Edição digital
Assine já
    PUB
    Imobiliário

    Imobiliário português com desempenho estável no 1º trimestre do ano

    De acordo com o estudo da JLL os escritórios foram a excepção à tendência transversal de estabilização, com níveis de ocupação em forte aceleração. Volume de investimento e desempenho de habitação, hotelaria e retalho sustentam padrões do ano passado

    CONSTRUIR
    Imobiliário

    Imobiliário português com desempenho estável no 1º trimestre do ano

    De acordo com o estudo da JLL os escritórios foram a excepção à tendência transversal de estabilização, com níveis de ocupação em forte aceleração. Volume de investimento e desempenho de habitação, hotelaria e retalho sustentam padrões do ano passado

    CONSTRUIR
    Sobre o autor
    CONSTRUIR
    Artigos relacionados
    LG adquire Athom para “potenciar” negócio de espaços inteligentes
    Empresas
    Guimarães é uma das finalistas da Capital Verde Europeia 2026
    Construção
    Nolon comercializa empreendimento Canidelo Residences
    Imobiliário
    Presença portuguesa “bate recorde” na BAU 2025
    Empresas
    Albergaria avança com reabilitação de dois bairros sociais num investimento de 1,5M€
    Construção
    Nova Unit chega ao mercado para responder à “crescente procura” por habitações em CLT
    Construção
    Sede da Simon em Barcelona distinguida nos Prémios Cataluniya Construcció
    Arquitectura
    Zome regista crescimento das vendas na região do Porto
    Empresas
    Nova Loja Online Gyptec
    Arquitectura
    Matosinhos recebe investimento de 12 M€ da Thomas & Piron

    No 1º trimestre de 2024, o mercado imobiliário português teve um desempenho idêntico ao do mesmo período de 2023 na generalidade dos sectores, conclui a JLL no seu mais recente estudo trimestral Market Pulse. Esta tendência observou- se quer no mercado de investimento comercial quer nos segmentos transaccionais de habitação, hotelaria, retalho e logística. A excepção foi o sector de escritórios, onde a actividade cresceu consideravelmente face ao ano anterior. De destacar ainda que, em parte dos sectores analisados, a escassez de oferta disponível para ocupação imediata continua a criar condições para o crescimento de preços e rendas, mesmo num cenário de procura menos expansiva.

    “Já se esperava um início de ano com actividade moderada. Este é sempre um período de maior expectativa em relação à evolução da economia, especialmente devido à inflação e às subidas das taxas de juro. A realização das eleições contribuiu para aumentar a incerteza que naturalmente já predomina no arranque do ano, levando a que os agentes económicos se mostrassem mais cautelosos nas suas decisões de investimento. A resposta do mercado a um maior nível de incerteza foi a de “esperar para ver”, quer no mercado comercial quer no residencial”, explica Joana Fonseca, Head of Strategic Consultancy & Research da JLL.

    No 1º trimestre deste ano, foram investidos 260 milhões de euros em imobiliário comercial, pouco diferindo quer do mesmo período do ano passado (-5%) quer da média dos últimos três anos (+6%). No sector hoteleiro, o número de hóspedes e dormidas nos dois primeiros meses do ano apresentam ligeiras melhorias face a 2023 (5% e 3%, respectivamente), bem como os níveis de ocupação, que atingiram 60% em Lisboa e 53% no Porto no 1º trimestre, em ambos os casos mais dois pontos percentuais que no 1º trimestre de 2023. Na habitação, a JLL estima que a procura neste trimestre seja ainda ligeiramente inferior à do trimestre homólogo, contudo, a tendência mais recente é de estabilização nos níveis de transacção, destacando-se ainda uma boa dinâmica das vendas em planta para projectos diferenciados e também a manutenção de actividade entre os compradores internacionais. No retalho, as vendas também sinalizam uma variação residual da ordem de 0,5%, destacando-se a estabilidade operacional dos diferentes formatos de imobiliário de retalho.

    O segmento de escritórios destaca-se dos restantes pela positiva, registando uma recuperação assinalável face ao ano anterior, com take-up a mais que duplicar quer em Lisboa quer no Porto, com 73.700 m2 e 18.000 m2 tomados, respectivamente. De assinalar ainda o comportamento do imobiliário industrial e logístico, no qual a ocupação apresenta uma quebra homóloga de 20%, embora em resultado da falta de oferta para absorver, já que as rendas continuaram a subir.

