Edição digital
Assine já
    PUB
    Construção

    Cinco novas centrais fotovoltaicas flutuantes vão nascer no Alqueva

    A Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA), lançou um concurso internacional para a construção de cinco centrais fotovoltaicas flutuantes. Estas ficarão situadas nas albufeiras de Ferreira do Alentejo, Almeidas, Pias, Penedrão e Monte Novo. A capacidade combinada desses cinco projectos será de 4,5 MW, num investimento de 4,3M€

    CONSTRUIR
    Construção

    Cinco novas centrais fotovoltaicas flutuantes vão nascer no Alqueva

    A Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA), lançou um concurso internacional para a construção de cinco centrais fotovoltaicas flutuantes. Estas ficarão situadas nas albufeiras de Ferreira do Alentejo, Almeidas, Pias, Penedrão e Monte Novo. A capacidade combinada desses cinco projectos será de 4,5 MW, num investimento de 4,3M€

    CONSTRUIR
    Sobre o autor
    CONSTRUIR
    Artigos relacionados
    Grupo CAFE reabilita edifício do final do século XIX em Alcântara
    Construção
    Câmara de Lagos abre concurso para empreitada de habitação
    Construção
    Porcelanosa investe 80 mil euros em painéis fotovoltaicos na loja de Lisboa
    Empresas
    Bruno Palhoto vai liderar área de Empreendimentos da Brightman Group
    Imobiliário
    Corporate First Gaia representa investimento de 17,5M€
    Construção
    Transportes, energia limpa e desenvolvimento urbano entre os novos investimentos do BEI
    Construção
    Adene assume co-presidência da European Energy Network
    Engenharia
    AMMC Legal reforça equipa
    Empresas
    InPost lança lockers autónomos com painéis fotovoltaicos
    Empresas
    Setúbal aprova isenção de IMT na compra de primeira habitação até aos 35 anos
    Imobiliário

    Está em curso o concurso público internacional para a empreitada de construção das centrais fotovoltaicas flutuantes a instalar nos reservatórios de Ferreira do Alentejo, Almeidas, Pias, Penedrão e Monte Novo (reservatório 4), com uma potência total de 4,5 MWp (Mega Watts pico), num investimento de cerca de 4 milhões e 320 mil euros.

    Este concurso inclui a elaboração do Projecto de Execução e a Empreitada de Construção das cinco centrais fotovoltaicas flutuantes localizadas junto às estações elevatórias dos respectivos reservatórios e ainda a operação e manutenção das mesmas pelo prazo de três anos após a entrada em exploração.

    As centrais a instalar servirão essencialmente para alimentar as estações elevatórias adjacentes, enquadradas no regime de autoconsumo como Unidades de Produção de Autoconsumo (UPAC), estimando-se uma produção anual de 7 GWh (Giga Watts hora), evitando assim a emissão de 1600 toneladas por ano de CO2 para a atmosfera.

    A instalação destas centrais fotovoltaicas em estruturas flutuantes tem importantes argumentos favoráveis: não compete com outro tipo de utilização do solo, pois ocupa tipicamente reservatórios de regularização ou partes de albufeiras que não têm uso alternativo; a produção é maior, pois o efeito refrescante do plano de água sobre os painéis aumenta a sua eficiência de conversão da radiação em electricidade; a redução da incidência da luz nos reservatórios limita o crescimento das algas, contribuindo decisivamente para a qualidade da água e para a diminuições dos custos com a limpeza de filtros; a cobertura de reservatórios reduz a evaporação e, consequentemente, os custos operacionais da distribuição de água.

    Este é o primeiro de um conjunto de 4 concursos a lançar até ao final do Verão, num investimento global que rondará os 60 milhões de euros a que corresponderá a instalação de perto de 70 MW.

