Edição digital
Assine já

DCIM100MEDIADJI_0558.JPG

Empresas

SunEnergy instala mais de 2.000 painéis solares no Hospital de Gaia

A SunEnergy, especialista em soluções de produção de energia eléctrica a partir do sol, concluiu a instalação de 2.027 painéis solares fotovoltaicos de 455W, no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia / Espinho. Este é um dos maiores projectos de autoconsumo em hospitais em Portugal

CONSTRUIR

DCIM100MEDIADJI_0558.JPG

Empresas

SunEnergy instala mais de 2.000 painéis solares no Hospital de Gaia

A SunEnergy, especialista em soluções de produção de energia eléctrica a partir do sol, concluiu a instalação de 2.027 painéis solares fotovoltaicos de 455W, no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia / Espinho. Este é um dos maiores projectos de autoconsumo em hospitais em Portugal

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Grupo Saint-Gobain investe 18 M€ em nova fábrica de Abrasivos
Empresas
Indicadores da reabilitação voltam a abrandar em Abril
Construção
Signify comemora cinco anos em Portugal
Empresas
Preços das casas em Lisboa intensificam subida em 7,7% entre Janeiro e Março
Imobiliário
Savills coloca HN Services Portugal no centro Maleo do Parque das Nações
Imobiliário
Projecto sobre residências artísticas em viagem em ‘conversa’ no Palácio Sinel de Cordes
Arquitectura
‘Babel’: Souto Moura facturou 248 mil euros em projectos para a Fortera
Arquitectura
Critical Manufacturing reúne em Portugal as maiores empresas industriais do mundo
Empresas
Reabilitação do Alegro Alfragide irá custar 10M€
Imobiliário
“ÉLOU” representa um investimento de 75M€
Imobiliário

“Com a instalação destes mais de 2.000 painéis solares fotovoltaicos em vários dos edifícios desta unidade de saúde conseguiu-se obter uma potência muito próxima do limite máximo de potência permitido para este tipo de projectos regulados pelo Decreto-Lei nº 162/2019, de 25 de Outubro, uma potência total próxima de 1 MW”, sublinha a empresa em comunicado.

A concretização deste projecto vai permitir, por um lado, diminuir a fatura energética do Hospital na ordem dos 200 mil euros por ano, e, por outro, vai permitir igualmente reduzir significativamente as emissões de CO2, estando prevista uma diminuição anual das emissões de CO2 em 300 toneladas.

“Este é mais um projecto de referência no panorama nacional do autoconsumo, que posiciona a Sunenergy como um dos principais players na área da energia solar em Portugal. O Hospital de Gaia, sendo um dos maiores hospitais do país, tem um grande consumo energético e muito regular, pelo que, a aposta na instalação de painéis solares fotovoltaicos para autoconsumo como forma de reduzir a sua factura energética e também a sua pegada ecológica faz todo o sentido e foi com enorme orgulho e satisfação que a SunEnergy aceitou este desafio”, sublinha Raul Santos, CEO da SunEnergy.

Este projecto surgiu no seguimento de um concurso público lançado pelo Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia / Espinho, com financiamento dos fundos de coesão da União Europeia e do Portugal 2020 através do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

“As questões relacionadas com a sustentabilidade são cada vez mais relevantes e as unidades de saúde como o nosso Hospital, que são grandes consumidores de energia, também sentem necessidade de dar o seu contributo, por pequeno que seja, para garantir a sustentabilidade do nosso planeta. Por este motivo, decidimos que faria todo o sentido apostar na instalação de painéis solares, não só porque nos permite obter uma poupança significativa na nossa factura energética e, com isso, aplicar esses recursos na melhoria dos cuidados de saúde prestados aos nossos utentes, mas também porque estamos a ajudar as gerações futuras”, refere Rui Guimarães, médico e presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar V. N. Gaia / Espinho.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Grupo Saint-Gobain investe 18 M€ em nova fábrica de Abrasivos
Empresas
Indicadores da reabilitação voltam a abrandar em Abril
Construção
Signify comemora cinco anos em Portugal
Empresas
Preços das casas em Lisboa intensificam subida em 7,7% entre Janeiro e Março
Imobiliário
Savills coloca HN Services Portugal no centro Maleo do Parque das Nações
Imobiliário
Projecto sobre residências artísticas em viagem em ‘conversa’ no Palácio Sinel de Cordes
Arquitectura
‘Babel’: Souto Moura facturou 248 mil euros em projectos para a Fortera
Arquitectura
Critical Manufacturing reúne em Portugal as maiores empresas industriais do mundo
Empresas
Reabilitação do Alegro Alfragide irá custar 10M€
Imobiliário
“ÉLOU” representa um investimento de 75M€
Imobiliário
Empresas

