Edição digital
Assine já
Construção

Mota-Engil e SPIE Batignolles ganham 2ª fase de expansão do Metro de Lisboa

As empresas viram adjudicadas a empreitada através do consórcio ACE. A consignação da obra aguarda agora a obtenção do visto prévio do TdC

CONSTRUIR
Construção

Mota-Engil e SPIE Batignolles ganham 2ª fase de expansão do Metro de Lisboa

As empresas viram adjudicadas a empreitada através do consórcio ACE. A consignação da obra aguarda agora a obtenção do visto prévio do TdC

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Grupo Preceram na Tektónica 2021
Construção
São João da Madeira: Câmara promove concurso de ideias para EB2,3
Construção
EUREKATHON 2021 procura soluções para cidades sustentáveis
Engenharia
Construção de Ponte em Viana já está a concurso
Construção
Portugal marca presença na BIG 5 Show 2021 Dubai
Empresas
Nova geração de mini-escavadoras CAT lançadas no mercado
Empresas
Effisus lança selante para furos em coberturas metálicas
Empresas
‘Em Foco Irlanda’ da aicep dedicada a materiais de construção
Empresas
Óbidos Parque inaugura primeiro edifício
Imobiliário
Sika Academy está de volta com novos webinars
Empresas

A empreitada de projecto e construção para o Lote 2 – Execução dos toscos entre a Estação Santos e o Término da estação Cais do Sodré, no âmbito da concretização do Plano de Expansão do Metropolitano de Lisboa – Prolongamento das Linhas Amarela e Verde (Rato – Cais do Sodré), foi  adjudicada ao ACE,, consórcio  constituído pela Mota-Engil e pela  sucursal em Portugal da SPIE Batignolles International, anunciou esta sexta-feira, dia 4 de Setembro, o Metropolitano de Lisboa.

A decisão foi aprovada dia 3 de Setembro, na sequência do concurso público efectuado para o efeito e que teve início a 12 de Março. O investimento desta segunda fase é de 73, 5 milhões de euros.

A assinatura do contrato respectivo ocorrerá decorridos os prazos legais e a tramitação subsequente, nos termos do regime fixado no Código dos Contratos Públicos.

O prazo de execução desta empreitada é de 960 dias de calendário, contados da data da respectiva consignação, que só poderá ocorrer após obtenção de visto prévio do Tribunal de Contas.


O investimento total previsto para esta fase de expansão do Metropolitano de Lisboa é de 210,2 milhões de euros, cofinanciado em 127,2 milhões de euros pelo Fundo Ambiental e em 83,0 milhões de euros pelo Fundo de Coesão, através do POSEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

O plano de expansão do Metropolitano de Lisboa tem como objectivo contribuir para a melhoria da mobilidade na cidade de Lisboa, fomentando a acessibilidade e a conectividade em transporte público, promovendo a redução dos tempos de deslocação, a descarbonização e a mobilidade sustentável.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Construção

Grupo Preceram na Tektónica 2021

As empresas do Grupo Preceram, Argex, Gyptec, Preceram e Volcalis, participam na Tektónica 2021, que decorre de 6 a 9 de outubro, na FIL – Feira Internacional de Lisboa.

O Grupo Preceram terá em exposição os seus diversos materiais e soluções para a construção, direcionadas para o conforto e sustentabilidade dos edifícios.

Destaque para as soluções de construção a seco que possibilitam uma construção limpa, rápida, económica e que permitem a flexibilização dos espaços, melhorar o desempenho térmico e acústico dos edifícios e contribuir para um maior conforto dos seus habitantes. Soluções essas que são inclusivamente elegíveis para a 2ª fase do programa de apoio do Fundo Ambiental, que reembolsa os investimentos na área da reabilitação. (Saiba mais sobre este apoio aqui)

O Grupo Preceram aproveitará o evento para divulgar e promover as suas novas ferramentas digitais, nomeadamente, a página de internet SolucoesParaConstrucao.com, onde todos os produtos e soluções do Grupo Preceram estão acessíveis à distância de um clique.


Mais do que um site, é uma porta de entrada para o universo das empresas do Grupo Preceram. A partir daqui pode encontrar todas as novidades, informação e documentação, das empresas Argex, Preceram e Preceram Norte, Gyptec e Volcalis.

