteriores, a PPG Dyrup seleccionou um conjunto de produtos que vão fazer a diferença no cuidado do mobiliário de exteriores em madeira, das piscinas e decks

CONSTRUIR

A nova tinta para Piscinas PPG é a solução mais recente da gama pavimentos, que irá ajudar a renovar piscinas, fontes decorativas e depósitos de água não potável, de forma a melhor prepará-las para o contacto permanente com o meio aquático. Este produto, de base solvente, formulado de forma especifica, a partir de uma resina de borrada clorada, pode ser aplicado em betão e alvenaria, dando-lhes um acabamento liso e acetinado. De fácil aplicabilidade, é resistente a ácidos e totalmente resistente à água. Actualmente, o produto Piscinas pode ser adquirido na cor azul.

No cuidado com o mobiliário de jardim, sejam mesas, bancos ou baloiços, o Bondex Teca está em destaque. Preparado para proteger e manter saudáveis as madeiras tropicais ou exóticas, este produto permite um grande poder de penetração, conferindo-lhes uma protecção contra chuva e vento, agindo ainda como um forte repelente de água. Este tipo de produto permite que a madeira mantenha as suas características naturais, tal como o seu equilíbrio.

A pensar no segmento do it youself, existem alguns passos que podem fazer toda a diferença, não só no aspecto da madeira em si, mas em todas as superfícies em que uma protecção e tratamento extra possa ser solução eficaz, tais como portas, alpendres e pérgulas. Um deles é o verniz sintético Intempérie, um produto especialmente concebido para madeiras de todo o tipo, tanto interiores como exteriores, que sejam sujeitas a temperaturas rigorosas, chuva, vento ou até raios solares. Tendo resinas alquídicas na base da sua fórmula, é de fácil aplicação e confere um efeito brilhante, longo e duradouro à madeira.

Para um melhor desempenho das madeiras, e antes da aplicação de Bondex, a primeira opção a considerar é a aplicação de Xylophene Hydro, um produto de tratamento preventivo e curativo para madeira, que funciona como insecticida, fungicida e antitérmitas. De base aquosa e incolor, este poderá ser aplicado como revestimento, por pulverização e injecção, sem alterar a cor natural da madeira. Pode ser aplicado em madeiras de construção estrutural – madeira localizada sob a cobertura afastada da humidade – e para molduras de madeira ou trabalhos de marcenaria.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Otovo entra em Portugal e contrata Manuel Pina

Com a entrada em Portugal, a Otovo reforça a sua liderança como fornecedor número um de soluções solares residenciais na Europa

CONSTRUIR

 A Otovo, o principal marketplace da Europa para instalações solares e baterias residenciais, entrará em Portugal dentro de um mês, tendo contratado Manuel Pina, ex-director geral da UBER em Portugal, para liderar a operação portuguesa desta plataforma fundada na Noruega em 2016.

Com acesso a mais de 500 empresas de instalação, a empresa já ajudou mais de 11 mil famílias europeias a fazer a transição para energia solar doméstica em sete mercados europeus.

As instalações solares que os europeus já contrataram através da plataforma Otovo vão reduzir 600 mil toneladas de CO2 na sua vida útil e a empresa planeia aumentar o volume de vendas anual em 8 a 9 vezes até 2025.

Portugal é o oitavo país a receber a empresa norueguesa, cotada na Euronext Growth com uma capitalização bolsista de cerca de 350 milhões de euros.

“A nossa entrada em Portugal foi uma decisão natural. É um país na vanguarda da transição energética, com mais de 300 dias de sol por ano, portanto um dos países da Europa que mais podem beneficiar da energia solar”, reforça Andreas Thorsheim, CEO da Otovo.

Segundo o CEO da empresa, “com o preço da energia a disparar, os portugueses podem fazer poupanças significativas e ao mesmo tempo reduzir a emissão de gases poluentes causados ​​pelas soluções energéticas tradicionais. Queremos ajudar Portugal a atingir o seu potencial energético solar.” O mercado solar residencial do País espera mais de 30 mil instalações em 2022, crescendo mais de 50% desde 2019.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

MELOM lança projecto Casa de Sonho Eco

Com o Casa de Sonho ECO, a marca passa a dispor de packs ecológicos para moradias mais sustentáveis e com ganhos resultantes de um menor consumo de água potável e uma factura energética mais baixa

CONSTRUIR

Depois de, em 2021, o número de pedidos no projecto Casa de Sonho, um serviço chave na mão que assegura o licenciamento e construção de moradias, ter registado um crescimento de 16,8% face a 2020, a MELOM, lança agora o projecto Casa de Sonho Eco, que aposta em casas mais eficientes, através de soluções amigas do ambiente.