    De acordo com Joana Fonseca, “a escassez de imóveis disponíveis e adequados aos requisitos da procura continua a influenciar o comportamento do mercado nos mais diversos segmentos. Por isso, apesar de um natural abrandamento da procura do último ano, não se assiste a ajustamentos em baixa de preços e rendas registando-se mesmo subidas de valor em alguns segmentos. Isso é especialmente visível na habitação, na logística e na hotelaria, enquanto sectores como os escritórios e o retalho sustentam as suas rendas prime em níveis bastante robustos”.

    Na hotelaria, as diárias médias estão em níveis máximos para este período do ano em Lisboa (139€) e Porto (99€), com impacto nos RevPAR, que atingiram, 83€ e 52€, respectivamente. Na habitação, sem prejuízo de no acumulado do ano passado haver uma quebra de quase 19% nas vendas, os preços a nível nacional mantêm uma trajectória de subida, que mesmo mais lenta, continua a atingir cerca de 8% (dados INE). No 1º trimestre, os preços devem manter esta tendência, quer devido ao desencontro entre procura e oferta quer pela persistência do aumento de custos de construção. Na logística, observou-se uma subida das rendas prime em boa parte das zonas das regiões de Lisboa e Porto, dando continuidade ao comportamento dos últimos trimestres. No retalho, a nota é de estabilização das rendas nos diferentes formatos, com a excepção do comércio de rua do Porto, onde a tendência é de aumento, especialmente na Avenida dos Aliados, que atingiu os 55€/m2. As rendas prime dos escritórios mantiveram-se, em geral, estáveis, ficando em 28€/m2 em Lisboa (Prime CBD) e em 19€/m2 no Porto (CBD Boavista).

    “Volvido o 1º trimestre, o mercado voltou a provar a sua resiliência em situações de maior incerteza ou adversidade. E, agora, que já temos novo Governo em funções, com anúncio da rectificação de muitas medidas especialmente penalizadoras para o sector em que se antecipa um desagravamento nas condições de acesso ao crédito e o controlo dos níveis de inflação, a perspectiva é que o ano de 2024 vá progressivamente recuperando a dinâmica da procura nos diversos sectores, mantendo o consequente estímulo de valorização”, nota Joana Fonseca.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Artigos relacionados
    LG adquire Athom para “potenciar” negócio de espaços inteligentes
    Empresas
    Guimarães é uma das finalistas da Capital Verde Europeia 2026
    Construção
    Nolon comercializa empreendimento Canidelo Residences
    Imobiliário
    Presença portuguesa “bate recorde” na BAU 2025
    Empresas
    Albergaria avança com reabilitação de dois bairros sociais num investimento de 1,5M€
    Construção
    Nova Unit chega ao mercado para responder à “crescente procura” por habitações em CLT
    Construção
    Sede da Simon em Barcelona distinguida nos Prémios Cataluniya Construcció
    Arquitectura
    Zome regista crescimento das vendas na região do Porto
    Empresas
    Nova Loja Online Gyptec
    Arquitectura
    Matosinhos recebe investimento de 12 M€ da Thomas & Piron
    PUB
    Empresas

    LG adquire Athom para “potenciar” negócio de espaços inteligentes

    Com uma participação de 80% na Athom, os restantes 20% deverão ser adquiridos nos próximos três anos. O objectivo é conectar a tecnologia da Athom com a plataforma LG ThinQ com IA generativa para fazer a gestão de electrodomésticos e dispositivos loT para criar um ambiente personalizado

    A LG Electronics adquiriu recentemente uma participação de 80% na Athom, uma empresa que actua no sector de plataformas para casas inteligentes, sediada em Enschede, nos Países Baixos, sendo que este acordo prevê a aquisição dos restantes 20% nos próximos três anos. Esta operação estratégica procura optimizar a conectividade da LG dentro dos ecossistemas abertos de smart homes.

    Ao integrar as capacidades da Athom com a tecnologia ‘Affectionate Intelligence’ da LG, a empresa demonstra o seu compromisso com a liderança de uma nova era de inovação doméstica impulsionada por IA.

    A LG planeia integrar a ampla conectividade da Athom, ao nível de milhares de electrodomésticos, sensores e dispositivos de iluminação, com a plataforma LG ThinQ com IA generativa, com o objectivo de criar uma casa inteligente com soluções optimizadas para o espaço em questão, o que permite adquirir um conhecimento mais profundo do utilizador.