A Gyptec Ibérica lançou também recentemente a sua nova a página de internet. Totalmente renovada, com novas funcionalidades e mais conteúdos. Destaque para o Apoio Técnico, a nova subpágina onde se reúnem soluções construtivas, recomendações de prescrição e ferramentas digitais de apoio ao projeto. Para além do acesso direto ao Manual Técnico e ao Gestor de Soluções, disponibiliza ainda um mirror site da página da Gyptec na maior biblioteca mundial de objetos BIM, a BIMObject. Nesta área de trabalho é possível encontrar soluções para construção e reabilitação de paredes e tetos, agora com isolamento em lã mineral Volcalis.

Mais do que um website uma ferramenta de trabalho! Esta é a frase que caracteriza a presença das empresas do Grupo Preceram na internet.

No dia 7 de outubro, o Grupo Preceram participa no Ciclo de Conferências “Competitividade, Sustentabilidade e Resiliência na Construção”, onde se irá debater o tema: “Produtos eficientes, contributo para a funcionalidade e sustentabilidade”.

Um tema bastante premente e diretamente ligado à atividade das empresas do Grupo Preceram, que produzem produtos e soluções, que contribuem positivamente para a melhoria das condições do nosso parque edificado, assegurando eficiência energética, aumento da produtividade e conforto em casa.

Visite-nos, estamos no stand 2C11 do pavilhão 2, da FIL, de 6 a 9 de outubro.

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Construção

São João da Madeira: Câmara promove concurso de ideias para EB2,3

Os concorrentes têm 90 dias para apresentar as suas propostas, sendo que estas devem ter ainda em consideração a apresentação de “uma solução técnica, construtiva e financeiramente exequível, face ao valor de obra e ao ciclo da sua vida útil”

Ricardo Batista

A Câmara de São João da Madeira lançou um concurso de ideias com vista à elaboração do projeto de reabilitação e requalificação da escola básica dos segundo e terceiro ciclos (EB2,3), antigo ciclo preparatório da cidade.

Este passo segue-se à celebração, em 2020, de um protocolo entre a autarquia e o Ministério da Educação, abrindo caminho, precisamente, à reabilitação e reprogramação funcional desse estabelecimento de ensino sanjoanense.

Nesse documento, está previsto, para além da resolução da questão do amianto na EB2,3 de S. João da Madeira, o desenvolvimento de um estudo prévio de reabilitação do edifício e a sua reprogramação funcional.


O concurso de ideias agora lançado pela Câmara vai ao encontro do que estabelece esse protocolo, pois visa a seleção de um trabalho de conceção, para a reabilitação e requalificação do referido estabelecimento de ensino. Segundo o programa do concurso, pretende-se privilegiar a “originalidade e criatividade” da solução proposta, a sua “qualidade urbanística e arquitetónica” que, “através de um conceito original e inovador, seja capaz de potenciar a afirmação da Escola na cidade”, bem como “a integração e articulação com a envolvente próxima”.

Pretende-se também conciliar “a criação de espaços articuláveis e autonomizáveis, aptos para várias funções e programas, com outras áreas aptas para “uma única função, com características arquitetónicas e tecnológicas específicas, vocacionados para exposições”.

Nos termos do Anúncio de procedimento n.º 11576/2021 do Diário da República, os concorrentes têm 90 dias para apresentar as suas propostas, sendo que estas devem ter ainda em consideração a apresentação de “uma solução técnica, construtiva e financeiramente exequível, face ao valor de obra e ao ciclo da sua vida útil”.

Júri inclui representantes da DGEstE e do Agrupamento de Escolas
O júri do concurso é constituído por arquitetos da Câmara Municipal de S. João da Madeira e representantes da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) e do Agrupamento de Escolas João da Silva Correia, no qual se insere o antigo ciclo/EB2,3 da cidade.

O prémio a atribuir a quem apresentar a proposta que vier a selecionada pelo júri é de 15.000 euros. Estão ainda previstos 45 mil euros a dividir por todos os concorrentes admitidos, num máximo de 4500 euros por participante. O júri do concurso poderá ainda atribuir menções honrosas, sem prémio pecuniário.

Sobre o autorRicardo Batista

Ricardo Batista

Director Editorial
Mais artigos
Construção

Construção de Ponte em Viana já está a concurso

A Câmara de Viana do Castelo aprovou, esta sexta-feira, em reunião do executivo, a abertura de concurso público para o projecto de execução de uma nova ponte sobre o rio Lima. O investimento global supera os 20 milhões de euros

Ricardo Batista

A Câmara de Viana do Castelo está já a promover o concurso público com vista ao projecto de execução de uma nova travessia do Rio Lima entre a EN 202 / área de localização empresarial
de Nogueira e a EN 203 / Zona Industrial de Deocriste. A empreitada será financiada pelo PRR –Plano de Recuperação e Resiliência no capítulo Áreas de Acolhimento Empresarial (AAE) –
Acessibilidades Rodoviárias.

