Edição digital
Assine já
Empresas

NTT Data cria Hub dedicado a Experience Design em Óbidos

Esta unidade está integrada nos serviços de criatividade e comunicação da empresa, que reúne dezenas de criativos e pretende tirar partido da ligação à Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha

CONSTRUIR
Empresas

NTT Data cria Hub dedicado a Experience Design em Óbidos

Esta unidade está integrada nos serviços de criatividade e comunicação da empresa, que reúne dezenas de criativos e pretende tirar partido da ligação à Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Governo prepara nova legislação sobre Habitação
Construção
Promotores belgas investem em novo projecto em Lisboa
Imobiliário
Export Home e IDF Spring regressam à Exponor
Empresas
ENOR lança 9ª edição dos Prémios de Arquitectura Ascensores
Arquitectura
SunEnergy regista crescimento de 50% em 2022
Empresas
Engexpor regista o melhor ano de sempre na área de Advisory Services
Empresas
Mercado de escritórios em Lisboa regista o melhor ano de sempre em 2022
Imobiliário
O Palco-Altar e os outros custos da JMJ
Construção
Greenvolt desenvolve Comunidade de Energia Renovável em Setúbal para empresas do Grupo Sapec.
Empresas
TUU responsável pelo projecto de arquitectura do RESA
Arquitectura

A NTT Data Portugal, consultora global de negócios e tecnologia, criou em Óbidos mais um Hub de conhecimento específico, desta vez, focado em Experience Design. Esta unidade está integrada nos serviços de criatividade e comunicação da empresa, que reúne dezenas de criativos e pretende tirar partido da ligação à Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha, integrada no Instituto Politécnico de Leiria, para atrair e captar talento, aumentando dessa forma a capacidade para desenvolver projectos nacionais e internacionais orientados à melhoria da experiência dos utilizadores no uso de soluções de base tecnológica e no desenvolvimento de estratégias de comunicação 360º e de marketing digital.

O novo Hub está instalado nos edifícios centrais do Parque Tecnológico de Óbidos, distinguidos com inúmeros prémios de arquitectura e design, o que representa uma fonte de inspiração para o trabalho criativo que se desenvolverá neste novo Hub. É, igualmente, um símbolo da estratégia de alargamento territorial da NTT Data em Portugal, na medida em que está instalado num centro de media / baixa densidade populacional, com ligação à academia e uma envolvente que privilegia a qualidade de vida.

À semelhança de toda a companhia, o Hub de Óbidos segue um modelo de trabalho flexível, híbrido e dinâmico, que assenta na confiança e no compromisso de cada colaborador. Reflecte-se num registo de trabalho tendencialmente remoto, pontuado por momentos de colaboração presencial, que são muito importantes para promover o espírito de equipa e para revitalizar energias.

‘Na NTT Data colocamos as pessoas no centro da nossa actuação. Apostamos na contratação do melhor talento e no seu desenvolvimento, valorizando a generosidade, a liberdade responsável a energia criativa para construir uma proposta de valor focada na concepção, implementação e operacionalização de soluções de base tecnológica. Para isso, conjugamos o domínio de tecnologias de vanguarda, com o conhecimento de negócio, em diferentes sectores de atividade, para dar a vida a soluções criativas, de base digital e focadas na melhor experiência do utilizador. Por tudo isto, a área de experience design, à qual o novo Hub de Óbidos se vai dedicar, é central para a evolução da nossa actividade. Especialmente, porque a natureza deste tipo de trabalho nos permite acrescentar à organização, já de si diversa e multicultural, talento com diferentes backgrounds e bases de conhecimento, que enriquecem a nossa proposta de valor”, afirma Paulo Silva, partner & head of Emerging Business Areas and Delivery Models da NTT Data Portugal.