    Desta forma, nestas LG Smart Homes, os clientes vão interagir com IA generativa, que fará a gestão de electrodomésticos e dispositivos loT para criar um ambiente personalizado, adaptado às suas preferências.

    A LG procura expandir as diferentes experiências das casas inteligentes para diversos espaços onde os clientes passam o seu tempo, como os espaços comerciais e ambientes de mobilidade, de forma a concretizar efectivamente e fazer evoluir o conceito de ‘espaço inteligente’.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Guimarães é uma das finalistas da Capital Verde Europeia 2026

    Pelo segundo ano consecutivo Guimarães volta a ser uma das finalista ao título de Capital Verde Europeia. A shortlist inclui ainda as cidades de Heilbronn e Klagenfurt. A cidade vencedora será conhecida a 24 de Outubro

    Guimarães está na shortlist das três cidades finalistas que disputam o título de Capital Verde Europeia 2026. O município chega à fase final da competição pelo segundo ano consecutivo e disputará o título com Heilbronn (Alemanha) e Klagenfurt (Áustria). A cidade vencedora será conhecida a 24 de Outubro, numa cerimónia que terá lugar em Valência, Capital Verde Europeia em 2024.

    Para Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal de Guimarães, “é um enorme orgulho para o município de Guimarães ver novamente valorizado o trabalho que desenvolve em prol da sustentabilidade”. O edil considera que a presença de Guimarães, pelo segundo ano consecutivo, entre as cidades finalistas ao título de Capital Verde Europeia é a prova de que o caminho que está a ser trilhado é o certo. “O nosso compromisso com o desenvolvimento ambientalmente sustentável só é possível com o apoio das escolas e universidades, empresas e cidadãos, pois só dessa forma alcançaremos o objectivo comum de sensibilizar a população para a necessidade de proteger o ambiente e assim combater as alterações climáticas. As iniciativas e acções que temos vindo a realizar, ao longo dos últimos anos, fazem de Guimarães uma cidade referência para as outras cidades, portuguesas e europeias”, afirma o autarca.

    O painel de sete especialistas independentes que avaliou o lote inicial de nove cidades candidatas valorizou o desempenho das três cidades finalistas, incluindo Guimarães, em sete parâmetros ambientais: qualidade do ar; qualidade da água e eficiência; biodiversidade, áreas verdes e uso sustentável do território; desperdício e economia circular; poluição sonora; desempenho energético e mitigação das alterações climáticas; e adaptação às mesmas.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Nolon comercializa empreendimento Canidelo Residences

    O empreendimento de luxo, composto por seis moradias, conta com a assinatura do gabinete de arquitectura UrbanCore e tem a sua conclusão prevista para o final de 2025

    A Nolon, marca imobiliária do grupo Finsolutia, está a comercializar o empreendimento Canidelo Residences, formado por seis moradias premium V4 no coração de Canidelo, em Vila Nova de Gaia. Este projecto residencial, com conclusão prevista para o final de 2025, destaca-se como um exemplo de requalificação urbana, respeitando o património cultural da zona envolvente e todas as regulamentações urbanísticas.

    Com assinatura do gabinete de arquitectura UrbanCore, o design foi pensado ao pormenor para maximizar a relação entre os espaços interiores e o exterior. Foram criados dois logradouros, sendo o primeiro voltado para a via pública e o segundo na zona posterior, destinado ao uso privativo dos moradores.

    O Canidelo Residences é marcado pela sua imagem contemporânea sóbria e design sofisticado, características que se traduzem em espaços amplos no interior e acabamentos de excelência, com vista para o mar e rio Douro.

    Com áreas brutas de construção que variam entre os 319 me e 339 m2, estas moradias de luxo situam-se a uma distância de apenas 5 minutos da Praia de Lavadores, da Reserva Natural do Estuário do Douro e da Douro Marina.
    Neste empreendimento de luxo, as seis moradias, dispostas duas-a-duas em terrenos independentes entre os 288 m2 e os 450 m2, conjugam, assim, a melhor orientação solar e a paisagem envolvente.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    Presença portuguesa “bate recorde” na BAU 2025

    São mais de 20 as empresas portuguesas que irão expor os seus produtos e soluções, cuja temática da feira pretende reflectir o conceito de “climate-friendly”

    A BAU 2025 irá decorrer de 13 a 17 de Janeiro e, embora haja ainda algum espaço para as últimas inscrições de expositores, a organização já declarou que os 18 pavilhões se encontram esgotados.

