Edição digital
Assine já
    PUB

    A Mapei marca presença no Architect@work

    MAPEI

    Brand SHARE

    A Mapei marca presença no Architect@work

    MAPEI

    Brand SHARE
    Sobre o autor
    Brand SHARE
    Mapei

    Mapei

    Veja mais
    Artigos relacionados
    Lisboa é a escolha da Microsoft para novo centro de desenvolvimento da Inteligência Artificial
    Construção
    Dessalinizadora no Algarve estará concluída em 2026
    Construção
    AESSO nasce para divulgar soluções de protecção solar para edifícios
    Empresas
    Oger prepara-se para novos investimentos
    Imobiliário
    Anúncios de nova construção a crescer há 3 meses
    Imobiliário
    Pipedrive anuncia a abertura de um novo escritório em Lisboa
    Imobiliário
    Maria Ramalho Fontes assume direcção de Design e Marketing da MOME
    Empresas
    Protocolo PRO_MOV e APCC reforça requalificação profissional
    Empresas
    FEP homenageia arquitecto responsável pelo seu edifício
    Construção
    MVGM lança app para garantir “uma gestão ainda mais eficiente”
    Imobiliário

    A famosa exposição internacional Architect at Work está finalmente em Lisboa e a Mapei vai marcar a sua presença. Venha visitar o nosso Stand no Pavilhão 1-83.

    Venha descobrir a nossa inovação!

    Registe-se aqui para a sua visita digital e/ou presencial aqui

    Artigos relacionados
    Lisboa é a escolha da Microsoft para novo centro de desenvolvimento da Inteligência Artificial
    Construção
    Dessalinizadora no Algarve estará concluída em 2026
    Construção
    AESSO nasce para divulgar soluções de protecção solar para edifícios
    Empresas
    Oger prepara-se para novos investimentos
    Imobiliário
    Anúncios de nova construção a crescer há 3 meses
    Imobiliário
    Pipedrive anuncia a abertura de um novo escritório em Lisboa
    Imobiliário
    Maria Ramalho Fontes assume direcção de Design e Marketing da MOME
    Empresas
    Protocolo PRO_MOV e APCC reforça requalificação profissional
    Empresas
    FEP homenageia arquitecto responsável pelo seu edifício
    Construção
    MVGM lança app para garantir “uma gestão ainda mais eficiente”
    Imobiliário
    PUB
    Construção

    Lisboa é a escolha da Microsoft para novo centro de desenvolvimento da Inteligência Artificial

    Dos mais de 200 mercados onde actua a maior empresa de software do mundo Lisboa foi a cidade escolhida para lançar a nova Fábrica de Inovação em Inteligência Artificial (AI Innovation Factory), um centro dedicado à aceleração e adopção dessa tecnologia

    O novo centro da Microsoft vai integrar o AI Hub da Unicorn Factory em Alvalade, que será inaugurado em Novembro. O espaço terá 2.300 m2, com capacidade para acolher 300 pessoas, e será o novo ponto de encontro de empreendedores, grandes empresas, investidores e investigadores na área de “Generative AI”. Com escritórios, salas de eventos e laboratórios de investigação, o novo AI Hub vai também funcionar como um local de aprendizagem para as melhores práticas e casos de estudo em IA.

    “A Fábrica de Unicórnios tornou Lisboa a cidade mais inovadora da Europa, e este projecto é mais uma prova disso mesmo. Hoje somos capazes de estar na linha da frente naquela que é a tecnologia mais disruptiva do momento, como é a Inteligência Artificial”, afirma o presidente da Câmara Municipal de Lisboa Carlos Moedas.

    O novo centro é anunciado 3 meses após a vitória de Lisboa como Capital Europeia da Inovação – prémio atribuído pela Comissão Europeia – e um mês depois do anúncio da Deloitte, que vai lançar um centro de Inteligência Artificial no Largo do Rato com capacidade para mais de 2000 pessoas. Lisboa consolida assim o seu posicionamento enquanto um dos principais polos tecnológicos da Europa.

    “Esta é mais uma grande conquista para a cidade. Em 2023 batemos o recorde de investimento estrangeiro, com mais de 50 centros tecnológicos a virem para Lisboa e 10.000 postos de trabalho altamente qualificados. Em 2024 começamos o ano com dois grandes projectos que provam a nossa capacidade de competir com outras grandes cidades. A nova estratégia de inovação para a cidade está a dar frutos”, constata Carlos Moedas.