    A intenção da EDIA é replicar o sucesso da central instalada no reservatório de Cuba-Este, em operação desde 2020.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Artigos relacionados
    Grupo CAFE reabilita edifício do final do século XIX em Alcântara
    Construção
    Câmara de Lagos abre concurso para empreitada de habitação
    Construção
    Porcelanosa investe 80 mil euros em painéis fotovoltaicos na loja de Lisboa
    Empresas
    Bruno Palhoto vai liderar área de Empreendimentos da Brightman Group
    Imobiliário
    Corporate First Gaia representa investimento de 17,5M€
    Construção
    Transportes, energia limpa e desenvolvimento urbano entre os novos investimentos do BEI
    Construção
    Adene assume co-presidência da European Energy Network
    Engenharia
    AMMC Legal reforça equipa
    Empresas
    InPost lança lockers autónomos com painéis fotovoltaicos
    Empresas
    Setúbal aprova isenção de IMT na compra de primeira habitação até aos 35 anos
    Imobiliário
    PUB

    Renaissance1890

    Construção

    Grupo CAFE reabilita edifício do final do século XIX em Alcântara

    O edifício, com arquitectura de estilo pombalino, deverá estar concluído no primeiro semestre de 2026. A obra está a cargo da Carlman, uma empresa do universo CAFE e a comercialização é da Remax Collection

    CONSTRUIR

    O projecto Renaissance 1890 marca o “renascimento” de um edifício de finais do século XIX, situado na Rua Prior do Crato, uma das mais importantes artérias de Alcântara é o segundo edifício a ser reabilitado naquela zona da cidade pelo Grupo CAFE. Com previsão de conclusão para o primeiro semestre de 2026, a obra está a cargo da Carlman, uma empresa do universo CAFE. A comercialização está a cargo da Remax Collection.

    “O edifício Renaissance 1890 é um ícone da arquitetura, que pretende trazer
    a imponência histórica ao mercado habitacional, em Alcântara, e é uma escolha de bom gosto para quem procura investir num apartamento de charme, com distinção
    cosmopolita e combinação exclusiva da tradição com o conforto da
    modernidade, numa localização residencial premium”, refere Beatriz Rubio, CEO da RE/MAX Collection.

    O edifício, cuja arquitectura ao estilo pombalino é evidente nas suas “simetrias, pés direitos altos e tectos trabalhados”, irá manter os seus “traços arquitectónicos históricos”. O projecto de reabilitação visa transformá-lo num edifício de habitação de “referência”, que conjugará a antiguidade clássica da fachada com os mais modernos padrões de comodidade e conforto nos interiores.

    O Renaissance 1890 irá contar com tipologias T1, T2 e T3 e áreas que variam entre os 63 metros quadrados (m2) e os 168 m2. Praticamente todas as unidades têm varandas que podem chegar aos 17,5 m2 de área exterior. Também a integração das janelas de sacada originais na nova estrutura dos apartamentos “convida a luz a entrar” e a recuperação das sancas, perfis e estuques trabalhados “transportam-nos para tempos imemoriais”.

    Constituído por cinco pisos, águas-furtadas e ainda áreas amplas no piso térreo, de forma a permitir a instalação de comércio e restauração, o Renaissance 1890 foi
    construído seguindo uma lógica de quarteirão.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Câmara de Lagos abre concurso para empreitada de habitação

    O empreendimento designado de Edifício Multifamiliar da Cerca do Cemitério faz parte do primeiro pacote de 47 fogos a atribuir, de um total de 260 fogos a construir, conforme consta da recente revisão da Estratégia Local de Habitação

    CONSTRUIR

    A autarquia lacobrigense ratificou a decisão de abertura de concurso para a empreitada de construção de um edifício multifamiliar de 12 fogos. Com um investimento previsto de 1,5 milhões de euros, este será o quarto empreendimento habitacional a construir pela autarquia lacobrigense no âmbito da Estratégia Local de Habitação e com financiamento previsto ao abrigo do programa 1.º Direito.

    O empreendimento designado de Edifício Multifamiliar da Cerca do Cemitério faz parte do primeiro pacote de 47 fogos a atribuir, de um total de 260 fogos a construir, conforme consta da recente revisão da Estratégia Local de Habitação, que atualizou de 18 para 48 milhões de euros o volume de investimento necessário para responder mais efetivamente à crise habitacional que afeta o concelho, sendo sentida em toda a região.