    A presença portuguesa, nesta que é considerada a feira “líder mundial” de arquitectura, materiais e sistemas de construção, aponta para a inscrição de mais de 20 empresas que irão expor em 1400 metros quadrados (m2). “Trata-se de um novo recorde de expositores e, em 10 anos, Portugal passou a ocupar o triplo de área de exposição”, indica a organização da feira.

    O tempo é de resiliência e as intervenções urbanas e arquitectónicas requerem um pensamento holístico. As cidades terão de adotar necessariamente princípios sustentáveis e a construção tem de corresponder às exigências “climate-friendly”.

    “Todos os agentes irão estar presentes neste encontro de cinco dias em Munique e todos, entidades públicas, arquitectos e engenheiros são peças-chave e partes fundamentais da resposta global que a indústria deve assumir”, reforçam.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Albergaria avança com reabilitação de dois bairros sociais num investimento de 1,5M€

    Este investimento integra a estratégia de reabilitação e construção do parque habitacional do município, a qual conta com um financiamento global superior a 4,2 milhões de euros do PRR

    O município de Albergaria-a-Velha avança com a requalificação de dois bairros sociais, num total de 44 habitações, 32 no Bairro das Lameirinhas e 12 no Bairro de Napoleão. O investimento, superior a 1,5 milhões de euros terá um impacto na vida de 150 pessoas.

    A reabilitação dos dois bairros irá incidir essencialmente na substituição de coberturas e pavimentos, na beneficiação de caixilharias, casas de banho, móveis de cozinha e roupeiros, na colocação de bombas de calor, entre outros trabalhos, visando uma melhor eficiência energética e conforto para os moradores.

    “É um marco muito importante para Albergaria-a-Velha a concretização de um objetivo do executivo, melhorar a habitação social municipal conferindo-lhe a dignidade e adequação que os moradores merecem. Neste momento damos início à requalificação de dois bairros de habitação social cujo montante ascende a 1,5 milhões de euros, após a garantia do seu financiamento a 100%, reflectindo todo o empenho na concretização de uma estratégia habitacional oportuna”, assegura Catarina Mendes, vereadora responsável pela área de Habitação do município.

    A reabilitação do parque habitacional municipal integra a Estratégia Local de Habitação do Município de Albergaria-a-Velha será um contributo relevante para melhorar as condições de acesso da população à habitação, incluindo ainda vários programas de apoio nesta área, tais como o programa de Apoio ao Arrendamento Urbano para Fins Habitacionais ou o Apoio à Recuperação de Habitações Degradadas.

    Este projecto decorre no âmbito das candidaturas submetidas pelo Município junto do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), para financiamento pelo Plano de Recuperação e Resiliência, no âmbito do Programa de Apoio ao Acesso à Habitação. Recorde-se que o Município celebrou, no dia 12 de Junho, o Termo de Responsabilidade e Aceitação relativo a Candidaturas para Reabilitação e Construção de Habitações, numa cerimónia que teve lugar na CCDR Centro, em Coimbra, e que contou com a presença do ministro das Infraestruturas e Habitação, Miguel Pinto Luz e do ministro Adjunto e da Coesão, Manuel Castro Almeida, tendo sido já garantido um financiamento global superior a 4,2 milhões de euros.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Construção

    Nova Unit chega ao mercado para responder à “crescente procura” por habitações em CLT

    A Unit nasce da “vontade mútua” de utilizar a inovação, o design, a arquitectura e a tecnologia como ferramentas de mudança positiva, contribuindo para uma construção “ambientalmente e economicamente mais responsável”

    Fundada em 2023 por Francisco Salgado Ré, arquitecto português cofundador do atelier AND-RÉ, e Esther Bahne, marketeer alemã com vasta experiência em negócios sustentáveis, a Unit nasce da “vontade mútua” de utilizar a inovação, o design, a arquitectura e a tecnologia como ferramentas de mudança positiva, contribuindo para uma construção “ambientalmente e economicamente mais responsável”.

    Dado o “elevado” interesse por experiências de alojamento em ambientes de natureza, a entrada da Unit Living no mercado português tem sido “positiva”.