Grupo Saint-Gobain investe 18 M€ em nova fábrica de Abrasivos

Localizada na Maia, esta é a primeira unidade fabril da empresa no País dedicada à produção de Abrasivos Técnicos Não Tecido (Non-Woven) para o mercado EMEA, até agora abastecido por outra unidade da Saint-Gobain Abrasivos, localizada no México

CONSTRUIR

O grupo Saint-Gobain em Portugal conta com uma nova unidade fabril no segmento de Abrasivos. Um investimento de 18 milhões de euros e que permitiu a criação de 20 novos postos de trabalho, podendo este número aumentar até ao final do ano. Localizada no concelho da Maia, esta é a primeira unidade fabril da empresa no País dedicada à produção de Abrasivos Técnicos Não Tecido (Non-Woven) para o mercado EMEA, até agora abastecido por outra unidade da Saint-Gobain Abrasivos, localizada no México.

Esta aposta faz parte da estratégia de crescimento da empresa em Portugal, que em 2022 facturou cerca de 16 milhões e prevê, este ano, chegar aos 17 milhões.

Pedro Busto, managing director da Saint-Gobain Abrasivos em Portugal, Espanha e Marrocos, explica o porquê da abertura da fábrica na Maia: “A Unidade de Conversão para este tipo de produtos (Non Woven) já existia no concelho. Em comparação com outras fábricas do grupo e fora do grupo, que estiveram na equação, esta foi a que apresentou melhores resultados estratégicos para abastecimentos à Europa, assim como um grande conhecimento e comprometimento por parte da equipa local. Desta forma, conseguiremos corresponder com maior eficiência às exigências do mercado e às expetativas dos nossos clientes”.

Além de dotar a Saint-Gobain Portugal de uma maior capacidade de produção, esta nova unidade espelha, ainda, o compromisso da empresa com a sustentabilidade. “Esta fábrica é significativamente mais eficiente nas emissões de CO2 por unidade de produção, com uma redução de aproximadamente 50% em comparação com unidades equivalentes, e terá, ainda, a instalação de uma central de produção de energia com recurso a painéis fotovoltaicos, o que garantirá autoconsumo entre 20 a 30% da capacidade instalada”, acrescentou o responsável.

De referir que a Saint-Gobain Abrasivos se dedica à produção e transformação de Abrasivos Técnicos Não Tecido (Non-Woven) e Lixas, à comercialização de toda a gama de Abrasivos e produtos de Tratamento de Superfícies do universo Saint-Gobain Surface Solutions.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Signify comemora cinco anos em Portugal

No mês em que a Signify (Euronext: LIGHT), celebra cinco anos de existência em Portugal, dá a conhecer alguns dos exemplos nacionais onde o impacto da utilização de soluções sustentáveis de iluminação na vida das populações e na transformação dos territórios é mais visível

CONSTRUIR

“De norte a sul do país, somam-se os exemplos de sistemas de iluminação LED que, conectado são software de gestão Interact, têm vindo a criar infraestruturas robustas para melhorar os serviços urbanos, a segurança dos cidadãos, embelezar os espaços públicos e, sobretudo, reduzir custos energéticos, aumentar a eficiência energética e reduzir a pegada ecológica”, justifica nota da empresa.