    Actualmente, a Microsoft é um dos principais actores mundiais em Inteligência Artificial, tendo recentemente investido 10 mil milhões de dólares na Open AI – responsável pelo Chat GPT.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Dessalinizadora no Algarve estará concluída em 2026

    O concurso público para a construção de uma dessalinizadora no Algarve, financiada pelo PRR, foi lançado e publicado em Diário da República. O preço base do concurso é 90M€ e a infraestrutura deverá estar concluída em 2026

    A dessalinizadora que ficará localizada em Albufeira, oferecerá uma capacidade de conversão de água do mar em água potável de 16 hectómetros (milhões de metros cúbicos), numa fase inicial. No entanto, segundo indicado pela Águas do Algarve, a obra é desenvolvida tendo em conta a necessidade de a deixar preparada para o aumento da capacidade para 24 hectómetros por ano.

    Está prevista a conclusão desta construção, cujo preço base é de 90 milhões de euros, para 2026. Um projecto que, segundo a Águas do Algarve, é “estrutural para a região” e “visa garantir a resiliência do abastecimento público à população do Algarve, designadamente em períodos de seca prolongada, através de um acréscimo das disponibilidades hídricas”.

    A Estação de Dessalinização de Água do Mar do Algarve é parte de um “leque de investimentos que a Águas do Algarve está a executar no âmbito do Plano de Eficiência Hídrica do Algarve, ao abrigo do PRR, e que vão permitir aumentar em mais de 69 milhões de metros cúbicos por ano as disponibilidades hídricas da região.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    AESSO nasce para divulgar soluções de protecção solar para edifícios

    Acaba de ser oficialmente apresentada a Associação Espanhola de Protecção e Controlo Solar Dinâmico (AESSO), que reúne empresas fabricantes de soluções e ferramentas de protecção solar

    São sete as empresas fundadoras de um organismo que surge para com o objectivo divulgar os benefícios das soluções de protecção solar para assegurar conforto e poupança energética nos edifícios, através do recurso a sistemas dinâmicos de controlo solar.

    Numa altura em que a sustentabilidade se assume mais como um imperativo urgente do que como uma opção, contar com sistemas de protecção térmica e solar torna-se fundamental para garantir a sustentabilidade do sector dos edifícios. É neste contexto que surge a AESSO, para unir esforços num mercado cada vez mais fragmentado. As sete empresas iniciais que constituem a associação são a Saxun, Somfy, Griesser, Sauleda, Cortinsa, Gradhermetic e Durmi, que se juntam para divulgar, acompanhar e promover activamente o papel da protecção solar em todo o processo construtivo.

    No dia 21 de Março de 2024 celebra-se o primeiro Global Shading Day, ou Dia Mundial do Sombreamento, uma efeméride que se irá repetir, anualmente. Esta data especial foi criada para sensibilizar e consciencializar para os benefícios da protecção solar para as pessoas, a ecologia e a economia do planeta.

    Portugal e Espanha com um longo caminho a percorrer
    A associação tem uma homóloga europeia, a European Solar Shading Organisation (ES-SO), com sede em Bruxelas, que trabalha há anos com o objectivo de promover o impacto positivo da protecção solar e da gestão da climatização interior, em todo o continente. Noutros países europeus, como França, por exemplo, o controlo solar exterior já é um requisito obrigatório em todos os edifícios que necessitem de, pelo menos, 50% de reabilitação. Na Península Ibérica, ainda há um longo caminho a percorrer, tendo em conta os desafios críticos que o sector da construção enfrenta em termos de sustentabilidade, eficiência energética e alterações climáticas.

    Enquanto membro fundador da nova associação que integra fabricantes de persianas, toldos, pérgulas, cortinas e mecanismos de controle solar, a Saxun reforça o seu compromisso com a inovação no desenvolvimento de soluções sustentáveis e energeticamente eficientes, que garantem o máximo conforto aos utilizadores, enquanto reduzem consumos de energia nos espaços.