Concelho ‘exportador’
Segundo adianta a autarquia, Viana do Castelo é o 16º concelho mais exportador do país, contribuindo com 1,5% do volume nacional local. As empresas situadas nas áreas de localização empresarial abrangidas pela nova travessia evidenciam grande capacidade expansionista com os novos investimentos previstos. Neste sentido, o Município de Viana do Castelo propõe a nova travessia do Rio Lima, uma ligação rodoviária rápida e segura que fomenta o desenvolvimento socioeconómico da região e acrescenta o seu contributo no panorama nacional. A nova infraestrutura vai iniciar na EN 202, junto ao campo de futebol da Torre, com a reformulação da intercessão giratória de acesso à área de localização empresarial de Nogueira e à A27, no sentido Viana-Ponte de Lima.

Betão pré-esforçado
A travessia desenvolve-se na maior parte do percurso em tabuleiro de betão pré-esforçado, numa estrutura que permite minimizar os impactos na galeria ripícola e habitats incluídos na
Rede Natura 2000. A nova travessia termina na interceção giratória da EN 203, Zona Industrial de Deocriste, junto à DS Smith (antiga Portucel), permitindo desviar o tráfego de viaturas
pesadas da estrada nacional que tem sofrido com o aumento pela crescente actividade industrial deste complexo. Recorde-se que o Plano de Recuperação e Resiliência apresenta-se
como um documento estratégico onde estão plasmadas reformas estruturais fundamentais para assegurar a saída da crise pandémica e garantir um futuro resiliente para Portugal. No
capítulo Infraestruturas estão inscritos dois grandes investimentos necessários à dinamização económica do concelho vianense, nomeadamente a construção da nova travessia sobre o Rio
Lima entre a Estrada Nacional 203 – Deocriste e EN202 – Nogueira, e o acesso rodoviário da zona industrial do Vale do Neiva ao nó da autoestrada 28 (A28), que liga Viana do Castelo ao
Porto, empreitadas que ascendem a um valor global de 22 milhões de euros


Sobre o autorRicardo Batista

Ricardo Batista

Director Editorial
Mais artigos
Construção

Carteira de encomendas na Reabilitação cresce 8,3% até Agosto

Quanto à produção contratada, ou seja o tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, situou-se em 8,7 meses, o
que corresponde a um decréscimo de 2,2%, face a Agosto de 2020

CONSTRUIR

No mês de Agosto de 2021, de acordo com os dados obtidos no inquérito mensal ao mercado da Reabilitação, realizado pela Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN) junto dos empresários do Sector que actuam neste segmento de actividade, observam-se aumentos, em termos homólogos, nos principais indicadores qualitativos.

Concretamente, o índice que mede a evolução do Nível de Actividade regista uma taxa de crescimento de 5,6%, face a Agosto do ano anterior, variação ligeiramente inferior à registada no mês anterior (6,0%). No que concerne ao índice Carteira de Encomendas, apura-se uma variação homóloga 8,3%, o que traduz uma aceleração face ao aumento de 6,3% estimado em Julho.

Quanto à produção contratada, ou seja o tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, situou-se em 8,7 meses, o
que corresponde a um decréscimo de 2,2%, face a Agosto de 2020.


Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Tétris conclui renovação de villas do Onyria Quinta da Marinha

As villas, de tipologia T1 e T2,  foram totalmente remodeladas para integrar áreas mais amplas e arejadas. A Tétris também já havia sido responsável renovação dos 198 quartos da unidade hoteleira de 5 estrelas

CONSTRUIR

A Tétris, empresa do grupo JLL que presta serviços de arquitectura e construção, continua a consolidar a sua actividade no sector hoteleiro e turístico, tendo concluído recentemente as obras de renovação das 27 villas que compõem a oferta de alojamento da Onyria Quinta da Marinha, a 5 minutos da vila de Cascais.