É o caso do WOW, o novo quarteirão cultural em Gaia, para onde “foram desenvolvidas luminárias específicas feitas à medida, para uma integração perfeita na arquitectura. Graças ao Interact, um sistema de controlo inteligente de iluminação, é possível gerir a iluminação interior e exterior de todo o complexo cultural, adaptando-a às necessidades específicas de cada espaço, em cada momento. Desta forma é possível a criação de cenas personalizadas de acordo com os diferentes eventos anuais, proporcionando uma experiência única para os visitantes”, explica a empresa em comunicado.

Outro projecto relevante é o que foi realizado para a a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), que congrega 14 municípios. E onde foi actualizada toda a iluminação urbana, composta por mais de 55 mil luminárias, das quais 29.000 são geridas através da plataforma Interact. “Motivados por questões ambientais, o objectivo foi reduzir o consumo energético, as emissões de CO2 para a atmosfera e os custos de manutenção das luminárias, bem como a qualidade da luz para o dia-a-dia da população. Os resultados estão à vista: o Alentejo reduziu as emissões de CO2, graças à economia de mais de 19 gigawatts por ano e à redução das emissões em 27 milhões de toneladas de CO2 por ano”.

Os mais de 7000 quilómetros estão agora conectados por um sistema de iluminação LED que “em termos efectivos de redução de custos, gerou uma poupança energética superior a 75%. A tecnologia da Signify permitiu, ainda, a uniformização da temperatura de cor a 3000ºK para um melhor conforto visual, sem encandeamento da população. Inclusivo e versátil, o sistema Interact veio permitir a gestão das luminárias de forma telemática, com um painel de controlo que monitoriza em direto e em tempo real, recolhendo e analisando dados e facilitando as tarefas de manutenção. A região ganhou segurança e controlo total da iluminação de forma eficiente e com respeito pelo meio ambiente”, sublinha a empresa

Sabugal: onde a iluminação chega de forma eficiente aos lugares mais remotos

Com pouca actividade no Inverno e sobrecarga no Verão, o município português do Sabugal procurava um sistema de iluminação pública que respondesse às suas necessidades. O elevado custo das infraestruturas para responder à acentuada procura de recursos em determinados momentos do ano constituía uma das principais preocupações do município. Com a solução da Signify, a autarquia reduziu os custos de energia até 75%, graças à mudança para o LED e à telegestão através do Interact, que evita o desperdício de luz. Hoje, mais de 800 quilómetros quadrados do município são controlados através de uma simples aplicação.

Em termos ambientais, com a mudança para LED, o Sabugal reforça o seu compromisso de respeito pelo ambiente, reduzindo a pegada de carbono numa envolvente única como é a Reserva Natural da Serra da Malcata.

Cinco anos a promover sustentabilidade e eficiência

No seu quinto aniversário, a Signify reafirma o seu compromisso de continuar a impulsionar a inovação no mercado da iluminação para soluções mais sustentáveis, eficientes e conectadas.

“As actuais crises climática, energética e financeira põem em evidência o ponto de não retorno a que nos estamos a aproximar a nível mundial. As empresas, as instituições públicas e a sociedade devem tomar consciência de que chegou o momento de agir. Porque o amanhã não é uma opção. É por isso que precisamos de líderes corajosos para dar um passo em frente na transição ecológica e digital. Neste sentido, a iluminação conectada é um aliado neste caminho, uma vez que representa uma das formas mais rápidas e menos intrusivas de avançar para os objetivos de desenvolvimento sustentável”, declarou Josep Martínez, presidente e director geral da Signify Ibéria.