    O lançamento deste concurso acontece alguns dias depois da assinatura do contrato programa com o Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) que concretiza o financiamento, com verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), dos primeiros 17 fogos da Estratégia Local de Habitação já executados e prontos para entrega, embora existam mais fogos em construção. Lagos foi, precisamente, um dos cinco municípios algarvios que conseguiram, nesta primeira fase, assinar contrato de financiamento com o IHRU.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Corporate First Gaia representa investimento de 17,5M€

    O Grupo Casais inaugura esta sexta-feira, 21 de junho, o Corporate First Gaia, um edifício que conta com um hotel com 210 quartos e 9 pisos de escritórios, e que representa um investimento global de 17,5 M€, tendo a assinatura do arquitecto Fernando Rocha da URBIS

    CONSTRUIR

    O Grupo Casais inaugura esta sexta-feira, 21 de Junho, no âmbito da parceria Sunny Casais, o Corporate First Gaia, um edifício multidisciplinar que conta com a unidade hoteleira, a B&B Porto Gaia, e 15 espaços para escritórios o Corporate First Gaia tem 12782,70 m2 e representa um investimento global de 17,5 milhões de euros. O projecto é assinado pelo arquitecto Fernando Rocha da URBIS.

    O B&B Porto Gaia é uma infraestrutura hoteleira que responde à procura turística e negócios, com 210 quartos e 420 camas, distribuídos por 11 pisos. Além disso, o edifício conta com um parque de estacionamento com capacidade 63 viaturas. Este é o sétimo B&B construído pelo Grupo Casais, em Portugal e Espanha, sendo que o Grupo tem a seu cargo a promoção de cinco hotéis em Portugal, Montijo, Oeiras, Vila Nova de Gaia, Olhão e Guimarães. Actualmente, este grupo hoteleiro tem 15 unidades em Portugal.

    Na zona poente do Corporate First Gaia, está localizado o espaço de cowork SITIO Gaia, que ocupará uma parte do edifício construído especificamente para albergar escritórios. Esta unidade desenvolve-se em 9 pisos, havendo áreas destinadas especificamente a escritórios privados e outras a espaços sociais e áreas comuns. Nestes 9 pisos, estão disponíveis 370 postos de trabalho, distribuídos por 30 escritórios, com capacidade entre 4 e 50 lugares, e zonas de decks, juntamente com espaços sociais. Este espaço conta ainda com salas de reunião e espaços de eventos abertos a todas as empresas.

    “Depois da abertura to The First, que integra a primeira fase do MITH, junto à escola de engenharia da UMinho, Gaia recebe o Corporate First Gaia que incorpora uma unidade de alojamento hoteleiro e um espaço para empresas e empreendedores desenvolverem a sua atividade. Assim, apoiamos também o desenvolvimento económico do município e da região. Para o Grupo Casais, é importante apoiarmos o desenvolvimento e o crescimento económico do País e nomeadamente o empreendedorismo que este espaço privilegia, com a integração de mais uma unidade SITIO, onde podem conviver startups, growups e pequenas, médias e grandes empresas. É também nesse sentido que a própria Casais vai ocupar um piso, trazendo para este espaço profissionais dedicados às áreas da digitalização, sustentabilidade e construção industrializada, cumprindo desta forma o seu papel de dinamização da transformação digital e do setor da construção. E, por isso, é com muito orgulho que inauguramos este edifício”, afirma António Carlos Rodrigues, CEO do Grupo Casais.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Transportes, energia limpa e desenvolvimento urbano entre os novos investimentos do BEI

    O Banco Europeu de Investimento (BEI) aprovou esta semana um novo pacote de financiamento no valor total de 12,8 mil milhões de euros, destinados a apoiar projectos estruturantes em toda a Europa, entre eles consta a Linha de Alta Velocidade entre o Porto e Lisboa

    CONSTRUIR

    O Conselho de Administração do Banco Europeu de Investimento (BEI) aprovou hoje o pacote de 12,8 mil milhões de euros de novos financiamentos para melhorar o transporte sustentável, aumentar o uso de energias renováveis, construir novas residências estudantis, melhorar a protecção contra terremotos e inundações e ajudar as empresas a expandir.