Assente na importância de melhorar a qualidade e aproveitamento das habitações, a marca passa a dispor de packs ecológicos para moradias mais sustentáveis e com ganhos resultantes de um menor consumo de água potável e uma factura energética mais baixa. O valor dos packs acresce ao preço base da construção da moradia, com a MELOM a prever um retorno estimado a partir do terceiro ano da instalação das respectivas soluções.

A Casa de Sonho Eco materializa-se assim em soluções ecológicas e económicas para adaptar a construção de moradias a um futuro mais verde. Alicerçado ao projecto de construção de raiz de moradias unifamiliares com serviço chave na mão, foram desenvolvidas soluções para tornar estas construções mais ecológicas e eficientes, com garantias de eficiência ecológica longo da vida da habitação. O projecto é composto por packs com soluções ecológicas, das mais simples às mais complexas, como é exemplo os materiais de construção, a opção de um painel solar para um piso radiante ou até o aproveitamento de água das chuvas.

“Enquanto líderes do sector de obras residenciais em Portugal, temos a responsabilidade de sensibilizar os nossos clientes para uma mais eficiente utilização dos recursos naturais e energéticos. O projecto Casa de Sonho, no qual a MELOM disponibiliza modelos de moradias de sonho, assegurando a grande maioria das soluções, tem como objectivo principal proporcionar aos clientes ganhos de tempo, desde o projecto à entrega das casas. Nesse sentido, incluir soluções amigas do ambiente é algo imprescindível, sendo nosso foco sensibilizar todos os nossos clientes para esta questão que contribuirá para termos casas melhores e mais eficientes”, salienta João Carvalho, co-fundador da MELOM.

O responsável ressalva ainda que “apesar de não estarmos a falar de casas auto-sustentáveis, acreditamos que este projeto nos ajudará a desmistificar e democratizar as soluções de eficiência energética e redução da pegada carbónica de forma simples, através da introdução de packs ecológicos que adicionamos às nossas moradias”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Cushman & Wakefield reforça estrutura directiva

A consultora Cushman & Wakefield, anuncia a reestruturação da sua equipa de gestão, com a promoção de dois elementos sêniores da equipa de Investimento: Paulo Sarmento e David Lopes

CONSTRUIR

Paulo Sarmento, que se dedicava, em exclusivo, à área de Capital Markets, passa agora a Head of Transactional Services, um novo cargo, criado para garantir a gestão das áreas transaccionais da empresa, que integram as áreas de Capital Markets, Escritórios, Retalho e Industrial & Logística). “Os directores de cada uma destas linhas de serviços mantêm-se. O objectivo desta transição visa potenciar as sinergias entre os vários departamentos da consultora com base numa visão holística do negócio imobiliário e na partilha de uma liderança comum”, explica a consultora.

David Lopes é também um dos colaboradores a ascender no quadro da consultora imobiliária, passando de gestor da área de Retail & Business Space Investment, na divisão de Capital Markets, à liderança do departamento. David torna-se assim Head of Capital Markets, acumulando a responsabilidade pela gestão das áreas de Hospitality e Development & Living.

Ambos os colaboradores possuem uma experiência significativa no sector imobiliário, bem como na história da Cushman Wakefield. Paulo Sarmento detém um MBA pela Universidade Nova de Lisboa e uma carreira profissional de 35 anos, 26 dos quais no sector imobiliário, com cargos internacionais em Portugal, Brasil e Inglaterra, tendo-se juntado à consultora em 2018.

Por sua vez, David Lopes ingressou na Cushman & Wakefield, em 2005, no departamento de Industrial & Terrenos. Passou ainda pelo departamento de Avaliação & Advisory, e liderava agora as equipas de Retail Investment e de Business Space Investment em Capital Markets, Um percurso de ascensão que iniciou após seus estudos em Lisboa e na República Checa, tendo também, em 2009, realizado uma pós-graduação em gestão e finanças imobiliárias, pelo ISCTE, e recebido a acreditação de Membro do Royal Institution of Chartered Surveyors (RICS).