A par do novo Hub de Óbidos, a NTT Data tem já outros sete em funcionamento em quatro localidades: Braga, Castelo Branco, Coimbra, Porto e Évora.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Governo prepara nova legislação sobre Habitação
Construção
Promotores belgas investem em novo projecto em Lisboa
Imobiliário
Export Home e IDF Spring regressam à Exponor
Empresas
ENOR lança 9ª edição dos Prémios de Arquitectura Ascensores
Arquitectura
SunEnergy regista crescimento de 50% em 2022
Empresas
Engexpor regista o melhor ano de sempre na área de Advisory Services
Empresas
Mercado de escritórios em Lisboa regista o melhor ano de sempre em 2022
Imobiliário
O Palco-Altar e os outros custos da JMJ
Construção
Greenvolt desenvolve Comunidade de Energia Renovável em Setúbal para empresas do Grupo Sapec.
Empresas
TUU responsável pelo projecto de arquitectura do RESA
Arquitectura
Empresas

Export Home e IDF Spring regressam à Exponor

O projecto conceptual de um hotel, com curadoria de Fabián Pellegrinet Conte, o novo prémio “Export Home Sustentabilidade e Inovação”, em parceria com a Universidade de Aveiro, talks sobre tendências dos materiais, pegada ecológica e casas inteligentes e o desafio “Makers Showcase”, lançado à nova geração de marcas e designers são algumas das iniciativas previstas

Mobiliário, design e decoração são os temas que vão compor o cenário da Exponor – Feira Internacional do Porto, entre os dias 2 e 5 de Março. Export Home e IDF Spring são as feiras que protagonizam as novidades e as tendências destes sectores, em contexto nacional e internacional.

Há 30 anos que a Export Home se apresenta como ponte entre os principais fabricantes portugueses e os prescritores e potenciais compradores, oriundos de todo o mundo. Este ano, regressa para apresentar ao mercado as novas ofertas da fileira casa e design de interiores, sob um tema que remete ao futuro: “Designing Tomorrow”.

Uma das inovações trazidas pela Export Home, em 2022, regressa nesta edição. Traduz-se na apresentação de um projecto conceptual de um hotel, com a curadoria de Fabián Pellegrinet Conte. O designer de interiores e mobiliário recria variadas propostas através das soluções presentes na feira, num exercício criativo e envolta das tendências, conduzindo o visitante a uma experiência diferenciadora e imersiva.

Mostrar o que de melhor se tem realizado no sector é um dos principais motes desta feira, por isso, a Exponor aliou-se à Universidade de Aveiro para criar o prémio “Export Home Sustentabilidade e Inovação”. Este concurso, que celebra a sua terceira edição, visa estimular a adopção de boas-práticas de sustentabilidade nos processos de produção e desenvolvimento de novos produtos. Podem concorrer todas as empresas expositoras na Export Home e na IDF Spring 2023 e as inscrições estão já a decorrer.

A edição de 2023 contará, ainda, com momentos de talks que vão percorrer variados temas, passando pelas tendências dos materiais, sem esquecer a pegada ecológica do sector. A temática das casas inteligentes estará, também, presente em debate.

Paralelamente, acontece a IDF Spring. Com duas edições por ano – Spring e Fall – a edição de primavera vai fazer da natureza o cenário principal, através do tema “Blended with Nature”. Desta forma, a IDF “afirma-se com a disponibilização de espaços-tendência, adaptados aos diferentes públicos”. “Makers Showcase” é um deles, que surge do desafio lançado à nova geração de marcas e designers para apresentarem conceitos criativos e novas abordagens, mais contemporâneas e sustentáveis. Juntam-se a esta edição os seguintes Makers: Joana Nogueira, Teresa Branco, Silvia Couto, bem como os projetos Pássaro de Seda, Pedras de Papel e Luzita

Por sua vez, o “Pure Edition” apresenta-se como um espaço de inspiração e negócio onde vão ser exibidas, em primeira mão, novas colecções de tecidos e revestimentos de decoração.

Em 2023, a instalação preparada tem como tema “Plantscaping”, conceito que tem vindo a marcar presença em projectos de design de interiores. A arquitecta e criadora de conteúdos Joana Luís vai protagonizar este desafio, num exercício de criatividade que combina a importância das plantas na criação de distintas atmosferas, aliadas às novas coleções apresentadas no evento.