    “Hoje aprovamos quase €13 mil milhões para projectos emblemáticos na Europa e além. Desde o transporte ferroviário de alta velocidade em Portugal, transporte sustentável em Kiev, Lille e Helsinque, energia renovável na Lituânia e apoio a pequenas empresas. Esses investimentos melhorarão vidas e sinalizam o compromisso do Grupo BEI em continuar a apoiar investimentos direccionados com impacto na resiliência, «crescimento da produtividade e inovação na Europa”, afirmou a presidente do BEI, Nadia Calviño.

    A maior fatia do financiamento, cinco mil milhões de euros, será canalizada, sobretudo, para projectos de transporte ferroviário na Europa. Entre eles a linha de Alta Velocidade entre o Porto e Lisboa, cujo primeiro concurso PPP lançado em Janeiro, deverá estar a terminar. Neste tranche inclui-se ainda o apoio à modernização da ligação ferroviária entre a Alemanha e a Chéquia, a substituição de autocarros, por veículos não poluentes, em Lille, e a construção de linha de metro de superfície em Helsínquia. Neste pacote estão ainda fundos adicionais destinados a investimentos em transporte ferroviário e urbano na Ucrânia e apoio à melhoria da infraestrutura portuária em Cabo Verde.

    A área da energia vai receber 2,6 mil milhões de euros, o qual será distribuído para novos projectos de energia solar e eólica, expansão da distribuição de electricidade, financiamento do uso de energias renováveis em pequena escala pela indústria e apoio à produção de biocombustíveis e bio metano. Entre estes projectos de energia limpa estão a construção de um novo parque eólico onshore na Lituânia, aquecimento distrital nos Países Baixos e projectos de energia renovável em pequena escala na França e na Grécia.

    O BEI destacou ainda 2,1 mil milhões de euros de novos financiamentos para negócios, incluindo apoio à expansão da fabricação de semicondutores, desenvolvimento de tecnologias de distribuição digital, apoio a uma produção de aço mais eficiente em termos energéticos e conversão de instalações industriais existentes para permitir a produção de embalagens renováveis. Novos projectos para melhorar o acesso ao financiamento por empresas na Ucrânia e por mulheres empreendedoras na África e no Caribe também foram acordados.

    Saúde, educação, água e preparação para catástrofes naturais
    Quase três mil milhões de euros serão canalizados para o desenvolvimento urbano, educação, habitação, saúde e água. Entre os projectos que serão financiados pelo BEI contam-se os planos de melhoria de cuidados de saúde na Bélgica e em Malta, melhorar o ensino superior nos Países Baixos, expandir a habitação estudantil no Chipre e enfrentar os desafios de águas residuais na Alemanha.

    Também foram aprovados apoios para a reabilitação de edifícios e infraestruturas danificadas por recentes terremotos e medidas para enfrentar os riscos de deslizamentos de terra e inundações na Itália.
    O BEI também aprovou investimentos para garantir que empresas em toda a Ucrânia possam aceder a financiamento, modernizar ligações ferroviárias urbanas e nacionais e criar um novo sistema de chamadas de emergência 112 no país.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    As dúvidas técnicas do Tribunal de Contas ao Hospital Oriental, o Simplex visto pelos engenheiros e a expansão do Ando Living no CONSTRUIR 509

    As dúvidas técnicas levantadas pelo Tribunal de Contas ao projecto do Hospital Oriental de Lisboa, ainda que pouco habituais, são bem vindas segundo os representantes dos Projectistas. Saiba as condições ao visto prévio do programa, numa edição onde lhe explicamos que projecto português foi distinguido pela Saint Gobain ou a estratégia de expansão do Ando Living. Mas há mais para ler no CONSTRUIR 509