A sustentabilidade tem sido um dos principais pilares da empresa durante estes cinco anos e materializou-se em grandes realizações, a promoção da economia circular através da utilização de productos fabricados a partir de materiais reciclados, líder na transição para LED com produtos de iluminação ultra eficientes que consomem menos energia ou a promoção de programas como o Green Switch que visam a aplicação imediata dos ambiciosos objetivos estabelecidos pela UE no Pacto Ecológico.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Critical Manufacturing for Living Offices

© André Henriques
www.ahphoto.pt

Empresas

Critical Manufacturing reúne em Portugal as maiores empresas industriais do mundo

“MES & Industry 4.0 International Summit” é o primeiro evento internacional dedicado ao tema da transformação digital nas indústrias de produção a decorrer no Porto. A iniciativa terá lugar nos dias 7 e 8 de Setembro de 2023, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto e tem como objectivo inspirar as empresas industriais a “conectarem-se para um futuro mais inteligente”

CONSTRUIR

Promovido pela portuguesa Critical Manufacturing, o evento, de carácter internacional, conta com uma programação abrangente que inclui conferências, mesas redondas, demonstrações, sessões interactivas e estudos de caso projectados para ajudar os profissionais da indústria a navegar pelo caminho da transformação digital. O evento espera receber aproximadamente 500 pessoas vindas de todo o mundo.

“Com uma indústria cada vez mais global, as empresas que actuam em mercados altamente competitivos e dinâmicos sentem-se cada vez mais pressionadas a oferecer produtos de maior qualidade, a serem mais ágeis e, simultaneamente mais eficientes. A digitalização é o caminho inevitável a seguir para alcançar esses objectivos, e é necessário desmistificar a complexidade da utilização da tecnologia em ambientes industriais, afirma Francisco Almada Lobo, CEO da Critical Manufacturing.

Ao longo de dois dias, o MESI 4.0 Summit vai reunir os principais líderes mundiais da indústria 4.0 e especialistas em implementação de MES para ajudar os visitantes a avançar com a sua visão/ projecto de transformação digital. Com capacidade limitada e de acesso exclusivo, o evento já tem as inscrições abertas e serão confirmadas por ordem de entrada.

“O software de gestão da produção oferece um enorme valor para as fábricas do futuro e as soluções modernas de MES são uma peça fundamental para atingir a promessa da indústria 4.0”, prossegue Almada Lobo. “Este evento apresentará uma excelente oportunidade para clientes, parceiros e interessados no tema se reunirem, partilharem experiências, obterem insights e testemunharem algumas das mais recentes tecnologias em acção”.

O MESI 4.0 Summit terá três áreas distintas: o palco principal na Sala do Arquivo, onde os principais tópicos da conferência serão trazidos para a discussão, uma área de demonstração para os parceiros de implementação apresentarem os seus serviços, e o ‘Expert Lab’ onde os visitantes poderão ver em acção as mais recentes soluções do software de gestão da produção. Dentro deste último, existirá também uma experiência de realidade virtual onde os visitantes poderão caminhar pela fábrica do futuro. A agenda abrange temas de sectores como Dispositivos Médicos, Semicondutores, Dispositivos Electrónicos, Equipamentos Industriais e incorpora tópicos de discussão como “The path to an autonomous factory; The role of data platforms and IIoT in building a resilient, data-driven enterprise, and achieving multisite operational excellence”. Haverá, ainda, uma sessão interactiva organizada pelo Manufacturing Operations Management Institute para as empresas avaliarem qual o estado da sua visão/maturidade relativamente à Indústria 4.0.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Gonçalo Barral é o novo director-geral do Groupe Atlantic na península Ibérica

“Projectar a liderança do Groupe Atlantic nas principais áreas de especialização em que opera, especialmente na produção de AQS e aquecimento, tanto doméstico como colectivo” é um dos principais desafios de Gonçalo Barral

CONSTRUIR

Com mais de 25 anos de experiência profissional, o novo executivo, que vai ficar responsável pelas filiais do Grupo em Portugal e Espanha, possui uma vasta experiência internacional em gestão de pessoas e de actividades na área da distribuição – B2B e B2C.

Gonçalo Barral foi director-geral da Essilor Portugal, nos últimos oito anos, onde geria mais de 400 funcionários nas áreas de produção e comercial. Anteriormente, foi durante três anos director-geral da Silent Gliss (Reino Unido), e sete anos director das empresas do Grupo BIC, com sede em Espanha.