Nesta Feira vai ainda celebrar-se o concurso “Presente – A Melhor Loja”, organizado pela Exponor. O concurso tem como objetivo premiar o melhor retalhista em Portugal no âmbito dos setores de decoração, utilidades domésticas, design, papelaria ou gift. A concurso podem submeter-se todas as pessoas singulares ou coletivas que explorem estabelecimentos comerciais de venda de artigos de decoração, design e utilidades para a casa, junto do consumidor final, com atividade em funcionamento.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

SunEnergy regista crescimento de 50% em 2022

Em 2022 o volume de negócios da SunEnergy somou 12 milhões de euros. Valor que representa um aumento de 50% face ao período homólogo

A SunEnergy manteve a tendência de crescimento dos últimos anos e instalou, em 2022, 17.000 painéis solares fotovoltaicos para a produção de energia eléctrica a partir do sol em modelo de autoconsumo, o que correspondeu a 7 MW de potência instalada, num total de energia produzida de 10 MWh, que daria para alimentar mais de 3 mil casas. Estes projectos vão permitir uma poupança anual acumulada de 1.400.000€ e uma redução de 3.000 toneladas de emissões de CO2 por ano.

No ano transacto, a SunEnergy iniciou também uma nova área de negócio, que passa pela instalação e operação de Postos de Carregamento de Viaturas Eléctricas, a qual deu um forte contributo para o crescimento do seu volume de negócios. Ainda durante este ano, foram inauguradas novas delegações, num total de 20, que vão contribuir decisivamente para o crescimento futuro da marca.

O ano de 2022 ficou igualmente marcado pela entrada de um novo accionista de referência, o Grupo Sorigué, o qual permitirá à empresa portuguesa aproveitar as sinergias e oportunidades associadas a um Grupo que factura cerca de 700 milhões de euros por ano.

“Em 2022 reforçámos o nosso posicionamento enquanto marca de referência da energia solar em Portugal. As nossas perspectivas para 2023 continuam a ser positivas, apesar das incertezas que poderão impactar negativamente a Economia Mundial”, afirma Raul Santos, CEO da Sunenergy. “Em termos de projectos, em breve pretendemos abrir uma nova delegação na área metropolitana do Porto e também uma sucursal na Galiza. Temos também como objectivo relançar a campanha “Vem Ligar Portugal ao Sol” e, dessa forma, expandir a nossa presença no território nacional, o que nos permitirá crescer a um bom ritmo nos próximos anos”, avança o responsável.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Aerial view of Vilamoura with charming marina and wide sandy beach, Algarve, Portugal

Empresas

Engexpor regista o melhor ano de sempre na área de Advisory Services

A aposta crescente da empresa na área de Advisory Services, a par com a forte actividade do mercado na transacção de imóveis e promoção imobiliária, mais do que duplicou a facturação desta área de negócio desde 2019

Após quatro anos de crescimento consecutivo, a área de Advisory Services da Engexpor registou em 2022 o melhor ano de sempre, consolidando a sua actividade face a 2021, altura em que a reorganização dos serviços de advisory e reforço da equipa deram um enorme impulso a este negócio.

Em quatro anos, a empresa que tem como actividade principal a gestão de projectos e de construção, mais do que duplicou a sua facturação na área de advisory services, liderada pela actuação em serviços de technical due diligence (auditoria técnica), com um crescimento que ultrapassou os 114% entre 2019 e 2022. O ano de 2022 foi ainda de crescimento desta actividade, embora condicionada pela redução do número de transacções de investimento imobiliário a que se assistiu no quarto trimestre.

A compra e venda de activos comerciais e a promoção imobiliária (reabilitação e construção nova) suportam a área de tecnical due diligence da Engexpor e, só no ano passado, a empresa esteve envolvida em auditorias que somam uma área aproximada de 1,2 milhões de metros quadrados (m²). Já entre 2019 e 2021, a empresa realizou due diligences para activos e portefólios com uma área agregada que ultrapassa os 2,7 milhões de m².