    Com a criação da AESSO, a Saxun pretende contribuir para dar voz à indústria de soluções de controlo solar, que assume um papel essencial para contribuir para a concretização dos objectivos energéticos europeus. Os sistemas de protecção solar serão fundamentais para cumprir a directiva da eficiência energética dos edifícios, que visa um parque imobiliário descarbonizado e com emissões zero até 2050. Para além disso, os sistemas de protecção solar para edifícios facultam soluções indispensáveis de habitabilidade para os edifícios, com capacidade para atenuar os efeitos das alterações climáticas.

    A AESSO aponta três grandes linhas de trabalho: criação de um movimento associativo agregador das empresas desta cadeia de valor, divulgação das vantagens das tecnologias de protecção solar e formação. Na Europa, existe uma grande falta de instaladores em todos os sectores, inclusivamente no da protecção solar, e esta pode ser uma boa oportunidade para o reconhecimento e valorização desta profissão. Por todas estas razões, a associação apoia e encoraja todos os interessados em contribuir para o desenvolvimento e avanço da indústria de protecção solar a juntarem-se à AESSO.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos

    CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO – GRUPO Prime Yield

    Imobiliário

    Oger prepara-se para novos investimentos

    Fundada há 15 anos, a gestora de investimentos prepara-se para entrar numa nova fase do negócio, passando a actuar também como coinvestidora nas suas áreas estratégicas. Nelson Rêgo assume a direcção da gestão da Oger neste que é um momento crucial para a holding

    Nelson Rêgo, com um percurso de mais de duas décadas na gestão de empresas com especial foco no setor imobiliário, assume o cargo de CEO da gestora de investimentos Oger, da qual foi também fundador há 15 anos. Regressando às funções executivas, Nelson Rêgo vai liderar activamente o negócio da holding, que se prepara para entrar numa nova fase da sua política de investimento.

    A Oger gere e realiza investimentos nas áreas de desenvolvimento imobiliário, imobiliário de rendimento, proptech e de carteiras de crédito malparado (NPL&REO), preparando-se para diversificar os modelos de investimento com que aborda estes mercados. Focada numa estratégia com perfil de risco dinâmico para maximizar a valorização do capital investido, a Oger pretende agora adoptar estruturas de coinvestimento.

    “A nossa visão é ter um envolvimento muito activo e presente nos investimentos que realizamos e gerimos”, começa por comentar Nelson Rêgo, o CEO & Founder da OGER. “Mantemos esta estratégia, mas queremos diversificar as formas de exposição aos projectos e investimentos e, por isso, além dos investimentos directos que fazemos, estamos muito atentos a oportunidades de investimentos colaborativos. Este é um modelo especialmente interessante para a nossa área de negócio de proptech, mas que acrescenta também muito valor noutras áreas, como é o caso do investimento em desenvolvimento imobiliário”, diz o responsável.

    “Estamos muito empenhados em dinamizar novos investimentos e capitalizar o valor das nossas carteiras de projectos e investimentos já consolidados, e para isso temos que olhar para o futuro e abrir as perspectivas na forma como abordamos os negócios e os parceiros”, comenta Nelson Rêgo.

    Fundada em 2008, a OGER opera há mais de 15 anos no mercado através de aquisições, investimentos imobiliários e soluções de gestão de crédito, com projectos que já se estendem a mercados na Europa, África e América do Sul.

    Actualmente, a holding centra a sua actividade no investimento em quatro áreas centrais. Desde logo, no desenvolvimento imobiliário, para o qual tem uma estratégia de abordagem integral dos projectos, com envolvimento desde a aquisição do terreno à venda do empreendimento. Nesta área evidenciam-se os investimentos em projectos de habitação premium no Algarve e na região da Grande Lisboa.

    No Imobiliário de rendimento, com geração de retorno em imóveis consolidados nos sectores residencial e comercial, adoptando uma estratégia core plus e o conceito chave-na-mão. Destacam-se os investimentos nos projectos Imoslen, marca de build-to-rent para habitação e serviços activa nos concelhos de Oeiras, Lisboa e Porto; e CityOffice, marca de espaços de escritórios com serviços associados, presente em Angola e Moçambique, com expansão marcada para Portugal, Grécia e Espanha.

    Ao nível do segmento NPL&REO, investimento no sector das carteiras de crédito em incumprimento e activos imobiliários colaterizados. Capitalização do know how adquirido através de empresas participadas cuja actuação abrange a totalidade do ciclo de gestão de risco de crédito.