O Groupe Atlantic é uma empresa familiar francesa, que actua no sector de climatização, com uma presença consolidada em todo o mundo. A empresa possui uma capacidade industrial reconhecida, com 31 unidades industriais. Actualmente, a empresa posiciona-se como uma referência em soluções de conforto térmico, ligadas à produção de água quente sanitária (AQS), aquecimento, ar condicionado e ventilação.

No seu novo cargo, Gonçalo Barral enfrenta o desafio de projectar a liderança do Groupe Atlantic nas principais áreas de especialização em que opera, especialmente na produção de AQS e aquecimento, tanto doméstico como colectivo, através de uma vasta gama de soluções renováveis adaptadas a todo o tipo de instalações.

Em Espanha, o Groupe Atlantic conta com mais de 100 colaboradores distribuídos por duas unidades de negócio reconhecidas pelas suas marcas de comercialização: Thermor, Edesa, ACV e Ygnis, marcas que têm em comum o compromisso com os profissionais do sector, a orientação para o cliente e a excelência do serviço.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Foto: André Wagenzik

Empresas

Dstgroup lança open day para contratar centenas de trabalhadores

­No próximo dia 2 de Junho tem lugar o open day do grupo, uma iniciativa que tem por objectivo atrair talento para as áreas de construção, serralharia, mecânica, soldadura, carpintaria e inovação ­

CONSTRUIR

­Para dar resposta ao crescimento da actividade, o dstgroup irá realizar um open day no próximo dia 2 de Junho, no campus de Braga, convidando os profissionais e estudantes interessados a conhecer as instalações do grupo, a sua filosofia e cultura, os seus representantes, a sua galeria de arte a céu aberto e ainda os benefícios que tem para oferecer.

Numa campanha de recrutamento que desafia os candidatos a demonstrar o seu potencial, o dstgroup pretende contratar trabalhadores para as equipas nas áreas da construção, serralharia, mecânica, soldadura, carpintaria e inovação.

“Esta iniciativa é fundamental para os nossos objectivos de desenvolvimento de talento e concentra-se no mais importante: as pessoas. É essencial promover momentos de partilha e experiências que permitam o contacto e o intercâmbio de conhecimentos entre potenciais candidatos e responsáveis”, afirma José Machado, director dos Recursos Humanos do grupo.

Neste open day, que terá lugar no campus do dstgroup, em Palmeira, a empresa proporcionará momentos de networking e de speed meeting para que os novos talentos possam estabelecer contacto e esclarecer dúvidas com especialistas das áreas de interesse.

As actividades incluem também um peddy paper para dar a conhecer as várias empresas presentes no complexo, como a bysteel ou a dte, bem como os Restaurantes M e T5, e ainda o Centro de Saúde exclusivo para os trabalhadores do grupo. Além disso, os jardins repletos de obras de arte e os espaços de lazer também serão explorados, reflectindo a convicção do grupo de que a cultura muda vidas.

Recorde-se que no início deste ano, o dstgroup subiu o salário mínimo em vigor na empresa para €800, superando o Salário Mínimo Nacional, estipulado por lei em €760 para 2023, com o objectivo de combater a precariedade laboral, promover a captação e a retenção de talento e proporcionar bem-estar e qualidade de vida aos seus trabalhadores.A este valor soma-se o subsídio de alimentação, seguro de vida, seguro de saúde e mais de 70 outros benefícios em diversas áreas, desde a saúde, desporto, bem-estar, educação e lazer, à disposição dos seus mais de 2600 trabalhadores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

ANIET recebe comitiva internacional para “conhecer o potencial do sector da pedra”

Duas dezenas de arquitectos e prescritores visitaram o País no âmbito do projecto “Portuguese Stone, The Natural Path”

CONSTRUIR
tagsANIET

A Associação Nacional da Indústria Extrativa e Transformadora (ANIET) recebeu, recentemente, uma comitiva internacional, constituída por cerca de duas dezenas de arquitectos e prescritores, que visitaram o nosso País a convite da Associação, no âmbito do projecto “Portuguese Stone, The Natural Path – Sistema de Apoio às Acções Colectivas”, cofinanciado pelo Compete 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da União Europeia.