“Estas nomeações demonstram o empenho da Cushman & Wakefield Portugal em agregar, ainda mais, as suas áreas de actuação, proporcionando aos clientes um serviço holístico e integrado”, justifica Eric van Leuven, Diretor Geral da Cushman & Wakefield em Portugal.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Laskasas na ICFF em Nova Iorque

A edição de 2022 decorre entre os dias 15 e 17 de Maio e irá acolher mais de 600 marcas a nível internacional entre elas a marca de mobiliário português, Laskasas, que estará presente no certame pela primeira vez

CONSTRUIR

A ICFF – Internacional Contemporary Furniture Fair, um dos certames internacionais que dita as tendências para o design de mobiliário, está de volta ao Javits Center em Nova Iorque. A edição de 2022 irá acolher mais de 600 marcas a nível internacional, entre os dias 15 e 17 de Maio. Pela primeira vez a marca de mobiliário português, Laskasas, estará presente.

“Esta é uma oportunidade única de elevar, não só a Laskasas e o seu trabalho a nível internacional, mas de todo o mobiliário português. É uma montra directa que motiva a exportação do nosso desing e reforça a qualidade das matérias primas do nosso país. Acreditamos que esta é a primeira de muitas presenças que nos vão trazer muito bons resultados”, afirma Celso Lascasas, CEO da Laskasas.

A nona edição da feira tem como tema “Sensory Designs”, que remete para o facto de as peças de decoração e mobiliário, de alguma maneira, estimularem os sentidos do seu utilizador, por norma, através da conjugação de elementos visuais ou até de texturas que elevam a experiência sensorial.

A Laskasas estará presente no stand número 345, focando-se em dar a conhecer, não só o seu trabalho e a presença no mercado internacional, mas também as peças da sua nova coleção, lançadas no início de 2022. Dentro do catálogo de mais de 450 peças, quem passar pela ICFF poderá encontrar, presente no stand, algumas das peças icónicas da colecção de 2022 como o Aparador Ralph, a Floreira Lanie, o Candeeiro de Mesa Clarke, a Cabide Ben, a Base de TV Norman, o Tabuleiro Tim, o Candeeiro de Pé Evans, o Móvel de Apoio Ryan e ainda o Sofá Fletcher. São peças onde a combinação ímpar dos materiais utilizados, que vão desde as madeiras naturais com os veios marcados aos metais – uma das fortes apostas deste ano – passando pela utilização do mármore em combinações improváveis.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Portugal Railway Summit 2022

A PFP – Plataforma Ferroviária Portuguesa, Cluster da Ferrovia, volta a organizar o “Portugal Railway Summit”, nos dias 16 e 17 de Maio de 2022, no Terminal de Cruzeiros de Leixões, Matosinhos

CONSTRUIR

A PFP – Plataforma Ferroviária Portuguesa, Cluster da Ferrovia, volta a organizar o “Portugal Railway Summit”, nos dias 16 e 17 de Maio de 2022, no Terminal de Cruzeiros de Leixões, Matosinhos.

Num contexto de grande expectativa quanto ao futuro do sector Ferroviário, este evento terá como foco os planos de investimento que se avizinham e os desafios ecológicos que é preciso enfrentar, proporcionando a discussão de prioridades e a apresentação de novas perspectivas de inovação ferroviária.

Ao longo dos dois dias de encontro terão lugar seis painéis. O primeiro dia será dedicado ao tema “Investimentos Nacionais e Internacionais” e às “Inovações e Desafios Tecnológicos”. No dia 17 de Maio a “Intermodalidade” e o “Fórum de Clusters” dominaram os trabalhos. O segundo dia do encontro reserva ainda tempo para as pitching sessions e interacção B2B.