    Outro das áreas de actuação da holding é ao nível do investimento em projecto de I&D para a área imobiliária, de que se destacam o software Mister ou a app iPY, plataformas de aposta na digitalização de processos.

    Nelson Rêgo possui mais de duas décadas de experiência em investimento, desenvolvimento e consultoria imobiliária, integrando ao longo do seu percurso empresas como a ABN Souza, a Krata, Tinsa e a Prime Yield, que criou e liderou durante quase 20 anos. Trabalhou com todos os principais bancos e investidores que operam na Europa, África e América Latina em consultoria imobiliária, avaliação e projecto de desenvolvimento imobiliário. Desde 2010 que colabora com os mais importantes fundos de private equity, tanto para buy side quanto para sell side, em operações de NPL&REO. Possui uma licenciatura em Gestão Imobiliária, bem como diversas outras pós-graduações pela Salford-Manchester, AESE Lisboa, IESE Madrid/Barcelona e Secovi-São Paulo. É Membro do RICS (FRICS) desde 2007.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Anúncios de nova construção a crescer há 3 meses

    De acordo com um estudo hoje divulgado pelo portal Imovirtual os anúncios de imóveis de nova construção aumentaram cerca de 36% nos últimos 3 meses. Em comparação com os imóveis usados, em termos de preço, a nova construção custa, em média, mais 395 000€

    A análise, focado na nova construção e na evolução da procura e oferta no portal, contempla o número de anúncios de novos imóveis, as regiões mais procuradas, preços, tipologia e outras informações, durante o período de Novembro, Dezembro de 2023 e Janeiro de 2024 e o período homólogo.

    Nos últimos 3 meses, o portal teve em média 12 279 anúncios activos de nova construção por mês, o que representa um crescimento de 36% face ao período homólogo onde estavam activos uma média de 9 015 anúncios por mês. Em relação aos preços da nova construção, estes também aumentaram, à semelhança do que tem vindo a acontecer em todas as categorias de imóveis. No período em análise, comprar uma casa de nova construção custava, em média, 565 000€, uma diferença de 65 000€ face ao período homólogo, no qual o preço médio rondava os 500 000€.

    Contudo, comparativamente com os imóveis usados, durante o mesmo período, verificou-se que estes custavam em média 170 000€, uma diferença de 395 000€ (-232%) em relação aos de nova construção.

    Quando analisada a categoria das casas, verificou-se uma maior oferta de anúncios para apartamentos, no qual representa 94% dos imóveis novos, enquanto as moradias são apenas 6%.

    Relativamente ao preço dos apartamentos de nova construção, aumentou de 485 000€ para 550 000€, o que representa uma subida de 13%. Também no que toca às moradias, os preços da nova construção aumentaram de 950 000€ para 988 500€.

    Lisboa foi a região onde se verificou um maior número de anúncios de imóveis pertencentes à categoria da nova construção com 39% da oferta de todo o país. Seguindo-se, neste top 3, Porto (22%) e Faro (19%). Setúbal e Ilha da Madeira completam o top 5.

    Para Sylvia Bozzo, Marketing Manager do Imovirtual, “em relação à procura, é interessante constatar que, mesmo com mais ofertas em Lisboa do que no Porto, é esta última região que lidera o número de pesquisas para imóveis de nova construção.”

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Pipedrive anuncia a abertura de um novo escritório em Lisboa

    A Pipedrive, a plataforma de CRM que está presente em Portugal desde 2017, anuncia um novo escritório em Lisboa para acolher a sua equipa internacional. Com cerca de 200 colaboradores, o escritório da capital portuguesa é o segundo maior da Pipedrive a nível global

    A Pipedrive passa a ocupar um novo edifício localizado na Casal Ribeiro 16, perto do Saldanha, em Lisboa. O novo espaço foi projectado para proporcionar um ambiente de trabalho amplo, confortável e moderno, estrategicamente pensado para melhorar os níveis de satisfação e produtividade. O edifício é composto por cinco pisos no total, sendo que três serão de uso exclusivo da Pipedrive. Um outro piso inclui áreas comuns a todos os outros trabalhadores do edifício. O escritório tem 1.760 m2, incluindo uma zona de ginásio e balneários, uma cozinha partilhada, postos de café e snacks, zonas pet-friendly, um terraço com um pequeno jardim e um parque para bicicletas. Com uma localização privilegiada em termos de acessos, serviços e transportes públicos, o Saldanha está no coração de Lisboa e é um bairro de referência para o sector empresarial.