As villas, de tipologia T1 e T2,  foram totalmente remodeladas para integrar áreas mais amplas e arejadas, tendo a obra decorrido por um período recorde de meses. Esta foi a segunda vez em que a Tétris colaborou com o Grupo Onyria, tendo também sido responsável pela obra de renovação dos 198 quartos da unidade hoteleira de 5 estrelas presente neste empreendimento de luxo.

Carlos Cardoso, managing director da Tétris Portugal, evidencia a importância desta obra, que permite à empresa reforçar a sua presença no segmento hoteleiro e turístico. “Este é um sector desafiante e complexo, onde consideramos que podemos aportar um valor acrescentado muito importante para o cliente, dada a nossa experiência e rigor em termos de cumprimento de prazo, orçamentos e qualidade de execução. Temos vindo a conquistar reconhecimento neste sector, reforçando o número de projectos em carteira e merecendo hoje o voto de confiança de vários clientes que são referências no sector em Portugal”.


Gonçalo Valente, business developer da Tétris e JLL, explica que “estamos activamente à procura de oportunidades no sector hoteleiro e turístico, para o qual podemos aportar muitas vantagens a nível de serviço. Desde logo, com recurso a processos de gestão e fornecimento pró-activos como é o caso do modelo Open Book, de que esta obra mais recente na Quinta da Marinha é um excelente exemplo. É um processo que permite importantes poupanças de custos e sobretudo de tempo, que são cruciais em qualquer sector, mas ainda mais na área hoteleira, especialmente neste tempo de pandemia”.

Sugerido, neste caso concreto, pela Tétris ao cliente, o modelo Open Book é um processo evolutivo em que se faz a consulta ao mercado de materiais e fornecedores à medida que a obra vai progredindo, sem necessidade de concurso e definindo-se uma margem de facturação à cabeça, bem como um valor fixo de estaleiro. Tal processo tem a grande vantagem de permitir optimizar o tempo de concretização das obras e a gestão do orçamento garantido ao cliente que o mesmo não é excedido. Neste caso concreto, a obra foi executada em menos dois meses do que o inicialmente previsto, por se ter abdicado de um processo tradicional de concurso. Com este processo Open Book, o cliente recebe um produto de qualidade, de acordo com os parâmetros arquitectónicos desejados, dentro do orçamento previsto, optimizando o prazo e, obtendo assim, uma rentabilização extra.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

PRR: investimentos transfronteiriços próximo dos 100%

A componente C7 do PRR que contempla os investimentos estruturais nos territórios transfronteiriços está a caminho dos 100% de contratualização

CONSTRUIR

Em Setembro foram assinados em Alcoutim e em Nisa os contratos de financiamento que vão permitir concretizar até 2025 a Ponte Internacional entre Alcoutim e Sanlúcar de Guadiana e a Ponte Internacional sobre o Rio Sever.
Estes investimentos, financiados em Portugal pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) com 18 milhões de euros, vão ser concretizados pelas Câmaras Municipais de Alcoutim e de Nisa, contando com a intermediação das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve e do Alentejo. Estes beneficiários estão em ligação com a Estrutura de Missão Recuperar Portugal, autoridade de gestão e coordenação operacional do PRR.

Ainda no âmbito do investimento transfronteiriço previsto no Plano de Recuperação e Resiliência já está assinado o contrato entre a Recuperar Portugal e a Infraestruturas de Portugal (IP) para a construção da ligação entre Vinhais e Bragança.

O último investimento da C7, em fase de conclusão do processo de contratualização, destina-se a concretizar a ligação entre Bragança e Puebla de Sanabria (ES) e terá como beneficiário intermediário a CCDR/Norte.


Os investimentos transfronteiriços no PRR têm uma dotação de 65 milhões de euros. A sua execução pretende trazer uma melhoria às ligações rodoviárias destes territórios, assegurar maior proximidade a corredores de grande capacidade, bem como menores custos de contexto para quem vive e trabalha nestas regiões. Ao mesmo tempo, impulsiona a dinâmica socioeconómica na zona de fronteira entre Portugal e Espanha e facilita a partilha de serviços ou infraestruturas já existentes.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Fundo Ambiental já canalizou 5M€ para edifícios mais sustentáveis

3247 candidaturas ao Programa de Apoio a Edifícios Mais Sustentáveis já receberam financiamento, num total de 5M€. 24 000 aguardam ainda resposta

CONSTRUIR

3247 candidaturas ao Programa de Apoio a Edifícios Mais Sustentáveis já receberam financiamento do Fundo Ambiental, que corresponde à entrega de apoios no montante superior a cinco milhões de euros.
Com uma dotação total de 30 milhões de euros, o programa recebeu até ao momento 26779 candidaturas, das quais apenas 3486 foram validadas e aceites.