O Portugal Railway Summit, é o fórum de discussão anual das tendências do sector Ferroviário, e local privilegiado para a criação de oportunidades de negócio e parcerias estratégicas focadas nos tópicos definidos pelo ERRAC, e pela Agenda Estratégica de Investigação e Inovação Ferroviária (SRIA), “RAIL 2030 – Research and Innovation priorities”: Digitalização, Automação, Nova Mobilidade Soluções, Mobilidade Mais Verde e Sustentável. Ferrovia, a espinha dorsal da Mobilidade 2030.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Eurofred marca presença no CIAR 2022

Com o mote “Actuar hoje pelo amanhã”, o evento é uma organização da EFRIARC, em conjunto com o LNEC e a Casa da América Latina e acontece de 4 a 6 de Maio

CONSTRUIR

A Eurofred vai marcar presença, pela primeira vez, no XVI CIAR 2022 (Congresso Iberoamericano de Ar Condicionado e Refrigeração), que irá ter lugar de 4 a 6 de Maio de 2022, no Centro de Congressos do LNEC. O evento visa promover o conhecimento, debate técnico e científico nos domínios do aquecimento, ventilação, ar condicionado e refrigeração envolvendo investigadores, académicos e profissionais e reúne profissionais de engenharia, fabricantes, decisores políticos, autoridades governamentais, investigadores e académicos de vários locais do mundo.

A presença da Eurofred no evento reforça o papel da companhia nas áreas de sustentabilidade correlacionado com as soluções e tecnologias que disponibiliza. Com uma presença na área expositiva do congresso, a Eurofred junta-se ao debate sobre a qualidade do ambiente indoor e refrigeração onde o ar condicionado está no centro do desenvolvimento sustentável.

Segundo, Santiago Perera, Iberia & Latam business director da Eurofred “a nossa presença no CIAR 2022 vem comprovar a nossa aposta e compromisso no desenvolvimento de soluções de alto desempenho e sustentáveis que respondam a compromissos ambientais e a políticas de CSR que enquanto entidade nos obrigamos a cumprir”.

Em média, passamos 90% do nosso tempo em espaços interiores e estes, segundo a OMS, estão 5 a 10 vezes mais contaminados que o exterior. Neste âmbito, a Eurofred apresentou o Split de parede AGIO da Daitsu que dispõe de um sistema específico de purificação do ar que inclui 3 filtros – antipó, foto catalítico e multifunção – capazes de reter pó, odores, bactérias e vírus. O equipamento conta ainda com a função de purificação Cold Plasma, que decompõe os elementos patogénicos (vírus ou bactérias) através de descargas elédtricas nas moléculas do ambiente. O resultado é um ar interior mais limpo e saudável.

O novo Split AGIO da Daitsu utiliza o novo gás refrigerante R32, muito mais eficiente e sustentável. Entre as suas principais características: o seu potencial de aquecimento global (GWP) representa um terço em relação aos actuais modelos com gás R410A; a temperaturas exteriores baixas, consome menos energia e emite menos emissões; é um gás 100% puro, muito mais barato e fácil de reciclar; os equipamentos utilizam menos 30% de carga de gás e, por ser ecológico, tem uma carga fiscal mais baixa e a sua manutenção em caso de fuga é 3 vezes menor.

Na oferta de purificação, a Eurofred apresenta, ainda, a gama Purifier, de reduzidas dimensões que elimina germes, partículas e odores de forma fácil e cómoda. Com uma cobertura de espaços até 20 m2 (CADR 118) e até 55 m2 (CADR 420), dispõe de filtragem de elevada eficiência, e inclui pré-filtro e filtro de carbono ativo. Ambos contam com filtro HEPA que consegue captar e reter partículas iguais ou superiores a 0,3 micras de diâmetro com 99,97% de efectividade.

Ainda no que diz respeito à sustentabilidade e politicas de CSR, a empresa tem como objectivo apagar a pegada de carbono, “como um exemplo essencial e tangível do respeito pelo ambiente”. Neste sentido, “todos os anos são calculados e compensados 100% das emissões de CO2 ao plantar árvores em áreas danificadas pelo fogo como parte do compromisso da marca com o planeta”.

A marca tem como política reduzir as suas emissões e nesse sentido está já a trabalhar na substituição de veículos antigos por uma frota de carros híbridos e elétricos. Também tem vindo a implementar a utilização de luzes LED nos escritórios bem como, a utilização de materiais reciclados.