    Com cerca de 200 colaboradores, o escritório da capital portuguesa é o segundo maior da Pipedrive a nível global e pretende celebrar a diversidade e a inclusão, dois dos valores mais importantes da empresa. Aproximadamente metade da equipa do novo escritório é composta por mulheres, com mais de 50 nacionalidades a trabalhar em conjunto globalmente.

    “Este ano, a Pipedrive celebra o seu 7.º aniversário em Portugal. Agora, com o nosso segundo maior escritório, a nova e vibrante área de trabalho é a manifestação física de valores como: colaboração, a cultura e a inovação, tanto para a nossa equipa como para os nossos valiosos clientes. O que torna o escritório especial é o facto de ter uma representação de todos os departamentos da empresa. Isto reflecte uma grande oportunidade para os membros da equipa, que podem aprender mutuamente, compreender melhor o negócio e obter informações preciosas sobre todas as funções e departamentos” afirma Zahra Jivá, directora de Estratégia Global de Vendas da Pipedrive.

    O novo escritório em Lisboa é a prova da evolução e investimento da marca em Portugal, o que demonstra a determinação da empresa em atingir os objectivos a que se propõe. Esta mudança foi concebida para melhorar a qualidade de vida de toda a equipa, que inclui profissionais de diferentes áreas, desde a engenharia ao customer service e até ao marketing.

    Com as novas instalações em Lisboa, a Pipedrive está numa posição privilegiada para acolher eventos, cursos ou workshops, proporcionando assim um ambiente de trabalho ainda mais atractivo para o crescimento e captação de talento.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    Maria Ramalho Fontes assume direcção de Design e Marketing da MOME

    Com este reforço da equipa, a empresa gestora profissional de cooperativas de habitação, sedeada no Porto, pretende alavancar os projectos de habitação, que representam actualmente um investimento cooperativo conjunto de cerca de 40M€

    O reforço da equipa faz parte da estratégia de crescimento da empresa gestora profissional de cooperativas de habitação, que visa expandir a equipa a dez pessoas até ao final de 2024. Neste sentido, já este ano a MOME contratou um novo gestor de projectos com foco em toda a jornada de actividade da empresa, desde o planeamento até ao final das respectivas obras de construção.

    Enquanto directora de Design e Marketing, Maria Ramalho Fontes será responsável pela coordenação e conceptualização da área de design da empresa da MOME. Adicionalmente, irá acumular as funções de desenvolvimento da estratégia de marketing e comunicação da empresa, a par da gestão comercial de clientes e fornecedores. O objectivo passará por alavancar os projectos de habitação cooperativa da MOME, como são os casos da Pedras.coop, em Lavadores, Vila Nova de Gaia, e da Hera.coop, no Carvalhido, Porto, representando um investimento cooperativo conjunto de cerca de 40 milhões de euros.
    “A MOME procura a excelência do design aliada a habitações bem construídas, funcionais, confortáveis e ecológicas, com garantia de durabilidade e acima de tudo um custo justo. Esta contratação representa mais um passo no desenvolvimento da nossa estratégia crescimento com o objectivo de reforçar o posicionamento da MOME como referência no mercado da gestão profissional de cooperativas de habitação”, refere Nuno Pimentel, director geral da MOME.

    “O design e a criatividade são ferramentas poderosas no desenvolvimento estratégico de novos modelos de negócio. Estou muito entusiasmada em fazer parte deste colectivo de olhares inquietos. Juntos, acreditamos que é possível transformar o acesso à habitação e repensar o modo como construímos, procurando impactar de forma consciente o bem-estar das famílias, da comunidade e do mundo”, conclui Maria Ramalho Fontes, nova diretora de Design e Marketing da MOME.
    Com experiência focada no ramo imobiliário, após a passagem pela RAR Imobiliária, Maria Ramalho Fontes é também fundadora e directora criativa da [IN]COMUM design. O seu percurso académico inclui a licenciatura em Design de Interiores pela ESAD – Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos e a pós-graduação em Marketing Management na Porto Business School. Entre 2015 e 2016, foi docente assistente na disciplina de “Tendências do Habitar”, integrada no mestrado em Design de Interiores da ESAD.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    Protocolo PRO_MOV e APCC reforça requalificação profissional