Neste seu histórico, e entre outras operações, contam-se as auditorias técnicas que apoiaram algumas das maiores transacções de investimento realizadas no mercado português, entre as quais o maior negócio de 2022, respeitante à compra de uma parte significativa do portefólio da ECS Capital pela Davidson Kempner, a venda de um portefólio de supermercados Continente à ORES Capital, anunciada também em 2022;, a compra do Vilamoura World por um grupo de investidores nacionais incluindo a Norfin, em 2021, a aquisição de activos na Herdade da Aroeira por um investidor estrangeiro representado pela Norfin e ainda a due diligence técnica de um portefólio de supermercados para a LCN Capital Partners, operações estas anunciadas já este ano. Da sua carteira de clientes fazem parte, entre outros, a Square Asset Management, Avenue, Norfin, BNP Paribas, Explorer, Quantico ou CGD.

“Desde sempre que a Engexpor está comprometida em disponibilizar um serviço 360º aos seus clientes e, como tal, faz todo o sentido fortalecer cada vez mais a área de advisory services. Esta aposta, juntamente com a intensa actividade do mercado imobiliário em Portugal nos últimos anos, seja no desenvolvimento de novos projectos ou na transacção de imóveis, tem-nos permitido crescer muito nesta área através da qual apoiamos investidores, promotores, proprietários ou entidades que medeiam negócios de compra e venda de activos”, explica Miguel Alegria, CEO da Engexpor.

Em linha com a actividade do mercado nacional, os sectores da hotelaria, residencial e escritórios são os que têm maior peso nos serviços de Advisory da Engexpor, ainda que ao longo dos últimos quatro anos (2019-2022) as auditorias técnicas efectuadas pela empresa abranjam todas as áreas do imobiliário.

A hotelaria foi a mais activa, contabilizando uma área superior a 1,7 milhões de m², seguida do segmento residencial, um dos mais dinâmicos dos últimos anos, no qual foram concretizadas due diligences para uma área conjunta superior a 510.000 m², que incidiram essencialmente sobre edifícios para reabilitação e terrenos para promoção imobiliária. No sector de escritórios foram efectuadas auditorias que agregam uma área próxima dos 280.000 m².

O sector logístico tem vindo a ganhar cada vez mais expressão no mercado imobiliário português e na actividade da Engexpor, e as auditorias técnicas realizadas, no período em questão, compreendem uma área agregada de 815.000 m², reflectindo não só o bom momento deste sector mas também a dimensão dos imóveis industriais e logístico.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Greenvolt desenvolve Comunidade de Energia Renovável em Setúbal para empresas do Grupo Sapec.

O Parque Industrial Sapec Bay vai receber um total de 298 painéis solares fotovoltaicos numa área de cerca de 1.500 m2. Estes painéis terão uma capacidade total de mais de 162 kWp, sendo capazes de gerar 238 MWh anualmente

CONSTRUIR

A Greenvolt Comunidades, empresa do Grupo Greenvolt, vai criar uma Comunidade de Energia Renovável (CER) com várias empresas do Grupo Sapec que desenvolvem a sua actividade no Parque Industrial Sapec Bay na Zona Industrial da Mitrena, em Setúbal. Posteriormente, o objectivo é alargar os benefícios da CER a outras empresas.

Vão ser instalados 298 painéis solares fotovoltaicos numa área de cerca de 1.500 metros quadrados. Estes painéis terão uma capacidade total de mais de 162 kWp, sendo capazes de gerar 238 MWh anualmente. A energia gerada permitirá alimentar a unidade de produção de sulfato de alumínio e outras actividades da Sapec, proporcionando uma independência face à energia da rede de cerca de 22%, numa primeira fase, sendo que o projecto terá mais UPAC’s no futuro.

“Este é um projecto particularmente relevante para a Greenvolt Comunidades já que está localizado no Parque Industrial Sapecbay. Proporcionaremos energia mais barata e limpa às empresas do Grupo Sapec, mas sabemos que essa mesma energia chegará tanto a outras empresas do grupo como às restantes, instaladas num parque e zona altamente industrializada”, refere José Queirós de Almeida, ceo da Greenvolt Comunidades.