    CONSTRUIR

    TdC dá visto prévio ao Hospital Oriental mas impõe condições
    O Tribunal de Contas concedeu visto prévio ao contrato para a construção do novo Hospital de Lisboa Oriental (HLO) , obra acordada em parceria Publico-Privada com a Mota-Engil em 2022 e que vai substituir cinco unidades da capital. A validação, contudo, obriga a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo a incluir no projecto de execução da obra uma solução de isolamento de base contra sismos

    Ordem dos Engenheiros propõe alterações ao Simplex
    A Ordem dos Engenheiros compilou um conjunto de propostas para melhorar o Simplex Urbanístico, decreto que procedeu à reforma e simplificação dos licenciamentos no âmbito do urbanismo

    Alunos da FAUP vencem concurso da Saint-Gobain
    Francisco Peneda Ferreira, Pedro Tiago Gaspar e João Pedro Henriques representaram Portugal com o projecto “Sieni Park”. Foram os primeiros portugueses a vencer a competição

    Ando Living quer chegar às cinco mil unidades até 2028
    A operar já em Lisboa, Porto e Istambul e brevemente em Madrid, o Ando Living Group pretende chegar, também, a países como o Reino Unido, França, Itália, Grécia e Alemanha

    A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do CONSTRUIR. Pode comprar apenas esta edição ou efectuar uma assinatura do CONSTRUIR aqui obtendo o acesso imediato.

    Para mais informações contacte: Graça Dias | gdias@workmedia.pt | 215 825 436

    Nota: Se já é subscritor do CONSTRUIR entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção PLUS – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler

    ACEDA AQUI À VERSÃO DIGITAL DA EDIÇÃO IMPRESSA DO CONSTRUIR 509

    ACEDA AQUI À VERSÃO DIGITAL DA EDIÇÃO IMPRESSA DO SUPLEMENTO ENG

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos

    Lã Mineral com alta resistência térmica Volcalis ALPHA PLUS 32

    Respondendo ao desafio “a melhor energia é a que não se gasta”, o Grupo Preceram, reforçou a sua gama de produtos de isolamento Volcalis com uma nova referência, ALPHA PLUS, ainda mais eficiente, com uma condutibilidade térmica muito baixa: 0,032 W/(m.K)

    Brand SHARE

    ALPHA PLUS é uma lã mineral com alta resistência térmica, semirrígida, incombustível, resistente ao fogo e hidrorrepelente, fornecida em painel ou rolo, disponível também com barreira de vapor em papel Kraft, para aplicação em sistemas de construção e reabilitação.

    As suas características técnicas de excelência, fruto de um extenso trabalho de investigação e desenvolvimento, possibilitam soluções construtivas de elevado isolamento térmico, tanto no interior como no exterior dos edifícios.

    Aplicações

    A sua utilização permite a aplicação de sistemas de isolamento, ocupando menos espaço com a mesma eficiência. Adequada para a utilização em obras de construção e reabilitação, tais como: revestimento de paredes, tetos, coberturas e fachadas ventiladas.

    Vantagens

    • Excelente comportamento térmico com menor espessura.
    • Fácil de manusear e com toque suave.
    • Excelente isolamento acústico.
    • Resistente ao fogo, não é combustível nem conduz o calor.
    • Processo sustentável. Produto 100% reciclável.

    A preocupação da Volcalis é disponibilizar ao mercado uma ampla gama de soluções ecológicas e de alta qualidade, que contribuam para o conforto e a eficiência térmica e acústica dos edifícios.

    A lã mineral Volcalis é fabricada em Portugal, à base de areia, um recurso natural abundante, e a sua produção está otimizada para minimizar o impacto ambiental. Para além de ser um ótimo isolamento térmico e acústico, é incombustível.