    A Unit Living diferencia-se pelo design e estética que conferem às unidades, permitindo múltiplas configurações conforme as necessidades e preferências de cada cliente. Entre estas incluem-se a posição das janelas, para que se enquadrem na melhor paisagem do local, o acabamento da madeira exterior, disponível nos tons Natural Wood, Black Stained e Whitewashed, ou as paredes interiores, que podem manter a cor natural da madeira ou ser pintadas de branco.

    As UNITs incluem uma casa de banho completa, podendo ser equipadas com uma cozinha, guarda-roupa, secretária, mobiliário, entre outros elementos de configuração disponíveis. O deck externo permite conectar várias unidades, uma funcionalidade importante para quem procura opções de maior dimensão ou deseja aumentar a estrutura actual.

    Tudo começa na selecção de materiais, com toda a estrutura das UNIT´s feita em CLT (Cross-Laminated-Timber), um material de construção sustentável composto por várias camadas de madeira coladas perpendicularmente entre si, formando painéis de grande resistência e estabilidade, conferindo assim a durabilidade desejada às unidades.

    “O CLT é um material sustentável que conserva as propriedades da madeira natural, elevando os valores estéticos e sensoriais dos espaços. Proporciona inúmeras vantagens em relação à construção tradicional em betão, nomeadamente a elevada resistência e robustez, aliada a tempos de construção mais rápidos, redução de custos e desperdício, bem como um menor impacto ambiental desde o fabrico, passando pelo transporte, até à instalação no local” afirma Francisco Salgado Ré, cofundador da Unit Living.

    Rapidez é uma das palavras-chave do projecto, sendo necessárias apenas 12 semanas para a fabricação das UNITs. Importa destacar também o cuidado no processo de implementação, que é feito de modo a minimizar o impacto nos terrenos, uma vez que cada UNIT é entregue já finalizada, limitando o número e a profundidade das intervenções no solo.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos

    Simon – Switch Barcelona (@puigdellivol)

    Arquitectura

    Sede da Simon em Barcelona distinguida nos Prémios Cataluniya Construcció

    A transformação da antiga fábrica num edifício de escritórios recebeu o prémio ex aequo para a Remodelação 2024

    A Switch, a nova sede corporativa da Simon em Barcelona, foi galardoada com o prémio ex aequo para a Remodelação 2024 na XXIª edição dos Prémios Catalunya Construcció.

    De acordo com o Colégio de la Arquitetura Técnica de Barcelona (Cateb), que atribuiu os prémios com o apoio da Arquinfad e do Consejo de la Arquitetura Técnica de Catalunya, o edifício destacou-se pela “notável” transformação da sua antiga fábrica num edifício de escritórios moderno e sustentável, preservando e realçando a estrutura original.

    Os Prémios Catalunya Construcció destacam a qualidade da obra construída, os métodos e processos de execução e o trabalho profissional das equipas técnicas, muitas vezes multidisciplinares.

    Esta conquista foi possível graças aos principais colaboradores no desenvolvimento e execução da obra, entre os quais Dalmau Morros, Bis, b720 Fermín Vázquez Arquitectos, Calaf, Agefred, Martí Avilés, Antoni Arola, Katty Schiebeck, MMAS Lighting Design con Michela Mezzavilla, e JG Ingenieros.

    O júri desta edição foi constituído por profissionais de renome, como Teresa Arnal, chefe de obra e empresária, Josep Augé, coordenador de Saúde e Segurança, Vanessa Ballester, profissional liberal, Miquel Espinet, arquiteto, Josep Lluís Gil, gestor de projeto e Ismael Guerrero, engenheiro.

    Estes peritos efectuaram uma selecção entre as 22 candidaturas finalistas que concorriam em seis categorias: Gestão de Execução da Obra, Chefe de Obra, Gestão Integrada de Projeto, Coordenação de Segurança e Saúde, Inovação em Construção e Reabilitação (Patrimonial, Funcional, Energética).

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Empresas

    Zome regista crescimento das vendas na região do Porto

    Com um crescimento de mais 34% no income, comparando com o período homólogo, Junho de 2024 torna-se o “melhor mês de sempre” do hub Porto CEC da marca

    tagsZome

    A Zome tem registado um aumento das vendas na região Norte do País, tendo a Zome Porto CEC encerrado Junho com um crescimento de mais 34% no income, comparando com o período homólogo. Junho de 2024 torna-se, assim, o “melhor mês de sempre” deste hub da marca, numa altura em que começam a notar-se os impactos não só da descida das taxas de juro, como também das novas políticas governamentais para o sector.