Numa fase inicial serão instalados painéis em duas das empresas do Grupo Sapec, que desenvolvem a actividade no Parque Industrial Sapecbay, onde recentemente foi também anunciado o projecto Aurora (Galp/NorthVolt). A Greenvolt Comunidades e a Sapec têm como objectivo alargar esta comunidade a outras empresas presentes na Península da Mitrena, desde que localizadas num raio até 4 km.

“Com este projecto, o Grupo Sapec pretende, na sequência dos investimentos nas suas actividades tradicionais e em novos negócios que recentemente tem integrado no seu portfolio, continuar a reforçar o seu contributo para a sustentabilidade”, diz António Marques, CEO da Sapec.

A Greenvolt Comunidades, que resulta da decisão estratégica do Grupo Greenvolt de apostar na promoção da geração distribuída de energia renovável, tanto para autoconsumo como através do conceito de comunidades de energia, actua no mercado desde Abril de 2022, com mais de 40 projectos de norte a sul do país, correspondendo a mais de 30MWp.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

FUCHS apoia desenvolvimento de lubrificantes fabricados com CO2 capturado do ar

O projecto “CO2 Catcher Lubricants” é realizado por uma equipa internacional de jovens investigadores na Universidade Técnica de Aachen (RWTH Aachen) na Alemanha

CONSTRUIR

Um dos maiores fabricantes de lubrificantes do mundo, a FUCHS, associou-se à investigação para encontrar um fonte de carbono alternativa. Além de materiais reciclados e matérias-primas baseadas em plantas, a investigação considera, também, a utilização de CO2 capturado do ar ambiente.

Desta forma, ao utilizar o dióxido de carbono para a produção dos seus produtos, a FUCHS está, em simultâneo, a removê-lo da atmosfera. Por isso, a empresa decidiu apoiar a Investigação & Desenvolvimento nesta matéria e atribuiu o prémio de inovação FUCHS Innovation Award ao projecto “CO2 Catcher Lubricants”.

Este projecto sobre lubrificantes que utilizam CO2 capturado do ar analisa as tecnologias e as formas de síntese, assim como os aspectos económicos relativos à utilização deste dióxido de carbono como produto químico de base para a FUCHS.

O projecto “CO2 Catcher Lubricants” é realizado por uma equipa internacional de jovens investigadores na Universidade Técnica de Aachen (RWTH Aachen) na Alemanha. O prémio FUCHS Innovation Award permitiu à equipa de investigação estabelecer uma parceria com o UnternehmerTUM, o centro de empreendedorismo da Europa com mais de 50 start-ups tecnológicas por ano.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Efacec reforça posição na Escandinávia com contrato no valor de 45 M€

A Efacec e a construtora sueca Multibygg Sydost AB, assinaram um contrato com a Mönsterås Biogasproduktion, para a construção de uma Central de Produção de Biogás. O valor de contrato é de 45M€, a participação da empresa portuguesa na joint venture corresponde a 66%

CONSTRUIR

A Central de Produção de Biogás de Mönsterås irá produzirá 30 toneladas de biogás líquido (LBG) por dia e tratará cerca de 300.000 toneladas de matéria orgânica por ano, principalmente de origem bovina, suína e aviária, transformando-a em biogás e biofertilizantes.

O projecto agora ganho pela joint venture formada pela empresa portuguesa Efacec e a construtora sueca Multibygg Sydost AB engloba a concepção, fornecimento, montagem, testes e entrada em funcionamento da nova Central de Produção de Biogás de Mönsterås. O âmbito da Efacec corresponde a mais de 30 milhões de euros, o equivalente a 66% da sua participação no valor global do contrato, cabendo a restante parte ao parceiro sueco.

A unidade de biogás será construída em Grimhult, no município de Kalmar, Suécia, indo ao encontro de uma necessidade crescente de descarbonização. Através da conversão de matéria orgânica em energia renovável e sustentável, conseguir-se-á uma redução significativa das emissões de gases com efeito de estufa (GEE).