    A lã mineral Volcalis não liberta poluentes voláteis pelo que é inócua para a saúde. Volcalis tem classificação A+ na qualidade do ar interior, significando emissões muito baixas ou nulas de substâncias no ar interior.

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos
    Construção

    Tektónica antecipa edição em 2025

    A 27ª edição da feira de construção terá lugar de 10 a 12 de Abril de 2025, novamente em conjunto com o SIL. Em 2025, a organização pretende reforçar o seu estatuto enquanto “marketplace” e como “local privilegiado” para a apresentação das principais novidades e tendências

    CONSTRUIR

    A organização da feira de construção Tektónica, anuncia que a 27ª edição terá lugar de 10 a 12 de Abril de 2025, na FIL – Centro de Congressos e Exposições de Lisboa. Em 2025, a Tektónica pretende reforçar o seu estatuto enquanto “marketplace” e como “local privilegiado” para a apresentação das principais novidades e tendências, através de um programa de acções e iniciativas para o sector, onde se destacam as últimas inovações. Mantêm-se igualmente a realização em simultâneo com o Salão Imobiliário de Portugal (SIL).

    A edição de 2024, registou um crescimento em participações de empresas, ascendendo a 300 presenças, nacionais e internacionais, e uma forte adesão de visitantes, ultrapassando as 25.500 visitas.

    De realçar que num inquérito efectuado durante a feira os visitantes, profissionais e público, avaliaram positivamente a Tektónica, com 98% a referir que o evento correspondeu às expectativas.

    De destacar, ainda, que 92% dos visitantes profissionais consideram que o Salão contribui para a projecção e crescimento económico do sector e 94% recomenda a visita a outros profissionais do sector, tencionando repetir a visita na próxima edição.

    No que reporta ao público, 96% recomendaria a visita ao evento e 95% tenciona visitar na próxima edição em 2025.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    12 ideias para tirar o máximo partido de uma casa pequena

    Com algumas estratégias inteligentes e criatividade, é possível transformar espaços compactos em ambientes funcionais e confortáveis

    Brand SHARE

    Casas pequenas representam um desafio e uma oportunidade para arquitetos e construtores. A crescente popularidade de micro-apartamentos e “tiny houses” evidencia a necessidade de soluções inteligentes que maximizem o espaço disponível sem sacrificar o conforto e a funcionalidade.

    Com algumas estratégias inteligentes e criatividade, é possível transformar espaços compactos em ambientes funcionais e confortáveis. Neste artigo, vamos explorar doze ideias práticas para maximizar uma casa pequena, garantindo conforto, organização e estilo.

    Use móveis multifuncionais

    Os móveis multifuncionais são uma das principais chaves para aproveitar melhor um espaço pequeno. Desde um sofa cama, uma mesa dobrável e cama com gavetas embutidas são exemplos que oferecem mais do que uma função para o mesmo espaço. Por exemplo, uma cama com gavetas pode servir tanto para dormir quanto para armazenar roupas ou outros objetos, o que vai libertar espaço nos armários.

    Aposte em armazenamento vertical

    Quando o espaço no chão é limitado, o armazenamento vertical pode ser uma solução eficaz. Colocar prateleiras nas paredes ou usar estantes altas pode criar um espaço extra para livros, plantas e decorações. Além disso, pendurar objetos como bicicletas, utensílios de cozinha ou ferramentas em ganchos pode ganhar ainda mais espaço.

    Utilize espelhos para ampliar o espaço

    Os espelhos são uma ótima opção para ambientes pequenos, porque criam a ilusão de um espaço maior. Colocar espelhos em posições estratégicas, como em frente às janelas ou em paredes opostas, pode refletir a luz natural e aumentar a sensação de amplitude. Além disso, espelhos com designs elegantes podem adicionar um toque decorativo ao ambiente.

    Adote um estilo minimalista

    Menos é mais quando se trata de decorar e mobilar uma casa pequena. O estilo minimalista, com poucos móveis e objetos, ajuda a evitar a sensação de desorganização e claustrofobia. Opte por cores neutras e claras, como branco, bege e cinza, que são cores que contribuem para criar um ambiente mais arejado e espaçoso.