O programa agora em vigor insere-se no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência e visa melhorar a eficiência energética e hídrica dos edifícios, contribuindo também para a recuperação económica pós-pandemia. As candidaturas são validadas por uma equipa que, além do Fundo Ambiental, integra o Laboratório de Energia e Geologia, a ADENE – Agência para a Energia e a Universidade Nova de Lisboa.

O aviso do Fundo Ambiental financia medidas que promovam a reabilitação, a descarbonização, a eficiência energética, a eficiência hídrica e a economia circular contribuindo para a melhoria do desempenho energético e ambiental dos edifícios. Em concreto, pretende-se que as medidas a apoiar possam conduzir, em média, a pelo menos 30% de redução do consumo de energia primária nos edifícios intervencionados.


O incentivo total máximo do programa é de 7500 euros (edifício unifamiliar) ou de 15 mil euros (multifamiliar e em propriedade total) e apoia a aquisição e instalação de janelas eficientes, isolamentos de base natural, sistemas de aquecimento e arrefecimento com base em energias renováveis, painéis fotovoltaicos e, ainda, intervenções que visem a eficiência hídrica.

A 1.ª fase do Programa de Apoio a Edifícios Mais Sustentáveis revestiu-se de uma enorme procura que conduziu ao esgotamento da totalidade da verba afecta ao Programa antes do final de 2020 e ao seu reforço estimado em cerca de 5 M€, totalizando 9,5 M€. Com esta iniciativa foi possível alavancar cerca de 21 milhões de euros de investimento que contribuíram para promover a dinamização económica do emprego, através do lançamento de pequenas obras, de execução célere e disseminadas pelo território, que pudessem absorver algum do impacto da crise económica provocada pela pandemia causada pela doença COVID-19, entre outras iniciativas.

Face ao sucesso do Programa de Apoio a Edifícios Mais Sustentáveis, as candidaturas apresentadas ao abrigo desta 2ª fase, que venham a ser aprovadas e que não tenham cabimento no orçamento, transitarão para programas similares posteriores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Martifer ganha contrato de 35M€ para ampliação do Aeroporto de Marselha

A empresa portuguesa será responsável pelo fornecimento e montagem de estrutura metálica, fachadas em vidro, clarabóias e revestimentos em chapa de alumínio

CONSTRUIR

A Martifer, através da sua participada Martifer Constructions SAS (“Martifer França”), ganhou um contrato de 35M€ no âmbito das obras de ampliação do Aeroporto de Marselha Provence, anunciou a empresa em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários.

Segundo a empresa a adjudicação foi ganha em “em consórcio com a GTM SUD e a Travaux du Midi Provence (empresas do grupo Vinci) para a ampliação do Aeroporto de Marselha Provence. O valor global do contrato ascende a 125 milhões de euros”, avança em comunicado.

Os trabalhos a executar pela Martifer têm um valor estimado de 35 milhões de euros e o prazo previsto para a execução da obra é de 37 meses. A Martifer será responsável pelo fornecimento e montagem de estrutura metálica, fachadas em vidro, clarabóias e revestimentos em chapa de alumínio.


Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Metro: Novos contratos ao abrigo do PRR permitem avançar com expansão da rede

O prolongamento da linha Vermelha terá uma extensão de 4 km e 4 novas estações: Amoreiras, Campo de Ourique, Infante Santo e Alcântara, com ligação à futura Linha Intermodal Sustentável. Já o Metro de Superfície Odivelas-Loures, com 18 estações e 12 km, ligará o Hospital Beatriz Ângelo ao Infantado, com interface e transbordo para Lisboa na Estação de Metropolitano em Odivelas

CONSTRUIR

O Metropolitano de Lisboa e a Estrutura de Missão “Recuperar Portugal” celebraram os contratos de financiamento para a realização dos investimentos para a linha Vermelha do Metropolitano de Lisboa até Alcântara e o Metro Ligeiro de Superfície Odivelas/Loures, previstos no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) 2026 que determinam o apoio financeiro destinado à concretização e operacionalização destes investimentos.