Esta acção de promoção junto de prescritores internacionais, de dentro e fora da Europa, teve como principal objectivo dar a conhecer a estes stakeholders a realidade e o potencial exportador do sector da Pedra Natural Portuguesa, bem como proporcionar visitas in loco a diferentes empresas representativas da extracção e transformação da Pedra Natural Portuguesa.

No âmbito destas iniciativas, Jorge Mira Amaral, presidente da ANIET, destaca a vasta presença da  presença da Pedra Natural Portuguesa na Europa. “É fundamental referir que, apesar da sua reduzida dimensão territorial, Portugal ocupa, entre os principais produtores e exportadores de pedra natural para fins ornamentais, a sétima posição mundial e a terceira a nível europeu”.

A visita desta comitiva a Portugal encontra-se inserida num conjunto alargado de acções levadas a cabo ao longo dos dois últimos anos pela ANIET, sempre com o propósito de promover o sector da Pedra Natural Portuguesa em diversas geografias do globo, como acções promocionais realizadas em mercados estratégicos para o sector, tais como Estados Unidos da América, Emirados Árabes Unidos, Itália, Alemanha, Finlândia, entre outros.

Esta iniciativa encerrou com a realização da terceira edição da Conferência Internacional da Pedra Natural, que teve lugar no dia 12 de Maio, na Casa da Música, na cidade do Porto.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Metalogalva lança unidade produtiva nos EUA

A Metalogalva, empresa especializada na engenharia e protecção de aço, inaugurou, a primeira fábrica nos Estados Unidos da América (EUA), dedicada à produção de estruturas metálicas para a indústria fotovoltaica

CONSTRUIR

Na nova unidade, localizada em Memphis, no estado do Tennessee, a empresa portuguesa contará, no imediato, com 120 colaboradores, estimando facturar 80 milhões de euros já no ano de 2024. Os EUA representam, para a Metalogalva, o principal mercado de exportação. Este investimento vem reforçar a aposta da empresa nesta geografia, permitindo incrementar a produção, assegurar uma rede comercial ágil e uma logística de proximidade. A Metalogalva passa, desta forma, a contar com duas fábricas no continente americano, somando-se à situada no Brasil.

A aposta nesta unidade produtiva dedicada à fabricação de estruturas metálicas para a indústria fotovoltaica insere-se na estratégia de crescimento sustentado da Metalogalva. “Os investimentos que temos vindo a realizar à escala internacional reflectem a ambição que caracteriza o nosso Grupo, mas igualmente a consciência de que precisamos de apostar continuamente na inovação e na consolidação do nosso portefólio, de modo a assegurar uma resposta eficaz aos desafios do mercado e às exigências dos nossos clientes”, explica Sérgio Silva, CEO do VigentGroup. “Esta fábrica permite-nos incrementar a nossa posição e quota num setor de elevado potencial, que irá certamente manter um ritmo acelerado de crescimento no futuro”, completa.

O investimento directo nos EUA vem, neste sentido, reforçar a expansão internacional da Metalogalva, incrementando a capacidade de resposta à escala global.

Após ter encerrado 2022 com o valor mais elevado de sempre de vendas, a Metalogalva estima atingir uma facturação consolidada de 430 milhões de euros este ano, contando, à escala global, com cerca de 1.400 colaboradores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Keller Williams com “crescimento significativo do número de angariações” no 1º trimestre

Em comunicado, a empresa que os resultados do primeiro trimestre de 2023 mostram um aumento de 42% no número de novos imóveis angariados

CONSTRUIR

A entrar no nono ano em Portugal, a Keller Williams, empresa de formação, coaching e tecnologia que opera na mediação imobiliária, terminou o primeiro trimestre de 2023 com “um crescimento significativo do número de angariações”, anunciou em comunicado.

Os resultados do primeiro trimestre mostram um aumento de 42% no número de novos imóveis angariados, o que representa o maior crescimento trimestral deste indicador desde o início da operação da empresa em Portugal.