    Decoração com cores claras e neutras

    Em espaços pequenos, a escolha de cores pode ter um impacto significativo. Utilizar uma paleta de cores claras e neutras, como brancos, beges e cinzas, pode ajudar a ampliar visualmente o ambiente. Essas cores refletem melhor a luz natural e artificial, criando uma sensação de espaço aberto e arejado. Pequenos toques de cores vibrantes podem ser adicionados através de almofadas, quadros e outros acessórios decorativos para dar vida ao ambiente sem o sobrecarregar.

    Escolha de móveis compactos e elegantes

    Móveis compactos e elegantes são essenciais numa casa pequena. Peças com linhas simples e design minimalista ocupam menos espaço visual e físico. Sofás e cadeiras sem braços, mesas de centro pequenas e cadeiras dobráveis são ótimos exemplos. Além disso, móveis com pernas expostas em vez de bases sólidas ajudam a criar uma sensação de continuidade do chão, fazendo com que o espaço pareça maior.

    Integração de plantas na decoração

    As plantas não só melhoram a qualidade do ar, mas também adicionam uma sensação de vida e frescura a um espaço pequeno. Pequenas plantas em prateleiras, janelas ou penduradas em suportes de teto podem criar um ambiente acolhedor sem ocupar muito espaço. Jardins verticais são uma solução excelente para trazer a natureza para dentro de casa sem comprometer o espaço útil no chão.

    Iluminação estratégica

    A iluminação adequada pode transformar a percepção de espaço numa casa pequena. Luzes embutidas no teto, luminárias de parede e abajures de chão que direcionam a luz para cima ajudam a criar uma sensação de altura. A iluminação em camadas, que inclui uma combinação de luz geral, pode adicionar profundidade e dimensão ao espaço. Evitar luminárias volumosas e optar por designs mais discretos e modernos também contribui para um ambiente mais leve e arejado.

    Espaços de armazenamento escondidos

    Criar espaços de armazenamento escondidos é uma estratégia eficaz para manter a casa organizada sem sacrificar o estilo. Móveis com compartimentos ocultos, como sofás com baú, camas com gavetas embutidas ou mesas de centro com espaço de armazenamento, ajudam a manter os itens fora da vista e a maximizar o uso do espaço. Além disso, o uso de painéis deslizantes ou cortinas para esconder áreas de armazenamento pode manter a estética limpa e arrumada.

    Explore a versatilidade dos móveis modulares

    Os móveis modulares são flexíveis e podem ser reorganizados conforme a necessidade, como sofás modulares, estantes e mesas, que podem ser configuradas de diferentes maneiras de forma a que adapte o espaço de acordo com as suas atividades do dia a dia. Esta versatilidade é especialmente útil em casas pequenas, onde o espaço precisa de ser multifuncional.

    Maximize a luz natural

    A luz natural pode fazer maravilhas em espaços pequenos, tornando-os mais acolhedores e amplos. Para aproveitar ao máximo a luz natural, evite bloquear janelas com móveis ou cortinas pesadas. Em vez disso, opte por cortinas leves e translúcidas que permitam a passagem da luz. Espelhos e superfícies brilhantes também podem ajudar a refletir a luz natural por todo o ambiente.

    Organize de forma eficiente

    Manter uma casa pequena organizada é essencial para o espaço. Utilize caixas, cestos e organizadores para guardar objetos. Praticar o desapego e doar ou vender coisas que já não são usadas também ajuda a evitar o acúmulo de objetos desnecessários. Uma casa bem organizada não só parece maior, mas também é mais funcional e agradável para viver.

    Para arquitetos e construtores, a criação de espaços pequenos funcionais e estéticamente agradáveis exige criatividade e atenção aos detalhes. Ao implementar estas 12 ideias, é possível maximizar o uso do espaço disponível, proporcionando conforto e estilo aos moradores. Adaptar-se às limitações dos ambientes pequenos pode resultar em soluções inovadoras que redefinem o conceito de moradia eficiente.