“Aos dias de hoje, a Eurofred contribuiu para a reflorestação de um total de 79 hectares com 61.600 árvores plantadas, absorvendo 4.800 toneladas de CO2. Em Portugal, e graças às acções de reflorestação realizada até à data na zona de Abrantes, há já compensação das suas emissões até 2036”, reforça.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Vicaima lança nova linha de design de interiores para profissionais

O Spalted maple, Terrazo amber e Antique Patina, as três principais colecções Vicaima Infinity oferecem uma multiplicidade de inspirações, com recurso a madeira, metal ou pedra

CONSTRUIR

Com o objectivo de “colocar ao dispor dos profissionais um espetro ilimitado de opções nos diferentes momentos do processo criativo”, a Vicaima acaba de lançar uma nova marca, a Vicaima Infinity.

Através de uma produção tecnologicamente avançada, a Vicaima Infinity assegura a criação de designs e acabamentos personalizados, em diferentes superfícies e texturas, com diferentes opções de acabamento que vão desde o mate, ao satin e ao alto brilho.

Paralelamente, para os profissionais que procuram uma visão sobre as últimas tendências, as três principais colecções Vicaima Infinity oferecem uma multiplicidade de inspirações. Com recurso a madeira, metal ou pedra, a marca proporciona uma experiência imersiva que inclui, entre outras opções, o Spalted maple, Terrazo amber e Antique Patina.

A diferenciação do Vicaima Infinity afirma-se “na promoção de uma perfeita harmonia entre múltiplos produtos, como portas, roupeiros, painéis ou peças para mobiliário. Estas soluções somam a esta estética e sofisticação, a qualidade e elevada performance da marca nas soluções corta fogo, corta fogo e acústico, segurança, e térmicas, caraterística do universo de produtos Vicaima”.

Fiel aos seus valores de sustentabilidade, todas estas soluções Vicaima Infinity estão disponíveis com certificação FSC, entidade que promove a gestão responsável das florestas.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

CIN pinta a história de monumentos icónicos em Lisboa

A Estação de Santa Apolónia e o Teatro Nacional de São Carlos voltaram às suas cores originais graças à fusão entre o passado e à inovação tecnológica da CIN

CONSTRUIR

O tom avermelhado, que agraciava a Estação Ferroviária de Santa Apolónia em 1967 voltou a tomar cor na fachada deste icónico edifício. Esta mudança contou com o apoio da CIN e surge no seguimento de um projecto criado no interior da estação, onde foi construído um novo empreendimento hoteleiro. A intervenção devolveu às fachadas a cor vermelha após terem sido encontrados vestígios deste tom original numa imagem que remonta a 1967.

Liliana Leis Soares, directora-adjunta de Marketing da CIN, esclarece que “o encontro do tom certo foi um grande desafio para a nossa equipa de colorimetria e prescrição, tendo em consideração toda a história que o projecto representa. A cor original que, tal como refere o arquitecto José Aguiar, em tudo se assemelha um vermelho óxido de ferro, remonta a uma época específica da Revolução Industrial, pelo que teríamos de conciliar os melhores produtos de reabilitação e afinar um tom que pudesse contar a magia e a importância de um edifício como a Estação de Santa Apolónia”.

Nos anos 90, a Estação Ferroviária de Santa Apolónia mudava a sua cor para um azul claro, numa pretensão de harmonia entre a vista rio e o tom do céu. O retorno do vermelho a Santa Apolónia, pelo atelier de arquitectura Saraiva e Associados (S+A) para a construção do novo hotel The Editory Riverside, foi aprovado pela Infraestruturas de Portugal, que detém o edifício. O licenciamento passou pela Câmara Municipal de Lisboa (Santa Apolónia não é monumento nacional, mas imóvel de interesse público).

Também em Lisboa, o Teatro Nacional de São Carlos regressou à sua cor original, um azul envolvente que, à semelhança do anterior se deve à intervenção da CIN no processo de reabilitação. As suas fachadas, que eram amarelas desde 1940, retomaram a sua cor azul original após o encontro de vestígios desse mesmo tom nas paredes do edifício. Contudo, este facto não foi suficiente para que a Direcção-Geral do Património da Cultura (DGPC) desse o parecer positivo quanto à alteração da cor. Os arquitectos João Aguiar e João Pernão, da equipa da Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa elaboraram, com o apoio da CIN, um relatório que definia a cor original do Teatro Nacional de São Carlos – que, posteriormente foi pintado com Cinoxano Mineral da CIN, cor E563.