O contrato relativo ao Investimento TC-C15-i01 “Expansão da Rede de Metro de Lisboa – Linha Vermelha até Alcântara” fixa um financiamento de 304 milhões de euros, prevendo o contrato relativo ao Investimento TC-C15-i03 “Metro Ligeiro de Superfície Odivelas-Loures” um financiamento de 250 milhões de euros, valores que correspondem, em ambos os projectos, ao custo total do investimento. Os presentes investimentos e financiamentos têm um prazo de conclusão previsto para 31 de Dezembro de 2025.

O prolongamento da linha Vermelha de São Sebastião a Alcântara terá uma extensão de quatro quilómetros e quatro novas estações: Amoreiras, Campo de Ourique, Infante Santo e Alcântara, efectuando-se nesta última, a ligação à futura Linha Intermodal Sustentável que promoverá a ligação ao concelho de Oeiras (LIOS Ocidental).


O Metro Ligeiro de Superfície Odivelas-Loures terá um total de 18 estações e 12 quilómetros de rede. Esta linha irá estender-se num corredor em “C”, que ligará o Hospital Beatriz Ângelo ao Infantado, com interface e transbordo para Lisboa na Estação de Metropolitano em Odivelas.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Lidl lança concurso de 1M€ com o apoio da RE/MAX

O Lidl Portugal através do seu programa de fidelização, Lidl Plus, e em parceria com a RE/MAX Portugal, lança um novo concurso que procura ajudar os portugueses a concretizarem o sonho de comprar casa.

CONSTRUIR

O Lidl Portugal através do seu programa de fidelização, Lidl Plus, e em parceria com a RE/MAX Portugal, lança um novo concurso que procura ajudar os portugueses a concretizarem o sonho de comprar casa.

A decorrer entre os dias 20 de Setembro e 14 de Novembro, o Lidl irá sortear um cheque-oferta RE/MAX no valor de 150.000 euros para adquirir um imóvel, na tipologia de moradia ou apartamento, através da imobiliária.

Este concurso, inovador no sector do retalho alimentar, e em parceria com a RE/MAX, assenta numa mecânica simples. Para participarem, os clientes têm que estar registados na aplicação gratuita Lidl Plus – o programa de fidelização do Lidl – identificarem-se com o seu cartão digital Lidl Plus no leitor da caixa de pagamento e, por cada 25 euros em compras, em cada talão, recebem uma participação que deverá ser submetida através da app.


Os oito vencedores serão seleccionados através de um sorteio semanal ao longo das 8 semanas de concurso, e terão 1 ano para utilizar o seu Cheque-Oferta, no valor de 150.000 euros, na RE/MAX, em Portugal Continental e nas ilhas da Madeira e dos Açores. Durante a sua validade, os vencedores poderão utilizar este montante para encontrar a casa dos seus sonhos, tendo de cobrir a diferença caso o imóvel seja superior ao valor do Cheque-Oferta.

O concurso vai ao encontro daquele que é o desejo de muitas famílias portuguesas: comprar casa própria. “Temos vindo a construir nos últimos anos um percurso sólido em campanhas de fidelização que muito nos orgulha – relevantes e com um cariz educacional. As nossas campanhas como o Gang dos Frescos, os Guardiões da Terra ou o Lidl Shop, foram muito acarinhadas pelos nossos clientes. Este ano, dado o contexto económico actual, agravado pela situação de pandemia, foi imperativo para nós contribuir para algo que é o sonho de muitas famílias – a possibilidade de terem a sua própria casa – em parceria com uma das maiores imobiliárias no país, algo inovador no retalho alimentar”, justifica Filipa Appleton, directora de marketing do Lidl Portugal.

Já para a RE/MAX ”uma casa, além de um investimento, é um dos bens mais preciosos, onde são construídas histórias, tradições, amizades e famílias. É por isso para nós muito gratificante ter estabelecido esta parceria com uma das maiores empresas de retalho alimentar e que irá proporcionar a oito clientes Lidl a possibilidade de concretizar o sonho de ter a sua própria casa. Acreditamos que esta campanha terá um poder transformador em várias famílias e, sendo essa a base do nosso trabalho, acreditamos que esta parceria faz todo o sentido para a RE/MAX Portugal”, reforça Beatriz Rubio, CEO da rede imobiliária.

Para a divulgação deste concurso, será lançada, a partir do dia 19 de Setembro, uma campanha multimeios com a criatividade d’O Escritório, presente em televisão, rádio, digital, outdoor e ownmedia – website, redes sociais, app e newsletter.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector da construção, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias da Construção em Portugal. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.