Com este contrato a Efacec reforça a sua presença na região na área do Ambiente iniciada em 2019, com a participação no projecto de construção na maior central de biogás da Europa, em Kroskro, que se somam aos projectos na área de Transportes, como os metros da Dinamarca e Noruega e as passagens de nível na Suécia, estas últimas premiadas com Red Dot Award em 2021.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Hisense anuncia parceria com Vila Galé

A parceria, que irá permitir equipar todos os quartos de cerca de 11 unidades hoteleiras de Norte a Sul do País e Ilhas, pretende responder à estratégia de negócio da marca para o corrente ano de 2023, cujo foco será o sector do turismo

CONSTRUIR

A especialista em electrónica de consumo, Hisense, anunciou o estabelecimento de uma parceria com o grupo Vila Galé, mediante a qual a marca equipa, todos os quartos de cerca de 11 unidades hoteleiras de Norte a Sul do País e Ilhas.

Esta parceria responde à estratégia de negócio da marca para o corrente ano de 2023, cujo foco será o sector do turismo, especificamente o segmento de hotelaria e restauração, apostando forte nas soluções de som e imagem, assim como nas soluções de eletrodomésticos e ACs.

De acordo com Pedro Santos, responsável da Hisense em Portugal, “temos como principal missão proporcionar experiências enriquecedoras e sabemos que a nossa tecnologia de excelência, o design sofisticado, o desempenho superior e a credibilidade, demonstram o nosso compromisso com o mercado. Neste sentido, estamos muito satisfeitos em poder firmar esta parceria com o Vila Galé, um dos mais relevantes grupos Hoteleiros nacionais, oferecendo experiências superiores de som e imagem.”

Também Ana Luisa Bastos, responsável de compras não alimentares da Vila Galé, refere que “estamos sempre à procura de novos produtos inovadores, de qualidade e competitivos, para melhorar a nossa oferta de produtos e serviços, tendo a Hisense respondido ao nosso desafio e níveis de exigência”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Petronas e IVECO desenvolvem fluidos sustentáveis para veículos eléctricos comerciais

Os novos VE contribuem significativamente para a descarbonização dos veículos de transporte para uso comercial, suportados por fluidos que melhoram o seu desempenho e lhes permitem durar mais tempo

CONSTRUIR

A Petronas Lubricants International (PLI) está a reforçar a sua parceria histórica com a IVECO através do codesenvolvimento de fluidos para os novos veículos eDAILY de zero emissões, concebidos para “maximizar o desempenho e melhorar as soluções sustentáveis para a indústria automóvel comercial”.

A colaboração de longa data entre as duas empresas, assente na inovação e resiliência automóvel desde 1975, já resultou em milhares de horas de co-engenharia para produzir lubrificantes com os mais elevados padrões de qualidade, a fim de satisfazer as necessidades dos condutores de veículos IVECO. Os novos fluidos materializam o objectivo comum da PLI e da IVECO de alcançar um futuro sustentável.

Considerados os “gémeos eléctricos” dos icónicos veículos Daily da IVECO, os eDAILY cobrem todas as possíveis aplicações de veículos comerciais, incluindo missões e conversões de veículos pesados. Os novos VE contribuem significativamente para a descarbonização dos veículos de transporte para uso comercial, suportados por fluidos que melhoram o seu desempenho e lhes permitem durar mais tempo.

Os fluidos Petronas Iona Integra Plus foram desenvolvidos para a caixa de transferência elétrica dos eDAILYs, sendo especificamente pensados para reduzir as perdas por churning, assegurando ao mesmo tempo a durabilidade do sistema. Isto é comparável às viscosidades mais elevadas nos fluidos normais e garante excelentes propriedades de oxidação, mesmo sob temperaturas elevadas.