Liliana Leis Soares explica que “mais do que um projecto de reabilitação urbana, o processo inerente ao Teatro Nacional de São Carlos pressupôs uma investigação histórica e exaustiva que evidenciou o saber-fazer centenário da marca CIN no que à cor diz respeito. Colocámos o nosso conhecimento ao serviço da Direcção-Geral do Património da Cultura, encontrando uma cor que corresponde, em detalhe, ao que havia sido projectado na sua inauguração em 1973. A responsável acrescenta que “é um enorme orgulho poder associar a marca CIN a estes projectos de enorme impacto cultural, que concede às cores este poder singular de contar as histórias de cada edifício e de cada lugar, numa perfeita simbiose entre o passado e o futuro”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

IP com lucros de 14M€ em 2021

IP termina 2021 com resultado líquido de 14 milhões de euros e EBITDA positivo de 497 milhões de euros, o que reflecte a redução do impacto da covid-19 nas receitas de utilização das infraestruturas rodoferroviárias

CONSTRUIR

A Infraestruturas de Portugal (IP) registou em 2021 um resultado líquido positivo de +14 milhões de euros (2020: -56 milhões de euros) e um EBITDA de +497 milhões de euros verificando-se um aumento de 12% face ao valor registado em 2020 (+445 milhões de euros).

Esta evolução deveu-se principalmente “ao aumento do rendimento com as principais receitas, designadamente: da Contribuição do Serviço Rodoviário (+52 milhões de euros) e da Tarifa de Utilização da Infraestrutura Ferroviária (+5 milhões de euros)”. Segundo a empresa, “a redução do impacto da pandemia COVID-19 sobre o nível de utilização da infraestrutura rodoferroviária sob gestão da IP durante ano de 2021, face a 2020, foi determinante para o aumento daqueles rendimentos, apesar de ainda não se terem atingido os níveis de utilização de 2019”.

Já relativamente à receita de portagens, verifica-se uma diminuição de -5% (-15milhões de euros), apesar do aumento da utilização da infraestrutura, em resultado da introdução nas AE ex-SCUT, em 1 de Julho de 2021, do novo regime de descontos previsto nos artigos 425.º e 426.º da LOE (50% nas tarifas de portagem).

Destaque positivo para o facto da IP ter incrementado o nível de intervenções na infraestrutura face ao registado em 2020. Com efeito, em 2021, o gasto com as actividades de conservação das redes rodoviária e ferroviária ascendeu a 196 milhões de euros, mais 5% do que o registado em 2020.

Relativamente ao resultado financeiro verificou-se uma melhoria de 24 milhões de euros, cujo principal contributo se deve à redução de -21 milhões de euros na componente dos juros afectos às subconcessões, em virtude da descida do passivo associado, a que acresce a redução do impacto dos encargos financeiros associados à dívida sob gestão directa da IP em -5 milhões de euros. Esta evolução positiva apenas é contrariada pelo aumento dos outros gastos financeiros, de que se destacam os associados à obtenção de garantias bancárias para processos fiscais, em +2milhões de euros.

O resultado líquido da IP regressa assim a terreno positivo, fixando-se em +14 milhões de euros, reflectindo, fundamentalmente, a redução do impacto extraordinário, global e não previsível da COVID-19 face a 2020, e que contrasta com o resultado líquido negativo de -56 milhões de euros verificado nesse ano.

De destacar ainda o crescimento do investimento, com particular ênfase o desenvolvimento do programa Ferrovia 2020, e que permitiu atingir os 278 milhões de euros de execução no ano, significando um crescimento de 36% face a 2020, seguindo assim a forte tendência de crescimento já verificada nos anos anteriores.

A IP manteve, ao longo do ano, a aceleração da liquidação da respectiva facturação, sempre que possível. Esta medida veio permitir que em 2021, o prazo médio de pagamentos (PMP) da IP se tenha fixado em 15 dias.
Em 2021, assistiu-se à redução do stock de dívida financeira da IP em 640 milhões de euros, fixando-se este agregado no final de Dezembro de 2021 em 4.145 milhões de euros. As amortizações realizadas respeitaram essencialmente à amortização do Eurobond 0621 (500 milhões de euros) e às amortizações dos empréstimos contraídos junto do BEI (129 milhões de euros).

Por fim, destaca-se a manutenção da política de financiamento prosseguida pelo accionista de capitalização da Empresa através de operações de aumento de capital que, em 2021, ascenderam a 1.613milhões de euros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.