    O PRO_MOV e a Associação Portuguesa de Centros Comerciais, APCC, uniram esforços para impulsionar os empregos de futuro, através de um protocolo que visa dinamizar o programa de requalificação profissional junto dos mais de 140 associados. O programa PRO_MOV é já apontado como um exemplo internacional por conseguir juntar Estado e tecido empresarial no âmbito da requalificação

    A conferência ‘Liderar na Era da Disrupção’, realizada esta quarta-feira no Porto, acolheu a assinatura do protocolo entre a APCC, representada pela presidente da associação Cristina Moreira dos Santos e por Telmo Ferreira, membro da direcção, e o PRO_MOV, representado por Domingos Lopes, presidente do IEFP e líder do Steering do programa.

    A entrada da APCC marca o primeiro alargamento do PRO_MOV, após a assinatura do memorando de entendimento no final do ano passado, que formalizou a parceria entre IEFP, Sonae, SAP, Nestlé, Associação Business Roundtable Portugal, BRP, Confederação Empresarial de Portugal, CIP, e dezenas de empresas parceiras, com o propósito de melhorar as competências dos portugueses. A APCC conta com mais de 140 associados, incluindo 90 conjuntos comerciais, que integram 7959 lojas, geram 280 847 postos de trabalho e contam com 475 milhões de visitas por ano.

    “A assinatura deste protocolo permite à APCC promover a dinamização da requalificação profissional e a reintegração no mercado de trabalho de profissionais qualificados e preparados para os desafios actuais e futuros. Enquanto associação representativa de um sector que está na vanguarda do que melhor se faz na Europa e no Mundo, é nosso objectivo promover a prática de políticas sociais responsáveis. A requalificação de recursos humanos e o seu regresso ao mercado de trabalho permite-nos usufruir de uma nova pool de emprego que se revela fundamental para fazer face ao dinamismo e requisitos do sector. Esta parceria ajuda-nos a cumprir esses objectivos”, afirma Cristina Moreira dos Santos, presidente da APCC.

    “Esta adesão constitui mais um reforço do programa que é já uma referência e uma reconhecida boa prática no domínio das políticas públicas de emprego e formação profissional”, sublinha, por sua vez, Domingos Lopes, presidente do IEFP .
    O PRO_MOV é a primeira iniciativa em Portugal do programa R4E, Reskilling 4 Employment, criada pelo European Roundtable for Industry, um fórum de alto nível que junta cerca de 60 CEO e presidentes de empresas entre as quais Sonae, Nestlé e SAP. O programa concentra-se em sete sectores de actividade/laboratórios: Laboratório de Indústria (liderado pela Nestlé), Laboratório de Agricultura (liderado pela Sogrape), Laboratório Digital (liderado pela SAP), Laboratório Green Jobs (liderado pela EDP), Laboratório de Vendas (liderado pela Intelcia e Galp), Laboratório de Healthcare (liderado pela CUF e Hovione) e Laboratório de Business Intelligence (liderado pela Worten). Cada laboratório desenha as formações em colaboração com um conjunto alargado de empresas parceiras, em profissões tão diversas como software developer, electricista de instalações sustentáveis, network & cybersecurity administrator, auxiliar de acção médica, técnico analista ou operador agrícola especializado.

    Para pessoas em idade activa, desempregadas, com profissões em risco ou que simplesmente pretendem mudar o seu rumo profissional, o PRO_MOV é uma oportunidade de regressar ao mercado de trabalho, com perspectivas de um emprego estável por serem profissões necessárias, identificadas pelas empresas e em alta procura no mercado de trabalho.