    A Zome Porto CEC realizou 123 transacções no sexto mês do ano, o que representa um aumento de 27% no número de imóveis comercializados. Destas, 55% foram apartamentos e 21% moradias. Estes resultados contrariam a tendência de desequilíbrio entre oferta e procura de activos residenciais em zonas urbanas, em particular, na zona do Porto.

    De recordar que a Zome revelou os resultados financeiros do primeiro quadrimestre de 2024, com o anúncio de um aumento de 36,4% no volume de negócios, totalizando cerca de 450 milhões de euros. Um desempenho que reflecte um “crescimento consistente e sustentado” no mercado português, no ano em que celebra o seu quinto aniversário.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos

    Nova Loja Online Gyptec

    A Gyptec renovou e melhorou a sua loja online, e oferece agora uma experiência de compra completamente nova aos seus clientes.

    A nova loja conta com um novo design e uma navegação mais rápida, foram também adicionadas novas funcionalidades e simplificada a gestão de encomendas. O objetivo desta atualização é simplificar as rotinas dos clientes, poupando-lhes tempo no processo de compras.

    Entre as várias novidades, destacam-se:

    • Consulta / modificação / cancelamento das propostas na área de clientes;
    • Possibilidade de descarregar os documentos da conta corrente
    • Gerir pagamentos na área dos documentos por regularizar
    • Cálculo do volume das cargas
    • Atualização do catálogo de prémios

    Estas novas funcionalidades permitem aos clientes consultar as propostas que já foram inseridas no sistema (ativas), as que foram canceladas / modificadas e ainda as que passaram a encomendas. Por outro lado, poderão também descarregar as faturas em conta corrente, e os restantes documentos.

    Poderão ainda consultar a conta corrente, documentos por regularizar e emitir referências MB de um lote de pagamentos que se pretenda liquidar ou efetuar o pagamento por transferência bancária.

    A Gyptec fortalece assim a sua presença digital, dando mais um passo na modernização e simplificação dos processos de gestão. Com a nova loja online nunca foi tão fácil fazer compras.

    Saiba tudo em: https://gyptec.eu/nova-loja-online-gyptec/

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos

    Matosinhos recebe investimento de 12 M€ da Thomas & Piron

    Com assinatura do atelier Mofase, o Docks Matosinhos destaca-se pela sua arquitectura moderna, que recupera o carácter industrial desta zona da cidade. A construção, a cargo da Gabriel Couto, está prevista para o segundo semestre de 2024

    CONSTRUIR

    A promotora belga Thomas & Piron anuncia novo investimento de cerca de 12 milhões de euros num empreendimento em Matosinhos. O inicio da construção, que está a cargo da empresa Gabriel Couto, está previsto para o segundo semestre de 2024 e conclusão apontada para o início de 2026.

    Com assinatura do atelier Mofase, o Docks Matosinhos destaca-se pela sua arquitectura moderna, que recupera o carácter industrial desta zona da cidade, onde prevaleceram durante algum tempo actividades industriais e comerciais ligadas à pesca.

    Com um conceito loft e com áreas generosas, todos os apartamentos foram projectados com salas de estar com cozinha em open space e com amplas janelas, maximizando o espaço e a luz natural para proporcionar maior conforto e bem-estar.

    Em comercialização desde 17 de Junho, o edifício de cinco pisos irá acolher 31 fracções residenciais, com tipologias T1 e T2 e com áreas que variam entre os 53 metros quadrados (m2) e os 114 m2, todos com varandas e estacionamento subterrâneo.

    O empreendimento conta, ainda, com um espaço que será dedicado exclusivamente para a instalação de um coworking com aproximadamente 1.500 m2.

    Com um design funcional e acabamentos modernos, o Docks Matosinhos incorpora princípios de sustentabilidade que visam minimizar o seu impacto ambiental e promover um estilo de vida eco responsável, com a aposta na utilização de materiais de construção sustentáveis, de origem local ou, no mínimo, transformados em território nacional, para garantir uma maior eficiência energética.

    Estas medidas são complementadas pela criação de espaços verdes, que também contribuem para a biodiversidade local, de acordo com os padrões e necessidades de habitação actuais.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2024 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.