“Este período foi marcado pela já expectável redução do número de transacções, mas também pela redução do número de imóveis disponíveis no mercado. Assim, conseguir este aumento recorde do número de novas angariações abre boas perspectivas para o que resta do ano e valida o esforço que temos vindo a desenvolver na formação e preparação dos nossos parceiros para este novo ciclo de mercado.”, afirma Marco Tairum, ceo da Keller Williams Portugal.

Durante o primeiro trimestre de 2023, a empresa foi ainda responsável mais de 2800 transações, sendo que 80% dizem respeito à compra e venda de habitação, e igualou o volume de faturação do período homólogo.

No que toca ao crescimento da rede, a KW Portugal aumentou também o número de Market Centers no País, tendo agora 34, mais 10% do que em 2022.

“Estes resultados mostram a solidez do nosso modelo de negócio e da nossa proposta de valor. O crescimento do número de associados e a abertura dos novos Market Centers, mostram que somos cada vez mais a solução para todos aqueles que procuram as melhores ferramentas para que os seus negócios prosperem, mesmo neste contexto de maior adversidade.”, termina o CEO da KW Portugal.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Image4All desenvolve projecto “agrovoltaico” em horta urbana da FCUL

A Image4All é responsável pela instalação e gestão da unidade de produção fotovoltaica da nova Horta Solar da FCUL. Projecto, com desenvolvimento de autoconsumo, tem como objectivo explorar a produção combinada e sinergética de electricidade solar e produtos agrícolas

CONSTRUIR

A Image4All é responsável pela implementação e gestão da unidade de produção fotovoltaica da nova Horta Solar da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL). O projecto desenvolvido pela empresa de engenharia e eficiência energética demonstra o potencial da abordagem combinada de geração fotovoltaica e produção agrícola – “agrovoltaico” – como solução em ambiente rural, mas também em ambiente urbano.

O novo sistema “agrovoltaico” insere-se no âmbito do laboratório vivo para a Sustentabilidade @Ciências e conta com a Image4All como parceiro, no âmbito do apoio da empresa à Investigação & Desenvolvimento no sector científico, neste caso às necessidades de energia, quer para optimizar o ciclo de produção agrícola, quer para geração e autoconsumo.

A horta urbana no Campus Solar é um projecto multidisciplinar de investigação e de demonstração de um sistema “agrovoltaico” para explorar a produção combinada e sinergética de electricidade solar e produtos agrícolas. O novo sistema está instalado no laboratório exterior de energia solar no campus da FCUL, no Campo Grande, em Lisboa e, para além de ser uma nova fonte de energia, permite desenvolver investigação científica no sector agrícola.
Do ponto de vista energético, a principal motivação para este projecto “agrovoltaico” é permitir resolver um dilema: a instalação de grandes centrais fotovoltaicas é relativamente barata, mas estas necessitam de terrenos que poderiam ser utilizados para outros fins, como produções agrícolas ou simplesmente paisagem natural. Também podem quase que equivaler a uma monocultura, o que se não for bem feito também tem impacto na biodiversidade.

Entre os dois dilemas, o agrovoltaico aparece como solução, porque não tem impacto na biodiversidade, não ocupa o terreno e por isso permite outros usos. A exploração da sinergia entre o fotovoltaico e agricultura, em termos de rentabilidade do terreno, também é interessante do ponto de vista económico.

No limite, o potencial de utilização é quase infinito. A título de exemplo, para satisfazer as metas de Portugal de produção de energia renovável de 20 GW em 2050 seria preciso usar 1,5% da zona agrícola de Portugal com projectos “agrovoltaicos”. Há muito espaço, podem-se escolher os melhores sítios, com melhores ligações à rede, sem problemas de licenciamento ambiental.