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos
    Construção

    Autarquia de Barcelos investe 4M€ em terreno para novo hospital

    A Câmara de Barcelos vai adquirir os terrenos onde ficará localizado o novo Centro Hospital de Barcelos. A decisão surge depois da ministra da Saúde ter dado garantias que o novo hospital irá mesmo avançar 

    CONSTRUIR

    Município de Barcelos aprovou ontem, em reunião extraordinária, a aquisição dos terrenos para a construção do Novo Hospital de Barcelos pelo valor de 4 milhões de euros. Segundo o Presidente, Mário Constantino Lopes, esta decisão surge na sequência da garantia dada pela ministra da Saúde de que o Governo irá avançar com a construção do designado Centro Hospitalar de Barcelos, um equipamento que vai servir a população deste concelho e do concelho de Esposende.

    Designado “Acordo de cedências e urbanização para a execução do Plano de Pormenor do Centro Hospitalar de Barcelos”, o documento ontem aprovado estabelece as normas da transacção a efectuar entre o Município e a Sociedade Agrícola da Quinta de S. Martinho, S.A.. O acordo não só refere o montante da aquisição de 155 850 metros de terreno, por 4 milhões de euros, como estabelece as áreas de cedência ao domínio público e as parcelas para a construção da variante poente e acessos ao novo hospital. Esta deliberação será agora submetida à apreciação da Assembleia Municipal.

    Para o Presidente da Câmara, Mário Constantino Lopes, esta foi uma “decisão de enorme importância e um passo muito significativo. Regozijamo-nos por, 16 anos depois, este Executivo Municipal estar a cumprir um passo fundamental neste processo, fazendo-o com total transparência procedimental, bem observável na instrução desta deliberação que hoje foi colocada a votação”, sublinha o autarca de Barcelos. Para Mário Constantino, esta é a prova cabal que “demonstra o dinamismo que o atual Executivo tem imprimido no desatar de nós e na resolução de problemas que, muitos deles, se arrastavam há décadas”.

    O Presidente aproveitou ainda esta decisão para “enaltecer a unanimidade político-partidária que se estabeleceu em Barcelos à volta deste importante desígnio para o nosso concelho”.

    A deliberação ontem aprovada sucede depois de a Ministra da Saúde, em recente visita a Barcelos, ter dado a garantia de que o Governo vai avançar com os procedimentos necessários e imprescindíveis para que a construção do Centro Hospitalar seja concretizada.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Grupo Névoa investe 12M€ na construção de nova unidade hoteleira em Braga

    Nova unidade hoteleira do Grupo Névoa, representa um investimento de 12 milhões de euros e abrirá no segundo semestre de 2024. O hotel, localizado em Braga, integrará a rede Holiday Inn e terá 111 quartos, salas de conferência, centro fitness e restaurante

    CONSTRUIR

    A Imobiliária Névoa, que integra o grupo com o mesmo nome, investiu cerca de 12 milhões de euros na construção de uma unidade hoteleira em Braga. O edifício de cinco pisos está em fase final de construção, devendo abrir as portas no segundo semestre de 2024. O hotel será explorado pela rede Holiday Inn e contempla 111 quartos, salas de conferências, um centro fitness e restaurante.

    “O investimento na construção de uma nova unidade hoteleira em Braga representa um marco significativo para o Grupo Névoa. Este projecto não só reafirma o nosso compromisso contínuo com a inovação e qualidade em todos os nossos empreendimentos, como também reforça a expansão do Grupo para outros pontos do país e fomenta vários benefícios económicos para a região, através da criação de emprego e posterior valorização turística e cultural em Braga”, refere Luís Sousa Ribeiro, director-geral da Imobiliária Névoa.

    A nova unidade está localizada perto do Hospital de Braga e da Universidade do Minho.

    Para além das áreas imobiliária e construção, a actuação do grupo Névoa estende-se também à distribuição automóvel e centros comerciais.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2024 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.