    O programa PRO_MOV é já apontado como um exemplo internacional por conseguir juntar Estado e tecido empresarial no âmbito da requalificação. A missão de ambos passa por garantir aos candidatos as competências para os empregos de futuro, resilientes a um mercado de trabalho em constante alteração devido às transições digital e ambiental.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    FEP homenageia arquitecto responsável pelo seu edifício

    Assim, no dia 23 de Fevereiro, às 18 horas, o Salão Nobre da instituição será palco de uma conversa sobre os pormenores arquitectónicos desta obra, com a participação do arquitecto Pedro Martins, responsável pela obra de reabilitação do edifício, Sérgio Fernandez, arquitecto que colaborou com Alfredo Viana de Lima, bem como os professores Ana Paula Delgado e José Varejão

    tagsFEP

    Idealizado pelo arquitecto Alfredo Viana de Lima para ser um espaço propício ao estudo e ensino, a Faculdade de Economia da Universidade do Porto é hoje um edifício reconhecido como Monumento de Interesse Público pela Direcção-Geral do Património Cultural. No âmbito das celebrações do seu 70º aniversário, a FEP vai promover, até Maio de 2024, uma série de eventos, incluindo um ciclo de conferências que abordam diversos temas. A próxima sessão será dedicada ao 50º aniversário do edifício da FEP, inaugurado em junho de 1974.

    A entidade destaca que “a coerência formal e a qualidade arquitectónica são o melhor testemunho da mestria do seu criador, que desenhou aquela que é hoje uma obra de destaque na história da arquitectura moderna portuguesa, que se impõe na cidade, tanto pela escala como, e sobretudo, pela importância institucional”.

    Assim, no dia 23 de Fevereiro, às 18 horas, o Salão Nobre da instituição será palco de uma conversa sobre os pormenores arquitectónicos desta obra. O arquitecto Pedro Martins, responsável pela obra de reabilitação do edifício, juntar-se-á a Sérgio Fernandez, arquitecto que colaborou com Alfredo Viana de Lima, bem como aos professores Ana Paula Delgado e José Varejão.

    Viana de Lima procurou criar um edifício com diversos espaços que permitissem aos estudantes conviverem com colegas ou estarem sozinhos, de acordo com a sua personalidade e vontade. Ana Paula Delgado, professora da FEP, desde a inauguração da obra, afirma que “o edifício é muito confortável, possui amplos corredores e muitas áreas envidraçadas, que servem tanto como espaços de trabalho como de convívio”.

    Ao longo destes 50 anos, foram realizadas algumas alterações para atender a necessidades que não foram previstas no projecto original, como a instalação de equipamentos informáticos ou a substituição do pavimento. A reabilitação concluída no final de 2017 visou melhorar as condições de conforto e dar resposta ao crescimento da FEP, especialmente no que diz respeito à oferta de cursos e alunos.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    MVGM lança app para garantir “uma gestão ainda mais eficiente”

    Esta aplicação encontra-se em fase de implementação no Centro Via Rápida, Porto e será pioneiro em Portugal. Implementada com sucesso em Espanha, há pouco mais de um ano, esta plataforma oferece uma “gestão inovadora” de activos imobiliários

    A MVGM aposta na inovação com o recente lançamento em Portugal da app AXSET. Projectada para oferecer uma experiência diferenciada facilitando a gestão diária dos clientes, inquilinos, lojistas e outros utilizadores.

    Esta aplicação encontra-se em fase de implementação no Centro Via Rápida, Porto e será pioneiro em Portugal. Implementada com sucesso em Espanha, há pouco mais de um ano, esta plataforma oferece uma “gestão inovadora” de activos imobiliários.

    Organizada em três módulos fundamentais: Comunidade/Social, Controlo e Business Intelligence (BI), a plataforma oferece um sistema simples para controlar o acesso e fazer reservas de espaços, bem como para se inscrever em eventos realizados no próprio ativo. Para além disso, inclui um Gateway de pagamento que permite a comercialização de serviços através da integração com Paypal ou Stripe.

    Ana Santos, directora de Operações da MVGM em Portugal, enfatiza o compromisso da empresa com a inovação, afirmando que a empresa está dedicada a “impulsionar a inovação na gestão de activos” e, nesse sentido, desenvolveu esta ferramenta que permite aos proprietários tomar “decisões informadas baseadas em dados reais, facilita os inquilinos no reporte de incidências e permite aos Property Managers e fornecedores saber em tempo real a existência  das mesmas possibilitando uma célere gestão/resolução”.

    O desenvolvimento da app, foi liderado por uma equipa multidisciplinar composta por profissionais experientes de diversos departamentos, incluindo Inovação e Análise de Dados, Marketing e Experiência do Utilizador, bem como gestores de activos. Esta colaboração transversal garantiu a funcionalidade da aplicação, validando processos quer para os gestores, quer utilizadores finais.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.