O projecto explora ainda a implementação nas cidades, onde é mais caro, porque os projectos são mais pequenos. Este projecto é uma parceria com a Horta FCUL e eventualmente a replicação deste modelo será em hortas urbanas na cidade. É uma experiência de biodiversidade em termos de ambiente urbano, coadjuvada por especialistas para auxiliar no entendimento do processo.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Soluções de iluminação da Simon na Casa Decor

A Simon participa, neste que é o epicentro do design e da arquitectura de interiores em Espanha, nos espaços da Quino Bono Arquitectos, responsável pelo Espaço Ideatec, Auditório, da Estudi{H}ac, responsável pelo projecto “Geodazzle” de Museum, e da COMAD Arquitectos, criadores do espaço Danish Design +

CONSTRUIR

Epicentro do design e da arquitectura de interiores em Espanha, a Casa Decor decorre até 28 de Maio. Realizada num esplêndido edifício residencial na emblemática calle Serrano 92, a 58ª edição da Casa Decor apresenta as últimas tendências do sector da decoração e design pela mão dos profissionais. A Simon participa nos espaços da Quino Bono Arquitectos, responsável pelo Espaço Ideatec, o Auditório; da Estudi{H}ac, responsável pelo projecto “Geodazzle” de Museum; e da COMAD Arquitectos, criadores do espaço Danish Design +.

Inspirado na natureza

O estúdio Quino Bono Arquitectos foi o responsável pela concepção do Auditório, o Espaço Ideatec. A principal premissa deste projecto era alcançar um ambiente luminoso, sereno e sem distracções. Os fenómenos naturais, como o céu nublado ou as ondulações do leito de um rio, foram as principais inspirações para o design de interiores e a arquitectura do local.

A sua concepção foi subordinada às exigências funcionais e acústicas das actividades que ali decorrem: absorção do excesso de ruído na sala de restauração e direccionamento do som do palco directamente para o público, bem como eliminação da reverberação no auditório. Para o efeito, foi instalado um tecto falso com painéis de absorção sonora, aplicados também nas paredes.

Nas juntas dos painéis foi integrada uma iluminação linear altamente eficiente e de baixo consumo energético, criando formas ondulantes que, juntamente com as ondulações das lâminas do tecto, guiam o utilizador ao longo do espaço.

A Op-Art aterra na Casa Decor

O “Geodazzle” da Estudi{H}ac responde à necessidade de reunir num único espaço uma selecção de texturas cerâmicas contrastantes com vista a obter um ponto de união numa perspectiva artístico-arquitectónica. Uma forma de aliar o espaço à arte, homenageando Victor Vasarely, pai do movimento abstrato Op-Art.

O espaço de Museum Surfaces e Harmony Inspire conta com uma trama gráfica de um grande mosaico cerâmico desenhado à medida, aplicado no pavimento e nas paredes, que, em conjunto com um grande espelho rotativo, cria uma sensação de movimento e ilusão óptica. A iluminação desempenha aqui um papel importante na arquitectura do espaço. A Simon, com a sua iluminação linear e o respectivo controlo de iluminação, confere uma nova dimensão ao projecto.
Graças à colocação estratégica das luminárias, as paredes e os diferentes elementos iluminados parecem ganhar vida. A ilusão óptica originada pela mistura de mosaicos é acentuada neste espaço repleto de texturas e jogos de cor.

O poder do emocional

O espaço dinamarquês, concebido pela Comad Arquitectos, pretende exibir as jóias do design dinamarquês num ambiente sofisticado e elegante, sem perder a essência do estilo de vida do país que assenta na convivência com objectos e mobiliário aos quais nos possamos ligar emocionalmente, alheios a tendências passageiras.

As cores neutras e as superfícies polidas proporcionam um espaço livre a nível mental, o dourado envelhecido contrasta com a modernidade das peças de design, contribuindo para criar um espaço de luxo sóbrio, sereno e moderno.

Para uma experiência de conforto, a Simon participa com iluminação linear, bem como a gama de mecanismos Simon 270. Com uma estética minimalista e elegante, os mecanismos Simon 270 integram-se perfeitamente em qualquer tipo de decoração graças à sua espessura mínima e à sua vasta gama de acabamentos em diferentes cores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.