Os veículos eDAILY, também, utilizarão o Petronas Tutela Axle 900 HD, um óleo para eixo SAE 75W-85 desenvolvido para toda a gama de eixos IVECO, incluindo veículos ligeiros e pesados, com vista a maximizar a eficiência e cumprir as mais recentes exigências regulamentares.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Garcia Garcia actualiza rendimento dos trabalhadores

Empresa anuncia para este ano a subida do salário mínimo para os 800 euros e um aumento de 85 euros para todos os salários inferiores a 1.350 euros. O objectivo principal destas medidas é ajudar os colaboradores a fazer face ao cenário de aumento generalizado de preços e de diminuição do poder de compra

CONSTRUIR

Especializada em edifícios residenciais, comerciais, industriais e logísticos, a Garcia Garcia, construtora nacional, anuncia para este ano a subida do salário mínimo para os 800 euros, acima dos 760 euros fixados pelo Governo para 2023. Paralelamente, todos os salários inferiores a 1.350 euros beneficiarão directamente de um aumento mínimo de 85 euros, acompanhando assim a evolução registada ao nível do salário mínimo do grupo. O objectivo principal destas medidas é ajudar os colaboradores da empresa a fazer face ao cenário de aumento generalizado de preços e de diminuição do poder de compra.

Com esta actualização, à qual acresce o aumento em Julho do subsídio de refeição para 7,5 euros/dia, a empresa procura aumentar rendimentos e apoiar os seus colaboradores. A decisão é motivada pelo actual contexto socioeconómico e consequente aumento do custo de vida.

“Neste ano, que se prevê de algumas dificuldades, uma vez que se perspectiva a manutenção das circunstâncias que têm levado ao aumento do custo de vida, o nosso compromisso é promover o bem-estar dos nossos colaboradores, contribuindo com um ambiente de trabalho estável e melhorando as suas condições”, salienta a construtora.

Actualmente com mais de 230 colaboradores e com projectos em diferentes áreas e sectores, a Garcia Garcia tem sido escolhida ao longo dos últimos anos como parceira de várias empresas, nacionais e multinacionais, que decidem alavancar ou fixar a sua actividade em Portugal.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

default

Empresas

Aposta no fotovoltaico cobre 22% das necessidades da base logística d’Os Mosqueteiros

A ENGIE Hemera instalou na base logística do Grupo Os Mosqueteiros em Paços de Ferreira, mais de 2 mil módulos fotovoltaicos, que ocuparão uma área de cobertura de quase 5.000 m2. A instalação permite uma autonomia energética de 22% e a diminuição de 167 toneladas de CO2 por ano da sua pegada de carbono

CONSTRUIR

A ENGIE Hemera instalou um sistema solar fotovoltaico na base logística do Grupo Os Mosqueteiros em Paços de Ferreira, que permite gerar uma autonomia energética de 22% e diminuir as emissões em cerca de 167 toneladas de CO2.

Através desta solução, desenvolvida pela ENGIE Hemera, a base logística de Paços de Ferreira desta cadeia de supermercados vai poder produzir e consumir energia verde nas suas instalações, reforçando o seu compromisso com a sustentabilidade, a poupança de energia e a aposta estratégica de produção de energia própria.

Esta estratégia permite anular 22% das necessidades de consumo desta plataforma logística e atenuar o efeito nefasto do crescente aumento dos custos com a electricidade em Portugal, que tanto está a afectar o sector empresarial.

A instalação de 2.222 módulos na cobertura, numa área total de 4.830 m², permite atingir a potência instalada de 1MWp e criar, em média, uma produção energética anual de 1.256 MWh.

“A transição energética das nossas actividades é uma prioridade. Queremos contribuir com a geração de energia verde para tornar a nossa operação cada vez mais autossuficiente ao nível energético, reduzir os custos com a factura de electricidade, mas também para fazer a nossa parte na sustentabilidade ambiental, uma urgência a que todos diz respeito. O projecto realizado com a ENGIE Hemera é algo de que muito nos orgulhamos e que vai ter um impacto muito significativo no nosso dia-a-dia”, sublinha David Silva, Administrador da Logística do Grupo os Mosqueteiros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.